Wikipédia:Escolha do artigo em destaque/Anarquismo no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Anarquismo no Brasil[editar código-fonte]

Anarquismo no Brasil (editar | discussão | histórico | informações | afluentes | última edição | vigiar | registros | registros do filtro de edições)

Proponente e argumentação

Modéstia à parte, possivelmente essa é a minha maior e melhor contribuição para a Wikipédia lusófona até o presente momento, sendo resultado de uma pesquisa que venho realizando há anos, academicamente inclusive (e que pretendo seguir, já que em breve estarei ingressando no mestrado). O artigo cobre o tema em sua totalidade, dentro dos limites de um verbete enciclopédico, trazendo informações sobre o anarquismo no Brasil dos seus primórdios até os dias de hoje. O texto está completamente referenciado em fontes fiáveis, que vão desde estudos recentes até os clássicos da historiografia sobre o tema. A bibliografia que embasa o artigo é diversa e bem vasta, totalizando pouco menos de 300 referências. Creio que o artigo está bem escrito, organizado e bastante ilustrado, tudo nos conformes para receber o estatuto de destaque. Comparem com a versão anterior às minhas edições e tirem suas conclusões. De antemão, já deixo algumas considerações prévias:

  1. Como vocês poderão perceber, a seção que trata do anarquismo na Primeira República (1889-1930), é consideravelmente mais longa que as demais. Isso acontece porque, naturalmente, esse foi o período de maior atividade anarquista no Brasil. Os anarquistas exerciam grande influência sobre o movimento operário nesse período e os estudos sobre o anarquismo na Primeira República são abundantes e continuam sendo realizado até os dias de hoje. O difícil, inclusive, foi justamente selecionar a bibliografia para embasar essa parte do artigo, e resumir todas as informações encontradas nesses estudos;
  2. Me comprometo a manter o artigo sempre atualizado, em relação às iniciativas recentes do anarquismo no Brasil — quando suficientemente relevantes para serem dignas da atenção de estudos acadêmicos ou da cobertura jornalística por veículos notórios e independentes — ou à luz de novos estudos que possam, por ventura, nos trazer mais detalhes sobre a atuação anarquista em períodos ainda em que esta ainda é pouco estudada ou obscurecida (como é o caso da ditadura do Estado Novo);
  3. A maior parte dos links vermelhos tratam de militantes, organizações ou periódicos que não possuem artigo ainda, e a ausência desses links não atrapalha na compreensão geral do tema abordado no verbete aqui proposto.

Dito tudo isso — e creio que me alonguei demais —, agora fica ao critério de vocês. Qualquer coisa que encontrarem de errado no artigo, por favor, me avisem ou sintam-se livres para corrigir.

  • Indicação para: artigo destacado

O Estranho no Ninho (discussão) 20h38min de 15 de abril de 2018 (UTC)

Prazo de votação (30 dias)
das 20h38min UTC de 15 de abril de 2018 até às 20h38min UTC de 15 de maio de 2018
Indicações para artigo bom podem ser encerradas por speedy close caso tenham 5 votos a favor e nenhum voto contra no dia 30 de abril de 2018 às 20h38min UTC.

Artigo destacado (critérios)[editar código-fonte]

  1. Mr. Fulano! Fale 23h38min de 22 de abril de 2018 (UTC)
  2. Leefeniaures audiendi audiat 17h42min de 24 de abril de 2018 (UTC)

Artigo bom (critérios)[editar código-fonte]

# Leefeniaures audiendi audiat 05h50min de 24 de abril de 2018 (UTC)

Artigo de qualidade 4 ou inferior (critérios)[editar código-fonte]

Comentários e sugestões[editar código-fonte]

Symbol comment vote.svg Comentário Caro Estranhononinho, como disse em sua página de discussão, aplaudo seu empenho no desenvolvimento deste verbete. Vou aos poucos lê-lo (espero!) e fazer pequenas revisões diretamente no texto e deixar comentários por aqui. Espero que contribua para o destaque do verbete. Li agora a introdução.

