Volta a Portugal de 2015

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Volta a Portugal de 2015
Dados
País Portugal
Edição 77ª
Data 29-Julho a 9 de Agosto
Etapas Prólogo + 10 etapas
Distância 1551,7 km
Partida Viseu
Chegada Lisboa
Participantes 137 [1][2]
Nº Equipas 16[1]
Vencedores
Jersey yellow.svgVencedor Espanha Gustavo Veloso
Jersey blue.svgPrémio Montanha Portugal Bruno Silva
Jersey red.svgPrémio Pontos Espanha Gustavo Veloso
Jersey white.svgJuventude Rússia Aleksey Rybalkin
Equipas Portugal W52
Edições

A Volta a Portugal Liberty Seguros 2015 foi disputada entre 29 de Julho e 9 de Agosto, com a vitória final de Gustavo Veloso. O ciclista espanhol ganhou pela segunda vez consecutiva.[3] O espanhol dominou a prova,[4] estando constantemente entre os três primeiros de cada etapa (só falhou o «top 3» por três vezes). Em segundo ficou Jóni Brandão, que melhorou o quarto lugar de 2014, enquanto Alejandro Marque foi o terceiro. Quanto às "etapas-rainhas", Délio Fernandez ganhou na chegada à Torre (Serra da Estrela)[5] e Filipe Cardoso foi o mais forte no alto da Senhora da Graça (Mondim de Basto).[6]

Entre o início da competição em Viseu e o final em Lisboa, os ciclistas percorreram um total de 1551.7 km.[7] Participaram 16 equipas, seis nacionais e 10 estrangeiras, a maioria com nove ciclistas (o pelotão teve, à partida, 137 ciclistas, dos quais apenas 107 concluíram a prova).[8]

Etapas[editar | editar código-fonte]

No percurso desta Volta a Portugal, destacam-se alguns regressos ao "mapa" da prova. Logo na primeira etapa em linha, Pinhel voltou a receber a Volta quase 30 anos depois, fazendo regressar Trás-os-Montes e o duro traçado inerente. A subida à Torre voltou a ser feita pelo lado da Covilhã,[9] que é a mais dura e mítica subida ao ponto mais alto de Portugal Continental, e Condeixa-a-Nova estreou-se no percurso da maior prova velocipédica portuguesa. Na última etapa, outro regresso ao percurso, o de Vila Franca de Xira, que estava ausente há 39 anos[10] e recebeu a partida para a 10ª tirada, que chegou a Lisboa.

Etapa Data Percurso Distância Tipo Vencedor da Etapa
Prólogo 29-Jul Viseu - Viseu 6,0 km Time Trial.svg CR Individual Bélgica Gaetan Bille
1 30-Jul Pinhel - Bragança 196,8 km Plainstage.svg Etapa Plana Espanha Vicente de Mateos
2 31-Jul Macedo de Cavaleiros - Montalegre 175,6 km Hillystage.svg Média Montanha Espanha Délio Fernandez
3 01-Ago Boticas - Fafe 172,2 km Plainstage.svg Etapa Plana Itália Davide Viganò
4 02-Ago Alvarenga (Arouca) - Senhora da Graça (Mondim de Basto) 159,4 km Mountainstage.svg Alta Montanha Portugal Filipe Cardoso
5 03-Ago Braga - Viana do Castelo 169,4 km Hillystage.svg Média Montanha Portugal José Gonçalves
6 04-Ago Ovar - Oliveira de Azeméis 154,1 km Plainstage.svg Etapa Plana Espanha Gustavo Veloso
X 05-Ago Dia de descanso
7 06-Ago Condeixa-a-Nova - Alto da Torre 171,3 km Mountainstage.svg Alta Montanha Espanha Délio Fernandez
8 07-Ago Guarda - Castelo Branco 180,2 km Plainstage.svg Etapa Plana Espanha Eduard Prades
9 08-Ago Praia do Pedrogão - Leiria 34,2 km Time Trial.svg CR Individual Espanha Gustavo Veloso
10 09-Ago Vila Franca de Xira-Lisboa 132,5 km Plainstage.svg Etapa Plana Itália Matteo Maluccelli

Equipas[editar | editar código-fonte]

A lista de equipas e ciclistas inscritos na Volta a Portugal 2015 não foi uma grande surpresa, com as seis principais formações nacionais, às quais se juntaram dez estrangeiras, todas da classe continental. Entre os ciclistas, além de nomes como Davide Viganò, estiveram os grandes candidatos ao triunfo - Gustavo Veloso, Alejandro Marque, Délio Fernandez e Rui Sousa, bem como ciclistas a ter em conta como Jóni Brandão ou Hernâni Brôco.[11] Na generalidade, o favoritismo foi confirmado nas posições finais, com Veloso a repetir o triunfo e Brandão a melhorar para o segundo lugar final (tinha sido quarto em 2014). Manuel Cardoso, candidato a vitórias ao sprint, e Ricardo Mestre, vencedor em 2011,[12] foram duas das desilusões maiores da Volta a Portugal 2015, ao estarem afastados das principais posições ao longo da prova.

