Walter A. Shewhart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde fevereiro de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2017).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Walter A. Shewhart
Nascimento 18 de março de 1891
New Canton, Estados Unidos
Morte 11 de março de 1967 (75 anos)
Parsippany-Troy Hills, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos Americano
Alma mater Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, Universidade da Califórnia em Berkeley
Prêmios Medalha Holley (1954)
Instituições Western Electric
Campo(s) Física, engenharia, estatística

Walter Andrew Shewhart (New Canton, 18 de março de 189111 de março de 1967) foi um físico, engenheiro e estatístico estadunidense, conhecido como o "pai do controle estatístico de qualidade".

Ele foi formado pela universidade de Illinois e seu Ph.D., em Física, foi obtido na universidade da Califórnia em 1917. Após trabalhar como engenheiro na empresa Western Eletric, ele se transferiu, em 1925, para os laboratórios da Bell Telephones, onde trabalhou com ferramentas estatísticas para examinar quando uma ação corretiva deveria ser aplicada a um processo.

Foi consultor de várias organizações, entre elas o Departamento de Guerra Americano, as Nações Unidas e o Governo Indiano.[1] Ele também lecionou nas universidades de Harvard, Rutgers e Princeton.

Estudos[editar | editar código-fonte]

A contribuição mais importante de Shewhart, tanto para a Estatística quanto para a indústria, foi o desenvolvimento do Controle Estatístico de Qualidade. A ideia era incorporar o uso de variáveis aleatórias independentes e identicamente distribuídas. O princípio geral por trás da ideia é que quando um processo está em estado de controle e seguindo uma distribuição particular com certos parâmetros, o propósito é determinar quando o processo se afasta deste estado e quais ações corretivas devem ser tomadas.

O processo de Shewhart, desenvolvido em 1924, resolveu este problema. Este procedimento fornece um sinal de quando o processo se alterou da média alvo "m". Shewhart desenvolveu "linhas de ação" do tipo m ± k.s/raiz(n), onde "s" é o desvio padrão e "k" é uma constante que ele determinou como sendo aproximadamente três. Se o processo se desvia da média fixada, um sinal é dado se a média da amostra cai fora das linhas de ação. Este procedimento é confiável o suficiente para ter uma probabilidade de somente 1/500 de se cometer Erro do Tipo I. Shewhart apresentou sua ideia de controle estatístico através da utilização de gráficos de controle e diagramas de corrida (run chart) que ele apresentou aos seus superiores em 16 de maio de 1924.

Um problema que o procedimento de Shewhart não considerou é que ele não determina a magnitude da alteração no processo, sendo incapaz de rapidamente encontrar grandes mudanças dentro de pequenas amostras. Sabendo a magnitude da alteração é possível ajustar o procedimento pela magnitude encontrada. Estes problemas foram trabalhados por estatísticos tais como Dudding, Jennett e Grant em 1940 e 1950.

Shewhart realizou contribuições para os métodos estatísticos também. Ele falava sobre a necessidade de definições operacionais e especificações nos relatórios de pesquisa. Características dos dados (comum, azul, homem, mulher, etc.) não podem comunicar de forma apropriada a menos que estejam em termos estatísticos. As características não possuem um valor verdadeiro por si só. Shewhart também acreditava que na apresentação de resultados de pesquisas os dados apresentados deveriam apresentar toda a evidência. Parâmetros estatísticos tais como média e variância deveriam somente ser utilizadas se eles conduzissem de volta aos mesmos resultados.

Shewhart reforçava a ideia que as leis físicas somente poderiam ter um sentido perfeito em contextos estatísticos. Ele argumentava que uma quantidade demasiadamente grande de constantes eram utilizadas e que na vida real poucas se mantinham. Somente através da estatística alguém pode obter resultados acurados das muitas leis físicas.

As contribuições de Shewhart tanto para a indústria quanto para a Estatística foram significativas, e sua influência sobre estatísticos como W. E. Deming resultaram na melhoria dos processos e na alta qualidade na indústria que ocasionaram o grande desenvolvimento japonês do século XX.

O PDCA tornou-se popular pelo W. E. Deming, que é considerado por muitos como o pai do controle de qualidade moderno. No entanto, ele sempre se refere a ele como o "ciclo de Shewhart".

Em síntese:

  • Criou o CEP
  • Criou a carta de controle para a média (famosa Xbar)
  • "Os dados não tem significado se apresentados à parte de seu contexto"
  • "Conjuntos de dados possuem sinais e ruídos. Para ser capaz de extrair informação, deve-se separar o sinal dos ruídos dentro dos dados".
  • Implementou o CEP para a Bell Telefones em busca da redução de falhas nos sistemas, tornando viável a alguns sistemas elétricos serem implementados no subsolo como resultado da redução da necessidade de manutenção.

Seu trabalho está sumarizado no livro Economic Control of Quality of Manufactured Product, publicado em 1931.

Referências

  1. «THE ROAD TRAVERSED: A BRIEF HISTORY OF THE INDIAN STATISTICAL INSTITUTE». INDIAN STATISTICAL INSTITUTE, KOLKATA. Consultado em 22 de fevereiro de 2017. Cópia arquivada em 12 de fevereiro de 2005. Walter A. Shewhart (the originator of SQC) came to India at the invitation of the Institute in 1947-48, toured the country, held conferences and stimulated interest among Indian industrialists. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • W. Edwards Deming (1967) "Walter A. Shewhart, 1891-1967," American Statistician 21: 39-40.
  • Bayart, D. (2001) Walter Andrew Shewhart, Statisticians of the Centuries (ed. C. C. Heyde and E. Seneta) pp. 398–401. New York: Springer.
  • (2005) Economic control of quality of manufactured product in Grattan-Guinness, I., ed., Landmark Writings in Western Mathematics. Elsevier: 926-35.
  • Fagen, M D, ed. (1975) A History of Engineering and Science in the Bell System: The Early Years (1875–1925).
  • (1978) A History of Engineering and Science in the Bell System: National Service in War and Peace (1925–1975) ISBN 0-932764-00-2.
  • Wheeler, Donald J. (1999). Understanding Variation: The Key to Managing Chaos, 2nd ed. SPC Press, Inc. ISBN 0-945320-53-1.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.