Vitry-sur-Seine

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vitry-sur-Seine
Vitry Hotel de Ville DSCN1793.JPG
Brasão de armas de Vitry-sur-Seine
Brasão de armas
Vitry-sur-Seine está localizado em: França
Vitry-sur-Seine
Localização de Vitry-sur-Seine na França
Coordenadas 48° 47' 15" N 2° 23' 34" E
País  França
Região Blason France moderne.svg Ilha de França
Departamento Blason département fr Val-de-Marne.svg Vale do Marna
Administração
 - Prefeito Jean-Claude Kennedy (PCF)
Área
 - Total 11,67 km²
Altitude máxima 106 m
Altitude mínima 27 m
População (2010) [1]
 - Total 85 413
    • Densidade 7 319 hab./km²
Gentílico Vitriots
Código Postal 94400
Código INSEE 94081
Sítio vitry94.fr

Vitry-sur-Seine ("Vitry sobre o Sena") é uma comuna no departamento de Val-de-Marne, na região da Ilha de França, na França. Estende-se por uma área de 11,67 quilômetros quadrados. Possui 91 188 habitantes, segundo o censo de 2014. Sua densidade populacional é de 7 319 habitantes por quilômetro quadrado.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Detalhe da Carta de Cassini (1750)

O nome do local é evidenciado nas formas latinizadas Victoriacum, depois Vitriacum no século IX[2], Vitrii-les-Parisii, Vitri-lèz-Paris. Sobre um mapa de 1550, a comuna porta o nome Viteri[3]

Este é um tipo frequente toponímico galo-romano com base no antropônimo latino Victorius (usado por um autóctone, cf. Victor), seguido pelo sufixo -acum[4] de origem gaulesa, marcando a propriedade, daí o sentido geral de "domínio de Victorius."

O determinante complementar les-Parisii faz referência, tanto aos Parisii, quanto à sua localização "perto de Paris", -lèz-Paris tendo realmente esse sentido no francês antigo.

Denominação da comuna[editar | editar código-fonte]

Como muitas localidades perto de grandes cidades, era costume manter Vitry do nome de sua grande vizinha, e no final do século XIV, a cidade foi assim nomeada "Vitry-près-Paris". No entanto, a partir do final do século XVI, os registros paroquiais assim como as atas notariais frequentemente portam a menção de "Vitry-sur-Seine". No século XVII, dada a crescente importância do viveiro, a questão foi posta se "Vitry-sur-Seine" não se tornaria "Vitry-aux-Arbres". Em 1897, o Conselho Municipal optou finalmente por "Vitry-sur-Seine".

Toponímia de detalhe[editar | editar código-fonte]

Em 1280, os Langlois, antigos servos do Capítulo Notre-Dame, se estabeleceram ao longo da Sena, construindo uma fazenda e estabelecendo um porto, chamado de "Port à Langlois"[5]. Ao longo dos séculos, e por causa de deformações sucessivas, a localidade se torna "Port-à-l'Anglais", e constitui uma das duas vilas que formaram mais tarde a cidade de Vitry-sur-Seine.

Durante a Revolução, esse Port-à-l'Anglais é chamado de Port-de-Marat[6].

História[editar | editar código-fonte]

Pré-história e Antiguidade[editar | editar código-fonte]

Durante as escavações arqueológicas, um esqueleto de Palaeotherium, espécie de anta, datado da era Terciária e conservado no Museu Nacional de História Natural em Paris, e os restos de um Anoplotherium, parente distante do antílope, foram encontrados no território da comuna[7].

Durante a Guerra das Gálias, a direção da defesa de Lutécia foi confiada a Camulogenus, este episódio é conhecido como a "Batalha de Lutécia"[8]. O local preciso onde esta batalha foi dado muito preocupou os eruditos, mas muitos indícios sugerem que esta batalha teve lugar na planície de Vitry en 52 a.C.[9]. A batalha opunha as legiões romanas comandadas por Tito Labieno e uma coalizão gaulesa composta de Senones, de Parísios e de Aulerques Eburovices liderados por Camulógeno, que seria morto durante a batalha. Depois dessa vitória, os romanos foram para Agedincum pegar sua bagagens e depois se juntar a César retornando de Gergóvia.