Resumo da prova e Resultados[editar | editar código-fonte]

A Volta a Portugal de 2015 começou com um curto prólogo nas ruas de Viseu, com Gaetan Bille, belga, a levar de vencida sobre Gustavo Veloso, vencedor de 2014. A vantagem foi superior a dois segundos, que embora seja pequena, é algo considerável tendo em conta que o prólogo tem apenas pouco mais de sete minutos e 20 segundos de duração de percurso.[13] Na etapa seguinte, o belga manteve-se no comando da prova apesar da vitória de Vicente de Mateos, que daria início ao domínio espanhol (e latino) da prova. Na terceira tirada, primeira que terminou em altitude (na Serra do Larouco, segundo ponto mais alto de Portugal Continental), Délio Fernandez levou a melhor,[14][15] mas Gustavo Veloso assumiu o comando da Volta a Portugal depois de Gaetan Bille, anterior líder, ter passado por mais dificuldades nesta etapa.[16]

Doravante, Veloso não mais perdeu a camisola amarela, apesar dos triunfos de outros ciclistas nas etapas seguintes: Davide Viganò (quarta etapa),[17] Filipe Cardoso (primeiro português a ganhar, numa subida que fez "sozinho" na frente ao alto da Senhora da Graça);[18] e José Gonçalves (na quinta etapa).[19] Na sexta tirada, a chegada a Oliveira de Azeméis foi polémica. José Gonçalves ganhou na estrada, ao ser mais rápido do que Gustavo Veloso no sprint final.[20] Contudo, os comissários acabaram por desclassificar o português por se desviar da trajectória, atribuindo a vitória a Veloso,[21] ainda que Gonçalves alega que o rival não estava a seu lado.[22]

Depois do dia de descanso entre as etapas 6 e 7, foi a chegada ao alto da Torre, ponto mais alto de Portugal Continental na Serra da Estrela. Mais uma vez, os espanhóis dominaram, com Délio Fernandez a fazer uma boa subida para vencer, logo na frente do colega de equipa e compatriota Gustavo Veloso.[23] Jóni Brandão ficou em terceiro e consolidou essa posição da geral, depois de ter liderado durante grande parte dos 20km rumo ao topo da Serra da Estrela.

Após a vitória de Eduard Prades ao sprint na oitava etapa,[24] Gustavo Veloso "arrasou" e superiorizou-se a todos no contra-relógio entre Praia do Pedrógão e Leiria,[25] assegurando a uma tirada do final o triunfo que parecia praticamente certo desde a segunda etapa de prova. Jóni Brandão conseguiu alcançar a segunda posição depois de um problema mecânico ter atrasado Délio Fernandez, que foi ainda ultrapassado por Alejandro Marque.[26] Na última etapa, numa já tradicional chegada à capital portuguesa (Lisboa), Matteo Maluccelli ganhou ao sprint, mas naturalmente sem tirar o destaque do dominador da edição 2015 da Volta a Portugal, Gustavo Veloso:[27] o espanhol só não terminou entre os três primeiros em três das 11 tiradas disputadas.

Líderes por etapa e evolução das camisolas[editar | editar código-fonte]

Classificação Prólogo [28] Etapa 1 [29] Etapa 2 [30] Etapa 3 [15] Etapa 4 [31] Etapa 5 [19] Etapa 6 [32] Etapa 7 [33] Etapa 8 [24] Etapa 9 [34] Etapa 10 [8]
Vencedor da Etapa Bélgica Gaetan Bille Espanha Vicente de Mateos Espanha Délio Fernandez Itália Davide Viganò Portugal Filipe Cardoso Portugal José Gonçalves Espanha Gustavo Veloso Espanha Délio Fernandez Espanha Eduard Prades Espanha Gustavo Veloso Itália Matteo Maluccelli
Jersey yellow.svg Geral Individual Bélgica Gaetan Bille Espanha Gustavo Veloso
Jersey blue.svg Montanha Não Atribuída Oficialmente Portugal Bruno Silva)
Jersey red.svg Pontos Não Atribuída Oficialmente Espanha Vicente de Mateos Portugal José Gonçalves Itália Davide Viganò Portugal Filipe Cardoso Espanha Gustavo Veloso
Jersey white.svg Juventude Itália Luca Capelli Espanha Hector Benito Itália Luca Capelli Rússia Aleksey Rybalkin
Equipas Bélgica WIL Portugal W52
Classificação Prólogo [28] Etapa 1 [29] Etapa 2 [30] Etapa 3 [15] Etapa 4 [31] Etapa 5 [19] Etapa 6 [32] Etapa 7 [33] Etapa 8 [24] Etapa 9 [34] Etapa 10 [8]

Classificação geral final[editar | editar código-fonte]

Polémica do número de ciclistas[editar | editar código-fonte]

No que toca à prova em si, a Volta a Portugal não teve grandes polémicas. A única foi na chegada a Oliveira de Azeméis, com a desclassificação de José Gonçalves por alegado sprint irregular, tendo o triunfo sido atribuído a Gustavo Veloso.[21] Mas antes do início, houve uma controvérsia quanto ao número de ciclistas por equipa. A maioria das equipas tinha nove corredores inscritos, mas a União Ciclística Internacional (UCI) só permitia oito por cada formação, na sequência de uma actualização regulamentar um mês antes da Volta.[35] A situação viria a ser resolvida depois de uma exposição da organização da prova portuguesa à UCI, que considerou as especificidades da prova e autorizou a que as equipas pudessem usar nove ciclistas, abrindo uma excepção regulamentar,[36] viabilizando a organização da Volta a Portugal de 2015.

