Wadson Ribeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Wadson Nathaniel Ribeiro (Juiz de Fora, 26 de agosto de 1976) é um político brasileiro e presidente do Partido Comunista do Brasil (PCdoB)[1] em Minas Gerais. Formado em Administração Pública, foi secretário executivo do Ministério do Esporte e líder estudantil brasileiro enquanto presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE)[2] e tambem da União da Juventude Socialista (UJS). Foi candidato a deputado estadual e a deputado federal por Minas Gerais, sendo atualmente o primeiro suplente da sua coligação na Câmara dos Deputados[3]. É casado e pai de dois filhos.

Liderança estudantil[editar | editar código-fonte]

Wadson Ribeiro é o mais novo de sete irmãos e nasceu no bairro de Linhares, na cidade de Juiz de Fora (MG). Estudou primeiramente na Escola Normal do município e depois no Instituto Granbery, onde participou do grêmio estudantil. Foi dirigente da União Juiz Forana de Estudantes Secundaristas (UJES) e, no ano de 1992, um dos mobilizadores do movimento dos “cara-pintadas”[4], em Juiz de Fora, durante a campanha “Fora Collor”. Em 1994, ingressou para o curso de medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)[5], sendo presidente do Centro Acadêmico, integrante da Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina do Brasil (DENEM) e diretor da Área Biomédica da União Nacional dos Estudantes (UNE).

Presidência da UNE[editar | editar código-fonte]

No dia 4 de julho de 1999, Wadson Ribeiro foi eleito presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), no 46º Congresso da entidade, na cidade de Belo Horizonte. O encontro contou com a presença do líder cubano Fidel Castro. Wadson presidiu a UNE entre 1999 e 2001, conduzindo lutas contra a privatização da educação e o sucateamento das universidades no Brasil. Organizou a segunda Bienal de Arte e Cultura da UNE e acompanhou a criação do CUCA (Circuito Universitário de Arte e Cultura).

A gestão de Wadson Ribeiro na UNE aconteceu no contexto de insatisfação dos movimentos sociais e de grandes parcelas da sociedade com o projeto neoliberal do presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Em 1999, foi realizada a Marcha dos 100 mil[6], em Brasília, com a participação do movimento estudantil, sindical e outras entidades da sociedade civil, em protesto contra o modelo de governo adotado, às altas taxas de desemprego e em denúncia a casos de corrupção como a recente privatização da Telebrás[7].

Nos anos 2000 e 2001, a UNE realizou campanhas contra a mercantilização do ensino superior e realizou ações conjuntas com o Procon para barrar aumentos abusivos nas mensalidades das universidades particulares[8]. Também se posicionou contra o Provão, exame nacional de avaliação institucional do ensino superior, implantado pelo ministro da Educação Paulo Renato de Souza. Foi também durante a gestão de Wadson Ribeiro que a UNE ganhou, do arquiteto Oscar Niemeyer, o projeto de seu novo prédio no terreno da Praia do Flamengo 132. O local havia abrigado a antiga sede da entidade estudantil, incendiada em 1964 e demolida pela ditadura militar na década de 1980.

Presidência da UJS[editar | editar código-fonte]

No ano de 2001, Wadson Ribeiro foi eleito presidente da União da Juventude Socialista (UJS) em uma grande plenária nacional da entidade, realizada no município de Nazaré Paulista. Ocupou o cargo até o ano de 2006. Em 2002, foi um dos mobilizadores de juventude da campanha vitoriosa de Luiz Inácio Lula da Silva à presidência da República. Representou a UJS em diversos encontros internacionais de juventude e, em 2005, coordenou as manifestações da juventude socialista, nas grandes cidades brasileiras, contra a presença do presidente norte-americano George W. Bush em território nacional.

Sob sua gestão, a UJS também promoveu campanhas pela Reforma Universitária - que colaboraram com a criação de programas como o Prouni (Programa Universidade Para Todos) e pela criação do Estatuto da Juventude no Brasil.

Ministério do Esporte[editar | editar código-fonte]

No dia 13 de abril de 2007, Wadson Ribeiro foi nomeado pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o cargo de secretário-executivo do ministério do Esporte, sob gestão do ministro Orlando Silva de Jesus Júnior. Permaneceu no cargo até o ano de 2011. Colaborou na realização dos jogos Panamericanos do Rio de Janeiro, em 2007, e integrou as equipes responsáveis pelas candidaturas vitoriosas do Brasil para sediar a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

Enquanto secretário-executivo, também coordenou a implantação nacional de programas do ministério como o Segundo Tempo - voltado ao esporte nas escolas - as Praças da Juventude e a Lei de Incentivo ao Esporte.

Presidência do PCdoB em Minas Gerais[editar | editar código-fonte]

No dia 13 de outubro de 2013, Wadson Ribeiro foi eleito presidente estadual do PCdoB em Minas Gerais na 15ª Conferência regional do partido, com a participação de cerca de 350 delegados.

Referências

  1. «Conferência elege Wadson Ribeiro presidente do PCdoB Minas». 14 de outubro de 2013. Consultado em 10 de julho de 2014 
  2. «Presidentes da UNE». Consultado em 10 de julho de 2017 
  3. «Câmara dos Deputados site oficial». Consultado em 10 de julho de 2014. Arquivado do original em 2 de outubro de 2013 
  4. «Há 20 anos, "caras pintadas" invadiam as ruas do País pedindo a saída de Collor». Consultado em 10 de julho de 2014 
  5. «Universidade Federal de Juiz de Fora». Consultado em 10 de julho de 2014 
  6. «Movimento dos Cara Pintada e Passeata dos Cem Mil». Consultado em 10 de julho de 2014 
  7. «Privatização da Telebras». Consultado em 10 de julho de 2014 
  8. «Mensalidade aumenta mais que a inflação e família perde renda». Consultado em 10 de julho de 2014