Virola calophylla

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaVirola calophylla
Taxocaixa sem imagem
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Magnoliales
Família: Myristicaceae
Género: Virola
Espécie: V. calophylla
(Spruce) Warb.[1]
Sinónimos
  • Myristica calophylla
  • Virola incolor[2]

A epená (Virola calophylla) é uma espécies de árvore da família das miristáceas. É nativa da América Central e da América do Sul tropical, em particular de Panamá, Colômbia, Venezuela, Guiana, Suriname, Brasil, Bolívia, Equador e Peru.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

As árvores crescem entre 7 e 25 metros de altura, e são encontrados nas florestas em baixas altitudes.[3] As folhas são simples e alternas, de 37 a 40 cm de comprimeto por 8 a 11 cm de largo.[4] O fruto é de elipsóide a ovóide e subglobular; tem 19 a 32 mm de comprimento, e de 12 a 20 milímetros de diâmetro, em grupos de 1 até 32.[3]

Uso[editar | editar código-fonte]

A resina de dentro da casca do caule da epená contém dimetiltriptamina e outras triptaminas,[5] e na Amazônia, os indígenas usá-la como um rapé enteógeno.[6]

A madeira é usada para fabricar portas, janelas, moveis e diversos produtos de marcenaria.[7]

A medicina tradicional atribui à infusão da casca raspada diversas propriedades, entre as quais está aliviar os dores musculares e articulares.[7]

Referências

  1. Nova Acta Academiae Caesareae Leopoldino-Carolinae Germanicae Naturae Curiosorum 68: 231. 1897.
  2. a b «Virola calophylla information from NPGS/GRIN». www.ars-grin.gov. Consultado em 29 de abril de 2008 
  3. a b «Plantes et botanique :: Virola calophylla». www.plantes-botanique.be. Consultado em 30 de abril de 2008 
  4. Ureta Adrianzén, Marisabel (2010). «REVISIÓN TAXONÓMICA DE LA FAMILIA MYRISTICACEAE DE LA SELVA CENTRAL , OXAPAMPA-PERU». Santa Marta, Colombia. INTROPICA. 5: 29-46 (34) 
  5. Agurell, S; Holmstedt, B; Lindgren, JE; Schultes, RE (1969). «Alkaloids in certain species of Virola and other South American plants of ethnopharmacologic interest». Acta Chemica Scandinavica. 23 (3): 903–16. PMID 5806312. doi:10.3891/acta.chem.scand.23-0903 
  6. Silverwood-Cope, Peter L. (1990). Os Makú: povo caçador do noroeste da Amazônia. [S.l.]: Universidade de Brasília. p. 169 
  7. a b López Camacho, René; Cárdenas, Dairon (2002). Manual de identificación de especies maderables objeto de comercio en la Amazonia colombiana. Bogotá: SINCHI. p. 60