Wiedźmin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wiedźmin
Saga The Witcher (PT)
The Witcher: A Saga do Bruxo Geralt de Rívia (BR)
Saga o Wiedźmin.png
Capa dos livros da série em sua versão polonesa.
Livros
Ostanie życzenie (1993)
Miecz przeznaczrnia (1992)
Krew elfów (1994)
Czas pogardy (1995)
Chrzest ognia (1996)
Wieża Jaskółk (1997)
Pani Jeziora (1999)
Sezon burz (2013)
Informações
Autor Andrzej Sapkowski
Tradutor Brasil Tomasz Barcinski
Portugal Rui Azeredo
Idioma original Polonês
Publicado entre 1992 - 2013
Editora Polónia SuperNowa
Brasil Martins Fontes
Portugal Editorial Presença (2011)
Portugal Saída de Emergência (2016 - presente)
País Polónia Polônia
Gênero Fantasia
Aventura

Wiedźmin (Brasil: The Witcher: A Saga do Bruxo Geralt de Rívia /Portugal: Saga The Witcher) é uma série literária de contos e romances de fantasia escritos pelo polonês Andrzej Sapkowski que seguem a história do mítico Geralt de Rívia, um dos últimos bruxos restantes na Terra. No universo de Sapkowski, bruxos são caçadores de monstros geneticamente modificados que desenvolvem habilidades sobre-humanas quando jovens para combater ameaças mortais em troca de dinheiro. O sucesso dos livros gerou diversas adaptações das histórias para outros meios, como quadrinhos, cinema, televisão, tabuleiros, jogos de mesa, jogos de cartas e, principalmente, videogames, que expandiram a marca mundialmente. Os cinco romances desta série formam o arco intitulado Saga o wiedźminie (A Saga do Bruxo, em tradução livre).

Os Livros[editar | editar código-fonte]

Coleção de contos[editar | editar código-fonte]

Os primeiros contos foram publicados na revista polonesa Fantastyka a partir de meados dos anos 1980. O primeiro deles, chamado "Wiedźmin" ("O bruxo"), de 1986, foi escrito exclusivamente para um concurso realizado por esta revista, ficando no terceiro lugar. Posteriormente, em 1990, as quatro primeiras histórias abordando o bruxo Geralt foram apresentadas, na forma de livro, em uma coleção de contos também intitulada Wiedźmin (hoje fora de catálogo). Esta coleção continha adicionalmente o conto "Droga, z której się nie wraca" (tradução direta: "Caminho Sem Retorno"), que fala sobre Visenna, a mãe de Geralt, e é situado antes das histórias do bruxo.

A segunda coleção de contos publicada foi Miecz przeznaczenia (A Espada do Destino), de 1992, e subsequentemente, em 1993, foi lançada a terceira, intitulada Ostanie życzenie (O Último Desejo), que embora tenha vindo após A Espada do Destino, se passa antes dessa cronologicamente. O Último Desejo então substituiu Wiedźmin como o primeiro livro depois que incluiu todos os contos presentes neste (exceto "Droga, z której się nie wraca", o único sem Geralt). Ainda que novos contos tenham sido adicionados nesta coleção, estes também situam-se antes de A Espada do Destino.

Saga o wiedźminie[editar | editar código-fonte]

A Saga o wiedźminie (tradução livre: Saga do bruxo) constitui-se de cinco romances concentrados nos personagens Geralt de Rívia e Ciri, uma criança de sangue ancestral que, sendo princesa de um país recentemente conquistado e uma peça da política internacional, inicia treinamento para se tornar uma caçadora de monstros. O primeiro romance foi nomeado de Krew elfów (O Sangue dos Elfos), publicado em 1994, e o último Pani Jeziora (A Senhora do Lago), publicado em 1999. No Brasil, este arco de romances foi publicado de forma conjunta às duas coleções de contos anteriores, com todas as obras sendo lançadas sob o título principal A Saga do Bruxo Geralt de Rívia (a partir de 2014, no entanto, a editora WMF Martins Fontes optou por acrescentar o termo The Witcher ao título principal).

Por fim, foi publicado em 2013 o romance Sezon burz (Tempo de Tempestade), que situa-se cronologicamente antes de O Sangue dos Elfos e não faz parte oficialmente do arco original de romances, apesar de também ter sido escrito por Sapkowski.

