Wikipédia:Esplanada/geral

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
▼ Ir para o fim da página ▼
Bem-vindo(a) à se(c)ção geral da Esplanada!
Esta secção é utilizada para todo tipo de discussões sobre o projeto que não se encaixem em qualquer outra secção, como pedidos, reflexões, debates etc. Veja também as mudanças recentes nas esplanadas.



Youtube

O Youtube está atualmente como spam na blacklist, a única wiki com esse absurdo. A colocação na lista, até onde eu sei, não houve ampla discussão com a comunidade. O Youtube pode sim ser usado como fontes, principalmente quando se trata de biografias; é muito melhor tem vídeos provando o que a pessoa falou do quer noticias; só porque existem vídeos do youtube q não são fontes fiáveis, não significa que o provedor deve ser classificado como SPAM. Se é assim, o Google, e qualquer mecanismo de busca deveria ser SPAM porque também mostra fontes não fiáveis. Fiz um pedido para remoção, mas !Silent disse que o Youtube está na blacklist lusófona desde que foi criado, e era bom saber o que a comunidade pensa sobre o assunto. Por isto abro este tópico. Bia Alencar Mensagens 21h49min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo fortemente. Até hoje não entendi esse problema com uso de vídeos do YouTube como fonte, principalmente se for da própria pessoa ou entidade em questão no artigo. !Silent (discussão) 21h57min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Concordo com a remoção do YouTube da blacklist. Existem vários vídeos de sites confiáveis (CNN, The New York Times, Senado Federral, etc) hospedados no YouTube que poderiam referenciar artigos. Evidentemente que teremos de fiscalizar bastante o uso do YouTube como "fonte", mas penso que somos capazes disso. Érico (fale) 22h01min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo o youtube é um domínio com milhões de videos, inclusive de milhares de entidades e pessoas notórias. E além de haver aqueles que podem ser usados como referência, mesmo que esse uso fosse inválido não se justificaria bloquear o domínio inteiro. Vide o caso do facebook.-- Leon Saudanha 22h11min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Mais uma vez:

  • A presença do Youtube na spam blacklist não tem nada a ver com "fiabilidade". A blacklist não tem relação nenhuma com fiabiliade. A blacklist serve para impedir a inserção recorrente de URLs que violem regras.
  • O Youtube está na spam blacklist porque muito do conteúdo potencialmente fiável viola direitos de autor e este conteúdo que viola direitos de autor tem tendência a ser inserido em massa nos artigos. Quintal 22h42min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo parcialmente. Per Antero de Quintal. Nada impede de um link do YouTube que seja verificado como fiável e com licença livre, possa ser adicionado à lista branca. Edilson Vinentefale comigo 22h46min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

EVinente Como o Leon disse, isso não justificativa bloquear o domínio inteiro; não faz sentido bloquear o domínio inteiro por causa de alguns vídeos entre trilhões. Que trabalho horrível será sempre que utilizar fonte do youtube colocar na lista branca; é só verificar as fontes e excluir as não fiáveis e que violam direitos autorais, como fazemos em todos os artigos Oo. Bia Alencar Mensagens 22h56min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Não são apenas alguns. A questão aqui é que a maioria dos vídeos/URLs com potencial interesse como fonte fiável têm grande probabilidade de serem precisamente os que violam direitos de autor. Por exemplo: uma cópia ilegal de um documentário, uma gravação ilegal de uma reportagem televisiva, etc. Estes vídeos são normalmente protegidos por direitos de autor e, a não ser que o upload tenha sido feito pelo detentor desses direitos, a sua situação no Youtube é ilegal. Fora isso, a maioria dos videos que não são protegidos são também os que não têm qualquer interesse para a Wikipédia: gatinhos fofinhos, pessoas a cair, amadores e por aí fora. Quintal 23h11min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Antero de Quintal mas uma vez, isso não justifica bloquear o domínio inteiro, existem milhões de canais legais no Youtube, de empresas respeitadas; não faz sentido bloquear um provedor por haver vídeos ilegais; então teríamos que bloquear as redes sociais também. A vídeos de jornais importantes, entrevistas de artistas\jornalistas e etc, que seria muito útil para Wikipédia, e estamos impedidos de colocar aqui. Bia Alencar Mensagens 23h15min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
O caso do youtube é o mesmo do facebook, instagram e twitter; estão classificados como não-fiáveis, a não ser que o link seja fiável. E para mim deveria ser o mesmo para o youtube. O provedor em si não é uma fonte fiável, o link tem que ser examinado por si só para determinar se o conteúdo é válido. É impossível colocarmos tudo no mesmo saco e fazer generalizações. Bia Alencar Mensagens 23h19min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
A inclusão na spam black list não tem nada a ver com fiabilidade. Tem a ver com violação de direitos de autor.
Geralmente quando um jornal ou uma estação de televisão disponibilizam no youtube um video de uma reportagem, têm quase sempre associada no seu site uma notícia em texto numa página HTML normal. Na maioria dos casos, o próprio video está incorporado nessa página. Nestas situações, a presença na black list não afeta a disponibilidade da fonte. O facebook não aloja conteúdo. O youtube sim. Quintal 23h26min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
O Facebook aloja conteúdo sim; inúmeros vídeos são postados lá também, como no youtube, e que são usados. Bia Alencar Mensagens 23h34min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Sim, desde há pouco tempo que também aloja, embora isso seja secundário em relação à função principal do site. O ponto aqui é que é evidente que o Youtube não é o único site que aloja vídeos. A questão é que, de entre todos esses sites que alojam vídeos, o Youtube é de longe aquele que mais é usado para spam. É por isso que ele está na black list, enquanto os outros não (por exemplo, o Vimeo não está). Quintal 23h44min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol comment vote.svg Comentário As políticas atuais do Google estão sendo bem rigorosas quanto ao upload de material que viola direitos autorais, tanto é que vídeos desse gênero dificilmente sobrevivem mais que um mês por lá. Talvez fosse o caso de criar uma categoria oculta em artigos que citam vídeos do Youtube; um bot patrulharia de tempos em tempos essas referências e, se elas estiverem mortas (i.e. vídeo com cara de :/), é indício de copyright strike, justificando sua remoção pelo bot. Já existe um bot que faz isso na en-wiki, mas ele averigua ligações mortas no geral, não apenas do YouTube. --ArgonSim (discussão) 23h22min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo Mas, se possível, que seja aberta essa exceção apenas ao domínio principal. As PUs que marquei para ER até hoje dividem-se em quatro categorias: divulgação de rapper angolano, divulgação de youtuber, divulgação de empresa de quintal e divulgação de teorias conspiratórias; e me parece ser interessante a todos eles a capacidade de expandir seu poder propagandístico (ver). Concordo que seja possível utilizar vídeos do Youtube como referência, pois acabaria com a dependência de que uma fonte comente sobre a existência do vídeo para poder então citá-lo. No entanto, permitir que vídeos sejam usados como fonte vai servir como incentivo e maquiagem a pesquisa inédita e por síntese, o que vai exigir especial atenção dos patrulhadores de mudanças recentes. --ArgonSim (discussão) 23h22min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Alguma vez foi proibido usar um video alojado no youtube como referência, assumindo que cumpre os critérios de fontes fidedignas? Alguma vez foi proibido usar material videográfico como fonte? Até existe uma predefinição de citação para isso: {{Citar vídeo}} Quintal 23h27min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Não podemos linkar vídeos do youtube que dá no mesmo, se o principal problema é violação dos direitos autoriais, é melhor ainda que o url seja linkado para o leitor saber que vídeo assistir. Bia Alencar Mensagens 23h32min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Não dá no mesmo. O autor antes do meu comentário "concorda" que "passe a ser permitido" usar obras videográficas como fonte. Isso insinua a existência de uma proibição atual, o que é claramente falso. Quintal 23h36min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Quintal não entendi que sua resposta ao ArgoSim era sobre isso. Enfim, você já deixou sua opinião fundamentada bastante clara e eu também, então, vou esperar que outros editores opinem sobre o assunto. Saudações. Bia Alencar Mensagens 23h40min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

