VisiCalc

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
VisiCalc
Captura de tela
Captura da tela da VisiCalc rodando em um microcomputador Apple II
Desenvolvedor VisiCorp (Dan Bricklin e Bob Frankston)
Versão estável VisiCalc Advanced Version / 1983
Sistema operacional Apple II, Apple SOS, CP/M, Atari 8-bit family, Commodore PET, TRS-DOS, DOS, HP series 80
Gênero(s) Planilha eletrônica
Licença Software proprietário/EULA
Página oficial http://www.danbricklin.com/visicalc.htm

VisiCalc foi o primeiro programa de planilha eletrônica (ou folha de cálculo). Lançado em 1979, era eficiente para a maioria dos computadores da época, realizando quase todas as atividades principais características das planilhas eletrônicas.[1]

Importância[editar | editar código-fonte]

VisiCalc foi provavelmente a aplicação que fez com que computadores pessoais deixassem de ser um hobby e passassem a ser considerados como uma ferramenta de negócios. A ferramenta foi apelidada de "Killer App" que desencadeou a revolução do computador pessoal corporativo.[2] Também é possível associar a criação do VisiCalc e o subsequente estrondo de vendas do Apple II (que torna o computador pessoal algo que pode ser vendido a empresas) um dos grandes motivadores para a entrada da IBM nesse mercado.

VisiCalc influenciou fortemente o programa Lotus123 (que unificava uma planilha, um banco de dados e um programa de dados), e Excel. Tirando as características de interface muito mais avançadas, a interface básica (linhas, colunas, barra de comandos, célula atual iluminada, etc…) do VisiCalc pode ser encontrada nos programas de planilha eletrônica modernos.

Pode se dizer que o programa simultaneamente:

  • Criou um novo tipo de aplicação (planilhas eletrônica altamente interativas, WYSIWYG, e acessíveis em preço)
  • Criou um tipo de interface que continua sendo o paradigma principal para essas aplicações
  • Criou um novo mercado, o mercado de computadores pessoais para negócio

História[editar | editar código-fonte]

O VisiCalc foi idealizado por Dan Bricklin e implementado por Bob Frankston. Dan Bricklin era na época estudante de MBA na Harvard Business School, e agora é professor universitário. Aparentemente, ele não recebeu o que poderia ser considerado justo por esta criação pioneira no ramo da informática, porém teve a oportunidade de participar de vários empreendimentos de sucesso razoável, assim a história que ele seria um "pobre inventor" pode ser considerada exagerada.

Talvez o principal fato a destacar é que Dan Bricklin não patenteou sua criação, simplesmente porque isto não era um hábito na época.

Killer App[editar | editar código-fonte]

VisiCalc foi provavelmente a primeira "Killer App", ou seja, uma aplicação que não só vende muito, mas como define o uso de um computador.

Originalmente a planilha foi criada para o Apple II, resultando no aumento estrondoso das vendas do computador. Para muitos compradores a pergunta era: "de qual computador eu preciso para usar o VisiCalc?".

Inovações[editar | editar código-fonte]

De acordo com seu idealizador, VisiCalc não foi o primeiro programa a usar o conceito de folhas de cálculo, porém foi o primeira a fazê-lo com algumas características importantes (entre outras):

  • Sua interface era do tipo WYSIWYG
  • As fórmulas eram guardadas nas células e calculadas automaticamente
  • Havia um tipo de programação que Dan Bricklin chama de Programar por exemplo
  • Funcionava em uma máquina barata

Considerações Técnicas[editar | editar código-fonte]

O VisiCalc original é um programa memorável: uma planilha eletrônica plenamente funcional em menos de 16K. Bob Frankston desenvolveu o programa em máquinas diferentes (em compilação cruzada) e ainda desenvolveu várias ferramentas para ajudar seu trabalho.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lohr, Steve. GoTo: The programmers who created the software revolution (em inglês). New York: Basic Books, 2001. 130-131id=ISBN 0-465-04225-2 p.
  2. Campbell-Kelly, Martin. From airline reservations to sonic the hedgehog: A history of the software industry (em inglês). Cambridge: MIT, 2003. 210-216 p. ISBN 0-465-04225-2

Ligações externas[editar | editar código-fonte]