Wianey Carlet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção se refere ou tem relação com alguém que morreu recentemente.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (Editado pela última vez em 23 de novembro de 2017.)
Twemoji 1f464.svg
João Wianey Carlet
Nascimento 16 de julho de 1949
Três Passos, RS
Morte 29 de setembro de 2017 (68 anos)
Porto Alegre, RS
Nacionalidade brasileiro
Ocupação jornalista

João Wianey Carlet, mais conhecido como Wianey Carlet (Três Passos, 16 de julho de 1949  – Porto Alegre, 29 de setembro de 2017), foi um jornalista brasileiro. Ex-comentarista da Rádio Gaúcha e ex-colunista do jornal Zero Hora, Wianey também participava periodicamente do programa de debates Sala de Redação, na Rádio Gaúcha.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Gaúcho de Três Passos, Wianey Carlet teria sua primeira experiência profissional em 1969, ao passar no teste para trabalhar na Rádio Sideral, de Getúlio Vargas, onde foi de tudo: de redator a operador. Em 1972, se mudou para a capital Porto Alegre, onde iniciou sua carreira no esporte, como setorista do Internacional na equipe de esportes da Rádio Difusora (atual Rádio Bandeirantes) - sem antes passar pelas rádios Erechim (Erechim) e a extinta Cultura (Porto Alegre). Anos depois, se integrou à equipe da Gaúcha, que já contava com um grande time de repórteres, como Pedro Ernesto Denardin (também narrador), Darci Filho, Roberto Pato Moure, João Garcia, Cláudio Brito, Newton Azambuja, entre outros.[1]

No Campeonato Gaúcho de 1980, quando ainda era repórter de campo, Carlet fingiu ter sido agredido por um fiscal da Federação Gaúcha de Futebol. O fato ocorreu no Estádio Santa Rosa, o velho estádio do Novo Hamburgo.[2]

Em 1984, quando a Gaúcha contratou parte da equipe da rival Guaíba, em plena crise da Caldas Júnior, Wianey se juntou à Denardin, Garcia e outros colegas para montar o esporte da Rádio Sucesso, que apesar da boa recepção, não durou muito tempo. Logo após, em 1986, Wianey se transferiu para a Guaíba, onde transitou para o posto de comentarista e passou a assinar uma coluna no jornal Correio do Povo.

Carlet candidatou-se a vereador no município de Porto Alegre em 1992, pelo PMDB. Recebeu 2 747 votos e foi suplente na gestão.[3]

Voltou à Gaúcha logo após a Copa do Mundo de 1994, que cobriu como comentarista e chefe da equipe da Guaíba, e de então, transferiu sua coluna para o Zero Hora e virou debatedor no programa Sala de Redação, onde permaneceu por 22 anos. Desde 2009, também apresentava o então lançado programa de variedades Supersábado, ao lado de Gabrieli Chanas.

Conhecido pelo seu estilo incisivo, debochado e irritadiço, ganhou o apelido de 'Azedinho', mas tão logo assumia o comando do 'Supersábado', era tratado pelo seu apelido mas conhecido, 'Tata'. Ambos acabaram por ser uma espécie de 'caricaturas', admitidas e assumidas pelo próprio.

Wianey Carlet era conhecido também por opiniões exaltando revelações do Internacional, de Porto Alegre. Em 2009, comparou o atacante Taison com o argentino Lionel Messi.[4]. Em 2011, afirmou que Leandro Damião, outra promessa colorada, seria reconhecido mundialmente "em breve".[5]

Em 2015 chamou a atenção por sua obsessão em demitir o treinador Diego Aguirre do Internacional. Em 38 dias, entre 30 de junho e 7 de agosto escreveu dezenove colunas cobrando a demissão do treinador.[6]

Em 2016, ainda nas primeiras rodadas do Brasileirão, afirmou que o Internacional, até então na liderança do Campeonato Brasileiro, brigaria para não ser rebaixado, fato que causou certa desconfiança, mas que se confirmou na ultima rodada do campeonato.

Em 31 de julho de 2017, Wianey Carlet foi demitido do Grupo RBS. Em 31 de agosto, foi contratado pela Rádio Bandeirantes para integrar a equipe da emissora, no mesmo prefixo da Difusora onde começou como cronista. Embora sofrendo de diabetes e problemas cardíacos, Wianey nunca deixou de estar em atividade profissional, tanto que a cirurgia que o levaria a morte foi feita horas depois de participar do seu último programa: 'Toque de Bola'.

Wianey cobriu 10 Copas do Mundo, de 1978 (Argentina) à 2014 (Brasil). Deixou esposa e duas filhas.

Morte[editar | editar código-fonte]

Após uma bem-sucedida cirurgia vascular nas pernas, teve complicações, não resistiu e morreu em 29 de setembro de 2017.[7]

Referências

  1. «vozes-do-rádio-wianey-carlet-apresentação». Famecos. Consultado em 11 de outubro de 2017 
  2. http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/esportes/entrevero/noticia/2014/01/wianey-carlet-o-dia-em-que-eu-simulei-ter-sido-agredido-num-gauchao-4385249.html
  3. «Eleições de Porto Alegre em 1992». TRE-RS. Consultado em 6 de abril de 2010 
  4. «Taison ou Messi, o futuro dirá quem foi melhor». Clicrbs. Consultado em 28 de maio de 2009 
  5. «Leandro Damião, o goleador que se fez sozinho». Clicrbs. Consultado em 25 de março de 2011 
  6. As 19 colunas são: Wianey Carlet: será difícil acatar o desejo do presidente colorado", "Wianey Carlet: Aguirre preparou o time para perder o jogo contra o Sport", "Wianey Carlet: Aguirre pediu e levou", "Wianey Carlet: Aguirre precisa reavaliar o seu esquema", "Wianey Carlet: o Inter cansa, repete os mesmos erros", "Wianey Carlet: a direção do Inter parece cega ", "Wianey Carlet: Diego Aguirre mudou o discurso", "Wianey Carlet: nova derrota do Inter, e daí?", "Wianey Carlet: arrisco uma explicação para as lesões musculares do Inter", "Wianey Carlet: para o Inter, ganhar ou perder no Brasileirão não faz diferença", "Wianey Carlet: Parreira e Aguirre", "Wianey Carlet: na terra de Zorro, o Inter foi um Sargento Garcia desengonçado", "Wianey Carlet: Inter precisa se reconstruir", "Wianey Carlet: Aguirre tem a força destruidora de um tsunami", "Wianey Carlet: as peças que falham no time de Diego Aguirre", "Wianey Carlet: Aguirre é o patrono da Bambilândia", "Wianey Carlet: a faceirice tática do Inter", "Wianey Carlet: Aguirre saiu tarde", "Wianey Carlet: minhas suspeitas sobre como foi a queda de Aguirre" Visitadas em 7/8/2015
  7. «Jornalista Wianey Carlet morre aos 68 anos em Porto Alegre». G1. 29 de setembro de 2017. Consultado em 29 de setembro de 2017 
Membros do Sala de Redação
Pedro Ernesto (mediador) • Guerrinha • Gustavo Manhago • CacaloMaurício SaraivaJosé Victor Castiel • Diogo Olivier • Kelly Matos • Duda Garbi
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.