@Antero de Quintal: Quando estava criando o artigo Batalhão do Sol do Norte, fui impedido de citar um pronunciamento oficial feito por eles, pois este estava hospedado no canal deles no YouTube. Inclusive, fiz o teste de novo e o mesmo ainda acontece: "Não foi possível salvar (gravar) a página devido ao bloqueio do filtro de spam." Estava (obviamente) me referindo a vídeos do YouTube, atual escopo dessa discussão; suprimi-o pois este era anafórico. Perceba, a propósito, que há hosts de vídeos muito mais relaxados quanto ao monitoramento de VDA, como o Dailymotion, que por acaso não está bloqueado. --ArgonSim (discussão) 23h44min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

O facto de um URL estar na black list não significa que você esteja "proibido" de o usar. Tem várias opções: 1) fazer um pedido na white list; 2) encontrar a mesma notícia numa página HTML; 3) encontrar o mesmo vídeo num host alternativo como o Vimeo; 4) citar os dados da obra videográfica sem o URL. Quintal 23h49min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
  • O Vimeo também está na blacklist, acabei de averiguar isso.
  • A URL estar na blacklist significa exatamente que eu estou proibido de usá-la, já que é impossível adicioná-la a um artigo.
  • Imagino que monitorar pedidos de bloqueio, de proteção, de desproteção, de restauro entre outros baste para as tarefas de administradores; não há razão para sobrecarregá-los ainda mais. Foi justamente esse o problema levantado pela Bya97 como resposta a EVinente.
  • O que eu quis dizer com "acabaria com a dependência de que uma fonte comente sobre a existência do vídeo para poder então citá-lo" foi exatamente um contraponto a ter que "encontrar a mesma notícia numa página HTML". No caso em que mencionei (do pronunciamento oficial), faria pouco sentido ter que apelar a uma fonte intermediária quando o vídeo em questão cumpriria o papel informativo e referencial de maneira inegavelmente superior. Muitas das vezes essa fonte intermediária sequer existe, sendo o editor obrigado a remover a informação por falta ou adicionar uma paráfrase horrível ao artigo: "Como declarado oficialmente em seu canal no YouTube, o grupo fez isso e aquilo", quando o destaque deveria ser dado ao que eles fizeram, não por onde disseram ter feito.
  • Citar os dados da obra (sem a URL) quando estes estão disponível apenas no YouTube é inexplicável, porque na possibilidade do leitor pesquisar por conta própria a referência citada, ele automaticamente a buscaria no YouTube, já que lá é o único lugar onde está disponível. Por que não diminuir o trabalho dele e linká-lo logo ao vídeo em questão, já que ele mais cedo ou mais tarde teria que fazê-lo de qualquer jeito? --ArgonSim (discussão) 00h06min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
  • Citação: A URL estar na blacklist significa exatamente que eu estou proibido de usá-la, já que é impossível adicioná-la a um artigo. Não. No comentário anterior mencionei a forma de a poder acrescentar, fazendo um pedido, ou através de três soluções alternativas para citar a obra videográfica em questão.
  • Sobrecarrega menos pedir a inclusão ocasional de um item na white list do que todo o esforço com a verificação e reversão de um sem número de inserções indevidas por dia.
  • Os jornais e televisões de maior credibilidade e circulação têm quase sempre a mesma notícia em vídeo e numa página HTML. Não estou a ver nenhum caso em que uma informação só exista no Youtube. Se só existe no youtube, então o tópico não é coberto por múltiplas fontes fiáveis e independentes e não deve ser incluído no projeto.
  • O Youtube não é o único host de obras videográficas. Esse argumento é equivalente a dizer que é imprescindível um URL para o google books para poder citar livros. Não é. Quintal 00h27min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo. Os vídeos do Youtube podem ser citados sem nenhum problema com a {{citar vídeo}}, já que ela não obriga a inserção de url. Ou seja: do mesmo modo como não é preciso colocar os links para o Google Books ou coisa que o valha para citar livros, ninguém é obrigado a colocar os links para citar vídeos. E vamos ser sinceros. Já há spam suficiente hoje em dia e os reversores não dão conta. A conversa agora é muito bonita, mas se liberar o YouTube, a realidade é que ninguém checará todos os links de todas as páginas para ver se são fontes fiáveis ou se estão violando direitos autorais. Pedrohoneto Diz·Fiz 23h52min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)

