Voo Surinam Airways 764

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Voo Surinam Airways 764
Acidente aéreo
Surinam Airways Douglas DC-8 Wallner.jpg
O Douglas DC-8 envolvido no acidente
Sumário
Data 7 de julho de 1989
Causa Erro do piloto / Colisão com o solo em voo controlado
Local Paramaribo, Suriname
Origem Aeroporto de Amesterdão Schiphol, Amsterdã, Países Baixos
Destino Aeroporto Internacional de Paramaribo-Zanderij, Paramaribo, Suriname
Passageiros 178
Tripulantes 9
Mortos 176
Feridos 11
Sobreviventes 11
Aeronave
Modelo McDonnell Douglas DC-8-62
Operador Suriname Surinam Airways
Prefixo PY-764

O Voo Surinam Airways 764 ocorreu em 7 de junho de 1989, quando um avião Douglas DC-8 (prefixo PY-764) da Surinam Airways bateu em 2 árvores quando estava próximo do Aeroporto Internacional de Paramaribo-Zanderij, em Paramaribo, no Suriname.

Dos 178 passageiros e 9 tripulantes que estavam na aeronave, 176 morreram - entre eles, 15 jogadores e o técnico do Kleurrijk Elftal (combinado de jogadores holandeses que possuíam origem surinamesa ou nascidos no país), enquanto outros 8 (entre eles, três atletas do combinado) sobreviveram. O número poderia ser maior, caso o goleiro Stanley Menzo e o atacante Henny Meijer não fizessem um trajeto em outro avião. Foi o pior acidente aéreo na história do Suriname[1].

O acidente[editar | editar código-fonte]

O avião McDonnell Douglas DC-8-62 saiu de Amsterdã (Países Baixos) com destino a Paramaribo (Suriname). Embora com 20 anos de uso[2], a aeronave encontrava-se em condições de fazer o trajeto sem problemas, o que terminou acontecendo.

Porém, quando faltavam apenas 900 metros para pousar no Aeroporto Internacional de Paramaribo-Zanderij, o comandante Will Rogers, que pilotava o avião, errou o cálculo na aproximação e um dos motores bateu numa árvore. Em seguida, a asa direita acertou outra árvore, fazendo com que o Douglas DC-8 virasse de cabeça para baixo, matando 176 passageiros e toda a tripulação. Investigações descobriram que o avião estava numa altitude menor que a permitida (560 pés), e Will Rogers estava com seu brevê (habilitação para pilotar aeronaves) vencido, e também estava com idade acima do permitido para exercer a profissão (66 anos na época).

As vítimas do acidente[editar | editar código-fonte]

Memorial em Paramaribo
Memorial criado por Gillaume Lo-A-Njoe

Jogadores[editar | editar código-fonte]

Comissão técnica[editar | editar código-fonte]

Tripulação[editar | editar código-fonte]

  • Will Rogers (piloto)
  • Glen Tobias (primeiro-oficial)
  • Warren Rose (engenheiro de voo)

Sobreviventes[editar | editar código-fonte]

  • Sigi Lens, 25 (Fortuna Sittard; tio do atacante Jeremain Lens, fraturou a pélvis e encerrou a carreira, virando empresário de jogadores;
  • Edu Nandlal, 25 (Vitesse); sofreu uma lesão na medula e ficou tetraplégico, porém recuperou gradualmente os movimentos[3];
  • Radjin de Haan, 19 (Telstar); fraturou uma vértebra e chegou a voltar aos gramados antes de pendurar as chuteiras, quando percebeu que seu nível futebolístico não era o mesmo antes do acidente[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Quando o futebol surinamês chorou - Trivela». Trivela. 14 de setembro de 2007 
  2. Ranter, Harro. «ASN Aircraft accident McDonnell Douglas DC-8-62 N1809E Paramaribo-Zanderij International Airport (PBM)». Consultado em 30 de novembro de 2016 
  3. «The forgotten story of the Colourful XI tragedy». The Guardian. Consultado em 12 de outubro de 2017 
  4. «andro knel. Pagina ter ere van andro knel». Consultado em 30 de novembro de 2016