Coleções não oficiais[editar | editar código-fonte]

No ano de 2000, foi lançado Coś się kończy, coś się zaczyna (tradução direta: Algo Termina, Algo Começa), uma coleção contendo um final alternativo à série acerca do casamento de Geralt e Yennefer, escrito inicialmente para amigos de Sapkowski, incluindo outras histórias sem ligação à série. Em algumas edições polonesas, os contos "Droga, z której się nie wraca" e "Coś się kończy, coś się zaczyna" (que dá nome à coleção) foram adicionados a O Último Desejo e A Espada do Destino.

Já em 2010, a coleção no idioma inglês, A Polish Book of Monsters (tradução direta: Um Livro Polonês de Monstros), foi publicada e traduzida por Michael Kandel, com o termo "Spellmaker" usado no lugar de "The Witcher" para Wiedźmin. A tradução desta coleção para o conto de introdução do bruxo também aparece numa edição em inglês diferenciada de O Último Desejo.

Spin-offs[editar | editar código-fonte]

Em 2013, a editora polonesa Solaris publicou uma coleção de oito contos, Opowieści ze świata Wiedźmina, escrita por oito escritores de fantasia russos e ucranianos (incluindo Andrei Belyanin e Vladimir Vasilyev) ambientados no mundo de The Witcher e/ou apresentando personagens da saga. [1] Em 2017, uma coleção semelhante de onze contos de onze autores, escolhida através de um concurso organizado em 2016 pela revista polonesa Nowa Fantastyka, foi publicada pela SuperNowa. [2][3][4]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Título original Título no Brasil Data de publicação Editora Título em Portugal Data de publicação Editora Arco
Ostanie życzenie O Último Desejo 2011 WMF Martins Fontes O Último Desejo 2011 Editorial Presença Coleção de contos
O Terceiro Desejo 2016 Saida de Emergência
Miecz przeznaczenia A Espada do Destino 2012 A Espada do Destino 2017
Krew elfów O Sangue dos Elfos 2013 O Sangue dos Elfos 2018 Saga The Witcher
Czas pogardy Tempo do Desprezo 2014 O Tempo do Desprezo 2018
Chrzest ognia Batismo de Fogo 2015 Batismo de Fogo 2019
Wieża Jaskółk A Torre da Andorinha 2016 A Torre da Andorinha 2019
Pani Jeziora A Senhora do Lago

Volumes 1 & 2

2017
Sezon burz Tempo de Tempestade 2019 Romance autônimo

Universo[editar | editar código-fonte]

Cenário[editar | editar código-fonte]

Os contos e romances situam-se em um continente não identificado, o qual foi povoado milhares de anos atrás por elfos de outra dimensão. Quando chegaram, estes elfos encontraram apenas gnomos e anões na região. Após um período de guerra entre eles, os anões se retiraram para as montanhas e os elfos se estabilizaram nas planícies e nas florestas. Colonos humanos chegaram cerca de 500 anos antes dos acontecimentos retratados nos contos, acendendo uma série de guerras. Os seres humanos, que saíram vitoriosos, tornaram-se então dominantes na área; as raças não-humanas, cidadãos agora considerados de segunda classe, passaram a viver em pequenos guetos dentro de assentamentos humanos. Aqueles que não residem nestes guetos vivem em regiões desérticas ainda não reivindicadas pelos seres humanos. Entre as outras raças do continente, estão os Metadílios e as Dríades; lobisomens e vampiros surgiram depois do evento mágico conhecido como a Conjunção das Esferas.

Kovir&Poviss COA.svg

Kovir e Poviss
Caingorn COA.svg

Hengfors
Kaedwen COA.svg

Kaedwen
Redania COA.svg

Redânia
Mahakam COA.svg

Mahakam
Aedirn COA.svg

Aedirn
Cintra COA.svg

Cintra
Temeria COA.svg

Teméria
Lyria&Rivia COA.svg

Lyria e Rívia
Nilfgaard COA.svg

Nilfgaard

Durante os séculos anteriores aos contos, a maioria das regiões do sul do continente foram tomadas pelo Império de Nilfgaard; o norte pertence aos fragmentados Reinos do Norte. A série decorre após a primeira grande guerra entre o Império de Nilfgaard e os Reinos do Norte, com uma segunda guerra começando no meio da saga.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Apesar de nenhum mapa do universo criado por Sapkowski ter sido oficialmente lançado, vários deles foram criados por fãs. De acordo com o escritor, estes mapas são "quase exatos", e ele usa uma versão criada pelo tradutor checo Stanislav Komárek.[5]