Da mesma maneira que o ideal é que todos os artigos tenham fontes e nem por isso as pessoas são proibidas de editar sem colocar fontes. Se é pra proibir as coisas por nossa incapacidade de vigiar toda wiki, que isso seja geral; nos poupa todo o trabalho. Bia Alencar Mensagens 23h54min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Facebook, Instagram, Twitter, Tumblr e etc, também tem SPAM e violação de direitos autoriais, e nem por isso está bloqueado. Bia Alencar Mensagens 23h56min de 12 de dezembro de 2016 (UTC)
Mas não com a dimensão do Youtube. O Youtube é um host de video. A violação de direitos de autor nesses outros sites é muito menor em escala e sem comparação possível. O Twitter não aloja livros, por exemplo, e Instagram e Tumblr são fundamentalmente para projetos pessoais. Além da questão dos direitos de autor, por ser um serviço de vídeo o Youtube presta-se também a ser usado como ferramenta para postar vídeos de trolling, assédio, spam ou teorias da conspiração, o que é raro acontecer com os outros sites. Quando foi a última vez que alguém reverteu spam de uma página do Tumblr, por exemplo? Eu em seis anos e dezenas de milhar de reversões não me lembro de um único caso. Quintal 00h10min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Então não frequenta o tumblr! pois eu sim, o que mais tem lá são imagens e vídeos que violam os direitos autoriais, as pessoas estão sempre pedindo para os outros não compartilhar as coisas sem o nome do autor; é isso todo dia lá. E o ArgoSim explicou acima perfeitamente; Aliás, o Youtube exclui vídeos que viola os direitos autoriais. Dificilmente hoje em dia se encontra vídeos de empresas conhecidas ilegalmente no youtube. Enquanto o Daily, que o Argo bem lembrou, nem isso faz e nem está bloqueado. Bia Alencar Mensagens 00h15min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Só porque determinado site também aloja conteúdo indevido, isso não significa que tenha que estar incluído na spam blacklist. A spam blacklist destina-se a conteúdo indevido e que também seja sujeito a inserção recorrente. Quando foi a última vez que reverteu a inserção de videos indevidos do Dailymotion? Ou do Tumblr? Quintal 00h30min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Quintal, respondendo sua resposta acima pelo ArgoSim: tem muitas informações que estão apenas no youtube, como entrevistas; e você está basicamente sugerindo que quando vermos um vídeo no youtube que sirva como fonte, devemos sair correndo procurando ele em outro lugar porque não podemos cita-lo diretamente, nada prático. Não lembro a última vez que reverti videos indevidos desse lugares, da mesma maneira que não apresentou nenhuma estática que vídeos do youtube impróprios são frequentemente colocados. Bia Alencar Mensagens 00h38min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Para mim parece muito mais razoável usar o Countervandalism Network como maneira de identificar usuários e IPs que estiverem causando problemas com a inserção de vídeos do YouTube (e do Vimeo, caso seja favorável sua remoção da blacklist). Afinal de contas, a maioria dos editores anônimos e novatos sequer adiciona referências às suas publicações, então há pouco risco deles linkarem VDA às notas. Os que normalmente colocam referências são os mais ativos, e estes costumam estar mais cientes das normas de edição.
Enfim, bloquear o YouTube por mero medo de spam ou VDA soa extremo demais; não seria melhor adicionar uma lista branca de referências permitidas, impedindo que qualquer coisa fora dela fosse citada? --ArgonSim (discussão) 00h34min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Exatamente de que forma é que esta página vai analisar se os URLs são ou não VDA? E o spam do youtube não ocorre em referências. Quintal 00h39min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────É possível pelo CVN adicionar uma flag a usuários ou faixas de IP que andam causando problemas, de maneira que suas edições fiquem em destaque (cross-wiki e na wikia). o ip 177.52.144.138, por exemplo, está com uma flag com expiração para daqui a três meses, pois foi bloqueado e impedido de criar novas contas. Com o CVN scores ativado, você pode facilmente monitorar se ele fez algo impróprio ou não. Uma flag específica para usuários que fazem upload de arquivos protegidos por direitos autorais no Commons existe; algo semelhante poderia ser feito para vídeos do YouTube. --ArgonSim (discussão) 00h49min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Boa ideia Argo, gostaria de dizer que o controle de direitos autorais do youtube foi refeito desde 2007; e de acordo com suas estatísticas (q não posso linkar pq está no youtube! haha): "Em julho de 2016, o YouTube pagou US $ 2 bilhões aos detentores de direitos que optaram por rentabilizar as reivindicações desde que o Content ID foi lançado em 2007. A partir de julho de 2015, existem mais de 8.000 parceiros que usam o Content ID - incluindo as principais emissoras de rede, estúdios de cinema e gravadoras - que reivindicaram mais de 400 milhões de vídeos, ajudando-os a controlar seu conteúdo no YouTube e ganhar dinheiro em vídeos contendo material protegido por direitos autorais".