  1. Será que existe uma construção mais objetiva do que "deixando suas marcas" em "...deixando suas marcas nos Congressos Operários de 1906, 1913 e 1920 e nas greves do período"?
  2. Será que não seria o caso de haver ligações para Congresso Operário de 1906 (que existe como Congresso Operário Brasileiro), Congresso Operário de 1913, Congresso Operário de 1923 e as greves do período (talvez substituir por Greve geral no Brasil em 1917?)? E para: Movimento Estudantil Libertário, Federação Anarquista Gaúcha, Federação Anarquista do Rio de Janeiro e Coordenação Anarquista Brasileira? O que acha?
  3. Você ligou sem-teto e sem-terra para as organizações mais conhecidas desse tipo de atuação política, respectivamente o MTST e o MST. Que tal isso figurar de modo mais genérico, pois há outras organizações de sem-teto e sem-terra em que há atuação anarquista? O que acha?

Sigo a leitura. --Joalpe (discussão) 11h15min de 16 de abril de 2018 (UTC)

Caro Joalpe, quanto às questões que colocaste:
  1. Eu confesso que sou bem ruim em escrever introduções. Sintetizar todo o conteúdo de um artigo em até quatro parágrafos, sem parecer massante, é um grande desafio para mim. Nesse caso, sinceramente não sei o que poderia ser feito. Você tem alguma sugestão?
  2. Creio que em alguns casos podem haver ligações, e outros não. Pretendo criar artigos para cada um Congressos Operários, além de melhorar o da Confederação Operária Brasileira, que está bem ruim. O problema é que não tenho como criar esses artigos agora. Quanto ao Movimento Estudantil Libertário, ainda temos poucas informações sobre ele, de modo que creio que ainda não se justifica um artigo próprio. O mesmo serve para a FAG (esse artigo, aliás, não tem fontes, e pode ser indicado para eliminação), FARJ e CAB - ainda não existem estudos muito detalhados sobre essas organizações. O texto usado para referenciar as partes do texto que mencionam as organizações especifistas, escrito por Bruno Lima Rocha, Kauan Willian dos Santos, Mariana Penna e Rafael Viana da Silva, aborda aspectos muito genéricos e não nos fornece muitas informações para embasar artigos próprios sobre cada uma delas. Adianto que outras organizações e militantes que não possuem ligações internas também encontram-se sem elas por serem apenas mencionados de passagem em livros ou artigos, não havendo muitas informações adicionais que justifiquem a criação de artigo próprio.
  3. Concordo que os movimentos sem-teto e sem-terra sejam tratados de maneira mais genérica. Desse modo, as ligações para o MTST e o MST aparecem agora apenas quando são mencionados diretamente.

Fico no aguardo de novos comentários. O Estranho no Ninho (discussão) 15h55min de 16 de abril de 2018 (UTC)