O continente divide-se em quatro regiões. Os Reinos do Norte (onde se passa a maior parte da saga) consistem de Aedirn, Cidaris, Cintra, Aliança de Hengfors, Kaedwen, Kerack, Kovir e Poviss, Lyria e Rívia, Redânia, Teméria e Verden, além de vários ducados menores e principados como Bremervoord ou Ellander. O Império de Nilfgaard ocupa a maior parte da área ao sul dos Reinos do Norte. A parte oriental do continente, como o deserto Korath, Zerrikânia, Hakland e as Montanhas do Fiery, é desconhecida em sua grande parte. A série ainda menciona países estrangeiros que ocasionalmente negociam com o comércio dos Reinos do Norte, incluindo Zangwebar, Ofir, Hannu e Barsa.

Linguagem[editar | editar código-fonte]

Sapkowski também criou uma linguagem exclusiva para a série.[6][7] Conhecida como "Linguagem ancestral", tem como base o inglês, o francês, o galês, o irlandês, o latim, e outras línguas. Um importante dialeto derivado desta língua é falado nas ilhas de Skellige e pelos Nilfgaardianos.

Traduções[editar | editar código-fonte]

Os contos e romances foram traduzidos para o inglês, português, tcheco, alemão, russo, lituano, estônio, finlandês, francês, espanhol, italiano, búlgaro, ucraniano, sérvio, sueco, húngaro, holandês, chinês e georgiano.

O termo "The Witcher"[editar | editar código-fonte]

Embora o nome Wiedźmin tenha ficado mundialmente conhecido como "The Witcher", a tradução escolhida por Sapkowski para o inglês era inicialmente "The Hexer" (o título internacional de sua adaptação para o cinema). Hexe e hexer são os termos em alemão para "bruxa" e "bruxo"; a desenvolvedora CD Projekt RED foi a primeira a difundir a expressão "The Witcher" ao escolher esta como título de seu primeiro jogo para o mercado internacional,[8] com Danusia Stok também a usando na sua tradução da coleção Ostanie życzenie (O Último Desejo), publicada em 2007. Sapkowski já havia usado o termo "The Witcher" em seu livro Historia i Fantastyka, de 2005, contudo, foi Adrian Chmielarz a pessoa responsável pela tradução inglesa, como mostram as cartas trocadas por ele e o autor em meados dos anos 80.[9] O americano Michael Kandel, por sua vez, utilizou a expressão "spellmaker" em sua tradução de 2010 para o conto "Wiedźmin".

Adaptações[editar | editar código-fonte]

Representações do personagem Geralt de Rívia em algumas de suas adaptações.

Histórias em quadrinhos[editar | editar código-fonte]

De 1993 a 1995, as histórias de Sapkowski foram adaptadas para seis álbuns de quadrinhos por Maciej Parowski (história), Bogusław Polch (arte), e o próprio Sapkowski. São elas:

  • Droga bez powrotu (O Caminho Sem Retorno, baseado no conto "Droga, z której się nie wraca")
  • Geralt (baseado no conto "O bruxo")
  • Mniejsze zło (Mal Menor)
  • Ostatnie życzenie (O Último Desejo)
  • Granica możliwości (O Limite do Possível)
  • Zdrada (Traição, baseado numa ideia não utilizada para um conto)

No dia 11 de outubro de 2013, a Dark Horse Comics anunciou uma série de quadrinhos chamada The Witcher, baseando-se na série de jogos eletrônicos de mesmo nome da CD Projekt.[10]

Volumes publicados pela Dark Horse[editar | editar código-fonte]

Título Tradução Lançamento Edições História Capa
The Witcher – Volume 1: House of Glass[11] The Witcher – Volume 1: A Casa de Vidro 24 de setembro de 2014
  • The Witcher: House of Glass #1–5
Paul Tobin Mike Mignola
The Witcher – Volume 2: Fox Children[12] The Witcher – Volume 2: Os Filhos da Raposa 16 de dezembro de 2015
  • The Witcher: Fox Children #1–5
Julián Totino Tedesco
The Witcher – Volume 3: Curse of Crows[13] The Witcher – Volume 3: A Maldição dos Corvos 21 de junho de 2017
  • The Witcher: Curse of Crows #1–5
Paul Tobin com Borys Pugacz-Muraszkiewicz & Karolina Stachyra Grzesiek Przybyś
The Witcher – Volume 4: Of Flesh and Flame[14] The Witcher – Volume 4: De Carne e Chama 17 de julho de 2019
  • The Witcher: Of Flesh and Flame #1–4
Aleksandra Motyka Marianna Strychowska

