Wikipédia:Esplanada/geral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
▼ Ir para o fim da página ▼
Bem-vindo(a) à se(c)ção geral da Esplanada!
Esta secção é utilizada para todo tipo de discussões sobre o projeto que não se encaixem em qualquer outra secção, como pedidos, reflexões, debates etc. Veja também as mudanças recentes nas esplanadas.



Abreviações de anos nos títulos de artigos


Tenho notado nos últimos tempos que muitos artigos da pt-wiki estão adotando um padrão de abreviações de anos nos títulos (onde o último ano é abreviado), similar as da en-wiki. Por exemplo: Bundesliga de 2016–17, La Liga de 2016–17, Euroliga de 2016–17, Perseguição aos Rohingya no Mianmar em 2016-17, etc.

Gostaria de saber se houve algum consenso sobre isso, pois não me aparece muito adequado usar essas abreviações em títulos. Já estive a alterar alguns títulos (como neste caso), mas acho melhor consultar a comunidade primeiro antes fazer várias mudanças em massa. --Lord Mota 15h14min de 25 de fevereiro de 2017 (UTC)

Aliás corrijam-me se estou errado, mas acho que essas abreviações contrariam WP:LDE/NQ. --Lord Mota 15h25min de 25 de fevereiro de 2017 (UTC)
Isso talvez tenha começado a aparecer por imitação, como tanta coisa por aqui. No entanto, pessoalmente não me agrada esse formato de títulos, parece-me mais próprio e mais claro usar Bundesliga 2016–2017.-- Darwin Ahoy! 15h34min de 25 de fevereiro de 2017 (UTC)
  • Também não concordo com essas abreviações e não me recordo de haver consenso para seu uso. RadiX 20h40min de 26 de fevereiro de 2017 (UTC)

Usar "en dash" (–) para representar-se intervalos e abreviar-se a parte do segundo número do intervalo é um padrão tipográfico bastante difundido. Oxe (discussão) 19h30min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)

@Oxe: Entre os gringos pode até estar bastante difundido, mas o uso disso é comum em português?-- Darwin Ahoy! 20h16min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
Sim, exatamente. Eu gostaria de saber se é correto usar esse tipo abreviação na língua portuguesa, pois nunca vejo isso sendo usado no português formal. --Lord Mota 21h00min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Darwinius e Lord Mota: Representar intervalos dessa forma é usual no meio acadêmico. Oxe (discussão) 21h02min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Oxe: Tem como demonstrar isso? Eu leio muito material académico em português, corriqueiramente, e não tenho a noção de que esse sistema seja habitual.-- Darwin Ahoy! 21h09min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Oxe: não me preocupa o intervalo, mas a essas abreviações nas datas como em Perseguição aos Rohingya no Mianmar em 2016-17 (onde colocam "17" ao invés de "2017").--Lord Mota 21h11min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Oxe: Eu também estava a me referir a isso que o Lord Mota disse: Esses intervalos parecem estranhos, pelo menos em português, e não lhes vejo qualquer vantagem em relação ao sistema tradicional "2016-2017".-- Darwin Ahoy! 22h38min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Darwinius: Você estava pensando em algo como "Em geral, a historiografia tem aceito, para o século XIX, a formulação de que, após o breve período regencial (1831-40), teria prevalecido um alto grau de centralização político-administrativa, que teria neutralizado a participação das elites regionais" em http://www.journals.usp.br/revusp/article/download/33853/36586 ou "Nos anos 1964-85 a ditadura militar, consciente ou inconscientemente, destroçou lideranças e organizações políticas comprometidas com o modelo de capitalismo nacional" em http://www.scielo.br/pdf/ea/v14n40/v14n40a06.pdf? É comum omitir-se a ordem de grandeza do fim do intervalo se o texto for sobre um intervalo dentro de um século. Em textos que versem sobre vários séculos, é mais rotineiro se escrever os anos completos para evitar confundir o leitor. No caso dos campeonatos, salvo melhor juízo, os próprios adotam essa nomenclatura para nomear suas temporadas. Oxe (discussão) 01h58min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Oxe: Eu não digo que não exista, mas o uso dessa norma é claramente inferior ao ano completo nas fontes em português. Experimente pesquisar por segunda+guerra+"1939-1945", e fazer a mesma pesquisa com "1939-45", tanto no Google Académico como no Books, os resultados são idênticos, e cerca de 7 vezes superiores no caso dos anos completos. Outras pesquisas usando os mesmos sistemas retornam resultados semelhantes. Nós devemos tentar usar aqui a norma, o que causa menos surpresa, que neste caso é o sistema dos anos não abreviados.-- Darwin Ahoy! 02h20min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Darwinius: Aqui a pesquisa "segunda guerra mundial"+"1939-45" no Google retorna 135 mil resultados, enquanto que "segunda guerra mundial"+"1939-1945" retorna 429 mil. A proporção 4:1 não faz a forma 1939-45 tão incomum assim, IMHO. Lembro-me de também ver intervalos representados com barra em vez de en dash, por exemplo, 1939/45 e 1939/1945 para o intervalo de 1939 a 1945. Eu acho que é mais questão de gosto pessoal, porque todas as formas são igualmente válidas. Oxe (discussão) 02h33min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Oxe: Não pode fazer a pesquisa no "Google" no meio do lixo todo, tem que qualificar, para que sirva de alguma coisa. Faça no Google Books e no Google Académico, que a proporção é muito maior que essa que você achou.-- Darwin Ahoy! 02h43min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)
@Darwinius: mil vs. dez mil, isto é, 1:10, que também considero uso significante da forma abreviada. Apenas informei que a forma abreviada é comum porque parecia que o consulente não sabia que era bastante usada. Entretanto, pela padronização dos títulos, até preferiria que eles fossem sempre escritos sem abreviações , inclusive porque a forma contempla períodos que envolvem dois séculos, por exemplo, a Primeira República Brasileira (1889–1930). E, por questão de usabilidade, para cada título com en dash, deveria haver um redirecionamento substituindo-o por hífen porque tem digitação mais fácil. Saudações. Oxe (discussão) 03h01min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)

──────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────── @Oxe: Eu próprio fiquei surpreendido, não sabia que essa forma abreviada era tão usada assim, embora o uso seja claramente menor, e os resultados tenham alguma contaminação do formato "1939/45" que é também relativamente comum, como você mesmo apontou.-- Darwin Ahoy! 03h06min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)

Pode até ser essa forma abreviada seja usada, mas ainda entendo que a mesma contrarie o livro de estilo principalmente na parte "Nomes completos em vez de abreviaturas" Citação: Evite sempre a utilização de abreviaturas, exceto quando o assunto for conhecido exclusivamente pelo seu acrônimo. e possivelmente em WP:LDE/NQ Citação: As datas devem sempre ser escritas desta forma 21 de maio de 1957 (br, norma brasileira) e (Acordo ortográfico de 1990) ou 21 de Maio de 1957 (pt, norma portuguesa) ainda em vigor, e nunca 21/05/1957, 21-5-1957 ou qualquer outra combinação.[...]. --Lord Mota 14h20min de 28 de fevereiro de 2017 (UTC)

Não concordo com essas abreviações e nem sequer vejo qualquer necessidade ou benefício. Vanthorn® 22h02min de 27 de fevereiro de 2017 (UTC)

O texto está meio longo, e não estou com tempo no momento para ler tudo, a dúvida é o uso do hífen/meia-risca/barra ou o uso diminuto do ano? tipo ao invés de 1990-1991 usar 1990-91? Eric Duff disc 02h01min de 1 de março de 2017 (UTC)
@Eric Duff:, a dúvida é com o uso diminuto do ano, o "1990-91" que você usou como exemplo. Agora vi que, no caso dos eventos desportivos, a convenção de nomenclatura sobre desporto permite a meia-risca (–), só que não menciona nada sobre a abreviação do ano. Por isso eu acredito, que esse diminuto do ano pode ser equivocado. --Lord Mota 02h30min de 1 de março de 2017 (UTC)
Eu passei a utilizar porque a maioria dos artigos esportivos utilizavam as forma abreviada, nos artigos sobre outras "coisas" eu mantive a mesma forma, tipo um artigo sobre um nobre com a desambiguação 1500-1520, eu mantive 1500–1520 trocando o hífen pela meia-risca. Eric Duff disc 02h57min de 1 de março de 2017 (UTC)
Compreendo. A meia-risca parece ser de uso geral (vejo sendo usado em artigos de eventos históricos, guerras, etc). Mas o interessante é que essa forma abreviada é largamente utilizada nos artigos esportivos, só que a convenção de nomenclatura sobre desporto não menciona nada sobre seu uso. Parece que resolveram simplesmente imitar a en-wiki. --Lord Mota 16h33min de 1 de março de 2017 (UTC)
@Lord Mota: Foi proposto em Wikipédia:Esplanada/propostas/Convenção_de_nomenclatura_sobre_campeonatos_de_futebol_(29jan2013) (procure pelo trecho "Podíamos também aplicar esta proposta às épocas") e depois foi votado em Wikipédia:Votações/Convenção de nomenclatura/Campeonatos desportivos. Oxe (discussão) 16h42min de 1 de março de 2017 (UTC)
@Oxe: Sim , trata-se da discussão e da votação que deram origem ao texto atual da Wikipédia:Convenção de nomenclatura/Desporto. Mas leia atentamente a página da convenção de nomenclatura: não menciona nada sobre o uso da forma abreviada. --Lord Mota 16h56min de 1 de março de 2017 (UTC)

