We Are the World

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
"We Are The World"
Single de USA for Africa
do álbum We Are The World
Lançamento 7 de março de 1985 (1985-03-07)
Formato(s) CD Single
Gravação 28 de janeiro de 1985
Gênero(s) Pop, gospel
Duração 7:06
Gravadora(s) Columbia
Composição Michael Jackson, Lionel Richie
Produção Quincy Jones
Certificação(ões) 4× Platina (RIAA)
Amostra de áudio
informação do ficheiro · ajuda

"We Are The World" é uma canção idealizada e composta por Michael Jackson e Lionel Richie, gravada em 28 de janeiro de 1985[1] por 45 dos maiores nomes da música norte-americana, no projeto conhecido como USA for Africa. O projeto tinha como objetivo arrecadar fundos para o combate à fome no continente africano. Inspirados pelo Live Aid, festival organizado pelo músico irlandês Bob Geldof, que reuniu dezenas de astros da música mundial, Jackson e Richie convocaram um supergrupo de artistas em evidência à época. O single, o álbum vídeoclipe renderam cerca de 55 milhões de dólares. Foi produzido pelo maestro Quincy Jones, que também fez a regência do grupo vocal. A vendagem atingiu 7 milhões de cópias só nos Estados Unidos, tornando-se um dos singles mais vendidos de todos os tempos.

A canção foi lançada em 7 de março de 1985 como single único do álbum. Um sucesso comercial internacional, a canção liderou diversas paradas musicais em todo o mundo, tornando-se single mais rapidamente difundido na história da música pop. Além disso, foi também o primeiro single certificado com "platina múltipla" e "platina quádrupla" pela Recording Industry Association of America (RIAA).

A iniciativa desencadeou no Brasil a campanha Nordeste já, que seguiu a ideia original. Em 1987, a Rede Globo, no programa Fantástico, lançou o vídeoclipe da música "Viver outra Vez" em benefício da campanha em combate à AIDS, onde participaram vários cantores populares em evidência no país.

Em 12 de janeiro de 2010, após a devastação causada por um sismo de magnitude 7.0 no Haiti, um grande grupo de artistas foi reunido para regravar a canção, lançada como "We Are the World 25 for Haiti".

Antecedentes e composição[editar | editar código-fonte]

Antes da composição de "We Are the World", o ativista e ator estadunidense Harry Belafonte já havia sugerido um projeto de caridade envolvendo os mais famosos artistas da indústria musical à época. Belafonte havia planejado, inclusive, doar as arrecadações para uma nova organização chamada "United Support of Artists for Africa" (USA for Africa). A organização sem fins lucrativos seria responsável por encaminhar recursos aos povos famintos no continente africano, especialmente na Etiópia, onde a fome vitimava cerca de 1 milhão de pessoas por ano (segundo dados da década de 1980).[2][3] A ideia foi inspirada pelo "Do They Know It's Christmas?" do supergrupo britânico Band Aid.[4] Havia também a intenção de distribuir recursos para combater a fome nos Estados Unidos. O empresário de mídia Ken Kragen foi contactado por Belafonte, que convidou Lionel Richie e Kenny Rogers para desenvolver o projeto. Kragen e os dois músicos - empresariados por ele à época - aceitaram participar do projeto e incluíram também o nome de Stevie Wonder, visando endossar a campanha. Quincy Jones, dividindo-se também com a produção de The Color Purple, assumiu a co-produção da canção.[5] Em seguida, Richie convidou pessoalmente Michael Jackson, que acabara de lançar o maior sucesso de toda sua carreira musical - o álbum Thriller.[6]

Jackson disse que não queria somente participar da gravação, como também da composição da canção.[7] Sendo assim, foi concordado que a parceria de "We Are the World" seria entre Jackson, Richie e Wonder. No entanto, por conta do tempo limitado deste último, Jackson e Richie assumiram a composição da música sozinhos. As primeiras reuniões entre os cantores ocorreram em Hayvenhurst, a famosa residência da Família Jackson em Encino, Califórnia. Durante uma semana inteira, os dois passaram noites trabalhando na letra e melodia da canção, desejando algo simples e também memorável. Posteriormente, La Toya, irmã mais velha de Michael, afirmaria à revista People que Richie só escreveu alguns versos da faixa.

