Who Am I Living For?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Who Am I Living For?"
Canção de Katy Perry
do álbum Teenage Dream
Lançamento 24 de agosto de 2010
Gravação The Boom Boom Boom (Burbank, Califórnia)
Henson Recording Studios (Los Angeles, Califórnia)
Duração 4:11
Gravadora(s) Capitol
Composição
Produção
  • Stewart
  • Kuk Harrell
Faixas de Teenage Dream
"E.T."
(8)
"Pearl"
(10)

"Who Am I Living For?" é uma canção da artista musical estadunidense Katy Perry, gravada para seu terceiro álbum de estúdio Teenage Dream (2010). A canção foi escrita pela própria intérprete juntamente de Brian Thomas, Monte Neuble e Tricky Stewart, que também produziu a faixa juntamente de Kuk Harrell. O desenvolvimento da canção foi inspirado pela educação religiosa de Perry.

A canção recebeu avaliações mistas dos críticos, que elogiaram sua composição escura e seu tom emocional, assim como também a comparou com trabalhos de Rihanna e Linda Perry. Liricamente, a canção reconta a história bíblica de Ester; a rainha judia da Pérsia, que descobriu e frustrou o plano de Hamã de massacrar a comunidade judaica na Pérsia. Os críticos fizeram comparações com a história de vida da própria Perry, que disse que "Who Am I Living For?" fala de sua "batalha constante entre permanecer fiel à sua fé, e caindo nos perigos de um estilo de vida de celebridade."

Escrita e significado[editar | editar código-fonte]

Ao ser entrevistada pela MTV Ásia, Perry foi questionada sobre como ter pais cristãos influenciou sua música em geral, e ela citou "Who Am I Living For?" em sua resposta:

Composição[editar | editar código-fonte]

"Who Am I Living For?" é uma balada de R&B eletrônico em ritmo lento, que também fortemente utiliza os gêneros de rock eletrônico e dubstep.[2][3][4] A faixa também é influenciada pela música gospel, glitch, e música downbeat.[5][6] "Who Am I Living For?" está escrito na chave de lá menor, e o tempo se move a 63 batidas por minuto sobre uma batida lenta.[7] Os vocais de Perry alcançam da baixa nota de G3 até a nota mais alta de D5.[7] A atmosfera nervosa e cheia de suspense da canção é composta de uma batida dramática de dubstep, riffs de guitarra elétrica e acústica, e batidas falhadas,[2][8][9] com os vocais de Perry sobre a música usando uma técnica de "choro", que foi elogiado pela crítica para a demonstração de sua voz forte.[5]

Liricamente, "Who Am I Living For?" recorda as raízes cristãs de Perry e reconta a história bíblica de Ester, a rainha judia da Pérsia; que descobriu e frustrou o plano do rei Hamã ao massacre da comunidade judaica.[8][10] Rob Sheffield da Rolling Stone disse sobre a canção: "Sua história de volta ao tempo cristão só surge uma vez, em 'Who Am I Living For', onde os riffs de Perry sobre a história bíblica de Ester, a órfã judia que se casou com o rei persa e descobriu um plano para exterminar os judeus. É escuro e atraente, especialmente porque ela canta como Rihanna."[8] Melissa Garcia do site OCReloaded interpretou as letras como "uma batalha constante de Perry entre permanecer fiel à sua fé, e cair nos perigos de um estilo de vida de celebridade" e acrescentou, ainda, que a canção "mostra uma visão honesta em uma luta que é interminável e inflexível em todos os sentidos. "[10] Os vocais de Perry em "Who Am I Living For?" têm sido descritos como uns dos mais fortes do álbum, parcialmente devido à técnica vocal de "choro" que ela usa.[5]

Recepção da crítica[editar | editar código-fonte]