Oi, Estranhononinho. Eu tiraria da introdução as menções específicas às organizações e eventos que são citados, se não têm toda relevância. Não vejo problema em termos uma introdução mais genérica, com a informação mais detalhada no corpo do verbete. Para tirarmos a menção metafórica a "deixando marcas" (em "deixando suas marcas nos Congressos Operários de 1906, 1913 e 1920 e nas greves do período") o que lhe parece a construção ", em especial em congressos operários e nas greves do período")?
Li a seção de origens e minha única dúvida diz respeito a inserir a Colônia Cecília dentro dessa seção. Pelo que entendo, a seção traça a entrada das ideias anarquistas no Brasil. A Colônia Cecília, apesar de, segundo referência, não ter tido maior impacto no anarquismo brasileiro, parece casar melhor como experiência pioneira da seção seguinte, sobre a Primeira República, não? Também não acho necessário citar as aspas da historiadora; essa visão do pouco (ou nenhum) impacto dessa primeira experiência anarquista no Brasil parece ser bastante comum, vide [1] e [2]. (Um detalhe, você cita o Giovanni Rossi como empreendedor e depois fala em idealizadores, no plural -- é um equívoco?) Sigo em breve a leitura -- de novo, parabéns pelo trabalho, com o qual estou aprendendo muito. --Joalpe (discussão) 00h30min de 17 de abril de 2018 (UTC)
Joalpe, realizei as mudanças sugeridas por você na introdução, veja se agora te parece bom. Também retirei a citação da historiadora sobre a Colônia Cecília. Tem algumas outras citações ao longo do texto que de repente poderão ser removidas também, já que, em geral, não apresentam pontos de vista muito polêmicos ou particulares sobre o tema. O trecho "idealizadores da Colônia" foi substituído por "libertários", seria errado dizer que o conflito se deu exclusivamente entre Rossi e os demais colonos, tendo em vista que boa parte deles também era anarquista. Essas são questões que podem ser abordadas com maior profundidade no artigo sobre a Colônia Cecília. Quanto à inclusão da Colônia na seção "Origens", é porque se trata de uma experiência muito seminal do anarquismo no Brasil. Na bibliografia consultada, geralmente ela aparece figurando entre os primórdios da experiência anarquista no Brasil, ligada ao contexto da imigração italiana. Enfim, te agradeço pela paciência em revisar o artigo e fazer teus apontamentos. No final desse processo, espero termos um belo destaque. Sds, O Estranho no Ninho (discussão) 02h44min de 17 de abril de 2018 (UTC)
@Estranhononinho: Saudações. Tenho mexido à medida que leio o texto. Li agora a primeira subseção do trecho sobre a Primeira República. Noto que há às vezes o uso de adjetivos e advérbios que me parecem desnecessários. Veja os que eliminei e por favor corrija-me se tiver apagado algo que não deveria. Especificamente:
  1. Não entendi, no terceiro parágrafo, esse trecho: Citação: e a despeito das recessões econômicas e da repressão, que podiam conduzir ao fechamento das associações, a cada conjuntura mais favorável, o operariado estava propenso a reconstituir e ampliar sua organização. A frase está bem comprida, então talvez fosse o caso de fazer mais de uma, no sentido de tornar mais claro o texto.
  2. O quarto parágrafo parece alongar-se sobre um tema de muito interesse, mas não tão diretamente vinculado ao verbete, a saber: os tipos de associação operária na Primeira República. Eu enxugaria bastante esse parágrafo --pois entendo que a informação que mais importa é a última frase, sobre a opção organizacional do sindicalismo revolucionário, que aliás parece relativamente desconectada do resto do parágrafo. Se acatar esta sugestão, não elimine a pesquisa que realizou, mas movimente-a, talvez, para uma seção a ser criada sobre movimento operário na Primeira República Brasileira.
  3. Nota: fiquei pasmo por não existir o verbete da Elvira Boni!!! Já pus na lista de verbetes a serem criados por meus alunos este ano (Usuário:Joalpe/Testes/Verbetes 2018). Não creio que essa ausência afete em qualquer medida o conteúdo do verbete, por mais que a ausência na Wikipédia seja no plano geral uma catástrofe!
  4. Por fim, você acha mesmo necessário uma seção intitulada "Primeira República (1889-1930"? Eu argumentaria que cada uma das subseções dentro dessa seção deveria ser uma seção nela mesma, o que aliás daria um melhor equilíbrio ao conteúdo. O que acha?
Quando der, sigo a leitura. Abraço. --Joalpe (discussão) 12h36min de 17 de abril de 2018 (UTC)
Joalpe, creio que o problema daquela frase foi sanado, agora o texto me parece mais claro. Primeira República Brasileira é um artigo que consta nos meus planos para trabalhar e destacar futuramente. Retirei a informação sobre os tipos de associações operárias, mas essa pesquisa está registrada em uma página de testes, que utilizei para desenvolver o artigo avaliado antes de movimentá-lo para o domínio principal. A sugestão de criar uma seção sobre o movimento operário na Primeira República no artigo sobre esta me parece uma boa ideia. Quanto ao título da seção, tenho minhas duvidas. Uma mudança estrutural nesse sentido que você sugere exigiria uma reorganização total do artigo, que foi elaborado seguindo a lógica da periodização histórica. Como poderá perceber na leitura, a conjuntura política sempre afetou diretamente a ação anarquista. O próprio texto que antecede as subseções, por exemplo, no caso da seção "Primeira República", tenta trazer aspectos mais gerais que irão marcar o período, e não sei para onde ele poderia ser movido no caso de uma reestruturação. O mesmo serve para as outras seções. O Estranho no Ninho (discussão) 20h23min de 17 de abril de 2018 (UTC)
Estranhononinho Li mais uma subseção, que me pareceu muito clara. Para nota, apenas o fato de eu ter marcado alguns líderes que me parecem merecer verbete. Encontrei sem muita dificuldade referências suficientes para isso. Não creio que esses links vermelhos atrapalhem a compreensão do verbete sendo aqui debatido. Sobre sua opção de estrutura histórica do verbete, entendo e não me oponho; mas você não acha que gera um desequilíbrio nas seções? Abraços, --Joalpe (discussão) 00h29min de 18 de abril de 2018 (UTC)
Joalpe, estou acompanhando as mudanças que você tem feito no texto e acho que elas estão vindo bem a calhar, deixando a leitura mais fluída. Sinta-se à vontade para adicionar ligações internas onde achar que elas se justificam. Alguns desses links pretendo criar e trabalhar num futuro próximo, como o da Elvira Boni, referido por você (e também concordo que seja uma tragédia não termos um artigo sobre ela, mas paciência), Pedro Augusto Motta e Ideal Peres. Quanto ao desequilíbrio, não sei se há muito o que fazer, tendo em vista que o período compreendido pela Primeira República foi de fato o de maior atividade anarquista no Brasil, enquanto outros, como a ditadura do Estado Novo, quase não existem informações disponíveis, ou no caso da ditadura militar, foram marcados por uma atividade anarquista mais reduzida. O Estranho no Ninho (discussão) 03h22min de 20 de abril de 2018 (UTC)
Estranhononinho Sigo a leitura -- ainda no século XX. As seções sobre as greves e o governo de Bernardes são riquíssimos de informação; parabéns! Fiz minúsculas revisões de texto. Mas creio que todo o parágrafo que se inicia por Citação: Ao mesmo tempo em que Bernardes reprimiu o movimento operário de forma geral, e o anarquismo em particular, também deu alguns passos no terreno da legislação social possa ser movido para um artigo sobre o governo de Arthur Bernardes. O que acha? (Estou agora entrando na seção da Era Vargas.) --Joalpe (discussão) 02h44min de 25 de abril de 2018 (UTC)
Joalpe, eu acredito que o conteúdo desse parágrafo é importante, por isso dei uma resumida no conteúdo, deixando-o mais substancial. O Estranho no Ninho (discussão) 16h04min de 25 de abril de 2018 (UTC)

