Web Summit

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Web Summit
"Where the Tech World Meets"
"Onde o mundo tecnológico se encontra" (PT)
{{{alt}}}
Logótipo do evento desde setembro de 2015
{{{alt2}}}
Vista para a Altice Arena no Parque das Nações em Lisboa.
Informações gerais
Género Tecnológico
Classificação Todos os públicos
Entrada Bilhete pago
Criação 2009 em Dublin, Irlanda
Edição atual 2018 - 10.ª Edição
N° de espetadores 70.000 (2018)[1]
Localização atual
Endereço Altice Arena e Feira Internacional de Lisboa
Cidade Lisboa
País Portugal Portugal
Coordenadas 38° 46' 4.94" N 9° 5' 42.58" O
Altice Arena em Lisboa
Organização
Idealizado por Paddy Cosgrave, David Kelly e Daire Hickey
Parceiros Altice
Página oficial websummit.net
Email info@websummit.net
Edições
2009 • 2010 • 2011 • 2012 • 2013 • 2014 • 2015 • 2016 • 20172018
Ver em direto

A Web Summit (originalmente Dublin Web Summit) é a maior conferência da Europa em tecnologias, realizada anualmente desde 2009. A empresa foi fundada por Paddy Cosgrave, David Kelly e Daire Hickey. O tema da conferência é centrada na tecnologia da internet e os participantes vão desde empresas da Fortune 500 até às pequenas empresas de tecnologia. Este contém uma mistura de CEOs e fundadores de start-ups tecnológicas em conjunto com uma série de pessoas da indústria de tecnologia global.

A Web Summit realiza eventos a nível mundial, incluindo F.ounders,[2] RISE em Hong Kong,[3] Collision em Nova Orleães, SURGE em Bangalore e MoneyConf em Dublin.

Nos primeiros cinco anos o evento foi realizado em Dublin, Irlanda. Em setembro de 2015 Paddy Cosgrave, co-fundador e CEO da Web Summit, anunciou que o evento seria realizado pela primeira vez em Lisboa em 2016.[4]

Após duas edições realizadas em Lisboa, a Web Summit e o Governo Português anunciaram, em Outubro de 2018, uma parceria a 10 anos que permite manter a conferência na capital Portuguesa até 2028.

Oradores[editar | editar código-fonte]

Expostitores[editar | editar código-fonte]

Edições[editar | editar código-fonte]

2017 - 9.ª Edição[editar | editar código-fonte]

A nona edição da Web Summit irá ocorrer entre os dias 6 e 9 de novembro de 2017, em Lisboa e já foram anunciados os primeiros 200 nomes para a edição de 2017[5]:

  • Brian Krzanich, CEO da Intel
  • Dara Khosrowshahi, CEO da Expedia Inc.
  • Jean-Bernard Lévy, Chairman & CEO da EDF
  • Gillian Tans, presidente & CEO do Booking.com
  • António Horta Osório, CEO da Lloyds Banking Group
    Abertura
    Instalação do Web Summit na Praça do Comércio, em 2017

2016 - 8.ª Edição[editar | editar código-fonte]

Em setembro de 2015, o co-fundador e CEO da Web Summit Paddy Cosgrave anunciava que o evento realizar-se-ia em Lisboa durante 3 edições consecutivas, de 2016 a 2018.[6] Congrave diz que esta decisão foi tomada porque "Lisboa é uma cidade cosmopolita e tem melhores condições de infraestruturas e um maior número de hotéis".[7]

O evento foi realizado ao longo de três dias de 7 de novembro até 10 de novembro, na Altice Arena e na FIL, em Lisboa. Cerca de 53.056 pessoas de mais de 166 países participaram no evento durante os três dias. Dos 53 mil participantes a que se juntaram mais de 19 mil jovens com bilhetes a custo reduzido e sendo 42% deles, mulheres o que Paddy Cosgrave diz ser um "grande orgulho". Participaram mais de 600 oradores, em 21 palcos e mais de 1.500 startups. Os três vencedores dos PITCH estiveram no palco central a apresentar as suas ideias, mais ou menos sustentadas, e o vencedor foi a Kubo robot, que veio da Dinamarca. Desde CTOs do Facebook e da Amazon até o fundador da Tinder, Sean Rad, passando por grandes jogadores do futebol mundial, como Luís Figo e Ronaldinho, o painel de oradores foi variado.[8]