Cinema e televisão[editar | editar código-fonte]

Um filme chamado Wiedźmin estreou em 2001 nos cinemas poloneses. Dirigido por Marek Brodzki e Michał Żebrowski atuou como Geralt. Posteriormente, quando lançado em outros países, o longa foi traduzido para The Hexer. Uma série de TV de mesmo nome também dirigida por Marek Brodzki e baseada no mesmo filme foi lançada em 2002, tendo 13 capítulos no total.

Após o sucesso do jogo The Witcher 3: Wild Hunt, a Sean Daniel Company, empresa responsável pelos longas A Múmia e Ben-Hur, anunciou um filme baseado nos contos de Andrzej Sapkowski.[15] A produção hollywoodiana tinha previsão de estreia para 2017 e seria dirigida pelo polonês Tomasz Bagiński, responsável pelo curta animado The Cathedral (indicado ao Oscar em 2003). Thania St. John, dos seriados Grimm e Chicago Fire, trabalharia no roteiro.[16] Em 17 de maio de 2017, no entanto, foi anunciado que Sean Daniel e Jason Brown, produtores executivos do projeto, chegaram a um acordo com a Netflix para a produção de uma série de televisão dramática na língua inglesa, e que Sapkowski será um dos consultores criativos.[17][18] Tomasz Bagiński, que era o principal responsável pelo desenvolvimento do filme e que dirigiu os vídeos introdutórios dos três jogos The Witcher, dirigirá ao menos um episódio da série por temporada e, ao lado de Jarek Sawko, encabeçará o projeto. A Platige Image, produtora polonesa de efeitos especiais da qual Bagiński e Sawko fazem parte, vai coproduzir o seriado.[19] Em setembro de 2018, foi anunciado que Henry Cavill iria interpretar Geralt de Rívia na série.[20][21][22] Em outubro de 2018, o resto do elenco foi anunciado.[23] A série estreou em 20 de Dezembro de 2019, intitulada The Witcher.

Jogos[editar | editar código-fonte]

Jogos de RPG de mesa[editar | editar código-fonte]

Um jogo de RPG de mesa baseado nos livros de Sapkowski, intitulado Wiedźmin: Gra Wyobraźni (The Witcher: A Game of Imagination), foi publicado pela MAG em 2001. Outro jogo de mesa, desta vez com base nos populares jogos eletrônicos, produzido pela R. Talsorian Games, foi lançado lançado em 2018.[24][25]

Jogos eletrônicos[editar | editar código-fonte]

A série de jogos The Witcher, que dá segmento aos acontecimentos dos livros, conta com 3 títulos principais, os quais foram todos desenvolvidos pela CD Projekt RED e distribuídos pela CD Projekt na Polônia e, mais recentemente, pela Warner Bros. Interactive Entertainment para o resto do mundo. Os jogos acabaram por difundir o termo "The Witcher" pelo mundo e gerar novas adaptações.

Jogos de cartas[editar | editar código-fonte]

Em 2007, a Kuźnia Gier desenvolveu dois jogos de cartas baseados no jogo eletrônico The Witcher, da CD Projekt. O primeiro, Wiedźmin: Przygodowa Gra Karciana (The Witcher: Adventure Cardgame), foi propriamente publicado pela Kuźnia Gier;[26] o outro, Wiedźmin: Promocyjna Gra Karciana (The Witcher Promo Card Game), foi adicionado na edição de colecionador do game The Witcher em alguns países.[27] Outro jogo de cartas, o Gwent, que tornou-se imensamente popular por estar dentro do aclamado game The Witcher 3: Wild Hunt, teve sua versão física acompanhada de algumas versões de suas expansões. No Gwent, os jogadores podem desafiar (ou comprar) diversos personagens do game para conseguir novas cartas.[28]

Jogo de tabuleiro[editar | editar código-fonte]

A CD Projekt e a Fantasy Flight Games lançaram em 2014 o jogo de tabuleiro The Witcher Adventure Game,[29] em formas físicas e digitais.[30] A versão digital está disponível para Microsoft Windows, OS X, Android e iOS.