São números expressivos, que indica q a proteção do youtube, como eu já tinha percebido, está muito rígida; recentemente, li noticias de canais de youtubers famosos que saíram do ar por violações. O site não é uma terra sem lei como Antero dá a impressão de ser. Tem aproximadamente um bilhão de vídeos no youtube, se 400 milhões estão protegidos de violações dos direitos autoriais, qual o sentido desse bloqueio? Bia Alencar Mensagens 00h58min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Exquisite-khelpcenter.pngIndicação Uma proposta igual a essa foi feita em 2015. ChristianH, Chronus, Victor Lopes, Stegop, Jbribeiro1, Lechatjaune, DARIO SEVERI, MachoCarioca, WikiFer, Zoldyick, GRS73, Maddox, Érico, He7d3r, OTAVIO1981 e Teles são usuários ativos que participaram da última discussão. --ArgonSim (discussão) 01h01min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Uma proposta igual a essa foi criada em fevereiro desse ano! E essa inclui uma lista de links para todas as outras discussões sobre o tema, mostrando que a discussão vai longe. Épico (disc)/(contrib) 01h51min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo. Também nunca entendi o problema em usar vídeos do YouTube com referência. É algo usual em outras Wikipédias. Chronus (discussão) 01h52min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Na ultima proposta foi citado isso pelo Helder ... "Pelo que vi, o domínio youtube.com foi bloqueado pela primeira vez em julho de 2007, pelo Rei-artur. Mas entre as edições que ele fez no mesmo dia, não encontrei qualquer menção a uma decisão da comunidade. Alguém sabe onde foi decidido o bloqueio? (perguntaram isso em agosto de 2007, mas ninguém respondeu)" ... .DARIO SEVERI (discussão) 03h02min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

(conflito de edições) Symbol support vote.svg Concordo, pela enésima vez. Eu havia previsto que esta ideia seria proposta repetidas vezes por usuários diferentes ao longo do tempo conforme eles fossem percebendo o absurdo que é bloquear o YouTube. O que aconteceu desde então? Pois é. Wikipédias muito mais movimentadas que a nossa não impedem seu uso. Não vejo por que dificultar a verificação de uma informação, logo, não concordo com essa história de que apenas a url está bloqueada. Qual o sentido de bloquear um site mas aprovar o uso de seu conteúdo como referência? E só lembrando uma coisa importante que foi apontada nesta discussão: o bloqueio ao YouTube foi uma decisão unilateral, de um editor que sequer está ativo no projeto. Nesta mesma discussão, o Helder providenciou uma lista de ocorrências de tentativas de inserção de vídeos do YouTube. Podem conferi-la para constatarem se a questão do VDA é tão numericamente significativa assim. Victão Lopes Diga! 03h11min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário E chega a ser absurdo que o mesmo critério que o Rei-artur utilizou para bloquear o YouTube ainda seja mantido. Em 2007, o YouTube era basicamente um repositório de videocassetadas e músicas em 144p. Hoje, no entanto, ele é o mais importante em seu setor, servindo de hospedagem para inúmeras instituições sérias e fiáveis. --ArgonSim (discussão) 04h00min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Ele também é diariamente um dos meios de maior denúcia de problemas com direitos autorais, mesmo em inúmeras instituições que usam conteúdo restrito. --Zoldyick (Discussão) 04h08min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo o uso de vídeos do YouTube pode ser regulamentado, contanto que haja moderação em sua utilização, e apneas em situações de extrema necessidade, no caso de já haver outras fontes, por exemplo. ♪ Alberto79 ♪ Msg-Contributions 03h15min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Quem garantirá a "moderação em sua utilização" em um mundo virtual tão dinâmico como é a Wikipédia? Os editores sobrecarregados? A ideia carece de base que possa ser materializada em algo real. --Zoldyick (Discussão) 04h05min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Ao contrário do que foi citado pela Bia anteriormente, sim, isso já foi amplamente discutido aqui na Esplanada diversas vezes. E como nas vezes anteriores vale lembrar que o endereço URL do YouTube é inútil. Existe no projeto a {{Citar vídeo}}. Não há necessidade de se dar o endereço URL de um vídeo (seja ele do YouTube ou não), basta fazer o mesmo que é feito na {{Citar livro}} e {{Citar periódico}}. Como fonte no projeto, livros e jornais acadêmicos não precisam de URL, vídeos também não. Basta citar tudo que for necessário para uma fonte devidamente formatada, como autoria, título, língua, data etc. e gravar a edição. O uso do URL/do vídeo em si é irrelevante. A fonte, como matéria de verificabilidade, já foi citada. Symbol declined.svg Discordo como sempre. E ser usual em outras Wikipédias não quer dizer nada, cada uma com sua autonomia dentro das políticas da Wikimedia. --Zoldyick (Discussão) 03h17min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

