Volta Redonda Futebol Clube

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2017). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2017).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Volta Redonda
VoltaçoFC.png
Nome Volta Redonda Futebol Clube
Alcunhas Voltaço, Esquadrão de Aço e Tricolor de Aço
Mascote Jaguatirica
Fundação 9 de fevereiro de 1976 (41 anos)
Estádio Raulino de Oliveira
Capacidade 20 255 pessoas[1]
Localização Volta Redonda (RJ), Brasil
Presidente Brasil Flávio Horta
Treinador Brasil Felipe Surian
Patrocinador Brasil Unimed
Brasil Lanlimp
Brasil Diário do Vale
Brasil OrthoPride
Brasil Guaraviton
Brasil CSN
Brasil Biscoito Kerus
Material (d)esportivo Brasil Kanxa
2017
Rio de Janeiro A 2017
Brasil C 2017
Brasil CB 2017
Rio de Janeiro CR 2017

7º colocado
Em disputa
Primeira fase
Primeira fase
2016
Rio de Janeiro A 2016
Brasil D 2016
Rio de Janeiro CR 2016

5º colocado
Campeão Aumento
9º colocado
2015
Rio de Janeiro A 2015
Brasil D 2015
Rio de Janeiro CR 2015

7º colocado
21º colocado
3º colocado
Website Volta Redonda Futebol Clube
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
editar

Volta Redonda Futebol Clube é uma agremiação poliesportiva, sediada na cidade de Volta Redonda, no Sul Fluminense do estado do Rio de Janeiro. Fundada em 9 de fevereiro de 1976, suas cores são o preto, o amarelo e o branco.

Seus maiores feitos vêm do futebol: o clube é o primeiro e, por enquanto, único time do Sul do estado do Rio de Janeiro a garantir espaço no Museu do Futebol do Rio de Janeiro.[carece de fontes?] O Volta Redonda também é o maior campeão da Copa Rio, com quatro conquistas.[2] Em 2016, tornou-se o segundo time a vencer de forma invicta o Campeonato Brasileiro da Série D.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Anos 1970 e 1980: surgimento[editar | editar código-fonte]

Até 1975, os únicos times profissionais da cidade eram o Flamengo de Volta Redonda, mais conhecido como "Flamenguinho", e o Guarani Esporte Clube. Contudo, naquele ano ocorreu a fusão dos estados do Rio de Janeiro e da Guanabara e, consequentemente, a fusão das federações dos dois estados com a criação da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). O então presidente da Liga de Desportos de Volta Redonda, Getulio Albuquerque Guimarães, iniciou então o projeto, juntamente com o presidente do Flamenguinho de VR, Guanayr de Souza Horst, para criar um clube de futebol para representar a cidade no novo Campeonato Estadual do Rio de Janeiro. Após dias de discussão na sede da Federação, além de uma corrida contra o tempo para montar a estrutura necessária para a existência de um time de futebol profissional no município, nascia, em 9 de fevereiro de 1976, o Volta Redonda Futebol Clube.

Torcida do Voltaço no Raulino de Oliveira.

O presidente do Flamenguinho defendia que deveria ser este o time a representar Volta Redonda, tendo sido Clube de Regatas Volta Redonda o primeiro nome a ser escolhido. Contudo, ficou definido que haveria um novo time e que ele se chamaria Volta Redonda Futebol Clube e que ele teria as mesmas cores da cidade: preto, amarelo e branco. Foi escolhido como primeiro presidente do V.R.F.C. Ysnaldo dos Santos Gonçalves, irmão do então prefeito da cidade.

Nessa época, o Estádio Raulino de Oliveira pertencia à Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e era administrado, em regime de comodato, pelo Guarani Futebol Clube, tradicional time amador da cidade. A prefeitura, a CSN e a Confederação Brasileira de Desportos (atual CBF), fizeram um acordo para a reforma do estádio, a fim de que abrigasse o novo time.

Nessa década, o Volta Redonda participou por três vezes da Série A do Campeonato Brasileiro, de 1976 a 1978. No último ano, obteve a melhor participação de sua história, terminando na 32.ª colocação entre 74 participantes. Na Série B de 1982, o clube aplicou a maior goleada da história da competição até então: 8 a 0 contra o Operário-MT. A marca só foi superada 24 anos depois, pelo Paulista, que derrotou o Paysandu por 9 a 0 em 2006.

Anos 1990: títulos da Copa Rio e vice-campeonato da Série C[editar | editar código-fonte]

Em 1994, a equipe fez história ao levantar o caneco da Copa Rio pela primeira vez. Na grande decisão, o Volta Redonda derrotou o Fluminense na disputa por pênaltis e se tornou o primeiro clube do interior a vencer a competição.[4] O clube ainda conquistaria a competição em 1995 e 1999.