Referências

  1. «Opowieści ze świata wiedźmina (antologia) - literatura.gildia.pl - książki, recenzje, artykuły, nowości». Literatura.gildia.pl. Consultado em 3 de janeiro de 2018 
  2. «Nowa Fantastyka». Fantastyka.pl. Consultado em 3 de janeiro de 2018 
  3. «Tylko dla fanów wiedźmina Geralta. Szpony i kły - recenzja Spider's Web». Spidersweb.pl. 16 de novembro de 2017. Consultado em 3 de janeiro de 2018 
  4. «Nikczemnie wprowadzająca w błąd okładka. Wiedźmin: Szpony i Kły nie jest książką Sapkowskiego, ale… fanów». Spidersweb.pl. 2 de novembro de 2017. Consultado em 3 de janeiro de 2018 
  5. «"Nie bądź, kurwa, taki Geralt" - interview on author's page» (em Polish). Arquivado do original em 15 de dezembro de 2007 
  6. Marek, Ruszkowski (2004). Wielojęzyczność w perspektywie stylistyki i poetyki. [S.l.]: Wydawnictwo Akademii Swiętokrzyskiej. p. 98. ISBN 83-7133-232-7 
  7. «Projekt słownika Starszej Mowy». Consultado em 6 de março de 2013. Arquivado do original em 24 de março de 2014 
  8. «The Witcher game that never was». Eurogamer. 19 de maio de 2015. Consultado em 22 de maio de 2015 
  9. http://www.eurogamer.es/articles/2016-07-10-el-juego-de-the-witcher-que-nunca-existio
  10. «NYCC 2013: THE WITCHER COMES TO DARK HORSE». Dark Horse Comics. 11 de outubro de 2013. Consultado em 20 de março de 2014 
  11. «The Witcher Volume 1 TPB». Dark Horse Comics. 9 de fevereiro de 2019. Consultado em 18 de março de 2015 
  12. «The Witcher Volume 2: Fox Children TPB». Dark Horse Comics. 22 de julho de 2017. Consultado em 22 de junho de 2017 
  13. «The Witcher Volume 3: Curse of Crows TPB». Dark Horse Comics. 22 de junho de 2017. Consultado em 25 de junho de 2017 
  14. «The Witcher Volume 4: Of Flesh and Flame TPB». Dark Horse Comics. 9 de fevereiro de 2019. Consultado em 1 de janeiro de 2020 
  15. Eddie, Makuch. «The Witcher Movie Coming in 2017 From The Mummy Producers». Gamespot. Consultado em 5 de novembro de 2015 
  16. «The Witcher vai virar filme! Relembre duas adaptações bizarras da história de Geralt de Rívia». 9 de novembro de 2015. Consultado em 11 de novembro de 2015 
  17. «The Witcher saga on Netflix». 17 de maio de 2017. Consultado em 17 de maio de 2017 
  18. «NETFLIX VAI PRODUZIR SÉRIE DE THE WITCHER». 17 de maio de 2017. Consultado em 17 de maio de 2017 
  19. «The Witcher - Netflix vai produzir série baseada nos livros». 17 de maio de 2017. Consultado em 17 de maio de 2017 
  20. «See What's Next on Twitter» (em inglês) 
  21. «Henry Cavill Will Lead Netflix's Witcher Series as Geralt of Rivia» (em inglês) 
  22. «Netflix's 'The Witcher' Series Finds Its Geralt In Henry Cavill» (em inglês) 
  23. «'The Witcher': Netflix Fantasy Drama Series Casts Its Females Leads Ciri & Yennefer» 
  24. «CD PROJEKT RED and R.TALSORIAN GAMES Announce The Witcher Role-Playing Game». 29 de julho de 2015. Consultado em 31 de julho de 2015 
  25. RPG de mesa inspirado em The Witcher será lançado em agosto
  26. «Wiedźmin: Przygodowa Gra Karciana». gildia.pl 
  27. «Gry na zamówienie. Kuźnia Gier. Produkcja i kreacja gier planszowych na zamówienie klienta!». grynazamowienie.pl 
  28. «Gwent Card List and Locations in Witcher 3», Gwent Cards, consultado em 17 de novembro de 2015 
  29. Matulef, Jeffrey (8 de janeiro de 2014). «The Witcher gets a board game spin-off». Eurogamer. Gamer Network. Consultado em 9 de janeiro de 2014 
  30. Purchese, Robert (27 de novembro de 2014). «The Witcher Adventure Game has been released». Eurogamer. Gamer Network. Consultado em 27 de novembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]