Homem ilustre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Vir illustris)
Ir para: navegação, pesquisa
Insígnia do homem ilustre prefeito pretoriano da Ilíria no Notitia Dignitatum

Homem ilustre (em latim: vir illustris) era uma indicação formal na Antiguidade Tardia para descrever os mais altos escalões dentre dos senadores de Roma e Constantinopla. Todos os senadores tinham o título de homem claríssimo (em latim: vir clarissimus), mas a partir de meados do século IV, homem ilustre e homem espetacular (em latim: vir spectabilis, uma classificação inferior ao ilustre) eram utilizados para distinguir os titulares de altos cargos.

Em inscrições e manuscritos antigos, a grafia inlustris é mais comum.[1] Uma vez que os ilustres eram um subconjunto dos claríssimos, o título era muitas vezes dado como "homem claríssimo e ilustre" (vir clarissimus et illustris) particularmente em documentos oficiais.[2] A forma mais curta é comumente abreviada v. i. (plural vv. ii.), v. inl. ou vir inl.; a forma mais longa como v. c. et inl.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Senadores romanos na antiguidade tardia tinham o título de homem claríssimo acrescentado ao seu nome, um costume que tinha sido desenvolvido gradualmente nos séculos I-II.[4] No século IV, a ordem senatorial expandiu-se enormemente, de modo que o título tornou-se mais comum e novos títulos, homem espetacular e homem ilustre foram necessários para dar distinção aos altos senadores.[5] O primeiro exemplo é de 354 quando um prefeito pretoriano usou-o.[6] Por algumas décadas ocorreu inconscientemente, então as suas aparições tornaram-se mais regulares,[7][8] talvez em conexão com a codificação formal de honras sob Valentiniano I (r. 364–375) em 372.[9][10][11]

Follis de Valentiniano I (r. 364–375)

Os ofícios que tiveram o direito ao título mudaram com o tempo. O Notitia Dignitatum do começo do século V anexa os seguintes ofícios: prefeito do pretório, prefeito urbano, mestre dos soldados (magister militum), prepósito do cubículo sagrado, mestre dos ofícios, questor, conde dos tesouros sagrados, conde da fortuna privada e comes domesticorum equitum dive peditum.[12][13] Além destes, o título também era frequentemente dado aos cônsules,[14] e ocasionalmente para ofícios menores. Nestes casos o título pode mostrar um alargamento dos critérios ou podem ser simplesmente uma subvenção honorária a um indivíduo.[15]

O ilustre logo passou a ser considerado como a parte ativa do senado; e em meados do século V, espetacular e claríssimo já não participavam mais no senado.[16] Na época de Justiniano (r. 527–565), os senadores eram definidos como ilustre.[17] Ao mesmo tempo o título ilustre tinha sofrido uma desvalorização semelhante ao de claríssimo no século IV; titulares de altos cargos eram agora indicados com o título homem glorioso (vir gloriosus) ou gloriosíssimo (gloriosissimus) e homem magnífico (vir magnificus).[18]

Referências

  1. Mommsen 1905, p. CXLVII
  2. Hirschfeld 1901, p. 596-598
  3. Berger 1915, p. 1070; 29-38
  4. Hirschfeld 1901, p. 580-582
  5. Jones 1964, p. 525-528
  6. Teodósio II 438, p. XI.1.6
  7. Berger 1915, p. 1072-1073
  8. Hirschfeld 1901, p. 595
  9. Jones 1964, p. 142-143
  10. Näf 1995, p. 20
  11. Heather 1998, p. 188-191
  12. Notitia Dignitatum [S.l.: s.n.] século V. p. II.15; II.13. 
  13. Berger 1915, p. 1074-1075
  14. Berger 1915, p. 1078; 29-44
  15. Berger 1915, p. 1078-1079
  16. Jones 1964, p. 529
  17. Justiniano 529-534, p. I.9; XII.1
  18. Näf 1995, p. 21-22

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Berger, A. (1915). «Illustris». Realencyclopädie der Classischen Altertumswissenschaft [S.l.: s.n.] 
  • Heather, P. (1998). «Senatorial Careers». The Cambridge Ancient History XIII [S.l.: s.n.] 
  • Hirschfeld, O. (1901). «Illustris». O título posto do Império Romano (Berlim [s.n.]). 
  • Jones, A. H. M. (1986). The Later Roman Empire 284-602, A Social, Economic, and Administrative Survey (Oxford: Blackwell). 
  • Justiniano (529-534). «Digesta». Corpus Juris Civilis [S.l.: s.n.] 
  • Momsen, T. (1905). Theodosiani Libri XVI cum Constitutionibus Sirmondianis [S.l.: s.n.] 
  • Näf, B. (1995). Consciência da classe senatorial no Império Romano Tardio (Freiburg: Freiburg University Press). 
  • Teodósio II (438). Codex Theodosianus [S.l.: s.n.]