Virgin Racing

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Virgin
Virgin Racing sidepod.jpg
Nome completo Marussia Virgin Racing
(2011)
Virgin Racing
(2010)
Sede Dinnington, South Yorkshire, Reino Unido
Chefe de equipe John Booth
Diretor técnico Pat Symonds
Site oficial www.virginracing.com
Temporada de Fórmula 1 de 2011
Pilotos Brasil Lucas Di Grassi
Alemanha Timo Glock
Bélgica Jérôme d'Ambrosio
Pilotos de teste Brasil Luiz Razia
Espanha Andy Soucek
Japão Sakon Yamamoto
Canadá Robert Wickens
Chassis MVR-02
Motor Cosworth CA2011
Pneus Pirelli
Histórico na Fórmula 1
Estréia GP do Bahrein de 2010
Último GP GP do Brasil de 2011
Corridas concluídas 38
Campeã de construtores 0
Campeã de pilotos 0
Vitórias 0
Pole Position 0
Voltas rápidas 0
Posição no último campeonato
(2011)
12º (0 pontos)

Virgin Racing, posteriormente Marussia Virgin Racing, foi uma equipe de automobilismo que disputou a Fórmula 1. A equipe estava sob a gestão da Manor Motorsport, Wirth Research e Richard Branson da Virgin Group, que competiu na Fórmula 1 em 2010 e 2011. Ela não marcou nenhum ponto e terminou em último no Campeonato de Construtores nos dois anos em que a equipe competiu.

A equipe foi uma das quatro que receberam uma entrada para a temporada de 2010, e foi originalmente conhecida como Manor Grand Prix, antes de ser renomeada para Virgin Racing quando a Virgin adquiriu uma participação e direitos de nomeação no final de 2009. O carro original da equipe, o Virgin VR-01, foi o primeiro na Fórmula 1 a ser desenvolvido usando apenas fluidodinâmica computacional, e foi conduzido por Timo Glock e Lucas Di Grassi. No final da temporada, A Marussia Motors comprou uma participação na equipe e se tornou no seu principal patrocinador, com o time conhecido como Marussia Virgin Racing e correndo sob uma licença russa em 2011. Porém a parceria com Wirth terminou durante a temporada de 2011, e uma nova estrutura técnica para o desenvolvimento do carro foi criada para a temporada de 2012.

A Marussia Virgin Racing foi renomeada para Marussia F1 Team no final de 2011. A empresa manteve a base em Dinnington, bem como a criação da base técnica em Banbury para a construção dos carros de corrida.

História[editar | editar código-fonte]

A equipe teve sua participação na Fórmula 1 anunciada em 12 de junho de 2009, como uma das três novas equipes da categoria, sob o nome de Manor Grand Prix.[1] [2] A equipe teve início com a parceria entre a equipe Manor Motorsport e Richard Branson, proprietário da Virgin Group. John Booth assumiu o cargo de chefe da equipe enquanto Nick Wirth, ex-proprietário da Simtek, o de diretor técnico.[3]

A equipe adotou Dinnington, em South Yorkshire, como sede, enquanto a Wirth Research desenvolvia e construía os carros em Bicester. O ex-presidente da FIA, Max Mosley, foi um dos membros da Simtek Wirth,[4] de modo que, Wirth esteve envolvido em vários projetos desenvolvidos pela FIA.

O carro da equipe para a temporada de 2010, o VR-01, foi equipado com motor fornecido pela Cosworth e foi o primeiro carro de Fórmula 1 criado inteiramente usando o CFD, inovadora tecnologia de simulação computacional.[5]

Em 17 de novembro de 2009, o ex-piloto da extinta Toyota, Timo Glock, foi anunciado como o primeiro piloto da equipe para 2010.[6] O contrato tinha duração de dois anos, com a possibilidade de renovação por mais um. Já em 15 de dezembro, foi anunciado o segundo piloto da equipe, o estreante brasileiro Lucas Di Grassi,[7] juntamente com os pilotos de testes, o português Álvaro Parente[8] e o também brasileiro Luiz Razia.[9] No entanto, em fevereiro de 2010, devido ao não cumprimento de um acordo estabelecido entre patrocinadores e a equipe, Parente foi cortado da Virgin Racing.[10]

No dia 15 de novembro de 2009, antes mesmo de estrear na categoria, a equipe teve seu nome alterado para Virgin Racing, após acordo com a empresa de Branson.[11]

A equipe apresentou seu carro oficialmente no dia 3 de fevereiro de 2010.[12] A sua estreia na Fórmula 1 aconteceu no dia 14 de março, no Grande Prêmio do Bahrain. Seus carros, no entanto, não conseguiram completar a corrida, ambos tiveram problemas no câmbio. A equipe terminou a temporada na ultima colocação, sem pontos marcados.