"Who Am I Living For?" recebeu avaliações mistas dos críticos, alguns dos quais sentiram que a canção foi um destaque em Teenage Dream, enquanto outros criticaram-a como sendo forçada. Shefali Srivastava da ClickMusic declarou a canção como um momento de destaque no álbum, enquanto depois passou a descrevê-la como hino, e afirmado ter gostado de ver Perry dar uma "virada particularmente desafiadora."[4] Rolling Stone chamou a faixa de "escura e convincente", e acrescentou "especialmente porque ela canta como Rihanna."[11] Matthew Cole da Slant Magazine criticou os vocais de Perry na música, dizendo que "é um lamaçal de uma nota na auto-piedade, sob o peso de letras clichês, uma batida de chumbo, e um vocal surdo de Perry."[12] Rudy K. da Sputnikmusic concordou, dizendo que a canção era uma boa tentativa, mas que teria sido melhor em mãos de uma artista mais versátil.[13] The Phoenix chamou a canção de "existencialmente estranha."[14] Ao analisar o relançamento The Complete Confection, PopMatters chamou a faixa de "abrasivamente assombrosa."[15]

Performances ao vivo[editar | editar código-fonte]

A canção foi incluída na setlist da turnê de 2011 The California Dreams Tour. Durante a música, Perry era capturada por quatro de seus bailarinos que a prendia com cordas elásticas, e jogava-a para frente e para trás, enquanto que no fim da apresentação a jogaram no chão.

Escrevendo para NME, Emily MacKay fez um comentário ao vivo da turnê da cantora no HMV Hammersmith Apollo em Londres em março de 2011. Ela disse que as desalentadas "Circle the Drain", "Hummingbird Heartbeat" e "Who Am I Living For?" eram suficientes para fazer você se sentir como uma "criança rebelde com uma série de brinquedos caros com uma tia aflita limpando seu rosto manchado de lágrimas, tentando mantê-lo longe da vontade de chorar."[16] Analisando a apresentação de Perry no TD Garden, Jay N. Miller elogiou a performance ao vivo da canção, chamando-a de "Um dos melhores momentos da turnê" e elogiou a voz contralto de Perry, descrevendo-a como "impressionante".[17]

Créditos e pessoal[editar | editar código-fonte]

Créditos adaptado do encarte de Teenage Dream.[18]

Gravação
Pessoal

Referências

  1. Chong, Madeleine (31 de julho de 2010). «Katy Perry Interview: The girl next door is all grown up». MTV Ásia (em inglês). Viacom International. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  2. a b Shepard, Julianne (4 de novembro de 2011). «8 Musicians Making New Music to Occupy Wall Street». AlterNet (em inglês). Independent Media Institute. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  3. «Album review: Katy Perry - Teenage Dream». Fife Today (em inglês). 26 de agosto de 2012. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  4. a b «Katy Perry - Teenage Dream». ClickMusic (em inglês). 30 de agosto de 2010. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  5. a b c Thorogood, Tom (27 de agosto de 2010). «Katy Perry Teenage Dream Track By Track». MTV (em inglês). Viacom. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  6. Kot, Greg (23 de agosto de 2011). «Katy Perry: Ditzy girl gone wild». Chicago Tribune (em inglês). Tribune Media. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  7. a b «Katy Perry – Who Am I Living For? Sheet Music (Digital Download)». Musicnotes.com (em inglês). Sony/ATV Music Publishing. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  8. a b c Rob Sheffield. «Teenage Dream by Katy Perry». Rolling Stone (em inglês). Wenner Media LLC. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  9. Empire, Kitty (22 de agosto de 2010). «Katy Perry: Teenage Dream». The Guardian (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  10. a b Garcia, Melissa (29 de agosto de 2015). «Music In Review: Katy Perry - Teenage Dream». OC Reloaded (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  11. «Rolling Stone review» (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  12. Cole, Matthew (22 de agosto de 2015). «Katy Perry - Teenage Dream». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  13. Rudy K. (23 de agosto de 2015). «Review: Katy Perry - Teenage Dream». Sputnikmusic (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  14. «The Phoenix review» (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  15. Fox, Jesse (9 de maio de 2012). «Katy Perry: Teenage Dream - The Complete Confection». PopMatters (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  16. MacKay, Emily (4 de abril de 2011). «Live Review: Katy Perry». NME (em inglês). Consultado em 1 de novembro de 2015 
  17. Miller, Jay N. (20 de junho de 2011). «Katy Perry's California dreams rock TD Garden». The Patriot Ledger. Consultado em 1 de novembro de 2015 
  18. (2010) Créditos do álbum Teenage Dream por Katy Perry [CD]. Los Angeles, Califórnia: Capitol Records.

Links externos[editar | editar código-fonte]