Wieland Wagner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Wieland Wagner
Nascimento 5 de janeiro de 1917
Bayreuth
Morte 17 de outubro de 1966 (49 anos)
Munique
Sepultamento Stadtfriedhof Bayreuth
Cidadania Alemanha
Progenitores
Filho(s) Iris Wagner, Nike Wagner
Irmão(s) Wolfgang Wagner, Friedelind Wagner, Verena Wagner Lafferentz
Ocupação encenador, compositor, escritor, ator, cenógrafo, realizador
Prêmios
  • Ordem do Mérito da Baviera
  • Ordem do Mérito para as Artes e Ciência
Causa da morte câncer de pulmão

Wieland Wagner (5 de janeiro de 1917 - 17 de outubro de 1966) foi um diretor de ópera alemão.

Vida[editar | editar código-fonte]

Wieland foi um dos dois filhos do casal Siegfried e Winifred Wagner e o neto de Richard Wagner.

Em 1941 ele casou-se com a dançarina e coreógrafa Gertrude Reissinger. Ele tiveram quatro crianças: Iris (1942), Wolf-Siegfried (1943), Nike (1945) e Daphne (1946). No fim da sua vida ele teve um affair com a cantora Anja Silja, uma das recrutadas para o Festival de Bayreuth.

Wieland Wagner morreu de câncer em outubro de 1966.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Wieland Wagner começou a carreira como diretor depois da Segunda Guerra Mundial, trabalhando em óperas de seu pai ou de seu avô. Seu design para o Festival de Bayreuth de 1937 para a produção de Parsifal foi conservador.

Quando o Festival de Bayreuth foi reaberto depois da guerra em 1951, Wielang e seu irmão Wolfgang se tornaram os diretores no lugar de sua mãe, que, graças a sua amizade com Adolf Hitler, não pode permanecer no cargo. Com eles as produções foram extremamentes revolucionárias.

A produção mais conhecida e lembrada é da ópera de seu avô: Tannhäuser, que ele produziu, além do Festival, em Nápoles, Stuttgart, Cologne, e a ópera Fidelio de Beethoven, que foi produzia em Stuttgart, Londres, Paris e Bruxelas.

O grande amor de sua vida foi a soprano alemã Anja Silja, com quem teve uma relação no fim da vida.

Referências[editar | editar código-fonte]

  • Skelton, Geoffrey. Wieland Wagner: The Positive Sceptic, St Martin's Press, 1971.