Em 11 de novembro foi anunciada a compra da maior parte das ações da equipe pela montadora russa Marussia Motors.[13] [14]

Em junho de 2011, a equipe anunciou que a Wirth Research se retirou da equipe, após uma longa revisão interna liderada pelo ex-diretor da Renault, o engenharia Pat Symonds, que descobriu que a uso da fluidodinâmica computacional não trouxe rendimento para equipe e nem os resultados esperados.[15]

A equipe também tinha planos de criar uma academia de pilotos, uma série de equipes de corrida a partir da nova GP3 Series e avançando todo o caminho até a Fórmula 1.[16]

Pilotos[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Carro Pneus Motor Pilotos Pilotos de teste Classificação
2011 Marussia Virgin Racing MVR-02 P Cosworth Alemanha Timo Glock
Bélgica Jerome d'Ambrosio
Japão Sakon Yamamoto
Canadá Robert Wickens
12º (0 pts)
2010 Virgin Racing VR-01 B Cosworth Alemanha Timo Glock
Brasil Lucas Di Grassi
Brasil Luiz Razia
Espanha Andy Soucek
12º (0 pts)

Resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Chassis Motor Pneus Pilotos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 Pontos Posição final
2010 VR-01 Cosworth CA2010 2.4 V8 B BHR
Bahrein
AUS
Austrália
MAL
Malásia
CHN
China
ESP
Espanha
MON
Mónaco
TUR
Turquia
EUR
União Europeia
CAN
Canadá
GBR
Reino Unido
ALE
Alemanha
HUN
Hungria
BEL
Bélgica
ITA
Itália
CIN
Singapura
JAP
Japão
COR
Coreia do Sul
BRA
Brasil
ABD
=Emirados Árabes Unidos
0 12º
25 Brasil Lucas Di Grassi Ret Ret 14 Ret 19 Ret 19 19 17 Ret Ret 18 17 Ret 15 NL Ret NC 18
24 Alemanha Timo Glock Ret Ret Ret NL 18 Ret 18 Ret 19 18 18 16 18 17 Ret 14 Ret 20 Ret
2011 MVR-02 Cosworth CA2011 2.4 V8 P AUS
Austrália
MAL
Malásia
CHN
China
TUR
Turquia
ESP
Espanha
MON
Mónaco
CAN
Canadá
EUR
União Europeia
GBR
Reino Unido
ALE
Alemanha
HUN
Hungria
BEL
Bélgica
ITA
Itália
CIN
Singapura
JAP
Japão
COR
Coreia do Sul
IND
Índia
ABD
=Emirados Árabes Unidos
BRA
Brasil
0 12º
24 Alemanha Timo Glock NC 16 21 DNS 19 Ret 15 21 16 17 17 18 15 Ret 20 18 Ret 19 Ret
25 Bélgica Jérôme d'Ambrosio 14 Ret 20 20 20 15 14 22 17 18 19 17 Ret 18 21 20 16 Ret 19

Negrito – Pole
Itálico – Melhor volta
Ret = Não completou a prova.
* = Classificado pois completou 90% ou mais da prova.

Referências

  1. "FIA announces 2010 F1 entry list" (em inglês). Autosport. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  2. "FIA release 2010 entry list" (em inglês). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  3. "Fifteen teams lodged F1 entries" (em inglês). Autosport. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  4. "Simtek - Profile" (em inglês). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  5. Edd Straw, Autosport (p. 10) (2009-06-18)
  6. "Manor anuncia Glock como primeiro piloto para 2010" (em português). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  7. "Virgin Manor confirma Di Grassi e apresenta logotipo" (em português). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  8. "Virgin confirma Lucas Di Grassi para temporada 2010" (em português). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  9. "Reserva da Virgin, Razia espera aprendizado em 2010" (em português). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  10. "Virgin Racing perde Álvaro Parente" (em português). Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  11. "Manor foi rebaptizada Virgin Racing" (em português). DN Desporto. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  12. "Virgin apresenta carro para temporada de estreia na F-1" (em português). Agência Estado. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  13. "Montadora russa Marussia compra Virgin" (em português). Montadora russa Marussia compra Virgin. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  14. "Marussia confirma a compra da Virgin" (em português). Revista Racing. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  15. "Virgin parts company with Wirth" (em inglês). Autosport. Consult. 20 de dezembro de 2015. 
  16. "Virgin parts company with Wirth" (em inglês). Consult. 20 de dezembro de 2015. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Virgin Racing