VirtualBox

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde agosto de 2018).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
VirtualBox
VirtualBox2.png
VirtualBox rodando Fedora, sob hospedeiro Ubuntu
Desenvolvedor InnoTek, Oracle
Plataforma x86, x86-64
Versão estável 5.2.18.124319 (14 de agosto de 2018; há 0 dia[1])
Versão em teste [+/-]
Sistema operacional Multiplataforma
Gênero(s) Máquina virtual
Licença Proprietária/GPL
Estado do desenvolvimento Corrente
Página oficial virtualbox.org

VirtualBox é um software de virtualização desenvolvido pela empresa Innotek depois comprado pela Sun Microsystems que posteriormente foi comprada pela Oracle que, como o VMware Workstation, visa criar ambientes para instalação de sistemas distintos. Ele permite a instalação e utilização de um sistema operacional dentro de outro, assim como seus respectivos softwares, como dois ou mais computadores independentes, mas compartilhando fisicamente o mesmo hardware.

Geralmente usado por desenvolvedores de sistemas, ou profissionais de TI.

História[editar | editar código-fonte]

Criado pela empresa alemã Innotek, inicialmente oferecia uma licença proprietária, existia uma versão do produto para uso pessoal ou de avaliação sem custo. Em Janeiro de 2007 é lançado a versão VirtualBox OSE (Open Source Edition) com a licença GPL (GNU General Public License), versão 2. Em Fevereiro de 2008 a empresa Innotek é adquirida pela Sun Microsystems. No dia 20 de Abril de 2009 a Oracle compra a Sun Microsystems e todos os seus produtos, incluindo o VirtualBox.

Características[editar | editar código-fonte]

Esquema de um hipervisor de segundo nível

O VirtualBox tem um desenho extremamente modular com interfaces de programação interna bem definidas e um desenho cliente/servidor. Isso torna fácil o controle de várias interfaces de uma só vez. Por exemplo: você pode iniciar uma máquina virtual em uma máquina típica virtual de interface gráfica e, em seguida, controlar essa máquina a partir da uma linha de comando, ou possivelmente remotamente. O VirtualBox também vem com um kit completo desenvolvimento de software: embora seja de código aberto, você não tem que cortar a fonte de escrever uma nova interface para VirtualBox.

As definições de configuração de máquinas virtuais são armazenados em XML e são totalmente independentes das máquinas locais. Por isso, as definições podem ser facilmente transferidas para outros computadores.

O VirtualBox tem um software especial que pode ser instalado dentro das máquinas virtuais Windows e Linux para melhorar o desempenho e fazer integração muito mais perfeita. Entre os recursos fornecidos por essas adições clientes são integração do ponteiro do mouse o e soluções arbitrárias de tela (por exemplo, o redimensionamento da janela do cliente).[2]

Tal como muitos outras soluções de virtualização, para facilitar a troca de dados entre os hospedeiros e convidados, o VirtualBox permite a declaração dos diretórios de certos hospedeiros como "pastas compartilhadas", que pode ser acessadas de dentro de máquinas virtuais.[2]

Conforme a figura ao lado, o VirtualBox utiliza-se do Hipervisor tipo 2, também denominado hosted, que é um software que se executa sobre um sistema operativo para oferecer a funcionalidade descrita.

Recursos restritos[editar | editar código-fonte]

O VirtualBox possui uma série de recursos disponíveis somente quando o Pacote De Extensões Do VirtualBox estiver instalado.[3]

Por exemplo, ele implementa um controlador virtual USB e permite-lhe arbitrariamente ligar dispositivos USB em suas máquinas virtuais sem ter que instalar um drivers de dispositivo específico ao host.[3]

Diferente de qualquer outro software de virtualização, o VirtualBox apóia inteiramente o padrão Remote Desktop Protocol (RDP). Uma máquina virtual pode atuar como um servidor RDP, o que lhe permite "executar" a máquina virtual remotamente em alguns serviços que exibem os dados RDP.[3]

Já com o recurso de USB durante RDP, uma máquina virtual que atua como um servidor RDP pode acessar dispositivos USB que estão conectados à RDP cliente. Dessa forma, uma poderosa máquina servidor pode virtualizar um lote de serviços que necessitam dados RDP e dispositivos USB conectados.[3]

Referências

  1. «Changelog – Oracle VM VirtualBox». virtualbox.org. Consultado em 15 de agosto de 2018. 
  2. a b «Chapter 4. Guest Additions». virtualbox.org. Consultado em 15 de agosto de 2018. 
  3. a b c d «Chapter 1. First steps». virtualbox.org. Consultado em 15 de agosto de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre software é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.