É impressão minha ou este artigo fala apenas sobre a história do movimento no Brasil? Ao ver o artigo e fazer uma pequena analise de alguns pontos, não pude deixar de notar que o verbete mais parece relatar desde sua gênese no Brasil até as recentes "Jornadas de Julho de 2013". Há seções inteiras que narram os principais acontecimentos desde o Império, passando pela República Velha, a Ditadura e a Redemocratização. No entanto, creio que deveria existir, com o mesmo peso de importância, outras seções que abordassem: as atuais organizações (se existem, e eu imagino que existam); nomes notórios/principais autores/teóricos brasileiros (talvez uma seção assim seja redundante, já que a história no artigo já cita esses nomes); principais ideias defendidas no âmbito nacional (esta sim considero altamente relevante. Já que nenhum país é igual, tenho certeza de que o movimento anarquista brasileiro tem uma ou outra distinção dos demais, e isso merece ser contado); relações com a política e sociedade brasileira (qual a influência que o anarquismo tem no âmbito sociopolítico nacional? já que ele é um movimento social com atuação na política); talvez uma seção de relação com outros movimentos (como o socialismo, comunismo, os libertários brasileiros etc.) seria interessante (tem inclusive comparações acadêmicas sobre isso) etc. Sinto que o artigo foi construindo sob o ponto de vista exclusivamente de um historiador, o que não é ruim, pelo contrário. No entanto, se fosse assim, faria mais sentido este artigo se chamar "História do anarquismo no Brasil" e não o genérico, pois ele parece se limitar apenas a isso: sua história. Sdç. --Zoldyick (discussão) 17h29min de 20 de abril de 2018 (UTC)