Foram mais de 1 milhão de sessões Wi-Fi e 1,835 milhões de mensagens enviadas na aplicação que servia de guia de orientação aos participantes. [9] 34 700 lugares sentados estiveram disponíveis nos vários eventos.1 490 startups de todo o mundo estiveram em exposição. 135 no programa Start; 270 na fase Beta e 1 080 como Alpha. Mais de 1300 investidores mundiais de tecnologia dos principais fundos estiveram presentes na cimeira. 2 mil jornalistas de todo o mundo vieram contar as histórias que saíam diariamente da Web Summit. 650 sessões do “Mentor Hour” ocorreram durante os quatro dias, onde empresários e investidores ofereceram conselhos às startups. Estiveram presentes 677 oradores para partilharem as suas experiências. Joseph Gordon-Levitt, protagonista de Snowden, foi um deles.[10]

Comunicação social[editar | editar código-fonte]

No estudo realizado pela Marktest, que recolheu informação sobre a Web Summit desde o início de 2016, foram contabilizadas cerca 8000 notícias relacionadas com a cimeira e, entre 5 e 13 de Novembro, registaram-se 4804 notícias, 3184 publicadas na internet, 776 em televisão, 400 em imprensa escrita e 444 em rádio.

No período do evento, o retorno financeiro gerado pelos meios de comunicação social rondou os 27 milhões de euros e 4346,6% GRP’s de audiência. O maior pico de notícias acontece no dia 8 de Novembro, tendo sido publicadas 1236 notícias, seguindo-se o dia 7, dia de arranque da cimeira, com 987, e depois o dia 10 e 9, com 885 e 713 notícias publicadas sobre a Web Summit, respectivamente.

Os meios em destaque são, por ordem de maior volume de notícias publicadas: Correio da Manhã online, TSF, Portugal News online, RTP online e SIC Notícias online.

A SIC Notícias, media partner do evento, foi o canal televisivo que dedicou mais tempo de antena à Web Summit, tendo estado no ar durante cerca de 17 horas. O canal originou o maior retorno financeiro no conjunto dos suportes e meios de comunicação que cobriram o evento, cerca de 2 milhões de euros. Na segunda posição em televisão surge a RTP3, seguindo-se a TVI 24.

A Rádio Renascença e a TSF foram as rádios nacionais que maior cobertura deram à Web Summit, com tempos de antena que rondam as 6h30 e 6h00, respetivamente, mas o suporte mais utilizado para publicar notícias sobre a cimeira foi a internet. Em termos de publicações online que maior cobertura deram ao evento, no período em análise, foram o Notícias ao Minuto, tendo publicado 183 notícias sobre o evento, o Correio da Manhã online, com 131 e Portugal News online com 125 notícias sobre a cimeira tecnológica.[11]

Facebook[editar | editar código-fonte]

O Facebook Live da Web Summit contou com quatro milhões de visualizações. As palestras no palco central da Web Summit tiveram 4 207 053 visualizações em direto na página da Web Summit no Facebook.[12]

Paddy Cosgrave, fundador da Web Summit (à esquerda) e António Costa, primeiro-ministro do XXI Governo Constitucional de Portugal (à direita) na cerimónia de abertura do evento a 7 de novembro de 2016.

2015 - 7.ª Edição[editar | editar código-fonte]

Em 2015, a Web Summit foi realizada ao longo de três dias de 3 de novembro até 5 de novembro, no RDS, em Dublin. Mais de 42.000 pessoas participaram no evento durante os três dias. Alguns dos oradores foram, Ed Catmull da Pixar, Michael Dell, Bill Ford e Chris Froome.

Em setembro de 2015, a Web Summit anunciou a mudança de local do evento de Dublin para Lisboa. Após o anúncio, os organizadores divulgaram a correspondência de e-mail entre o Governo Irlandês e o CEO da Web Summit,  Paddy Cosgrave, sobre a capacidade hoteleira, de transportes e outros problemas de infraestruturas, em Dublin. Isto levou a um debate na imprensa irlandesa sobre o apoio que o Governo tinha prestado ao evento desde o seu início e que promessas futuras poderiam fazer.[13]

Surgiram problemas como o Wi-Fi,[14] mas em menor escala do que em 2014.