──────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────── @Lord Mota: Sim, o texto não é um primor, mas Wikipédia:Convenção de nomenclatura/Desporto faz referência a Wikipédia:Esplanada/propostas/Convenção de nomenclatura sobre campeonatos de futebol (29jan2013), portanto ficou implícito no texto e facilmente perceptível pela prática corrente de nomeação de artigos de temporadas. Porém esse padrão de abreviação gera coisas erradas como Primeira Liga de 1999–00, pois "00" não é 1900 mas sim 2000. Antes dos anos 2000, eu me lembro que era comum se escrever apenas os dois últimos dígitos para se referir a um ano, por exemplo 94 em vez de 1994, como pode ser visto no cartaz de Copa do Mundo FIFA de 1994. Talvez fosse costume antigo se escrever "La Liga de 70-71" em vez de "La Liga de 1970-1971", daí que se use atualmente por aqui "La Liga de 1970-71", sei lá. Eu até preferiria que fosse "La Liga de 1970-1971" por causa dos campeonatos de 1899-1900 e 1999-2000, mas existe uma razão para o padrão atual, que pode ser eventualmente questionado e alterado. Saudações. Oxe (discussão) 17h12min de 1 de março de 2017 (UTC)

"La Liga de 1970-71" pode ser "La Liga de 1970-1971" como "La Liga de 1970-2071" como até "La Liga de 1970-3371", etc.. Não há necessidade nenhuma de deixar dúvidas ao leitor mais incauto sobre espaços temporais na Wikipédia. Vanthorn® 19h30min de 1 de março de 2017 (UTC)
Eu duvido muito que alguém que tenha digitado Serie A de 1970–71 no navegador, agora no ano de 2017, imagine que irá para o para o campeonato que iniciou em 1970 e terminará em 2071 (?) ou que iniciou em 1970 e terminará em 3371 (???). Ou que tenha lido a primeira frase "A Primeira Divisão do Campeonato Italiano de Futebol da temporada 1970-1971" e ainda consiga se confundir. A pergunta inicial foi "Gostaria de saber se houve algum consenso sobre isso [abreviações nos anos de títulos de artigos]" e a resposta é sim, houve consenso. Oxe (discussão) 19h39min de 1 de março de 2017 (UTC)
O tópico da discussão é "Abreviações de anos nos títulos de artigos". O futebol é só um exemplo que serve para outros. Vanthorn® 19h53min de 1 de março de 2017 (UTC)
Mas estávamos em uma thread sobre competições desportivas e o seu exemplo foi sobre competições desportivas, logo eu estava me referindo apenas às competições desportivas, que eu nem concordo, diga-se mas respeito a decisão anterior. Nos outros casos, como em Perseguição aos Rohingya no Mianmar em 2016–2017, que foi citado no início, acho que a abreviação é inadequada. Oxe (discussão) 20h02min de 1 de março de 2017 (UTC)
Olha, sinceramente eu não acho que se pode dizer que houve consenso para o uso dessas abreviações, pois isso não foi debatido de forma clara naquela discussão e também não consta na convenção de nomenclatura. Na minha opinião isso é só uma prática adotada e copiada pelos usuários que editam sobre esportes. No mais concordo que devemos rever o padrão atual.--Lord Mota 22h45min de 1 de março de 2017 (UTC)
Foi aprovado em votação Wikipédia:Votações/Convenção de nomenclatura/Campeonatos desportivos. Oxe (discussão) 23h28min de 1 de março de 2017 (UTC)
Sim foi votado, mas o que eu estou querendo dizer é que em nenhum momento da discussão e nem na própria votação foi perguntado de forma aberta se era preferível o uso do padrão abreviado ou do padrão normal, tal como foi a questão do uso da meia-risca ao invés do hífen e da barra.--Lord Mota 00h57min de 2 de março de 2017 (UTC)
Foi também, embora tenha ficado espalhado na discussão. Procure por "época" em Wikipédia:Esplanada/propostas/Convenção de nomenclatura sobre campeonatos de futebol (29jan2013). Oxe (discussão) 04h37min de 2 de março de 2017 (UTC)

@Oxe: Com base nesta discussão que estamos tendo aqui, não daria para alterar essa convenção para que pelo menos fosse desincentivado o uso das abreviaturas?-- Darwin Ahoy! 20h46min de 1 de março de 2017 (UTC)

@Darwinius: Eu penso que sim. Não estava discordando disso, mas explicando de onde esse padrão surgiu. Oxe (discussão) 20h48min de 1 de março de 2017 (UTC)
Em minha opinião tanto faz a forma utilizada, no caso das competições esportivas que são para descrever uma temporada acho melhor do jeito que está, mas em se tratando de um período maior, sempre é mais conveniente manter os anos por inteiro, mas como disse, se acharem melhor não serei eu que irei me opor. Eu não sei se existe alguma convenção na wiki-en, mas eles próprios utilizam nas duas formas, vide en:Princess Alexandra of Hanover (1882–1963), en:Sophie of Mecklenburg (1481–1503) e en:Caroline of Stolberg-Gedern (1732–1796). Eric Duff disc 22h00min de 1 de março de 2017 (UTC)

@Lord Mota: Você está pensando em propor mudanças em Wikipédia:Convenção de nomenclatura/Desporto? Não sei se passaria via consenso, mas acho que, se houvesse, no pior caso de uma proposta de mudança, uma validação da votação anterior com um quórum maior, já seria proveitoso para o projeto. Saudações. Oxe (discussão) 01h04min de 8 de março de 2017 (UTC)

Estou pouco ativo. Não pretendo alterar a convenção de nomenclatura apenas abolir essa forma abreviada. Por esta discussão aqui é possível ver que todos os que comentaram são contrários a essas abreviações. Aliás, na pratica isso não significará nenhuma alteração pois a convenção de nomenclatura não menciona nada sobre o uso dessa forma abreviada e o próprio livro de estilo condena essa forma. --Lord Mota 00h04min de 18 de março de 2017 (UTC)

Discussão de estratégia do Movimento Wikimedia

Povo da Wikipédia,

Chegou a hora de iniciar a discussão.

Confesso uma certa ansiedade por esse momento desde que a vaga foi anunciada, mas muito material precisou ser feito em inglês e traduzido para os mais diversos idiomas visando permitir a maior participação e interação possível.

Muitos coordenadores decidiram por abrir um espaço externo a esplanada e fazer anúncios, mas eu acho que com o nosso sistema de sub-página por tópico podemos conseguir ter essa discussão por aqui mesmo. Se em algum momento isso atrapalhar por estar aqui, ou a comunidade quiser mover a página poderemos fazer isso. Chico Venancio (WMF) (discussão) 01h37min de 15 de março de 2017 (UTC)

Bem vindos a discussão sobre estratégia

Por 16 anos, Wikimedistas trabalhamos juntos para construir o maior recurso de conhecimento livre da história da humanidade. Hoje somos mais que um grupo de sites. Somos um movimento com valores e uma visão poderosa: um mundo em que cada pessoa pode livremente compartilhar a soma de todo o conhecimento. Como um movimento estamos iniciando uma discussão para começar a definir os papéis futuros da Wikimedia no mundo.