E cadê as evidências que a maioria dos links do youtube postados na wiki são SPAM ou violações de direitos autoriais? (discussões anteriores provou que o número era insignificante) Tem sequer algum dado de outra wiki dizendo que o youtube causa problema para eles? eu trouxe os números aqui, que o youtube tem ao menos 400 milhões de vídeos protegidos contra violações de direitos autoriais. Até agora, nenhuma evidência foi dada que o youtube causou problemas a qualquer wikipédia. E como o Victor bem expôs, a decisão foi criada antes de 2007; o youtube tinha apenas 3 anos e nem tinha o sistema de proteção rigoroso como hoje. Sim, cada wikipédia tem sua autonomia, e é evidente que a maioria aqui discorda desse bloqueio. Bia Alencar Mensagens 12h08min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção do YouTube da blacklist pois como percebo há hoje em páginas das próprias empresas, instituições, organizações não governamentais e até de governos que possuem ligações em suas páginas oficiais para seu respectivos canais de publicações de vídeos no YouTube, creio então porque existe esta restrição de todo o provedor do YouTube? Sendo que há sim fontes fiáveis que são disponibilizadas lá, como já foi dito aqui, que são dos próprios detentores das obras lá expostas. Cito aqui para que haja uma melhor analise alguns sites que tem em seus domínios no rodapé de suas páginas oficiais ligações para seus canais oficiais no YouTube:

Entre outras milhares de instituições que também possuem canal oficial no domínio do YouTube.

Por isso, e mesmo por isso, creio ser necessário a reavaliação do bloqueio do URL. Rodrigo, Luz28 (MsG) 12h20min de 13 de dezembro de 2016 (UTC).

Symbol declined.svg Discordo Já foi explicado milhares de vezes, mas não custa nada explicar pela milésima primeira: o bloqueio contra o YouTube não tem nada que ver com fiabilidade, mas com direitos autorais. Também já se explicou que casos específicos podem ser liberados pela lista branca, sem problemas... --Usien6 13h35min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

E o argumento dos direitos autoriais já foi rebatido mas custa ignorar. Bia Alencar Mensagens 13h40min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Foi rebatido, não refutado. A alegação de que "há os canais X, Y e Z, que submetem materiais adequadamente licenciados" não refuta a premissa de que "há canais que submetem materiais em flagrante violação de direitos autorais." Adiante, ao contrário do que se insinua aqui, a aprovação de tal proposta implicaria num aumento da carga de trabalho sobre os voluntários. A proposito, ainda não consegui entender qual é a dificuldade em se abrir solicitações individualizadas para inclusão em lista branca. Enfim, pela milésima segunda vez, esclarece-se que é (e sempre foi) permitido apresentar vídeos do YouTube como fontes. Apenas impõe-se que, na hipótese de estarem adequadamente licenciados, solicite-se a inclusão dos URL na lista branca; e, na hipótese de estarem em flagrante VDA, abstenha-se de preencher o campo "URL" das transclusões de {{citar vídeo}}. Att --Usien6 19h29min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Usien6 prova que não se pode bloquear um domínio inteiro, que tem 400 milhões de vídeos que podem ser usados, por causa de outros. É o mesmo que bloquear o google pq ele pode mostrar fontes impróprias. É uma solução determinista e arbitrária; e mas uma vez, não foi apresentada nenhuma prova que os links do youtube deixam os voluntários sobrecarregados, nem um relato de alguma wiki que isso seja real. Criaram essa história fantasma sem prova apresentada. E como o Victor já expôs, nas discussões anteriores foi mostrado que o número de vídeos com VDA eram mínimos. Bia Alencar Mensagens 20h03min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Ora, pois se trata duma obviedade que dispensa estatísticas. Ainda assim, apresento-as, mais adiante. Como seria possível ser menos trabalhoso "catar" hiperligações inconformes dispersas por 950 mil verbetes que se metamorfoseam freneticamente em comparação a centralizar tudo na página de pedidos de inclusão em lista branca ?? E, falando nela, continuo querendo saber: qual é a dificuldade em utilizá-la ?? Uma rápida consulta a seu histórico revela que recebeu menos do que 50 edições nesse ano de 2016. Então, está, lógica e empiricamente, comprovado que o modelo atual, ao contrário do que aqui se insinua, não oferece sobrecarga sobre os voluntários. E se for, realmente, do seu interesse saber, pois apoio bloquear o Google por analogia ao AEDE GOOGLE --Usien6 21h18min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Usien6 uma obviedade que apenas os videntes da wiki lusófona previram; não tem prova nenhuma que nas Wikipédias onde o Youtube está liberado haja problemas, afirmam um problema que não existe em lugar nenhum. E como eu falei, já foi dito anteriormente que os VDA são mínimos, não vai sobrecarregar nada. Fazer os editores sempre que quiserem utilizar um link realizar pedidos na lista branca que iria sobrecarregar os adms; e já entendi que está é a estratégia utilizada para não dá o braço a torcer, pq todo mundo concorda que bloquear ao domínio inteiro é arbitrário, por isso criaram esse gancho. É inacreditável que um bloqueio seja mantido tanto tempo baseando-se em suposições e nada concreto. Mas como Christian disse, o melhor é que ocorra uma votação, cada lado já deixou os argumentos bem claros e essa discussão já dura muitos anos, está na hora de dá um ponto final nisso. Bia Alencar Mensagens 21h31min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Pois veja como sua argumentação é desligada da realidade: "realizar pedidos na lista branca que iria sobrecarregar os adms." Como pode, meu Deus, utilizar o modo subjuntivo ("iria") para se referir a uma coisa que já é?? Já está demonstrado que, do jeito que está, não há sobrecarga. Como seria possível que, não se alterando nada, a sobrecarga passe a existir. Com um passe de mágica? --Usien6 21h41min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────────Já é? A maior parte dos editores que tentam colocar o YouTube como fonte numa página muito possivelmente desconhecem a Whitelist, e ao se depararem com aquele aviso, imaginam não ser possível utilizar o YouTube como fonte e resolvem deixar para lá. É o que eu imagino. Fora o trabalho que é toda vez que for adicionar uma referência numa página ter que ir fazer um pedido na Whitelist. !Silent (discussão) 21h45min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Façamos, então, um experimento. Se é verdade que os colegas não utilizam a página por desconhecer sua existência, então divulguemo-la amplamente. Aos quatro ventos. Se for constatada uma sobrecarga, serei o primeiro a propor a mudança. Att --Usien6 21h52min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
E pois veja como perdeu a argumentação ao discutir minha concordância verbal! hahaha. Prefere gastar tempo divulgando a página do quer liberar o youtube, mais prático, só para não dá o braço a torcer. Incrível. Bia Alencar Mensagens 22h03min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Entre "ha-ha-has," não se vê, no comentário acima, qualquer novidade argumentativa. O que se vê é um pombo enxadrista apostando no 14.º estratagema erístico. Ou seria o oitavo? Não consegue perceber a íntima relação entre gramática e raciocínio lógico porque não domina, nem um, nem outro. É notório. Por isso, em vez de argumentar, estampa um clichê, qualquer, sobre "braços" e "torcida." Acredita que divulgar os mecanismos internos do projeto seria "gastar tempo." Talvez prefira que esse sítio seja uma espécie de templo maçon: local cuja arquitetura só pode ser compreendida por quem o frequenta assiduamente. E por que outro motivo, além da conveniência de estar inserida no grupo numericamente maior, propõe uma votação, sendo que se trata dum processo de caráter excepcional? Realmente, é incrível... --Usien6 20h14min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
@!Silent, Usien6, e Bya97: Acho que não restam dúvidas sobre a falta de conhecimento da whitelist depois de verificarmos suas estatísticas de uso:
  • Pageviews totais em 2016: 1.104
  • Média: 3/dia
  • Edições totais: 71
  • Editores: 18
Mais cedo fiz uma proposta para ampla divulgação da página de desbloqueio, independentemente do YouTube ser ou totalmente desbloqueado no futuro. A proposta está no final da página. Gostaria de saber a opinião de vocês. Obrigado. — Alan Moraes (discussão) 13h40min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo. Mantenho a minha opinião anterior. José Luiz disc 14h16min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Em compensação, consigo ligar o http://www.4chan.org (inclusive o /b) ou o http://www.imgur.com sem problemas... Não testei o reddit, mas deve dar também. José Luiz disc 14h20min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção do YouTube da blacklist, acho que assim como na Wikipédia em inglês apenas os vídeos que estejam classificados como WP:SPAM devem ser Nãobloqueados! — Raphael Figueira (discussão) 14h38min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo pelos mesmos motivos que fiz a proposta no ano anterior. Estabelecer um consenso em um assunto com tantos argumentos prós e contra é praticamente impossível, sendo assim, apoio uma votação. Christian msg 20h31min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

