Wallace Cochrane Simonsen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Wallace Cockrane Simonsen)
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde junho de 2017)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Wallace Cochrane Simonsen
Prefeito de São Bernardo do Campo
Período 1945 á 1947
Sucessor(a) Tereza Delta
Dados pessoais
Nascimento 23 de Maio de 1884
Rio de Janeiro
Morte 6 de Junho de 1955
São Paulo
Profissão Político

Wallace Cochrane Simonsen (Rio de Janeiro, 23 de maio de 1884São Paulo, 6 de junho de 1955) foi um banqueiro e político brasileiro, um dos líderes do movimento pela emancipação de São Bernardo do Campo (1945), e seu primeiro prefeito.

Era pai do empresário Mário Wallace Simonsen.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Sidney Martin Simonsen e Robertina Cochrane Simonsen, foi casado com Maria Emilia Moretson Simonsen, com quem teve oito filhos: Lucila, Mário, Zaira, Luci, Jorge, Maria Luiza, Luiz e Renê.

Seus primeiros estudos foram no Colégio São Luiz, em Itu. Obteve seu primeiro emprego em 1899, trabalhando como escriturário no Banco do Comércio e Indústria, em Santos. Atuando na corretagem do café, galgou carreira impressionante, se transformando anos depois no presidente-fundador do Banco Noroeste e em influente figura das elites paulistas e brasileiras.[1]

Simonsen chegou a São Bernardo do Campo em 1929, ocasião em que adquiriu terras no município e lá instalou, em 1932, um sítio de recreio ao qual deu o nome de "Chácara Silvestre".

Em 1938, o país vivia sob a ditadura de Getúlio Vargas, que nomeava os interventores estaduais e lhes dava plenos poderes, inclusive para rebaixar municípios a distritos, elevar distritos a municípios e para nomear prefeitos. Em 30 de novembro de 1938, o interventor estadual Adhemar de Barros, assinou um decreto transferindo a sede do município de São Bernardo para Santo André, sendo a antiga Vila de São Bernardo rebaixada a mero distrito.[2]

Descontentes com a humilhante situação enfrentada pela cidade, um grupo de empresários começa a se reunir em segredo, para discutir a emancipação de São Bernardo. Sem grande prestígio político junto ao governo, esse grupo pouco podia fazer para recuperar a autonomia de São Bernardo.

As reuniões do movimento autonomista aconteciam no "Bar e Café Expresso", que ficava na esquina da Marechal Deodoro com Dr. Fláquer. Bortolo Basso, dono do estabelecimento, sugere que o grupo procure o banqueiro Wallace Simonsen, proprietário de uma chácara na cidade (a Chácara Silvestre). Empresário de prestígio nacional, Simonsen forneceria a força política que faltava ao grupo.

Em maio de 1943, sob a liderança de Wallace Simonsen, é fundada a Sociedade dos Amigos de São Bernardo. Criada com o objetivo de coordenar a luta pela emancipação, a sociedade contava com a participação de Pery Ronchetti, Francisco Miele, Ítalo Setti, João Corazza e Plínio Ghirardello.

Baseados em uma disposição governamental que garantia o direito de pleitear a emancipação aos distritos que preenchessem certos requisitos mínimos, em termos de território e população, o grupo solicita a emancipação do município. Graças à persistência desse grupo e à influência política de Simonsen, o decreto-lei 14.334 de 30 de novembro de 1944, que estabelecia a nova divisão político-administrativa do Estado e São Paulo, elevou novamente o distrito de São Bernardo à categoria de município. No dia 1° de janeiro de 1945, o novo município foi instalado - agora com o acréscimo "do Campo" agregado ao nome "São Bernardo". Wallace Simonsen, nomeado prefeito, toma posse naquele mesmo dia e governou a cidade até 1947.[3]

Chácara Silvestre[editar | editar código-fonte]

Antiga propriedade de veraneio da família Simonsen, vincula-se à história da cidade pela atuação de Simonsen em prol da emancipação de São Bernardo do Campo. Preservada em razão de sua importância histórica e arquitetônica, como marco da arquitetura residencial da elite dos anos 30, com forte influência do estilo europeu, presente no destaque dado às vigas da fachada principal e como importante testemunho do subúrbio rural que São Bernardo do Campo desempenhou regionalmente. É um bem cultural tombado pelo COMPAHC — Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural de São Bernardo do Campo e se localiza no bairro Nova Petrópolis em São Bernardo do Campo.[1]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Biografia Prefeitura de São Bernardo do Campo
Ícone de esboço Este artigo sobre um político brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. a b ABC, Portal do ABC do. «São Bernardo do Campo ‹ Conheça a história de São Bernardo do Campo». www.abcdoabc.com.br. Consultado em 15 de janeiro de 2018. 
  2. «História da Cidade - São Bernardo». www.saobernardo.sp.gov.br. Consultado em 4 de dezembro de 2017. 
  3. ABC, Portal do ABC do. «São Bernardo do Campo ‹ Conheça a história de São Bernardo do Campo». www.abcdoabc.com.br. Consultado em 4 de dezembro de 2017.