Passo 1: Descubra o que precisas para ter uma discussão informada sobre a estratégia do movimento.[editar código-fonte]

Dialog-information on.svg

"Briefing" sobre estratégia[editar código-fonte]

Esse documento provê uma visão geral de tópicos potenciais que podem surgir em diversas discussões sobre estratégia em termos do nosso movimento e o futuro. Ele será atualizado e melhorado assim que informações melhores surgirem de pesquisas ou discussões. Aqui poderás aprender mais sobre:

  • Tendências populacionais, educacionais e tecnológicas
  • Nosso movimento e ecossistema: quem somos nós atualmente
  • Como estamos evoluindo como um movimento (tendências em contribuições, conteúdo e leituras)

Passo 2: Discuta o nosso futuro[editar código-fonte]

Uma grande pergunta[editar código-fonte]

O nosso objetivo como movimento é identificar a direção que nos inspira e alinha a todos no caminho para 2030. Isso nos ajudará a melhor organizar e priorizar as nossas atividades através do movimento, e deverá ser flexível suficiente para que se aplique amplamente através do tempo.

A grande pergunta que buscamos responder é a seguinte:

O que queremos construir ou alcançar juntas/os nos próximos 15 anos?

Processo[editar código-fonte]

Pessoal, terminei a tradução do mapa do processo. Podem comparar com o original e me avisar se ainda houver dúvidas. Chico Venancio (WMF) (discussão) 00h43min de 19 de março de 2017 (UTC)

Strategyprocess chart (PT).svg


Perguntas Guia[editar código-fonte]

  • O que é a coisa mais importante que podemos fazer juntos nos próximos 15 anos?
  • Pelo que seremos conhecidos nos próximos 15 anos?
  • O que queremos construir ou alcançar juntas/os nos próximos 15 anos?
  • Qual impacto ou mudança queremos ter no mundo nos próximos 15 anos?
  • O que irá guiar o nosso trabalho juntos nos próximos 15 anos?
  • O que vai acelerar o nosso progresso nos próximos 15 anos?
  • Quão importantes são esses tópicos em relação a para onde estamos indo até 2030:
    1. Promovendo o acesso ao conhecimento através de todo o planeta, especialmente em áreas de baixo reconhecimento e uso (como a África).
    2. Trabalhar com mais parceiros externos.
    3. Aumentar a qualidade de nosso conteúdo.
    4. Aumentar o número de artigos, especialmente aonde temos vazios de conteúdo.
    5. Adotar inovações (por exemplo: novas maneiras de compartilhar conhecimento).
    6. Advogar por ideais em que acreditamos.
    7. Encorajando bondade em nossa comunidade.
    8. Manter a pureza do conhecimento e de fatos.
    9. Aumentar as maneiras de melhor colaborar juntos e melhorar conteúdo.
    10. Promover a inclusão de mais vozes e fontes de conhecimento
    11. Outro (o que você acha que é mais importante?)

Discussão[editar código-fonte]

Perguntas e questões gerais[editar código-fonte]

Sei o quão desafiador é uma proposta deste tipo e entendo a reticência que alguns editores já me expuseram devido a dificuldade de chegar a um plano de fato focado e que possa ser medido o sucesso no futuro. Contudo, esse desafio é algo que me motiva mais a participar dessa discussão precisamente por entender que esses processos falham com frequência e é importante que tenhamos um bom planejamento para o futuro do movimento.

Aos poucos irei resumir as discussões daqui para o inglês em uma página do Meta e trarei alguns pontos interessantes de outras discussões para cá em português.

Saudações a todos, Chico Venancio (WMF) (discussão) 01h37min de 15 de março de 2017 (UTC)

Pessoal, a discussão não precisa ser aqui, ou mesmo exatamente sobre a pergunta colocada. É interessante se quiserem fazer comentários sobre o documento de "briefing" que foi feito pela fundação ou se quiserem responder a perguntas mais específicas às nossas realidades.
Por exemplo: O que é a coisa mais importante que podemos fazer juntos nos próximos 15 anos?
Pelo que seremos conhecidos nos próximos 15 anos?
Saudações, Chico Venancio (WMF) (discussão) 19h53min de 21 de março de 2017 (UTC)

Resumos e informações temáticas[editar código-fonte]

Nesta seção vou buscar apresentar brevemente os temas que foram colocados por cada usuário e em breve farei os resumos (em português) que serão traduzidos para o resto das comunidades internacionais aproveitarem os temas que são discutidos por aqui. Chico Venancio (WMF) (discussão) 01h35min de 24 de março de 2017 (UTC)

Temas[editar código-fonte]
Ambiente Hostil[editar código-fonte]
  • Mecanismos (simples) de resolução de disputas GoEThe, Chico Venancio (WMF), Darwin
  • Resposta imediata a problemas de assédio e civilidade (mecanismo de League of usado como exemplo) GoEThe, Kleiner
  • Melhorar ambiente antes de buscar arregimentar novos editores Darwin

Ver post sobre trabalho iniciado nesse tema recentemente pela fundação (tradução pendente)

Moderação de discussão[editar código-fonte]
  • Mecanismos de moderação da discussão. Uma maneira de priorizar bons e úteis comentários e desenfatizar comentários ruins ou inúteis. (Quora e Stack Overflow mencionados) GoEThe
Priorização e Melhorias de Conteúdo[editar código-fonte]
  • Lista de prioridades de artigos por temas ("500 mais importantes em Geografia") HTPF
  • Preocupação sobre vazios sobre conteúdos locais para a comunidade lusófona. HTPF, Darwin
  • Artigos destacados como barreiras para novatos, não deve ser prioridade Darwin
  • Traduções não deveriam ser prioridade, pois não são normalmente sobre assuntos relevantes na lusufonia ou não permitem a qualificação plena de editores na contrução de artigos de boa qualidade de raíz. HTPF, GoEThe
Resumos[editar código-fonte]

Aqui construirei os resumos em português. Chico Venancio (WMF) (discussão) 01h35min de 24 de março de 2017 (UTC)

/Resumo de 22-03 a 24-03 (em inglês)

Resumos das discussões em todo o movimento (14 a 24 de março) (ainda em construção, tradução pendente)

Discussão Livre[editar código-fonte]

Chichocvenancio, acho que as perguntas são muito gerais por isso fica difícil trazer alguma coisa realmente útil para este tipo de discussão sem ficar pelos "soundbytes" ou generalidades. Sou bastante céptico em relação à aplicabilidade de metodologia de project management num projecto com o nível de caos (sem qualquer sentido pejorativo) que vemos aqui. Para além disso, a Wikipédia lusófona tradicionalmente nunca se interessou muito em meta-assuntos e espero que não fique desiludido se isso acontecer aqui também. GoEThe (discussão) 11h39min de 22 de março de 2017 (UTC)

