WET

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura por outras acepções, veja Wet.

WET é um acrônimo para Whole Earth Telescope ("Telescópio da Terra Inteira", em inglês), o nome de um projeto astronômico para estudo de estrelas pulsantes, especialmente de estrelas anãs brancas pulsantes. O WET foi fundado em 1986 pelo astrônomo americano Dr. Edward Nather da Universidade do Texas e, desde então, vem contribuindo ativamente nos avanços na área de asterosismologia de estrelas pulsantes. A sede do WET fica em Austin, no Texas, Estados Unidos e conta com a participação de dezenas de astrônomos profissionais em diversos países do mundo, inclusive no Brasil e Portugal.

Observando Estrelas Pulsantes[editar | editar código-fonte]

As estrelas pulsantes estudadas pelo WET apresentam pulsações com frequências entre 50 uHz e 3000 uHz, o que corresponde a períodos de pulsação da ordem de alguns minutos até algumas horas. Essas pulsações modulam a luz emitida a partir da superfície da estrela provocando variações em seu brilho, fazendo com que o brilho da estrela aumente e diminua em relação ao seu valor médio, ao longo de cada ciclo de pulsação. Geralmente, a amplitude dessas variações são muito pequenas, mas detectáveis através do monitoramento fotométrico da estrela. No monitoramento fotométrico, um fotômetro é acoplado ao telescópio que observa a estrela para medir a intensidade da luz da estrela ao final de intervalos regulares de tempo (por exemplo, de 1 em 1 segundos, ou de 5 em 5 segundos, ou de 10 em 10 segungos, etc).

Se a estrela oscila em apenas uma frequência, monitorá-la durante algumas horas seria suficiente para cobrir vários ciclos de pulsação e assim caracterizar o modo como pulsa. Entretanto, a quase totalidade das estrelas pulsantes são multiperiódicas, oscilando em vários modos de pulsação ao mesmo tempo. Neste caso, para se detectar e identificar as frequências de pulsação da estrela podem ser necessárias algumas centenas de horas de monitoramento fotométrico contínuo, o que é impossível de se fazer usando um único telescópio, pois as observações só podem ser feitas durante a noite e são inevitavelmente interrompidas durante o dia.


Como observar durante o dia?[editar | editar código-fonte]

Uma maneira de contornar este problema é utilizar vários telescópios sobre a Terra, situados em diferentes latitudes. Assim, quando as observações em um telescópio estão terminando no final da noite, um outro telescópio situado mais a oeste poderá continuá-las. E quando as observações deste segundo telescópio estiverem terminando, um terceiro situado mais a oeste dará proseguimento, e assim por diante, até voltar ao primeiro telescópio.

Usando esta técnica, o WET consegue monitorar continuamente uma mesma estrela durante cerca de 15 dias (ou até mais) usando de 3 a 10 telescópios em cada uma de suas campanhas observacionais. Obviamente, as observações em cada telescópio estão sujeitas às variações climáticas locais (nuvens, neblina, etc...). Mesmo assim, se atinge coberturas efetivas superiores a 60% do tempo, o que já suficiente para o estudo das pulsações estelares. O WET funciona como se fosse um único instrumento, contando com vários operadores de vários países do mundo.

Observatórios Participantes[editar | editar código-fonte]

  • McDonald Observatory, Texas, EUA
  • Kitt Peak National Observatory, Arizona, EUA
  • Mauna Kea Observatories, Hawaii, EUA
  • CFHT (Canada-France-Hawaii Telescope), Hawaii, EUA
  • Mt. John Observatory, Nova Zelândia
  • Mt. Stromlo & Siding Spring Observatories (MSSSO), Austrália
  • Beijing Astronomical Observatory, China
  • Vainu Bappu Observatory, Índia
  • Moletai Astronomical Observatory, Lituânia
  • Wise Observatory, Israel
  • South African Astronomical Observatory, África do Sul
  • Mt. Suhora Observatory, Polônia
  • Osservatorio di Bologna, Loiano Telescopes, Itália
  • Calar Alto Observatory, Espanha
  • Observatoire du Pic du Midi, França
  • Observatoire de Haute-Provence, França
  • Observatorio del Teide, Tenerife, Espanha
  • El Roque de Los Muchachos Observatory (incluindo os Telescópios "Isaac Newton" e "Jacobus Kapteyn"), La Palma, Espanha
  • Nordic Optical Telescope, La Palma, Ilhas Canárias, Espanha
  • Observatorio do Pico dos Dias, Brasil
  • Cerro Tololo Interamerican Observatory, Chile
  • European Southern Observatory, Chile
  • SARA, Kitt Peak, Arizona, EUA
  • Mt. Cuba Astronomical Observatory, University of Delaware, EUA
  • Steward Observatory, Mt. Lemmon & Mt. Bigelow, Arizona, EUA
  • Terskol Observatory, Peak Terskol, Rússia
  • Institute for Astronomy and Astrophysics (IAAT), Tubingen, Alemanha
  • Konkoly Observatory, Hungria


Ligações Externas[editar | editar código-fonte]