Wálter Forster

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Walter Forster)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wálter Gerhard Forster
Nascimento 23 de março de 1917
Campinas,  São Paulo
Nacionalidade Brasil brasileira
Morte 3 de setembro de 1996 (79 anos)
São Paulo,  São Paulo
Ocupação ator

Wálter Gerhard Forster (Campinas, 23 de março de 1917São Paulo, 3 de setembro de 1996) foi ator de rádio, cinema, teatro e pioneiro da televisão brasileira.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Seu pai, Jacob Forster, era filho de alemães de origem irlandesa, e sua mãe, Ida Forster, era suíça de um dos cantões alemães[nota 1]. Em 1937, mudou-se para a cidade de São Paulo, onde foi contratado pela Rádio Bandeirantes, como locutor e depois como redator. Depois mudou-se para a Rádio Difusora, e com o mesmo contrato, em 1947, pela Rádio Tupi. Como era diretor artístico do elenco de radionovelas, ajudou a formar o elenco para a telenovela da TV Tupi-PRF3. Também trabalhou nas rádios Excelsior, que atende hoje por CBN, e Nacional, como diretor de radioteatro (1952-1968).

Na inauguração da TV Tupi, em 1950, atuou em todas discussões e decisões de elenco para a nova emissora. Já estava casado e com dois filhos.

Da telenovela Sua Vida Me Pertence, em 1951, foi autor, diretor e ator. Contracenou com Vida Alves (que na trama amava o galã, que era ele), e ainda Lima Duarte, Lia de Aguiar, José Parisi e Dionísio Azevedo. Tinha apenas 25 capítulos, mas enfrentou vários problemas com esse meio novo de comunicação: os atores falavam muito alto no estúdio, esqueciam os microfones, não sabiam se posicionar frente às câmeras (o que deixava desesperados os cameramen).

A cena ousada para a época, o beijo na boca, o primeiro beijo da televisão brasileira, não passou de um "selinho", como diria Hebe Camargo nos dias de hoje. O galã Walter Forster encostou os lábios nos da Vida Alves, enquanto acariciava o braço da amada, causando frisson durante a transmissão da TV Tupi. A cena ocorreu no último capítulo.

Como não há registros dessas cenas: elas foram feitas "ao vivo" e ainda não havia videotape. Várias histórias foram contadas ao longo do tempo.

Trabalhou ainda na TV Paulista (Canal 5), produziu e dirigiu Hebe Camargo em O mundo é das mulheres. Ele apresentou o programa Intimidade.

Participou da telenovela Beto Rockfeller e apresentou, ao lado de Cidinha Campos, as primeiras imagens em cores da TV Tupi[1].

Em 1973, pela Rede Tupi, apresentou o II Festival da OTI em Belo Horizonte, junto a Íris Lettieri.

Em 1983, participou da versão brasileira de Acredite se Quiser na TV Manchete. Viúvo e com quatro netos, resolveu se aposentar e desempenhar papéis com pequena participação.

Em 1990 junto com seus colegas José Parisi e John Herbert deu sua última entrevista sobre a TV Tupi para o programa Insert Show na Tv Gazeta do radialista e videomaker Eduardo Thadeu, matéria sobre os 40 anos da TV Brasileira.

Morreu de ataque cardíaco[2]

Atuação artística[editar | editar código-fonte]

Na televisão[editar | editar código-fonte]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. «Biografia de Walter Gerhard Forster». Consultado em 20 de março de 2011. Arquivado do original em 17 de fevereiro de 2015 

Referências

  1. Walter Gerhard Forster Arquivado em 17 de fevereiro de 2015, no Wayback Machine. Museu Virtual da Televisão Brasileira
  2. Veja edição 1461, 11 de setembro de 1996 (seçao Datas)