GoEThe essa questão da generalidade das perguntas já foi levantada com a equipe central de estratégia e eles estão trabalhando em mais perguntas que traduzirei e trarei para cá. Contudo, sinta-se a vontade para responder a uma questão mais em específico, não há problema nenhum em discutirmos aqui "Como a Wikipédia em Português deve atuar nos próximos 15 anos?" ou mesmo "Como a Fundação Wikimedia pode apoiar os trabalhos que pretendemos fazer na Wikipédia lusófona nos próximos 15 anos?"
Esse momento é mesmo para encontrarmos questões que precisam ser discutidas por todo o movimento, e por vezes uma questão que temos aqui pode ser semelhante às questões vivenciadas por outros projetos.
Em outro espaço já levantaram uma questão muito interessante sobre o ambiente hostil que temos aqui na Wikipédia em Português, e como isso pode afetar a retenção de usuários e que é um obstáculo a ser tratado antes de buscarmos atrair mais editores. Veja que essa questão é semelhante à apontada no documento de "briefing" na Wikipédia em Inglês, sobre como lá as ferramentas de combate ao vandalismo impactaram os comentários recebidos por novos usuários e diminuíram a retenção por lá. O tema levantado aqui não é exatamente o mesmo enfrentado pela Wikien, mas trazer o nosso enfoque para essa discussão pode favorecer que as decisões tomadas pela fundação e pelas comunidades para combater esse fenômeno de perda de editores seja mais eficaz dentro da nossa realidade.
Entendo perfeitamente que temos uma tradição fraca em discutir esses temas por aqui, mas meu trabalho será justamente de aproximar ao máximo possível a discussão que se está tendo a nível global da nossa realidade e eu peço a ajuda de todos para se engajarem nessa discussão o máximo possível e apontar a mim os meus erros ou caminhos que podemos tentar para facilitar a discussão e evolução do tema. Chico Venancio (WMF) (discussão) 12h55min de 22 de março de 2017 (UTC)
Fez-me lembrar uma secção que tenho na minha página de usuário, User:GoEThe#Ideias perigosas II. Mas também a Primeira lei da geografia: "Tudo está relacionado com tudo o resto, mas coisas próximas estão mais relacionadas do que coisas distantes." É difícil pensar em pontos específicos onde se possa actuar, pois mexer aqui sem mexer ali pode ter efeitos inesperados. No entanto, é preciso começar em algum lado. Pensando no que está mais próximo, espero que haja desenvolvimento de algum sistema de moderação de discussões (seja ele pelo flow ou outro). Talvez daqui a 15 anos seja possível manter um debate organizado na Wikipédia. Na Wikipédia lusófona em específico faltam mecanismos de resolução de disputas simples (todos os que já foram usados falharam, muito devido à sua complexidade). GoEThe (discussão) 13h34min de 22 de março de 2017 (UTC)
Respondendo como participante da comunidade: sim!! Essa questão de mecanismos de resolução de disputas é algo que vejo como essencial para melhorar o ambiente aqui, e penso que a fundação deve começar a se mexer para ajudar nesse processo. Não de fato agindo com árbitros, mas fomentando a formação de usuários que possam agir nessa capacidade de maneira mais confiante e desenvolvendo ferramentas no próprio MediaWiki que facilitem esse trabalho (que hoje é extremamente complicado).
Respondendo como coordenador: o que pensas que pode ser feito pelo movimento nessas questões? Quando mencionas um "sistema de moderação" o que seria necessário nesse sistema? A capacidade de dar mais proeminência a comentários mais pertinentes talvez (pensemos aqui no sistema do Stack Overflow ou da Quora? Ou atuar de forma a melhor organizar a apresentação de discussões? Chico Venancio (WMF) (discussão) 13h46min de 22 de março de 2017 (UTC)
Aqui há tempos li um artigo sobre moderação de comentários num MMORPG. Com as devidas distâncias, os problemas que eles encontraram são por vezes semelhantes aqui. Não sei ao certo que medidas dariam certo, mas aqui na wikipt não há um local onde se possa denunciar quebras de civilidade, por exemplo. Como todos têm experiência, ao denunciar essas situações em WP:P/B ou não se obtém resposta, ou é negado porque é uma "disputa de conteúdo" ou porque a parte agressora tem razão tecnicamente em questões de conteúdo (mas nada se diz sobre a forma), etc. Normalmente editores mais antigos ou conhecidos levam vantagem. Esses pedidos são arquivados e não há meio fácil de ter ideia quantas queixas houve sobre um determinado editor. Claro que ter muitas queixas não implica terem sempre razão, mas por uma questão de registo, seria útil. O que a WMF poderia fazer é o que os criadores do tal jogo fizeram, investir em pesquisa que avalie vários métodos e implementar algumas ferramentas que agilizem a denúncia, processamento, e registo de ocorrências. Certamente haverá membros da comunidade científica que poderiam ajudar nesses aspectos, com parcerias com a WMF.
Sim, um sistema de votos para comentários mais pertinentes e que possa dar mais destaque a esses seria uma excelente forma a testar. Mas um pouco de isso tudo. GoEThe (discussão) 14h22min de 22 de março de 2017 (UTC)
Eu nunca percebi porque nunca foi implementada aqui uma página para lidar com problemas relacionados a editores, como existe no Commons, na wiki en, e em várias outras Wikipédias. Pessoalmente, estou convencido que a falta de um espaço próprio para tratar desses assuntos, que não é colmatado nem pelos pedidos de bloqueio (geralmente para casos mais óbvios e imediatos) nem pelas discussões de bloqueio (mecanismo complexo e burocrático pensado para revisões de bloqueio), está na origem do péssimo ambiente que se vive hoje neste projecto. Problemas que não são tratados só tendem a se acumular e piorar.-- Darwin Ahoy! 15h14min de 22 de março de 2017 (UTC)
O jogo referido pelo Goethe não é bem um MMORPG, é um MOBA. De qualquer modo, a Riot (a desenvolvedora do jogo - League of Legends) em 2014 extinguiu o Tribunal (onde as pessoas avaliavam partidas realizadas dias, semanas antes, entre outros jogadores) e implantou em 2016 um Feedback Instantâneo, onde os jogadores considerados "tóxicos" podem ser "bloqueados" (impedidos temporariamente de jogar novas partidas) pelos próprios participantes de uma partida recém-disputada, bastando que recebem suficientes avaliações negativas pós-partida. Em outras palavras, a Riot migrou de um modelo de punição posterior para punição imediata. Essa mudança de modelo não foi em caráter de testes: foi algo realizado após uns dois anos (!!!) de pesquisas e planejamento. Entrei no assunto porque jogo LoL desde 2013 e acompanhei essa mudança, e de fato houve uma melhora considerável. Infelizmente de onde estou editando não posso linkar aqui páginas relacionadas a essas pesquisas de comportamento realizadas pela Riot. Mas acho que a pt.wiki pode aprender alguma coisa com esse exemplo. Kleiner msg 15h19min de 22 de março de 2017 (UTC)
@Kleiner: Isso faz-me lembrar o modo como se fazia a gestão de trolls na velha Usenet (onde o termo foi cunhado, aliás). A plaquinha do "Do not Feed the Trolls" nunca cumpriu decentemente a sua função, pois como qualquer pai sabe, quando se ignora uma criança esta apenas berra mais alto até que alguém lhe dê atenção. Então tínhamos (cada um de nós) um sistema de filtragem de mensagens, a que adicionávamos os emails dos trolls, e deixávamos completamente de os ver, e às suas mensagens, nas threads. Isso era realmente um descanso, e a única maneira de se conseguir ter uma conversa decente, académica e construtiva, até em tópicos escaldantes como a Palestina e Israel, sem ter o exército de trolls à perna. Eles bem ganiam, mas ninguém os lia. E quem os lia, e lhes respondia, corria sério risco de acabar filtrado também. Isto provavelmente não poderia ser usado aqui exactamente assim, mas a ideia da coisa é interessante.-- Darwin Ahoy! 15h46min de 22 de março de 2017 (UTC)
Pra aproveitar o exemplo do jogo: existem duas coisas em League of Legends que fazem um jogador ser considerado "tóxico": (1) abandonar a partida/se recusar a jogar/morrer propositadamente, porque ficou com raiva de alguma situação ou de algum colega de equipe; (2) falar merda no chat (ofensas, reclamar, humilhar, etc). Para esse segundo problema o jogo tem uma opção de silenciá-lo, e assim você deixa de ver suas trolagens no chat. Mas a própria Riot diz que essa ferramenta não é destinada a ser uma solução, pois o jogo é em equipe e o fato de você ter que silenciar alguém demonstra que você já teve uma experiência negativa que não deveria ter. Repito: ele nunca deveria ter passado por tal experiência negativa, mesmo que o problema seja resolvido depois. Ah, que diferença de maturidade entre uma empresa que se preocupa com seu público-alvo e a comunidade da pt.wiki! Isso tem pouco a ver com ferramentas e mais com "cultura wikipédica", chamemos assim. Kleiner msg 16h06min de 22 de março de 2017 (UTC)

Concordo que o tema está muito aberto. Os editores escrevem sobre tudo, mas tem preferências que vão mudando no tempo. A Wikipédia-pt tem credibilidade e é acessada e consultada sobre tudo e por todos que tem acesso a internet, ou seja estamos prestando um serviço efetivo para a coletividade que fala a nossa língua. Infelizmente temos muita coisa registrada que não faz sentido para uma Enciclopédia ou são textos com baixa qualidade, devemos ser tolerantes pois nem tudo é perfeito. Deveríamos por foco e estabelecer prioridades nos assuntos de maior interesse, por exemplo, os 500 (1 000?) artigos mais acessados deveriam ser transformados em bons ou destacados. Poderíamos ter listas com o que é relevante para as nossas comunidades (listas de cientistas, reitores de universidades, acidentes geográficos, etc.) priorizando sempre as pessoas e coisas relacionadas aos nossos países. Deveríamos traduzir menos e criar mais. HTPF 13h40min de 22 de março de 2017 (UTC)