É possível encontrar as marcas da estrada romana em pedras sob a avenue de Choisy para Paris e em um poço de areia em Orly, que continuava originalmente em Vitry-sur-Seine ao nível da rue Constant Coquelin. Esta antiga estrada real tornou-se a estrada nacional 305.

Idade Média[editar | editar código-fonte]

Tropas inglesas cruzando o Sena Vitry e pilhando durante a Guerra dos Cem Anos (miniaturas do século XIV).

no século V envolveu a instalação de fazendas no território de Vitry, ao nível do Port-à-l'Anglais e nas encostas do planalto[10]. Com a morte de Clóvis, o reino foi dividido, e a vila fazia parte do domínio real do Reino da Nêustria.

Idade Moderna[editar | editar código-fonte]

Nicolas de L'Hospital, marechal de Vitry (1581-1644).

Em 1572, os reformados tentaram fugir de Paris pelo Sena durante o Dia de São Bartolomeu, mas foram bloqueados por uma barragem de barcos em Port-à-l'Anglais pelo mestre barqueiro de água Nicolas Surgert, agente de Duque de Guise[11], e permitiu o massacre dos protestantes que fugiram de Paris.

Demografia[editar | editar código-fonte]

Evolução demográfica
1793 1800 1806 1821 1831 1836 1841 1846 1851
3 025 2 018 2 100 1 956 2 188 2 079 2 506 2 831 2 559
1856 1861 1866 1872 1876 1881 1886 1891 1896
2 600 3 095 3 745 3 758 4 155 5 284 6 122 7 161 8 010
1901 1906 1911 1921 1926 1931 1936 1946 1954
9 894 11 497 14 969 21 492 31 355 41 919 46 945 44 058 52 540
1962 1968 1975 1982 1990 1999      
64 409 77 846 87 316 85 263 82 400 78 908      

Para os censos a partir de 1962, a população legal corresponde à população sem duplicidades, segundo define o INSEE.


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Populations légales des communes en vigueur au 1er janvier 2013». www.insee.fr (em francês). INSEE. Dezembro de 2012. Consultado em 3 de abril de 2013. 
  2. Albert Dauzat; Charles Rostaing (1979). Librairie Guénégaud, ed. Dictionnaire étymologique des noms de lieu en France (em français). Paris: [s.n.] p. 727a sous Vitrac. ISBN 2-85023-076-6 
  3. Source : plan dit plan de Bâle (de Truschet et Hoyau), publication datée 1553.
  4. Albert Dauzat et Charles Rostaing, Op. cit.
  5. Sagot-Duvauroux 2002, p. 12
  6. Noms révolutionnaires des communes de France, p. 62.
  7. Sagot-Duvauroux, 2002, p. 4-5
  8. Júlio César (1865). A Guerra das Gálias (em francês). Traduzido por Désiré Nisard. [S.l.]: Didot. http://fr.wikisource.org/wiki/La_Guerre_des_Gaules/Livre_VII#57  Parâmetro desconhecido |passagem= ignorado (ajuda); .
  9. Júlio César (1855). A Guerra das Gálias (em francês). Traduzido por Charles Léopold Louandre. [S.l.]: Charpentier. 476 páginas. https://books.google.fr/books?id=r_hEAAAAIAAJ&dq=guerre%20des%20gaules%22&pg=PA404#v=onepage&q=Camulog%C3%A8ne&f=false  Parâmetro desconhecido |passagem= ignorado (ajuda); .
  10. Dimet 1989, p. 52
  11. Dimet, 1989, p. 64

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Vitry-sur-Seine
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da França é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.