Zoldyick, mas tudo isso já é abordado no artigo. As atuais organizações são abordadas na seção "Redemocratização", os nomes dos principais militantes já aparecem ao longo do artigo, as ideias e estratégias defendidas em âmbito nacional são descritas através do prisma histórico, bem como as relações com a política e a sociedade brasileira e a relação do anarquismo com os outros movimentos. A organização do artigo através de um recorte histórico foi baseado em outros verbetes sobre o tema, como Anarquismo em Cuba, que aqui e na anglófona é AB, e os artigos da Wiki em espanhol, Anarquismo en Argentina e Anarquismo en España (esse último até tem seções mais específicas sobre a influência do anarquismo na contracultura, a imprensa anarquista etc, mas preferi abordar esses pontos ao longo do texto). O Estranho no Ninho (discussão) 20h24min de 20 de abril de 2018 (UTC)
Então, Estranhononinho, acho que temos um pequeno impasse de opção editorial (algo normal rs). Você citou que a organização do verbete (e os assuntos que abordei) é moldado sobre o prisma histórico do movimento e de forma corrida, ao ler o artigo, do início ao fim. Eu, particularmente, ainda gostaria de acreditar que seria desejável que cada assunto ("História", "Organizações", "Principais teóricos" etc) tivesse uma seção própria, com subseções onde é especificado cada tópico com mais profundidade. Entendo que o que fez seja, de alguma forma, um habito, como nos artigos que mencionou aqui e na Wiki em espanhol. Mas a impressão que me ficou é de que, falando (por exemplo) sobre as organizações do movimento na pós-redemocratização, o artigo ainda aparece estar fazendo isso sob o ponto de vista histórico, não necessariamente criando uma narrativa original. Bom, obviamente tudo que acabo de escrever é nada além de um gosto editorial particular, e que no final das contas não vale nada e não é argumento que desqualifique o verbete. Indiscutivelmente é um trabalho admirável e de grade importância. Parabéns pela contribuição. Sdç. --Zoldyick (discussão) 03h58min de 21 de abril de 2018 (UTC)
Zoldyick, como disse ao Joalpe em minha página de discussão, a escolha por dividir as seções do artigo utilizando um recorte mais histórico se deu tanto levando em consideração os artigos citados quanto por uma preferência editorial minha também, acredito que assim ficam mais evidentes as continuidades e rupturas do movimento anarquista no Brasil. De qualquer forma, todos os aspectos importantes são abordados ao longo do texto. Caberia dizer ainda que o Brasil não teve tantos "teóricos" anarquistas distintos, como é o caso da Rússia, da Itália e dos Estados Unidos, por exemplo, mas teve militantes muitíssimo destacados, como Edgard Leuenroth, José Oiticica e Maria Lacerda de Moura, que são citados ao longo do artigo diversas vezes. Pretendo editar e destacar os artigos destes e outros militantes em breve. E infelizmente sobre as organizações atuais ainda não há muita produção acadêmica sobre elas, então não poderia falar muito sem ter que apelar pra fontes primárias, mas o principal está ali. De qualquer forma, se mesmo depois de ler o artigo, acreditar que ainda há deficiências que impeçam o destaque, sinta-se à vontade para votar em "artigo bom". O Estranho no Ninho (discussão) 19h23min de 22 de abril de 2018 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Não deveria ter uma imagem na introdução? Mr. Fulano! Fale 19h14min de 20 de abril de 2018 (UTC)