Referências

  1. a b «Lista Final de Inscritos» (PDF). Volta a Portugal. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  2. «Lista Final de Inscritos» (PDF). Volta a Portugal. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  3. Volta a Portugal (09 de Agosto de 2015). [a «Bicampeão Veloso»] Verifique valor |URL= (ajuda). Volta a Portugal. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 10 de Agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. «Italiano vence ao «sprint» na consagração de Gustavo Veloso». A Bola. 09 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  5. João Faria (06 de Agosto). «Delio Fernández foi o primeiro a chegar à Torre». Jornal de Notícias. Consultado em 10 de Agosto. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  6. «Filipe Cardoso venceu na Senhora da Graça». Diário de Notícias. 02 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  7. Volta a Portugal (07 de Julho de 2015). «Volta 2015». Volta a Portugal. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 10 de Agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  8. a b c d «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 10)» (PDF). Volta a Portugal. 09 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  9. Ana Paula Magalhães (5-Ago de 2015). «Ausência de 11 anos aumenta expectativas». Cofina. Consultado em 12-Ago de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015  Verifique data em: |acessodata=, |data= (ajuda)
  10. «Volta a Portugal: Um percurso de 'tira-teimas' entre contrarrelogistas e trepadores». Observador. 27 de Julho de 2015. Consultado em 12-Ago de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  11. «Lista Final de Inscritos» (PDF). Volta a Portugal. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  12. «O regresso da Team Tavira aos candidatos». Cofina. 27 de Julho de 2015. Consultado em 15 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 15 de Agosto de 2015 
  13. «Tempo-canhão de Gaetan Bille no Prólogo da Volta a Portugal em bicicleta». RTP. 29 de Julho de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  14. «Delio Fernandez vence no alto do Larouco». Cofina. 31 de Julho de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  15. a b c «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 3)» (PDF). Volta a Portugal. 01 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  16. «Délio "trepa" para a vitória na Serra do Larouco e "dá" amarela a Veloso». Rádio Renascença. 31 de Julho de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  17. «Volta a Portugal: Davide Vigano vence ao sprint em Fafe». Media Capital. 1 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  18. André Coroado (2 de Agosto de 2015). «Filipe Cardoso vence na Sra. da Graça e Veloso consolida liderança». Modalidades.com.pt. Consultado em 2 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  19. a b c «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 5)» (PDF). Volta a Portugal. 03 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  20. «José Gonçalves bisa na chegada a Oliveira de Azeméis». O Jogo. 4 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  21. a b «José Gonçalves desclassificado, vitória para Gustavo Veloso». SAPO. 4 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  22. «"O Gustavo não estava ao meu lado"». O Jogo. 4 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  23. João Faria (6 de Agosto de 2015). «Delio Fernández foi o primeiro a chegar à Torre». Global Media Group. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2015 
  24. a b c «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 8)» (PDF). Volta a Portugal. 07 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  25. «Gustavo Veloso ganha 'crono' e garante vitória final». SAPO. 8 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  26. André Coroado (8 de Agosto de 2015). «Gustavo Veloso vence contra-relógio e Jóni Brandão conquista o 2º lugar na geral». Modalidades.com.pt. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  27. «Volta: Malucelli ganha o sprint na consagração de Veloso». Media Capital. 9 de Agosto de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  28. a b «Resumo Provisório das Classificações (Prólogo)» (PDF). Volta a Portugal. 29 de Julho de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  29. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 1)» (PDF). Volta a Portugal. 30 de Julho de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  30. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 2)» (PDF). Volta a Portugal. 31 de Julho de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015 
  31. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 4)» (PDF). Volta a Portugal. 02 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  32. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 6)» (PDF). Volta a Portugal. 04 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  33. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 7)» (PDF). Volta a Portugal. 06 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  34. a b «Resumo Provisório das Classificações (Etapa 9)» (PDF). Volta a Portugal. 08 de Agosto de 2015. Consultado em 10 de Agosto de 2015. Cópia arquivada (PDF) em 27 de agosto de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  35. Ana Paula Marques (28 de Julho de 2015). «Equipas da Volta à espera da UCI». Cofina/Record. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 
  36. «UCI autoriza inscrição de nove corredores por equipa». A Bola. 28 de Julho de 2015. Consultado em 12 de Agosto de 2015. Cópia arquivada em 12 de Agosto de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]