Virmond

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Virmond
Bandeira de Virmond
Brasão de Virmond
Bandeira Brasão
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico Não disponível
Prefeito(a) Lenita Orzechovski Mierzva
(2013–2016)
Localização
Localização de Virmond
Localização de Virmond no Paraná
Virmond está localizado em: Brasil
Virmond
Localização de Virmond no Brasil
25° 22' 51" S 52° 11' 56" O25° 22' 51" S 52° 11' 56" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Centro-Sul Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Guarapuava IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Cantagalo, Laranjeiras do Sul, Candói e Porto Barreiro
Distância até a capital Não disponível
Características geográficas
Área 243,176 km² [2]
População 3 950 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 16,24 hab./km²
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,719 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 42 344,459 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 10 171,62 IBGE/2008[5]
Página oficial

Virmond é um município brasileiro do estado do Paraná e sua população era estimada, em 2009, de de 4.181 habitantes.[6]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A denominação da cidade deriva do sobrenome de uma personalidade: Frederico Guilherme Virmond. Etimologicamente, Virmond é uma forma afrancesada do germânico "Wemund" ou "Warmund", significando proteção ou protetor, ou do francês de origem geográfica "Vermond"; monte verde[7] .

História[editar | editar código-fonte]

A região foi organizada e colonizada pelo então cônsul da Polônia, Kazimierz Gluchowski, que em 1920, adquiriu terras no município de Guarapuava. O primeiro cônsul da Polônia, no sul do Brasil, logo ao tomar posse em 1921, formou uma sociedade de colonização junto com Franciszek Lyp e Wladyslaw Radecki. Emprestou então 10 mil réis de Wladyslaw Kaminski e comprou a Fazenda "Amola Faca" para efeitos de colonização. Para formar a colônia chamou famílias de imigrantes polacos espalhados pelo Brasil, que haviam se desfeito de suas terras por um motivo ou outro.

A primeira escola surgiu em 1924 e a primeira igreja em 1928. Wladyslaw Kaminski é a mesma pessoa que, em 1922, contribuiu com a restauração do Castelo de Wawel, em Cracóvia, e que por isso tem seu nome entre as placas dos polacos de todo o mundo que ajudaram na reconstrução do símbolo da nação polaca. Sua placa está colocada logo no início da muralha que dá acessos aos portões de Wawel.

A área adquirida tinha sido a Fazenda Amola Faca, que havia pertencido a Frederico Guilherme Virmond (nascido em 1791 e morto em 1876), prussiano que estudou medicina em Berlim e contribuiu para a construção da Cadeia Velha e da Fundação da Sociedade Harmonia Lapoense da cidade da Lapa. O médico e pintor Virmond comprou a fazenda em 1852, no então município de Guarapuava, embora continuasse a morar na Lapa. O opúsculo escrito por David Carneiro, em 1929, que deu início à sua carreira de historiador foi justamente sobre a figura Frederico Guilherme Virmond. Segundo Carneiro, Virmond foi possivelmente o primeiro pintor a se radicar no Paraná[carece de fontes?].

Mais tarde, a Fazenda Amola Faca de 24 mil hectares foi vendida para o guarapuavano Ernesto Queiroz e este vendeu, em 1923, 4 mil hectares da fazenda para a Sociedade Colonizadora do Cônsul Gluchowski.

Wladyslaw Radecki era o encarregado das vendas das parcelas de terras às famílias polacas, que eram originárias de Curitiba, São Mateus do Sul (Água Branca), Prudentópolis e do Rio Grande do Sul. O médico J. Czaki foi contratado para atender num ambulatório construído pela sociedade colonizadora. O preço máximo do alqueire era de 70 mil réis.

Emancipação[editar | editar código-fonte]

O processo que antecedeu a emancipação política de Virmond teve participação de uma associação criada por Nelson Segundo, Joersio Carlos de Vargas, Cláudio Benderowicz, Aldino Milani, Valdecir Milani, Salete de Vargas, Edvino Cherpinski, Antônio Szczerba, Pe. Renato Gotti, Casemiro Dombrovski, Joel de Lima Lentch, Afonso Timm. Pela Lei n.º 02, de 10 de outubro de 1947, foi criado o Distrito Administrativo de Virmond. Em 17 de maio de 1990, através da Lei Estadual n.º 9.250, foi criado o município, com território desmembrado de Laranjeiras do Sul. A instalação oficial ocorreu no dia 1º de janeiro de 1993[7] .

Embora possua como denominação um sobrenome de origem alemã francesa, o município é uma forte concentração de famílias de origem polaca. A maioria de sua população descende dos imigrantes polacos da Colônia Amola Faca.

Referências

  1. a b "Divisão Territorial do Brasil". Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consult. 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). "Área territorial oficial". Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consult. 5 de dezembro de 2010. 
  3. "Censo Populacional 2010". Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consult. 11 de dezembro de 2010. 
  4. "Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil". Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consult. 11 de outubro de 2008. 
  5. a b "Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008". Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consult. 11 de dezembro de 2010. 
  6. "Estimativas da população para 1º de julho de 2009" (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 14 de agosto de 2009. Consult. 20 de julho de 2010. 
  7. a b "Municípios Paranaenses - Origens e Significados de seus Nomes" (PDF). Jornal Porto Amazonas e Secretária de Estado da Cultura do Estado do Paraná. 2006. Consult. novembro de 2015. 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.