Web Summit, 2015

2014 - 6.ª Edição[editar | editar código-fonte]

A Web Summit 2014 foi realizada durante três dias e consistiu as habituais nove etapas ou Summits como são conhecidas; Centro, Máquina, Empresa, Marketing, Construtores, Sociedade, Desporto, Cinema e Música. Eva Longoria, Peter Thiel e Bono estavam entre os oradores que falaram no evento ao longo desses três dias, com a participação de 22 mil pessoas de 109 países.[15][16]

No 1° dia houve problemas com a rede WiFi e o fundador da Web Summit Paddy Cosgrave, foi ao palco por duas vezes para pedir desculpas pelos problemas de conectividade. O RDS defendeu a sua configuração técnica com o CEO Michael Duffy dizendo: "O WiFi respondeu com sucesso às exigências excepcionais colocadas sobre ele.Esta é uma densidade WiFi sem precedentes em comparação com eventos tecnológicos europeus similares. Os participantes foram principalmente depreciativos nas suas observações, com alguns ridicularizando-o nas redes sociais como "a coisa mais irlandesa de sempre".[17]

Os emissoras internacionais, incluindo CNBC, CNN, Fox Business News, Bloomberg, Bloomberg e Sky News. As emissoras Al Jazeera e BBC cobriram o evento.

Após o anúncio da decisão de transferir a Web Summit Web 2016 para Lisboa, vários correspondentes da tecnologia irlandeses citaram o desastre da WiFi como um dos principais fatores de pressão por trás da mudança.[18][19]

Paddy Cosgrave e Taoiseach Enda Kenny na Web Summit 2014

2013 - 5.ª Edição[editar | editar código-fonte]

Em 2013, mais de 10.000 pessoas participaram da Web Summit, uma grande maioria veio da Irlanda.[20] Nos oradores estavam incluídos Elon Musk, Shane Smith, Tony Hawk, Drew Houston, e Niklas Zennström.

O evento expandiu-se com o lançamento de uma série de side-eventos, incluindo a Night Summit,[21] uma série de eventos durante a madrugada com músicos de todo o mundo, e a Food Summit, uma vitrina de dois dias com comida Irlandesa.[22]

O primeiro ministro irlandês, Enda Kenny, também abriu o mercado da NASDAQ da Web Summit, a primeira vez que foi aberto fora de Nova York desde o IPO dp Facebook.[23] O evento foi coberto substancialmente nos medias internacionais como a Bloomberg Television, CNN, Wall Street Journal e Wired.[20]

Web Summit, 2013

2012 - 4.ª Edição[editar | editar código-fonte]

Em 2012, 4.200 pessoas compareceram na Web Summit, cerca de 40% destas provem de empresas sediadas na Irlanda (que fornece uma sede europeia para várias empresas de tecnologia de ponta) e 60% são provenientes de outras empresas da Europa. Nos oradores estavam incluídos Tim Armstrong, Wael Ghonim, e Arkady Volozh.

Várias empresas de todo o mundo também lançaram os seus novos produtos ou fizeram publicidade como parte do evento.[24]

London Web Summit[editar | editar código-fonte]

A inauguração da London Web Summit, realizada na The Brewery, no coração da cena tecnológica de Londres, atraiu mais de 1.000 participantes e 60 oradores, incluindo o fundador do Skype, Niklas Zennstrom, e Nikesh Arora, diretor de negócios da Google. As startups irlandesas estiveram bem representadas no evento com vários lançamentos para um fundo premiado de 100 mil £.[25]

Web Summit, 2012

2009 / 2011 - 1.ª, 2.ª e 3.ª Edição[editar | editar código-fonte]

O primeiro Web Summit foi uma mistura de blogueiros, jornalistas e tecnólogos num hotel nos arredores de Dublin. A partir de um humilde começo num auditório com apenas 200 participantes no final de 2009, o Dublin Web Summit cresceu e cresceu. Em 2010, o evento emblemático de outubro atraiu mais de 1.500 participantes em dois dias e mais de 150 oradores, incluindo os fundadores do Skype, LinkedIn, o blogueiro político Iain Dale, Ben Hammersley do the Guardian e Ian Douglas do Daily Telegraph além de inspiradoras empresas irlandesas e fabricantes de mudanças digitais no Chartered Accountants House, em Dublin.[26][27] Em 2011, o evento triplicou de tamanho e mudou-se para a Royal Dublin Society. Nos oradores estavam incluídos Chad Hurley, Jack Dorsey e Matt Mullenweg.