A discussão mais recente sobre o assunto fez a descoberta de que não houve consulta ou decisão alguma da comunidade para incluir na blacklist. Também teve um resumo do que já havia sido argumentado até então. Aqui não li nada de novo. Acho que o mínimo é formalizar uma decisão e começar a discutir mecanismos de como monitorar a questão no início, caso seja decidido liberar.OTAVIO1981 (discussão) 22h08min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

OTAVIO1981 como os argumentos são os mesmos e teve infinitas discussões anteriores, acho que o jeito é abrir uma votação mesmo como o ChristianH sugeriu. Bia Alencar Mensagens 22h15min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Depois de trocentas discussões sobre o mesmo assunto ao longo dos anos e nenhuma delas ter chegado sequer perto de um consenso, o jeito é pôr em votação mesmo. !Silent (discussão) 22h26min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Acho que seria legal configurar um filtro para etiquetar os IPs e contas novas inserindo URL para o youtube por uma semana para facilitar a identificação e quantificação dos erros. Principalmente, seria importante o compromisso dos editores muito ativos de não inserir ligações corretas aos milhares antes de termos certeza que é possível dar conta dos erros, sob pena de ter que remover os links de youtube e voltar a situação anterior com um imenso retrabalho.OTAVIO1981 (discussão) 22h52min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Concordo, não veria problema com isso. !Silent (discussão) 22h58min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)
Também não vejo problema nisso, concordo. Bia Alencar Mensagens 23h01min de 13 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a liberação e a criação de um filtro para fazer um período de testes. Sugiro também criar a predefinição {{Citar YouTube}}. Mr. Fulano! 🔔Fale Comigo📩 13h19min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)