HTPF como pensa que o movimento pode atuar dentro dessas prioridades? Concursos de melhorias de artigos, como já tivemos no passado? Maratonas de edição temáticas? Buscar "libertar" mais fontes sobre esses assuntos?
Sobre a tradução, como vês que a tradução de conteúdo de outras Wikipédias prejudica?
Chico Venancio (WMF) (discussão) 13h53min de 22 de março de 2017 (UTC)
(Ab)Uso de traduções, mas concordo que se queremos realmente ter um corpo editorial forte em língua portuguesa, é preciso formar pessoas para saber contruir de raiz artigos de qualidade, pesquisar fontes, estruturar informação, etc. É infinitamente mais fácil fazer traduções, é certo, mas essa é uma das consequências negativas, a meu ver. GoEThe (discussão) 14h07min de 22 de março de 2017 (UTC)
Poderíamos começar listando o que falta e o que precisa ser feito. Concurso pode ser uma alternativa mas é uma ação pontual (os catalães são bons nestes assuntos) e de curta duração, deveríamos ter metas a serem alcançadas em determinado tempo, e transformar estas metas em desafios para a comunidade. Maratonas temáticas são estimulantes. Não vejo a tradução como algo que prejudica, mas tira o foco do que precisamos fazer com os assuntos específicos relacionados a Lusofonia. HTPF 14h14min de 22 de março de 2017 (UTC)
Eu não apoio qualquer tipo de foco em destaque de artigos, especialmente quando tanto do básico está por fazer. Só há poucos dias eu comecei por minha conta a rever as centenas de comunas angolanas, criadas em série e sem critério em 2010 com uma "fonte" tão escabrosa como a "CubataNews". As áreas e populações dos próprios municípios aqui na Wikipédia diferem geralmente, e de forma aberrante, das fontes oficiais. Moçambique e Guiné, tanto quanto sei, estão pior ainda. Não existe praticamente nada aqui sobre a história dessas regiões, apesar das dezenas de publicações sobre o assunto em domínio público. Como se quer que essas comunidades cresçam, se aquilo que lhes é mais directamente relacionado, ou não existe, ou está errado? Antes da maioria dos angolanos que acediam via Wikipedia Zero ter sido globalmente banido, eu vi várias vezes editores angolanos a tentar corrigir informação errada, sendo prontamente revertidos porque a porcaria que está aqui tem "fonte", a tal "CubataNews". Um dos desafios que eu gostaria muito que esta comunidade se propusesse a fazer cumprir é, muito mais que destacar artigos, desenvolver estratégias para a construção e manutenção de comunidades lusófonas extra-Portugal/Brasil. Não só se ganha sempre imenso com a diversidade, como nós aqui, nesta aldeola que isto se tornou, precisamos dessa diversidade como de pão para a boca, como se diz.-- Darwin Ahoy! 15h35min de 22 de março de 2017 (UTC)
Darwin, o que você escreveu vem de encontro o que eu penso. Se nós não escrevermos sobre nós mesmos, ninguém vai escrever. No caso das comunas angolanas uma boa lista de tarefas e esforço comum ajudaria a suprir esta lacuna, assim como outras que existem. Por exemplo, Sapú que é uma página nova tem um texto que não convence e a referência !!!!. Quanto a artigos bons e destacados, não pensamos da mesma forma. Eles são necessários para valorizar e dar a devida profundidade no que é nosso e tem relevância, exemplo:Angola é um artigo a ser melhorado.HTPF 15h48min de 22 de março de 2017 (UTC)
@Hermógenes Teixeira Pinto Filho: Essa comuna, apesar de tudo, foi feita por um novato angolano, um dos pouquíssimos que vieram e ficaram com o Wikipedia Zero. Não o consigo censurar por ter copiado o mau exemplo de há 7 anos atrás, ainda mais porque quem acede via Wikipedia Zero não tem acesso ao Google, logo o acesso a fontes é limitadíssimo.
Quando eu digo que não apoio a realização de destacados como parte da estratégia do projecto, é por considera-los de baixíssima prioridade, e um desvio de tempo e esforço que são muito mais bem aplicados, por exemplo, a fazer vários bons esboços ou mesmo artigos bons, em menos tempo que se faria um destacado. Ao contrário dos artigos bons, os destacados estão sujeitos a todos aqueles nhenhenhés dos links vermelhos e da perfeição técnica, que acrescentam muito pouco ao artigo, mas roubam um tempo preciosíssimo. Quem quiser que os faça, mas de facto não devem ser a prioridade. Além do mais, um destacado, além de já de si *desencorajar* a edição - logo, ser contraproducente quando se quer renovar a comunidade - tende a criar "donos de artigos" que dificultam bastante qualquer evolução posterior do artigo. Ou seja, perde-se imenso tempo a fazer algo que só prejudica em termos de estratégia: não só não atrai nenhum editor, como ainda tem grande potencial de gerar experiências bastante desagradáveis e desencorajadoras a quem se atrever a lhe tocar.-- Darwin Ahoy! 19h06min de 22 de março de 2017 (UTC)
Refazendo a colocação. Que os 500/1000 artigos mais acessados na Wikipédia-pt sejam categorizados pelo menos como artigos bons, e que esta lista seja atualizada mensalmente. Não tenho ideia do esforço de edição, mas isso poderia ser mensurado e estabelecido um tempo para ser alcançado. As listas sobre o que falta de artigos na Wikipédia-pt, poderia ser organizada por temas. Exemplo: com certeza temos artigos biográficos sobre todos os imortais portugueses e brasileiros, mas será que todos os livros dos mesmos tem artigos?, idem Prêmio Nobel de Literatura. Outro exemplo: Revisão, atualização e referenciamento se for o caso dos 5 570 Municípios do Brasil. Idem municípios e Comunas de Angola. Idem Moçambique. e lista é longa por isso da necessidade de serem estabelecidas prioridades e por foco no esforço. HTPF 20h30min de 22 de março de 2017 (UTC)

Pensando a longo prazo: Nós (e nossos sucessores) estão nesta atividade para sempre, ou até que uma nova tecnologia supere esta forma de divulgação de conhecimento.HTPF 20h12min de 22 de março de 2017 (UTC)