"É a nossa maior conquista. Está acima do título da Taça Guanabara de 2005, do vice-campeonato estadual daquele ano, da 5ª colocação na Copa do Brasil de 2006 ou até mesmo do tetracampeonato da Copa Rio em 2007. Foi a primeira vez que um time do interior derrotou um grande da capital em uma final"
Gelver Gilliard Corrêa da Cunha, torcedor, sócio e integrante da diretoria do Volta Redonda.

Com a conquista, a equipe se qualificou para disputar a Copa do Brasil de 1995. Foi nesse ano, também, que o clube obteve sua melhor classificação no Campeonato Brasileiro da Série C. Após avançar na primeira fase, o Voltaço eliminou Santo André, Botafogo-SP, Linhares EC, Rio Branco e Atlético Goianiense até chegar à final contra o XV de Piracicaba. No primeiro jogo da decisão, o time fluminense foi derrotado por 2 a 0 em Piracicaba. Na partida de volta, em casa, derrota por 1 a 0, o que confirmou o vice-campeonato nacional.

Anos 2000: modernização do estádio e Taça Guanabara[editar | editar código-fonte]

Em 2004 um novo e moderno estádio foi reinaugurado, no mesmo local do antigo Raulino de Oliveira, com a alcunha de Estádio da Cidadania e capacidade para 20 mil pessoas. Após a reformulação do alçapão, bons resultados começaram a aparecer.

No ano seguinte, a equipe conquistou pela primeira vez a Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca, após derrotar o Americano nos pênaltis. Com a conquista, o Volta Redonda se credenciou para disputar a final do Campeonato Carioca contra o Fluminense, vencedor da Taça Rio. No primeiro jogo da decisão, o Voltaço venceu por 4 a 3. Com a vantagem, o clube poderia empatar na partida de volta para levar o título. No entanto, com um gol aos 47 minutos do 2.º tempo, o Fluminense venceu por 3 a 1 e ficou com o título.[5]

Em 2006, o clube fez sua melhor campanha na história da Copa do Brasil: após deixar para trás América Mineiro, Atlético Paranaense e 15 de Novembro, o Voltaço só foi eliminado nas quartas de final, diante do Vasco da Gama. Em 2007, foi mais uma vez campeão da Copa Rio, tornando-se o maior vencedor da competição ao derrotar a Cabofriense nos pênaltis. Com o título, o clube se qualificou para disputar a Copa do Brasil de 2008, torneio no qual foi eliminado na segunda fase.

Anos 2010: primeiro título nacional[editar | editar código-fonte]

Em 2016, o Volta Redonda conquistou a Taça Rio após derrotar o Resende, em jogo único, por 3 a 0. Os gols da conquista, disputada em São Januário foram marcados por Dija Baiano, Bruno Barra e Tiago Amaral, o artilheiro do Campeonato Carioca daquele ano.

No segundo semestre, conquistou o Campeonato Brasileiro da Série D, o primeiro título nacional de sua história.[6] Com uma campanha irretocável, com dez vitórias e seis empates, o Volta Redonda se tornou a segunda equipe a vencer a competição de forma invicta.[3]

Na fase de grupos, o Volta Redonda enfrentou URT, Desportiva Ferroviária e Goianésia em jogos de turno e returno. Sem perder nenhuma partida, se classificou de forma antecipada com o empate em 0 a 0 diante da URT, em Patos de Minas, na penúltima rodada. Na segunda fase, por conta do diagrama da competição, mais uma vez o rival foi a URT. Após empatar em 1 a 1 no jogo de ida, fora de casa, o Voltaço venceu por 2 a 0 no Raulino de Oliveira e avançou. Na terceira fase, o adversário foi Anápolis. Dessa vez, o time fluminense venceu o primeiro jogo por 2 a 1, em Goiás, e só precisou segurar o empate por 0 a 0 para se classificar para a fase final. Com a segunda melhor campanha dentre as equipes classificas às quartas de final, o clube enfrentou o Fluminense de Feira, time com a segunda pior classificação. No primeiro duelo, em Feira de Santana, vitória por 3 a 2. No jogo da volta, triunfo por 2 a 1. A classificação para semifinal garantiu o acesso para a Série C de 2017.