Redundante. Já existe a {{Citar vídeo}}, que mesmo em casos onde seria recomendável seu uso ela não é usada. Alias, há um excesso de predefinições de citação de fontes que quase nunca são usadas e quase ninguém lembra. --Zoldyick (Discussão) 16h38min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol support vote.svg Concordo As predefinições de citação estão passando por uma adaptação intensa para o formato LUA; a criação de uma nova específica para vídeos do YouTube ficaria depreciada quase que instantaneamente. Por mim, poderia ser criado um {{#ifeq:{{#lc:}}}} no campo |obra que verificasse se este foi preenchido com youtube ou coisa parecida. Se sim, uma categoria de monitoramento poderia ser adicionada ao artigo, e um patrulhador ou bot poderia então verificar se não há nada de errado com o vídeo adicionado. Da maneira como a proposta está sendo feita, o risco de que vídeos sem relação alguma com o conteúdo do artigo sejam adicionados é muito grande; a URL de um vídeo do YouTube consiste meramente em caracteres alfanuméricos, requirindo que alguém sempre cheque seu conteúdo. É de extrema necessidade, portanto, que se crie um mecanismo que adicione automaticamente o título do vídeo à ligação externa [youtube.com/watch?v= TÍTULO DO VÍDEO]. Caso contrário, sempre há o risco de que um vídeo como "Coloquei dez camadas de pó compacto, e o resultado vai te surpreender!" esteja escondido nas referências de um artigo idôneo. --ArgonSim (discussão) 19h00min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
Gostei da proposta do @ArgonSim: mas tenho dúvidas quanto a sua viabilidade técnica. Se bem entendi, um robô ficaria aguardando que uma predefinição categorize o verbete. É isso? Sabe dizer se já existe algum robô operando desse modo? E o que fazer quando o URL é inserido fora de qualquer predefinição de citação? É extremamente comum que novatos insiram a hiperligação diretamente, quando muito, dentro da etiqueta <ref>... --Usien6 20h14min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
PS.: Acho que não fui muito claro. Apesar de não ser familiarizado como robôs do MediaWiki, sei que a proposta é viável no critério possibilidade. O que questiono é: se é viável no critério performance. Vale notar que, depois da primeira ocorrência, a inclusão em categoria se torna idempotente. Ou seja, o robô teria que sempre vasculhar todos os verbetes dessa categoria, e não apenas aqueles recentemente incluídos. E será viável fazer com que esse robô monitore todas as edições do sítio procurando por URLs do YouTube fora da {{Citar vídeo}}? Talvez seria bem mais prático criar um filtro que etiquete toda edição que inserir a palavra "youtube" seguindo barra e/ou seguida de ponto. O que acha? --Usien6 20h23min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
@Usien6: Existe uma ferramenta que verifica bare URLs e substitui-as pelo formato {{citar web}}, adicionando o título da página, o site, o autor, a data de publicação e a data de acesso. Algo parecido poderia ser feito, mas com o bot fazendo isso apenas para ligações ao YouTube (como vai ser feito para o artigo com ligação para o YouTube ficar "flaggado" eu já não sei). Quando a URL é adicionada fora de uma <ref> é muito provável que ela esteja abandonada no meio do artigo, o que justifica perfeitamente que um patrulhador desfaça a edição por caracterizar-se como spam. --ArgonSim (discussão) 20h29min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol comment vote.svg Comentário O Citoid tem a capacidade de importar esses metadados automaticamente quando uma URL do YouTube é fornecida; talvez seja possível adaptá-lo para que um bot faça isso, também. --ArgonSim (discussão) 19h08min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
Caro @ArgonSim: Não conheço a fundo essa ferramenta que cita, mas me parece que abre um precedente tecnológico para uma lista branca especial, baseada em canais. Ou seja, para cada URL do YouTube inserida, um robô buscaria o identificador do canal que disponibilizou aquela mídia. Se esse identificador não consta na lista, reverte a edição, deixando uma explicação razoável na PDU do utilizador revertido. Att --Usien6 17h00min de 19 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol comment vote.svg Comentário Não da para usar em Ligação Externas? Marcelo Aurélio Dombek (discussão) 19h49min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)
@Marcelo Aurélio Dombek: Enquanto o YouTube permanecer na blacklist, qualquer ligação a ele fica bloqueada. --ArgonSim (discussão) 19h51min de 14 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção do Youtube da blacklist. A fiabilidade ou VDA tem de ser aferida caso a caso, nada justifica um ban global. Gonçalo Veiga (discussão) 01h05min de 16 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção do Youtube da blacklist. Só em casos extremos se deve banir um repositório inteiro devido a parte do seu conteúdo, ainda mais um de tão grande utilidade como o Youtube. Andar a colocar dezenas de links à mão na whitelist é infernal, uma burocracia perfeitamente desnecessária. Se alguém abusa sistematicamente na colocação de links para o Youtube, pois que seja bloqueado. Se um conteúdo em especial é constantemente colocado de forma indevida, que vá para a blacklist - agora o inverso é que não. Há um sem fim de documentários, programas noticiosos e outros conteúdos disponibilizados ali e devidamente licenciados, e que são efectivamente uma fonte preciosa para a construção dos artigos.-- Darwin Ahoy! 13h27min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a propositura de Bya97. Não vou me repetir nos argumentos favoráveis, porque já foram extensivamente postos e subscrevo-me a eles. Gostaria de fazer uma observação.

Se a principal preocupação com o YouTube são violações de direitos de autores, sinto informar que elas acontencem o tempo todo com imagens e fotografias usadas pelos mais diversos sites, que são geralmente usados aqui como fontes. Afinal, o que mais há na web são imagens e fotografias usadas sem a permissão dos autores, usadas sem citações dos devidos créditos ou sendo citadas meramente como "Reprodução/Nome da rede social", que é uma citação fajuta, portando os direitos desses autores são constantemente feridos mas ninguém parece dar muita importância a isto.