Desculpem não estar a seguir a linha de discussão anterior, mas equacionando o que considero importante, aqui deixo três sugestões. Duas questões importantes relativos a uma Enciclopédia, a um repositório de saber, de conhecimento, são a diversidade dos temas tratados e a sua veracidade. 1. Quanto à diversidade, e para além do voluntarismo exemplar com que se pode editar na Wikipedia, poderia haver - não sei se há - a hipótese de alguém que precisasse/quisesse consultar um tema que não estivesse referido na Wikipédia da respectiva língua poder deixar uma mensagem de interesse no assunto, e depois a própria Wikipedia deixar para os editores uma lista de temas procurados e sem artigo disponível. 2. Por outro lado, a principal questão relativa a um bom artigo enciclopédico é a sua veracidade, ou aderência à realidade. Embora haja assuntos, principalmente nas ciências sociais, em que mesmo os especialistas por vezes têm ideias quase antagónicas, uma enciclopédia Wikipédia necessita de um sistema de verificação do que está sendo publicado. Quando comecei a editar na Wikipedia verificava que os artigos eram de certa forma "revistos" por alguém, primeiro apareciam a amarelo na lista dos artigos recentemente publicados e depois de verificados deixavam de ter esta cor. Mas desconheço qual a profundidade com que a revisão é realizada. Ao fim de algum tempo, ou melhor, ao fim de um certo número de edições, o Editor passa a auto-revisor, o que considero aceitável, mas, ainda assim, será que o princípio da revisão está assegurado? Por exemplo, nas revistas científicas/académicas são os pares/colegas que funcionam gratuitamente de "referee", que fazem essa verificação, e os artigos só são publicadas, quando não existem oposição significativa às suas propostas/conclusões por parte desses "referees". Deveria haver (ou há?) um princípio para os artigos na Wikipédia? 3. Ainda em relação às Universidades, julgo que deveria haver uma maior aproximação. Sinto que existe ainda algum afastamento da Universidade em relação à Wikipédia, talvez por algum receio por parte dos Académicos de perda de controle sobre o ensino da ciência. Mas um meio de chamar mais editores, e desenvolver o âmbito dos temas tratados, de desenvolver os laços com a Universidade, poderia ser convidar os Professores universitários, a incentivar os alunos (uma certa pontuação), em cada disciplina, a fazerem um artigo aceite na Wikipédia. Saudações wikipedianas a todos. GualdimG (discussão) 16h38min de 25 de março de 2017 (UTC)
pelo que posso perceber as preocupações principais giram em torno da identidade do projeto, sua influência e seu crescimento. acho que isso naturalmente nos leva à motivação básica de todos nós estarmos aqui, a qual, imagino, seja o desejo construir uma enciclopédia de referência. muito bem, podemos elaborar uma infinita série de estratégias para consolidar nossa reputação como uma obra confiável (identidade), que é a base da influência que desejamos exercer. e se somos acreditados e influentes, naturalmente o projeto deve ter uma longa sobrevida, onde se espera um crescimento. as coisas são encadeadas. mas agora preciso ir mais atrás e trazer à discussão aspectos que estão também encadeados nisso, e que são parte dos próprios pilares do projeto, que em minha opinião precisam ser mudados para que os objetivos do plano estratégico se concretizem. eu já argumentei nesse sentido em várias outras ocasiões, alguns provavelmente começarão a bocejar, paciência... não tenho ilusões de que mudar os pilares possa vir a acontecer, mas de qualquer modo deixo aqui minha fala, pois acredito que seja pertinente pelo menos como reflexão.
em primeiro lugar, a questão dos IPs. como todos sabemos, a larga maioria vem aqui para fazer baderna e não para ajudar. os simples novatos, embora seja uma questão diferente, também criam vários problemas. e ficamos nós os registrados e os veteranos para arrumar os estragos, aborrecendo-nos muitíssimo e perdendo tempo e esforço valiosos. no entanto, a edição anônima permanece como uma das bandeiras mais intocáveis do movimento. quanto aos novatos, um período tumultuado de adaptação é esperado, mas por que não os fazemos passar por uma tutoria obrigatória, liberando-os apenas quando dominarem a edição?
da mesma forma, a proposta de “edição livre” já tornou-se uma retórica bastante esvaziada de sentido e principalmente de utilidade prática. o longuíssimo elenco de políticas, recomendações e normas informais de edição que temos torna simplesmente impossível – e falso – pregarmos um sistema de “edição livre”. todos sabemos o que os ultra-leigos são capazes de fazer bem: corrigir ortografia e pequenos erros óbvios, inserir ilustrações e outras tarefas que são úteis mas de pouca relevância. mas os ultra-leigos não são capazes de selecionar boas fontes, não são capazes de focar no principal, não são capazes de construir textos densos e bem articulados, nem sempre estão cientes da simples necessidade de referenciação ou “não acreditam” que seja necessária, não são capazes de sondar o campo minimamente antes de começarem a ser “audazes”, e não são capazes de fazer tudo o mais que exigiria um preparo intelectual bastante sólido e um certo talento especial para a pesquisa e a escrita. não deveriam estar editando aqui, mas estão, gerando mais trabalho para os outros, que precisam ir atrás corrigindo seus erros, organizando o material jogado a esmo, achando fontes e etc.
não é só isso. aceitamos que robots criem artigos simplesmente para fazer número. aceitamos artigos mal feitos em nome da política de edição, que é baseada na futurologia e contradiz outras políticas. por que não a revogamos? e preferimos deixar nosso sangue na arena dos debates inconclusivos quando tudo poderia ser resolvido com uma votação, que está prevista mas não é sempre aplicada e chega a ofender os paladinos do politicamente correto.
porém, um dos problemas mais sérios, em meu entendimento, é imaginar que a wikipédia possa ter um crescimento infinito, ou que vai ter. devíamos estabelecer metas menos ambiciosas e mais realistas. se o combate ao vandalismo e as políticas de edição mais rigorosas causam evasão de editores, precisamos avaliar honestamente o que mais vale a pena apoiar para que a wiki seja uma enciclopédia de referência, a menos que ser uma enciclopédia de referência não seja uma prioridade. se não for, então fazem sentido as edições anônimas destrutivas, os novatos desajeitados e os ultra-leigos completamente ineptos. mas se for, eles não fazem sentido. acho que poderemos sobreviver com menos editores, pois eliminando os estorvos mais importantes pouparemos muito do nosso tempo e energia em consertar e poderemos nos concentrar em construir. não temos uma meta objetiva em termos de dimensão. o que fizermos bem feito será suficiente.
esses problemas já foram reconhecidos e debatidos infinitas vezes, mas nunca resolvidos. nem poderiam, pois a estrutura básica precisa mudar para que eles desapareçam ou pelo menos diminuam significativamente. há contradições gritantes nos próprios alicerces do nosso edifício. agarramo-nos a ideais belos mas contraproducentes e nos negamos a acatar o teste de realidade. nos preocupamos em minimizar os efeitos dos males sem atacar vigorosa e diretamente as suas causas. preferimos paliativos, atalhos e cortinas de fumaça na forma de filtros, robots, estratégias e mais políticas e recomendações. tudo isso custa muito trabalho também, mas a relação custo-benefício parece-me nos desfavorecer. não me dirijo a ninguém pessoalmente, mas como projeto, acho que somos hipócritas. ou temos um grande ponto cego.
o que me parece mais crucial é limpar a casa de entulhos conceituais e práticos que já provaram ser inúteis, que geram problemas significativos e exaurem nossas forças. o “papel futuro da Wikimedia no mundo” deveria, em primeiro lugar, ser uma verdadeira enciclopédia, digna deste nome. não acho fundamental cobrir todas as áreas não trabalhadas, mas o que temos, mesmo pouco, precisa ser decente. hoje a wiki tem uma cabeça brilhante mas diminuta, um grande corpo gordo, flácido e preguiçoso que funciona “mais ou menos”, e uma cauda caótica e horrenda de considerável extensão que só nos causa vexames. nosso produto tem (idealmente) pretensões se aproximar da ciência e por isso deveria ser controlado com muito rigor, inspirado na bibliografia científica, que é estritamente controlada e por isso tem qualidade reconhecida universalmente, e da qual dependemos para escrever grande parte dos nossos artigos. temos uma enorme responsabilidade social como potentíssimos formadores de opinião, e isso apenas deveria bastar para nos colocar em bons trilhos sem resmungar a respeito de liberdades que não cabem entre enciclopedistas.