Após alcançar o primeiro objetivo, o interesse do Voltaço passou a ser a conquista do título. Na semifinal, enfrentou o Moto Club e, após empatar por 1 a 1 fora de casa, o clube venceu por 3 a 1 em Volta Redonda. Na grande final contra o CSA, o time segurou o empate por 0 a 0 no Estádio Rei Pelé. Em casa, o Volta Redonda engoliu o rival com uma goleada por 4 a 0, dois gols de Marcos Júnior, um de David Batista e um de Dija Baiano. A vitória garantiu o título invicto e a primeira taça em âmbito nacional do Voltaço.

Sede[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Preparada para atender as necessidades dos jogadores do Voltaço, a sede do clube fica no bairro São Lucas, em Volta Redonda, e reflete uma trajetória de sucesso. A transformação da sede administrativa ocorreu em 2003, quando o presidente Rogério Loureiro assumiu a presidência. As novas dependências foram apresentadas ao público no início do mês de maio, no mesmo ano. Da antiga e simples concentração restaram apenas o espaço físico e o prédio. A sede se transformou num local extremamente confortável e bem aparelhado, com todos os requisitos de higiene e conforto.

Os torcedores, comissão técnica, jogadores e diretoria usufruem de um espaço bem estruturado com caixa de areia para treinamentos, piscina para trabalhos regenerativos, cozinha, sala de jogos, quartos para os jogadores solteiros que não residem na cidade, além de uma moderna academia de ginástica, que recebeu o nome de Sérgio Loureiro, patriarca da família Loureiro que, desde que assumiu a direção do Voltaço, resolveu dar ao clube as condições necessárias para o seu crescimento dentro e fora do campo. Uma sala de troféus exibe suas conquistas e em suas paredes estão expostas fotos de ex-presidentes que colaboraram para o sucesso do time.

Futebol[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Campeonato Brasileiro - Série D 1 2016Cscr-featured.png
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Copa Rio 4 1994, 1995Cscr-featured.png, 1999 e 2007
Rio de Janeiro Taça Guanabara 1 2005
Rio de Janeiro Taça Rio 1 2016
Rio de Janeiro Campeonato Carioca do Interior [7] 3 1994, 1995Cscr-featured.png e 1998
Rio de Janeiro Campeonato Carioca - Série B 3 1987, 1990 e 2004
Municipais
Competição Títulos Temporadas
Volta Redonda Campeonato Citadino de Volta Redonda 10 2006Cscr-featured.png, 2007, 2008, 2009Cscr-featured.png, 2010, 2012Cscr-featured.png, 2013Cscr-featured.png, 2014, 2015Cscr-featured.png e 2016Cscr-featured.png
Volta Redonda Copa da Amizade 1 2005Cscr-featured.png
Honrarias
Torneios amistosos

Cscr-featured.png Campeão invicto

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Volta Redonda Futebol Clube
Torneio Campeão Vice-campeão Terceiro colocado Quarto colocado
Brasil Campeonato Brasileiro – Série C 0 (não possui) 1 (1995) 0 (não possui) 0 (não possui)
Brasil Campeonato Brasileiro – Série D 1 (2016) 0 (não possui) 0 (não possui) 0 (não possui)
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 0 (não possui) 1 (2005) 0 (não possui) 0 (não possui)
Rio de Janeiro Copa Rio 4 (1994, 1995, 1999 e 2007) 0 (não possui) 3 (1998, 2013 e 2015) 1 (1992)
Rio de Janeiro Campeonato Carioca – Série B 3 (1987, 1990, 2004) 0 (não possui) 0 (não possui) 1 (2003)

Treinadores de destaque[editar | editar código-fonte]

Cláudio Adão iniciou sua carreira de treinador no Voltaço.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Temporadas do Volta Redonda

Participações[editar | editar código-fonte]

Participações em 2017
Competição Temporadas Melhor campanha Estreia Última P Aumento R Baixa
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 38 Vice-campeão (2005) 1976 2017 4
Série B do Carioca 6 Campeão (1987, 1990 e 2004) 1986 2004 3
Brasil Campeonato Brasileiro 3 32º colocado (1978) 1976 1978
Série B 8 14º colocado (1996) 1981 1998 1
Série C 10 Vice-campeão (1995) 1988 2017 1
Série D 4 Campeão (2016) 2011 2016 1
Copa do Brasil 5 Quartas de final (2006) 1995 2017

Hino[editar | editar código-fonte]

O hino é de autoria de Carlos Pacheco.

Entra em campo o esquadrão de aço,

Equipe do Voltaço.

Fundado em 76.

Seus atletas estão lutando pela vez.

Time de Volta Redonda.

Terra de trabalho e paixão.

Seus torcedores garantem.