Mr. Fulano, feito! O Estranho no Ninho (discussão) 19h23min de 22 de abril de 2018 (UTC)

Precisa de melhor paragrafação e secionamento (muitos parágrafos e muitas seções deixam o texto cansativo) para ficar perfeito, mas de antemão parabenizo seu excelente trabalho. Também não entendi como pode haver "o chamado Quarto Congresso Operário Brasileiro" se "[o]s organizadores do congresso [...] levaram em consideração dois congressos socialistas realizados em 1901". Não falta um terceiro? Sinto também falta de imagens em um artigo tão grande, mas não sei se há disponibilidade delas, então fica a seu critério. O artigo está tão excelente que até me incomodo em votar para AB, mas falta pouco para AD, e penso que meu voto contribua para a votação mais que prejudique, já que o movimento por aqui parece ser o de que voto chama voto... Leefeniaures audiendi audiat 05h50min de 24 de abril de 2018 (UTC)

Leefeni de Karik, não encontrei nada sobre a "paragrafação" e "secionamento" analisando os critérios. Acredito que o artigo esteja bem organizado e bem estruturado, e se há muita seções e parágrafos, é porque há bastante conteúdo a ser abordado e que precisa ser organizado dessa forma, se não a coisa toda vai ficar um caos. O "Quarto" Congresso Operário levou em consideração esses congressos socialistas de 1901 como sendo os dois primeiros, e o Primeiro Congresso Operário, de 1906, como sendo o Terceiro. Esse congresso foi organizado por uma fração do movimento operário que havia sido derrotada no congresso de 1906, e por isso a tentativa de deslegitimá-lo enquanto sendo o primeiro. Isso não ficou claro no texto? Quanto às imagens, acredito que o artigo esteja bem ilustrado dentro dos limites possíveis. Na seção sobre o período democrático entre 1945 e 1964 a dificuldade para encontrar imagens é imensa e os periódicos da época tem pouco apelo visual, diferente das capas que ilustram a seção sobre o anarquismo na ditadura militar. Quanto à falta de votantes no momento, não me importo com isso agora, pois o artigo está passando por um processo de revisão valioso que certamente terá como resultado a qualificação do verbete. Eu gostaria muito que os usuários fossem assim criteriosos em outras EADs, especialmente nos artigos traduzidos, em que muitas traduções ruins ou demasiado literais acabam passando. Sds, O Estranho no Ninho (discussão) 15h12min de 24 de abril de 2018 (UTC)
@Estranhononinho: Quanto às seções e parágrafos: Os critérios falam claramente sobre layout simples e limpo, o que significa subscrição ao livro de estilo. O livro de estilo fala que seções e subseções podem ser pequenas demais, mas não que podem ser grandes demais. Pela minha memória, ambas as previsões existiriam, mas agora vejo que foi meu engano. Quanto à questão do "Quarto" Congresso, está suficientemente claro sim, eu que não havia entendido àquela hora da madrugada. Discutidos estes dois pontos, definitivamente cumpre os critérios para AD, a Wikipédia precisa de mais pesquisas rigorosas e científicas como esta. Eu tento fazer minha parte (Gregório V de Constantinopla é meu maior orgulho nesse sentido), mas nunca para um tema tão amplo e bibliograficamente rico como anarquismo no Brasil. Leefeniaures audiendi audiat 17h42min de 24 de abril de 2018 (UTC)