além do mais, qual o valor de termos uma boa credibilidade (comprovável facilmente pela nossa vasta visitação) se sabemos que o que damos ao público é muitas vezes muito ruim? qual o valor dessa credibilidade se sabemos que o público em geral não sabe avaliar a qualidade do que lhes damos e muitas vezes toma tranquilamente o ruim pelo bom? vamos nos iludir e envaidecer a este ponto? será que não estamos pensando demais nos negócios e de menos na ética e na coerência? o que devia acelerar nosso crescimento, o que devia fundamentar nossa identidade e reputação, é fazer as coisas direito, com rigor, atingir o centro, e não nos perdermos em estratégias periféricas. e será que vamos ficar para sempre cedendo no que é certo, no que os que pesquisam e criam o conhecimento que usamos dizem ser certo, em favor de desocupados, ignorantes ou incompetentes, e em nome de uma liberdade a qualquer preço que de fato tem nos custado muito? o que estamos fazendo é acender uma vela para deus e outra para o diabo.
foi um grande avanço conseguir que a wikipédia tenha alcançado tanta gente, que tenha virado tema de teses e artigos e já seja usada em escolas e universidades etc, mas são muitas as críticas que recebemos — de pessoas que sabem o que estão falando — pelos conteúdos ruins e pelos métodos que adotamos para editar, e elas são um excelente parâmetro para podermos sair de nosso umbigo e enxergar deficiências graves que muitos apontam mas nós nos recusamos a resolver, ou não podemos resolver, justamente porque adotamos tais métodos, que geram as sabidas e inevitáveis e importantes consequências negativas, as quais, por sua vez, exigem a criação de planos estratégicos como este, que não aparecem para drenar o pântano insalubre e acabar de uma vez por todas com as epidemias, mas antes para torná-lo um monumento. eu não critico as evidentes boas intenções da iniciativa, e sinceramente espero que ela gere benefícios, mas acho que falha em não atacar o que me parecem os problemas mais básicos, que deveriam ser atacados antes de todos os outros. assim, ficam abertas as questões de como podemos criar um produto controlado (qualificado) através de tão excessiva e abusiva liberdade, e como conciliar o marketing oficial de “edição livre” com a proposta de uma verdadeira e acreditada enciclopédia. Tetraktys (discussão) 11h44min de 26 de março de 2017 (UTC)
@Tetraktys e GualdimG: Penso que pode ser útil que vejam os documentos de premissas e "briefing" sobre o processo de discussão.
Percebam que a discussão aqui deve ser sobre o movimento como um todo e enquanto é bom que usemos a nossa experiência local da Wikipédia em português para buscar questões que podem ser generalizadas às experiências em outras línguas e em outros projetos, discussões específicas a Wikipédia em português devem ser levadas para Wikipédia:Esplanada/geral ou Wikipédia:Esplanada/propostas. Também é muito importante que entendam que o processo "wiki" de edição é algo central ao movimento Wikimedia, propor revisão prévia ou balizadas em critérios acadêmicos de autoridade e conhecimento é algo que precisará ser extremamente bem baseado e argumentado, pois certamente contará com ampla resistência das comunidades (e mesmo do conselho da Fundação, "board").
Saudações, Chico Venancio (WMF) (discussão) 22h37min de 27 de março de 2017 (UTC)
Ver também: Citizendium: Um projecto que seguiu quase letra por letra as premissas propostas pelo Tetraktys, falhando colossalmente. Desde 2016 que abandonaram essas premissas, e hoje seguem um modelo de discussão e consenso idêntico ao da Wikipédia, embora com uma comunidade residual e um número baixíssimo de artigos.-- Darwin Ahoy! 00h32min de 29 de março de 2017 (UTC)
isso não quer dizer que minhas ideias sejam descabidas. eu não falei nada além do óbvio, do que é sabido de todos veteranos. mas eu não vou disputar quem tem razão. como eu disse antes, não espero que os pilares mudem. o problema é que os problemas continuam existindo, e eles vão na contramão dos nossos objetivos. eu entendo que haja restrições ao modelo que proponho, especialmente na alta cúpula. a wiki foi criada assim e se tornou conhecida por isso. eu entendo isso. mas não entendo muito é o motivo pelo qual não se possa mudar. vc diz que isso tudo precisaria ser muito bem argumentado e fundamentado, mas de fato não precisa, porque já está. é a opinião consensual dos produtores do conhecimento, é o status quo no meio científico. todos sabem disso. pegue qualquer manual de etiqueta acadêmica de qualquer boa universidade e vc lerá o mesmo catecismo. vc está querendo dizer que nosso objetivo real não é nos aproximarmos desse modelo? e eu sabia que iam falar no Citizendium. mas e daí? eles têm uma outra história, eles não passaram pelo processo de crescimento que nós passamos, nossa história futura pode ser bem diferente. é isso que me intriga: sobrevivemos a tantas improbabilidades com tanto jogo de cintura que me pareceria natural deixar sempre aberta a perspectiva de mudar mesmo o essencial da doutrina. a nossa comunidade não poderia debater uma possível mudança internamente? de comum acordo, em consenso? já que gostamos tanto de políticas, é só fazer mais uma autorizando e reescrever algumas coisinhas nos pilares. já que a vontade da comunidade é soberana, podemos fazer o que queremos, ou será que a diretoria se oporia às massas? o problema é que a comunidade precisaria reconhecer em larga escala o distanciamento do modelo acadêmico como um problema, como eu faço. eu não sei o que as outras wikis pensam disso .... mas deixe estar, não vim aqui para atrapalhar o processo, mas não quis deixar de lançar algumas ideias que acho válidas. a wiki não vai durar para SEMPRE, é bom manter isso em mente. mas quanto mais durar, mais provável fica que ocorram mudanças profundas em áreas que hoje consideramos intocáveis, em nome da sobrevivência. o mundo lá fora não vai parar de mudar, e se a wiki se fossilizar em algum aspecto pode vir a sucumbir. bem, a questão é realmente complexa. deixo com vcs, vou voltar para os artigos. bom trabalho e sucesso! Tetraktys (discussão) 03h16min de 29 de março de 2017 (UTC)
@Tetraktys: Não me interprete mal, eu considero o seu ponto de vista perfeitamente válido. E quando andamos a fazer cerca de 350-400 bloqueios por vandalismo, e dezenas de protecções de artigos (chegam a ultrapassar os 40-50) por dia, ainda mais válido é. Eu próprio há ocasiões em que tenho a tentação de ir por aí. Mas por outro lado temos os IPs que destacam o Criciumal, IPs que combatem vandalismo, consertam erros, etc: Eu também os vejo todos os dias. E temos o experimento falhado do Citizendium, que é utilíssimo como caso de estudo. Apesar do esforço brutal que é manter um projecto como este aberto a anónimos, eu ainda vejo isso como algo positivo. Mas deve ser apertado o cerco aos IPs que só cá vêm para vandalizar, especialmente quando uma boa parte deles vandalizam com o intuito declarado de destruir o projecto e mostrar que ele não presta nem é confiável (é isso mesmo que eles escrevem nos artigos) justamente porque está aberto a IPs.-- Darwin Ahoy! 03h29min de 29 de março de 2017 (UTC)
@Darwinius: pois então! eu reconheço que os IPs ajudam um pouquinho, mas é só um pouquinho. já foram feitas pesquisas sobre a proporção de custo-benefício. os IPS destrutivos ganham de goleada. além do mais, acho que a wikipédia, se reconhecesse a validade do meu argumento, poderia implementar uma fase de testes. se ao final o bloqueio de IPs piorasse a situação de alguma forma, em vez de melhorar, então que fossem readmitidos. eu acho que se as pessoas querem as coisas acontecem. mas talvez se deva seguir o outro ditado que diz que não se deve mexer em time que está ganhando rsrs que somos um sucesso estrondoso é fato. mas o que sempre me preocupa é o verdadeiro impacto da wiki. estamos mesmo fazendo o bem ou só aumentando a balbúrdia do mundo? alguém sabe? já foi feita alguma pesquisa verificando se o público sai mais inteligente e preparado para a vida depois que lê a wikipédia ou sai mais burro e confuso? se alguém sabe me passe o link please rsrsrsrs abz Tetraktys (discussão) 09h09min de 29 de março de 2017 (UTC)
@Tetraktys: Em relação à sua última pergunta, eu só posso falar empiricamente, e com base nos exemplos que fui encontrando aqui. Mas recentemente tenho acompanhado o caso do FranciscoMG - penso que ele não se importará que eu o cite aqui - um mocinho angolano que chegou até nós via Wikipedia Zero, e já esteve bem no centro do chamado "Angola Facebook Case"; e que quando escrevia mal se conseguia perceber o que queria dizer. E ao fim de alguns meses trabalhando em conjunto aqui no projecto, os progressos como editor são verdadeiramente notáveis, e tenho a certeza que isso se reflete em progresso na vida pessoal dele, na escola, especialmente. Também é para isso que a Wikipedia serve.-- Darwin Ahoy! 12h23min de 29 de março de 2017 (UTC)