Dublin Web Summit, 2011

Conferências[editar | editar código-fonte]

No total, no evento existem 21 conferências durante os 3 dias.

Referências

  1. «Web Summit: 70 mil participantes». Jornal Publico 
  2. «Dublin Hosts World's Technology Elite». Wall Street Journal 
  3. «TOOD at RISE Conference 2016, Hong Kong». TOOD 
  4. «Web Summit ditches Dublin for Lisbon». 23 de setembro de 2015. Consultado em 10 de novembro de 2016. 
  5. «Web Summit já tem primeiros 200 oradores para 2017. Nove são portugueses.». Dinheiro Vivo. 22 de maio de 2017. Consultado em 25 de maio de 2017. 
  6. «Web Summit ditches Dublin for Lisbon». 23 de setembro de 2015. Consultado em 10 de novembro de 2016. 
  7. «Please Welcome the Web Summit 2016 in Lisbon» 
  8. «Saiba os números e as curiosidades da primeira Web Summit em Portugal». Saiba os números e as curiosidades da primeira Web Summit em Portugal. 11 de novembro de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  9. «O Web Summit já acabou. No próximo ano há mais». O Web Summit já acabou. No próximo ano há mais. 10 de novembro de 2016 
  10. «Saiba os números e as curiosidades da primeira Web Summit em Portugal». Saiba os números e as curiosidades da primeira Web Summit em Portugal. 11 de novembro de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  11. «WEB SUMMIT: RETORNO FINANCEIRO GERADO PELOS MEIOS PORTUGUESES ATINGIU OS 51 MILHÕES DE EUROS». 18 de novembro de 2016 
  12. «O Facebook Live da Web Summit contou com quatro milhões de visualizações.». Saiba os números e as curiosidades da primeira Web Summit em Portugal. 11 de novembro de 2016. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  13. «Criticism over Government handling of Web Summit grows» 
  14. [1]
  15. «Live Blog: Web Summit 2014». Irish Independent. 4 de novembro de 2014. Consultado em 4 de novembro de 2014. 
  16. «Web Summit guests to spend €100m in city». Herald. 4 de novembro de 2014. Consultado em 4 de novembro de 2014. 
  17. «'The most Irish thing ever': WiFi trouble at Dublin's Web Summmit». TheJournal.ie. 4 de novembro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2015. 
  18. «Web Summit to move to Lisbon in 2016, cites infrastructure reasons». Silicon Republic. 23 de setembro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2015. 
  19. «Harsh reality for Irish technology scene». Irish Examiner. 28 de setembro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2015. 
  20. a b «Dublin Becomes Center of European Tech World». BloombergTV. 31 de outubro de 2013. Consultado em 31 de outubro de 2013. 
  21. «Dublin The story behind The Night Summit». Web Summit. 22 de outubro de 2013. Consultado em 26 de novembro de 2013. 
  22. «Food Summit a unique opportunity to promote Irish food». Web Summit. 30 de outubro de 2013. Consultado em 26 de novembro de 2013. 
  23. «Trading on NASDAQ opened in Ireland for the first time». Web Summit. 31 de outubro de 2013. Consultado em 26 de novembro de 2013. 
  24. «Web Summit Picks SmartThings Out Of 100-Strong Startup Competition». TechCrunch. 20 de outubro de 2012. Consultado em 26 de novembro de 2013. 
  25. «London Web Summit: Portugal nos 4 primeiros lugares». 2012. Consultado em 13 de novembro de 2016. 
  26. «Revolution in media and politics to dominate Dublin Web Summit». 21 de outubro de 2009. Consultado em 5 de outubro de 2016. 
  27. «Payments at the Web Summit». Realex Payments. 20 de outubro de 2010. Consultado em 26 de novembro de 2013. 
  28. «Night Summit» 
  29. «Pub Summit» 
  30. «Surf Summit» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]