Richie havia gravado duas melodias para "We Are the World", às quais Jackson acrescentou música e letra. Jackson afirmou: "Eu amo trabalhar rapidamente. Fui em frente mesmo sem Lionel saber, não consegui esperar. Comecei e terminei a noite com a canção já completa - percussão, piano, cordas e a letra do refrão".[8] Jackson, então, apresentou seu demo a Richie e Jones, que ficaram impressionados com a agilidade e facilidade de composição do Rei do Pop. Contudo, a música só viria a ser concluída em 21 de janeiro de 1985, um dia antes da data marcada para a gravação em estúdio. Um fato curioso é que o verso: "There's a choice we're making, we're saving our own lives, it's true" é semelhante aos versos da canção natalina "Do You Hear What I Hear?".

Gravação[editar | editar código-fonte]

A primeira noite de gravação, em 22 de janeiro de 1985, foi marcada pela ampla equipe de segurança, uma vez que Richie, Jackson, Wonder e Jones haviam começado os preparativos no Lion Shares Recording Studio, de propriedade de Kenny Rogers. O estúdio, localizado em Beverly Hills, estava repleto de músicos, técnicos, assistentes de produção, entre outros membros de equipe de cada um dos cantores. Inicialmente, Richie e Jackson gravaram a voz guia e distribuíram em fita cassete para cada um dos artistas convidados.[9]

Em seguida, dando continuidade à parte vocal, Jackson e Jones pensaram em uma alternativa para os versos: "There's a chance we're taking, we're taking our own lives"[10] (que seria gravado por Diana Ross). Jones sugeriu alterar somente algumas palavras ao invés de todo o verso. "Algo que nós não queremos fazer, especialmente com este grupo, é pensar que estamos regredindo. Então, realmente 'foi uma escolha que tomamos'. Em torno de 1:30 da manhã, os quatro músicos encerraram a primeira sessão ensaiando as vocalizações melódicas do regrão, incluindo o som "sha-lum sha-lin-gay". Jones decidiu não acrescentar nenhum detalhe à voz guia.[10]

Em 24 de janeiro de 1985, após um dia de folga, Jones distribuiu a fita cassete com a gravação prévia à todos os cantores envolvidos no projeto. Juntamente, com as fitas, o rígido produtor musical deixara um recado:[10]

Artistas[editar | editar código-fonte]

Maestro[editar | editar código-fonte]

Vocalistas principais (por ordem de aparição)[editar | editar código-fonte]

Coro[editar | editar código-fonte]

Orquestra[editar | editar código-fonte]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Lançamento e recepção[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «Dos anos 80 para a eternidade, 'We are the world' completa 30 anos». G1. 28 de janeiro de 2015. Arquivado desde o original em 19 de janeiro de 2016. Consultado em 10 de agosto de 2016. 
  2. Taraborrelli, p. 341
  3. Harden, Blaine (14 de setembro de 1987). «Ethiopia Faces Famine Again, Requests Massive Food Relief». The Washington Post. 
  4. Taylor, Jonathan (17 de março de 1985). «A hit with a heart: 'We Are the World' buoyed by brisk sales and curiosity». Chicago Tribune. 
  5. Taraborrelli, p. 342
  6. Cocks, Jay (Março de 1984). «Why He's a Thriller». 'Time. 
  7. Campbell, p. 109
  8. Campbell, p. 110
  9. Breskin, p. 2
  10. a b c d

Erro de citação: Elemento <ref> definido em <references> não tem um atributo de nome.