White Pony

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
White Pony
Álbum de estúdio de Deftones
Lançamento 20 de Junho de 2000
Gravação Agosto - Dezembro de 1999
Gênero(s) Metal alternativo
Duração 53 m 00 s
Formato(s) CD
Gravadora(s) Maverick Records
Produção Deftones e Terry Date
Opiniões da crítica

O parâmetro das opiniões da crítica não é mais utilizado. Por favor, mova todas as avaliações para uma secção própria no artigo. Veja como corrigir opiniões da crítica na caixa de informação.

Cronologia de Deftones
Around the Fur
(1997)
Deftones
(2003)

White Pony é o terceiro álbum de estúdio da banda Deftones, lançado a 20 de Junho de 2000.

A banda ganhou um Grammy pela Melhor Actuação de Metal com a canção "Elite" em 2001.[1]

Produção[editar | editar código-fonte]

Após férias de uma longa turnê de base para o álbum Around the Fur (1997), o Deftones entrou em estúdio em agosto de 1999 para produzir seu terceiro álbum de estúdio.

Segundo Moreno, White Pony foi o álbum mais difícil e demorado que a banda já fez. Chino Moreno também disse que não tinha nenhum tema sólido para o álbum, sendo que cada letra fala de um assunto diferente. O nome do álbum refere-se a uma gíria de rua para cocaína.[carece de fontes?]

White Pony é considerado um crescimento no som da banda, incorporando elementos de New Wave e Shoegaze no álbum. O álbum tem as participações especiais de Maynard James Keenan, vocalista do Tool na música "Passenger", Scott Weiland do Stone Temple Pilots em "RX Queen" e de Rodleen Getsic em "Knife Party".

Lançamento[editar | editar código-fonte]

White Pony foi o maior sucesso comercial da banda até hoje, atingindo a posição 3 na Billboard 200 e 2 na Australian Albums Chart em sua primeira semana. Saíram 3 bem-sucedidos singles do álbum, as músicas "Change (In the House of Flies)", que acabou se tornando um Hit internacional, alcançando a posição 3 na parada Alternative Songs e a posição 15 nas paradas da UK Charts no Reino Unido, e ainda as músicas "Digital Bath" e "Back to School (Mini Maggit)", que foi tirado de uma versão especial do álbum com a capa branca.

O álbum foi certificado com um disco de platina em pela RIAA nos EUA em 2001, por vender 1 milhão de cópias lá e disco de ouro no Reino Unido, Austrália e Canadá. Também foi bem sucedido no Brasil, rendendo uma apresentação da banda na terceira edição do festival Rock In Rio.

Crítica[editar | editar código-fonte]

O álbum foi bem recebido pela crítica especializada, conseguindo 4 estrelas no AllMusic e 72/100 de aceitação no Metacritic. O álbum foi colocado na terceira posíção dos melhores álbuns do ano da revista Kerrang e entrou para a lista dos melhores álbuns da década da Metal Hammer.

A banda ganhou um Grammy pela Melhor actuação de Metal com a canção "Elite" em 2001, vencendo das consagradas bandas Iron Maiden, Marilyn Manson, Pantera e Slipknot.

Faixas[editar | editar código-fonte]

  1. "Feiticeira" – 3:12
  2. "Digital Bath" – 4:15
  3. "Elite" – 4:01
  4. "RX Queen" – 4:27
  5. "Street Carp" – 2:41
  6. "Teenager" – 3:20
  7. "Knife Party" – 4:49
  8. "Korea" – 3:23
  9. "Passenger" – 6:07
  10. "Change (In the House of Flies)" – 5:00
  11. "Pink Maggit" – 7:32

Pessoal[editar | editar código-fonte]

Banda
Outro pessoal
  • Kim Biggs - diretor de criação
  • Robert Daniels - engenheiro assistente
  • Terry Date - produção, mixagem
  • DJ Crook - Programação
  • Michelle Forbes - engenheiro assistente
  • Scott Weiland - vocais adicionais (em "Rx Queen")
  • Rodleen Getsic - vocais adicionais (em "Knife Prty")
  • Maynard James Keenan[ - vocais adicionais (em "Passenger")
  • Frank Maddocks - direção de arte, design
  • James Minchin III - fotografia
  • Scott Olsen - engenheiro, engenharia adicional
  • Ted Regier - engenheiro assistente
  • Jason Schweitzer - engenheiro assistente
  • Howie Weinberg - masterização
  • Ulrich Wild - engenharia adicional

Desempenho nas paradas musicais[editar | editar código-fonte]