Olá! Estou chegando agora na discussão mas não tive tempo de lê-la detalhadamente, então peço desculpas se alguém já tiver falado o mesmo anteriormente. Eu acho que grande parte das discussões são caóticas e, às vezes, pesadas, afastando as pessoas daqui, especialmente os novatos. Talvez valha a pena considerar formas que possam minimizar esse problema. Além de um mecanismo inteligente de moderação que coíba abusadores do espaço, imagino que o atual desenho das discussões em forma de threads contribua para o problema. Eu penso que o desenho flat do Stack Overflow seria útil para aumentar a qualidade das discussões[1]. No longo prazo, gostaria de ver discussões mais saudáveis e civilizadas para que os consensos sejam atingidos. Cumprimentos. Oxe (discussão) 16h15min de 29 de março de 2017 (UTC)

Página de usuário aparecendo indevidamente em categorias do domínio princpal

Estava eu arrumando as categorias dos artigos quando deparei-me com a página do usuário Alberto79 estar presente na categoria Federações estaduais de futebol do Brasil. Eu iria simplesmente aplicar um no espaço das categorias, mas reparei que há várias outras categorias ocultas nas predefinições.

Não foi a primeira vez que me deparei com página de usuário aparecendo nas categorias. Alguém que manja de programação saberia resolver não só esta questão, mas impedir que qualquer página do domínio Usuário apareça nas categorias de domínio principal? Robertogilnei (discussão) 16h16min de 17 de março de 2017 (UTC)

Não vejo muito como impedir isso, podemos buscar fazer listas desses casos de forma automática para tentar monitorar os casos, mas acho que teremos que fazer o trabalho de retirar as categorias/impedir que elas sejam colocadas manualmente. Chico Venancio (discussão) 23h49min de 17 de março de 2017 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Nesse caso e em outros o nome aparece quando se categoriza subpáginas de testes, ele criou a página Usuário:Alberto79/Testes/Roraima e uma das categorias que ele colocou nela foi Categoria:Federações estaduais de futebol do Brasil. Mas seria bom mesmo se tivesse um meio de impedir que essas subpáginas categorizadas aparecessem na categoria do domínio principal. --Pap@ Christus msg 05h08min de 18 de março de 2017 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Isso acontece porque ele montou o artigo como teste em subpágina, com todos os detalhes, incluindo a categoria e deixou lá. Igor G.Monteiro (discussão) 00h10min de 19 de março de 2017 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Eu não entendo de programação, mas será que não dá para criar algum parâmetro ou script tipo "If (se) Usuário: ---- then (então) não executar no domínimo principal"? Robertogilnei (discussão) 11h13min de 20 de março de 2017 (UTC)

Redirecionamentos de eventos futuros

O texto que aqui estava foi movido para: Wikipédia:Esplanada/propostas/Acabar com os redirecionamentos de eventos futuros (17mar2017)

Sobre "Especial:Utilizadores bloqueados"

Olá. A página especial Utilizadores Bloqueados possui um sutil defeito, se é que pode ser chamado de defeito, mas a parte "Administrador que realizou o bloqueio", tem o que eu considero um defeito: reversores também tem a permissão de bloqueio, mesmo limitado. Ou seja, dá a entender que apenas administradores realizam bloqueios. Na minha opinião, o trecho deveria ser modificado para "Usuário que realizou o bloqueio" ou "Administrador/reversor que realizou o bloqueio". Desculpem-me se coloquei o tópico no local errado. OSA, O Sem Autoridade hum? 02h35min de 18 de março de 2017 (UTC)

Essa mensagem é a MediaWiki:blocklist-by. Symbol support vote.svg Apoio a alteração. Chico Venancio (discussão) 03h03min de 18 de março de 2017 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a mudança, pois os bloqueios são realizados por admins e reversores. --Pap@ Christus msg 03h16min de 18 de março de 2017 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a mudança, e com o formato "Usuário que realizou o bloqueio". O estatuto está subentendido e não precisa sequer ser especificado.-- Darwin Ahoy! 11h18min de 18 de março de 2017 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo A mensagem deve ser clara. Igor G.Monteiro (discussão) 00h40min de 19 de março de 2017 (UTC)

Há também a lista de privilégios de utilizadores, em que na seção "administradores" há outro erro, porém mais grave. Se lerem toda a lista, irão perceber um pleonasmo: "Desbloquear-se a si próprio". OSA, O Sem Autoridade hum? 12h14min de 23 de março de 2017 (UTC)

Este tipo de erro deve ser corrigido direto na Translatewiki (no caso específico, na MediaWiki:Right-unblockself/pt), para que seja propagado a todas as wikis. Helder 16h56min de 26 de março de 2017 (UTC)

Pedido de auxílio/colaboração

Não sei se aqui é o lugar certo, mas lá vai. Há alguns anos, iniciei um artigo sobre megafauna, com informações simples obtidas em um livro didático de história, disciplina que leciono. Com o tempo, e a colaboração de gente mais versada que eu no assunto, o artigo cresceu bastante. Recentemente o visitei e notei que pode ser melhorado se reescrevermos umas partes e eliminarmos informações repetidas. Até aí tudo bem, posso eu mesmo fazê-lo. Porém o tema da extinção da megafauna levanta uma polêmica sobre evolução das espécies e se a influência humana é determinante ou não para esse evento. Segundo um usuário com quem conversei na página de discussão, as evidências científicas apontam decisivamente para o fator antrópico, mas contribuições antigas de outros usuários citam fontes que apontam decisivamente para a mudança climática do pleistoceno/holoceno. Do jeito que está, o artigo está contraditório, fato que eu gostaria de resolver na revisão do texto. Não tendo leitura nem tempo para me aprofundar nessa polêmica, venho pedir ajuda a usuários com conhecimento de biologia que possam criticar o artigo e as fontes citadas, de modo a deixá-lo imparcial. Pretendo dedicar meia hora dos meus fins de semana a esta tarefa, até concluí-la. Agradeço àqueles que puderem se prontificar. Frajolex (discussão) 13h32min de 18 de março de 2017 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Não tenho conhecimento sobre o assunto e também estou ocupado com outro projetos, mas vou ver se posso olhar pelo menos a gramática. Igor G.Monteiro (discussão) 00h15min de 19 de março de 2017 (UTC)

Frajolex, vou tentar dar uma revisão. Há vários problemas com o artigo desde limitar o termo apenas aos grandes mamíferos que conviveram com humanos e desapareceram na extinção do pleistoceno. Dinossauros são megafauna, e os elefantes actuais também o são. O tema sobre a causa da extinção é uma área de investigação activa então eu não colocaria nenhuma das hipóteses como provadas, mas colocaria indicações para estudos que suportam uma ou outra (ou as duas). Tenho algum conhecimento tangencial sobre o tema, e conheço alguma da literatura (há um grupo aqui na Universidade que trabalha sobre o tema), por isso tentarei ajudar também. GoEThe (discussão) 13h25min de 20 de março de 2017 (UTC)

Classificação do género Pristimantis

Olá pessoal, como muitos sabem, costumo criar artigos para espécies do gênero Pristimantis, que é o maior género do reino animal. E também como muitos sabem, existem várias divergências no meio taxonômico. Só que a questão do género Pristimantis é mais complicada e é preciso chegar a um consenso sobre como classificá-la. Antigamente, o gênero era classificado como pertencente a família Craugastoridae, só que após algumas revisões taxonômicas, o gênero foi movido para a família Strabomantidae. Mas aí está o problema, esta nova classificação não é seguida por várias instituições, como a IUCN, o AMNH, e por vários especialistas. Mas é adoptado pela Amphibiaweb e pelo ITIS, que também são instituições de peso. É importante estabelecer um consenso, para que não haja problemas no futuro. Chamo para o consenso os usuários que também editam em artigos na área de biologia, @GoEThe, Ixocactus, MiguelMadeira, Angrense, Mário NET, e Dr. Lenaldo Vigo:. Mr. Fulano! 🔔Fale Comigo📩 16h21min de 24 de março de 2017 (UTC)

É importante colocar no artigo uma explicação sobre esta "controvérsia" taxonômica, tal como há no artigo anglófono do gênero, e você pode pôr na infocaixa a mais usada das versões conforme constatar pelas referências. Dr. Lenaldo Vigo (discussão) 14h26min de 25 de março de 2017 (UTC)
@Dr. Lenaldo Vigo: Já adicionei essa informação que tinha me esquecido. A respeito de usar a versão mais usada, até que seria uma boa ideia, mas infelizmente está praticamente meio ao meio. Eu poderia usar os sites mais atualizados, mas eles também divergem bastante entre si, como o Amphibiaweb e os pesquisadores. Mr. Fulano! 🔔Fale Comigo📩 15h20min de 25 de março de 2017 (UTC)
Se está meio a meio então a única opção é você escolher um dos dois para ficar na infocaixa. Não tem como fugir disso. Não se preocupe em qual escolher porque a controvérsia está devidamente assinalada ao longo do texto. Dr. Lenaldo Vigo (discussão) 16h13min de 25 de março de 2017 (UTC)
@Dr. Lenaldo Vigo: Então o manterei como pertencente a família Craugastoridae, pois todos os taxonomistas estão descrevendo as novas espécies como pertencentes a essa família. Mr. Fulano! 🔔Fale Comigo📩 17h15min de 25 de março de 2017 (UTC)
Concordo com o Dr. Lenaldo Vigo. Uma vez que é uma mudança "recente" é normal que demore a ser adoptado e pode nunca ser adoptado a 100%, pelo que é inevitável fazer escolhas. Desde que esteja bem explicado no texto, não vejo problema em escolher qualquer uma das hipóteses. GoEThe (discussão) 09h12min de 27 de março de 2017 (UTC)
Concordo com o GoEThe e com Dr. Lenaldo Vivo. Acho que o Miguelrangeljr pode ajudar também. Vejo que no texto já está explícita a complicação que é o gênero, faltando apenas as explicações mais detalhadas sobre as divergências entre os taxonomistas. Muito legal seu trabalho com esses bichos. Qualquer hora o Uma Espécie de BOT azula a lista. Boas! Ixocactus (discussão) 01h32min de 28 de março de 2017 (UTC)
@GoEThe e Ixocactus: Minha única preocupação eram os artigos das espécie, já que não haveria um avisos nesses artigos. Se tivesse mais fontes na internet, eu até colocaria mais informação, e com certeza já teria o transformado em AD. E Ixocactus, obrigado pelo reconhecimento, estou trabalhando duro nessas espécies, e pretendo mandar pelo menos 5 desses artigos para AB esse ano. Mr. Fulano! 🔔Fale Comigo📩 22h43min de 28 de março de 2017 (UTC)