Whale Rider

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Cinema.
Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde agosto de 2018.
Whale Rider
A Domadora de Baleias[1] (PRT)
Encantadora de Baleias[2] (BRA)
Nova Zelândia[1]
Alemanha[1][2]
Estados Unidos[2]

2003 •  cor •  105 min 
Direção Niki Caro
Roteiro Niki Caro
Witi Ihimaera
Elenco Keisha Castle-Hughes
Rawiri Paratene
Vicky Haughton
Cliff Curtis
Género filme de drama
Idioma língua inglesa

Whale Rider (bra: Encantadora de Baleias; prt: A Domadora de Baleias) é um filme de drama co produzido entre a Nova Zelândia e a Alemanha, dirigido por Niki Caro e estrelado por Keisha Castle-Hughes.[3] O filme seria lançado direto em DVD nos Estados Unidos, mas acabou sendo lançado nos cinemas devido ao enorme sucesso de crítica e por ter sido indicado a vários prêmios, incluindo o Óscar de melhor atriz para Keisha Castle-Hughes, que se tornou a mais jovem atriz a ser nomeada nessa categoria, com apenas 12 anos de idade (até a nomeação da também atriz Quvenzhané Wallis em 2013 pelo filme Beasts of the Southern Wild).[4]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A tribo maori, que vive no leste da Nova Zelândia, acredita ser descendente de Paikea, o domador de baleia. Segundo a lenda, há milhares de anos a canoa de Paikea virou em cima de uma baleia e ele, cavalgando-a, liderou seu povo até um local para viver. A tradição da tribo Maori diz que o primeiro filho do chefe da tribo seria considerado descendente de Paikea e líder espiritual do povo. Porém, após a morte do atual líder, quem assume o posto é sua irmã, Pai (Keisha Castle-Hughes), uma garota de apenas 11 anos. Apesar de ser corajosa e amada por todos, Pai precisa ainda enfrentar a resistência de seu avô, Koro (Rawiri Paratene), que insiste na manutenção da antiga tradição de que o chefe da tribo deve ser um homem.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]


Portal A Wikipédia tem os portais:

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.