Manter sua tradição.

O município é seu braço.

A indústria o coração.

Além de recordista de aço.

Quer ver o seu clube campeão.

Sua camisa, seu escudo.

Suas cores: gritam gol!

Sua bandeira colorida.

Agitando a torcida.

Tão vibrante aguerrida.

Abre passagem com ideal.

A meta perseguida.

É a conquista, de glórias nacional.

Rivalidade[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Clássico do Sul Fluminense

O Volta Redonda, tem rivalidade com os times do Barra Mansa e o do Resende, sendo considerada a rivalidade com o Barra Mansa maior, pois são cidades vizinhas e os dois clubes tem grande torcida comparando clubes de menor investimento do estado fluminense.[8] É comum em fóruns esportivos, como no site do Diário do Vale e no FutRio observar a rivalidade entre a torcida do Voltaço e a torcida do Barra Mansa.

Futebol feminino[editar | editar código-fonte]

Question book.svg
Esta seção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O clube possui uma equipe brasileira de futebol feminino, mais comumente conhecida por Mulheres de Aço. A equipe foi criada em 2008. O Volta Redonda Futebol Feminino sempre comandado pelo ex-jogador e treinador Almir Guedes da Silva foi criado em 2008 e em pouco tempo conquistou grandes títulos.O Voltaço Feminino se firmou como uma das grandes equipes de futebol feminino do estado do Rio de Janeiro e do Brasil.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Brasil Copa Coca-Cola 1 2011
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 1 2009

Voleibol masculino[editar | editar código-fonte]

A equipe de voleibol masculino do Volta Redonda Futebol Clube é um time de voleibol da cidade de Volta Redonda, Rio de Janeiro. Atualmente disputa a Superliga Brasileira de Voleibol e é um dos principais clubes de voleibol masculino do estado.

Histórico[editar | editar código-fonte]

Apesar de ser um clube com tradição no futebol fluminense, o Volta Redonda Futebol Clube é uma equipe de história recente no cenário do voleibol, tanto em nível estadual quanto nacional. Formada com o apoio da prefeitura da cidade, do governo estadual e dos empresários locais [9], a equipe encerrou um longo período no qual o estado do Rio de Janeiro não teve representantes na Superliga.

O time conquistou logo em seu primeiro ano de existência o Campeonato Carioca, torneio no qual ainda seria tricampeão em 2009 e 2010. Já na Superliga os resultados nunca foram tão expressivos, sendo que o melhor desempenho da equipe foi a nona colocação na Série A 2011/2012 sob o comando de Sérgio Negrão.

Resultados obtidos nas principais competições[editar | editar código-fonte]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Brasil Liga Nacional 1 2010
Estaduais
Competição Títulos Temporadas
Rio de Janeiro Campeonato Carioca 2 2009 e 2010
Rio de Janeiro Copa Rio 2 2010 e 2011

Outras modalidades[editar | editar código-fonte]

A agremiação em competições desportivas.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O primeiro e, por enquanto, único time do Sul do Estado do Rio de Janeiro a garantir seu espaço no Museu do Futebol do Rio de Janeiro.[carece de fontes?]

Referências

  1. «Arquivo da CBF» (PDF). Consultado em 31 de dezembro de 2016 
  2. «Maior campeão da Copa Rio, Volta Redonda inicia trajetória contra o Duquecaxiense». Super Gol. 25 de agosto de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  3. a b «Volta Redonda é o segundo campeão invicto da Série D. Sampaio Corrêa foi o primeiro». Plano Tático. 2 de outubro de 2016. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  4. «Há 20 anos, Voltaço batia o Fluminense e conquistava sua primeira Copa Rio». Super Gol. 18 de dezembro de 2014. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  5. «Fluminense vence nos acréscimos e é campeão». Terra Esportes. 17 de abril de 2005. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  6. «Volta Redonda mata o CSA no 1º tempo e é Campeão da Série D-2016». Terra Esportes. 1 de outubro de 2016. Consultado em 2 de dezembro de 2016 
  7. http://lojavoltaco.com/index.php/nossos-titulos/
  8. «Com 7 mil, público de Barra Mansa x Voltaço supera o de Vasco, Flu e Bota». globoesporte.com 
  9. Voltaço Vôlei - Institucional - http://www.voltacovolei.com.br/institucional.php - acessado em 15 de abril de 2012 às 03h48.
  10. Os gols de Botafogo 5 x 13 Volta Redonda pelo Campeonato Carioca de Showbol - sportv.com | showbol - Catálogo de Vídeos, consultado em 31 de dezembro de 2016 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]