Se nos atêssemos a lógica de bloqueio do YouTube por eventualmente ferir direitos de autores, então talvez devêssemos, pelo mesmo motivo de desconfiança, bloquear preventivamente os sites da web que usam imagens, ou seja, teríamos que bloquear a web inteira praticamente. Ao menos, no YouTube, há mecanismos muito eficazes para se combater o uso indevido de vídeos por lá. Já com o uso indevido de imagens em sites, não tenho tanta certeza... —Alan Moraes (discussão) 16h06min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Qualquer um sabe que discordo dessa proposta, e antes que seja rebatido, direi o porque; não há nenhum consenso em retirar o Youtube da black-list, por causa do seu poder de acumular conteúdos potencialmente ilegais (que infligem alguma regra) e pela redundância com {{Citar vídeo}}. Não consigo imaginar como poucos voluntários teriam a capacidade de reverter inúmeros (milhares/se não milhões) videos hospedados nesta ferramenta (quase não damos conta dos spams dos angolanos), imagina inúmeros videos que desrespeitam alguma política? O debate apenas pressupõe que daremos conta, a falta de consenso prova que é essencial discutir meios termos e sair dos argumentos subjetivos, espero que outros comentários e ideias (como foi feito pelo ArgonSim) apareçam. Os únicos argumentos são a presença de canais fiáveis, mas em contraste, qualquer pessoa sabe que existe outros canais não fiáveis e com diversos vídeos que infligem regras que são respeitadas pelo projeto. A discussão é desnecessária e sem nenhuma previsão de consenso, não tem cabimento este tópico voltar ano após ano, apenas para os usuários darem suas opiniões e alguns comentários sem nenhuma credibilidade e formulação lógica em tentativas desnecessárias de refutar argumentos contrários de uma determinada visão, o resultado da discussão é sempre um conflito entre os usuários, criando um ambiente sobrecarregado. Acredito que os ambos os lados tem pontos positivos, mas nunca saimos do mesmo ciclo vicioso, onde a única preocupação é credenciar o "achismo" de cada um e pouco se discuti outras possibilidades, além de ninguém ouvir o outro lado (sempre rebatendo...), qualquer argumento que aparecer será rebatido... tenho a impressão que esse assunto virou uma batalha de ego. Esse assunto sempre irá ressurgir e quando ficar apenas nesse papo de liberar o link da black-list ou não, o consenso será impossível. Le Comte Edmond Dantès msg 20h06min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

DARIO SEVERI: pode concordar comigo que, essa discussão é tão viciosa, pois a origem da inclusão do Youtube na black-list em 2007 é desconhecida e questionável (corrige-me se me equivoquei na data). Le Comte Edmond Dantès msg 20h13min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol support vote.svg Concordo com o comentário de Conde Dantes, embora discorde de que seja mantido o YouTube na blacklist. É estranho analisar os Temas recorrentes e perceber como todas as discussões rotineiras se resumem aos mesmos argumentos e aos mesmos editores defendendo os mesmos pontos de vista. O resultado, como sempre, é que a proposta é arquivada e o status quo, mantido. Espero que essa proposta em específico sirva de outro propósito além de ser mais uma em Wikipédia:Temas recorrentes/YouTube, nem que seja para que se decida de uma vez por todas que ligações para o YouTube não devem ser feitas. --ArgonSim (discussão) 20h48min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)
ArgonSim este é um bom exemplo de um caso absurdo , tanto que estão debatendo um degrau acima. A origem da inclusão é questionável, então que tente apresentar argumentos relacionado a esse ponto, nenhuma discussão (as mais recentes, pelo menos) foi aberta questionando tal fato, todas apresentam o mesmo discurso de preposição e os demais seguem a mesma linha, todas foram quase desnecessárias, digo quase porque essas propostas já provaram que não haverá consenso. Mas, continuam ressuscitando o assunto. Le Comte Edmond Dantès msg 20h55min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)
Conde_Dantes, sobre {{Citar vídeo}}, você poderia dar um exemplo do uso da predefinição para a entrevista de Ayrton Senna ao Roda Viva em 86? O link do vídeo é https://www.youtube.com/watch?v=gpPUsXyqh3s. Se puder mostrar como ficaria o código e seu resultado, agradeço duplamente. —Alan Moraes (discussão) 21h38min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção da blacklist. O YouTube é uma fonte inesgotável de conhecimento, e deve ser aproveitado. cósmicodisc 21h13min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

O único de jeito de finalizar de vez esse assunto é votando, que é o que deve acabar acontecendo em breve. !Silent (discussão) 21h50min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)

Conde_Dantes, concordo contigo que esta discussão não vai levar a um consenso devido já ter sido discutido muito sobre o assunto sem nenhum resultado e por isso sou favorável, como citou logo acima o colega !Silent, que o assunto seja finalmente levado a uma votação para se verificar se é uma minoria ou não que esta obstruindo isso. Porem não me envolvo em criar votações, pois da ultima vez que tentei levar uma delas adiante fui bloqueado por enfatizar que votações são a melhor maneira da comunidade se expressar ... se não existe um consenso. DARIO SEVERI (discussão) 23h36min de 17 de dezembro de 2016 (UTC)
Também acho que o melhor é a votação, cabe à proponente considerar essa opção quando analisar o resultado desta discussão. Havendo discussão por tempo razoável e maioria favorável nada obsta à abertura da votação. Gonçalo Veiga (discussão) 01h13min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
DARIO SEVERI e Gonçalo Veiga Eu discordo da votação, isso apenas servirá para desbloquear o Youtube da blacklist baseado em visões subjetivas. Não demoraria muito para refutar todos os comentários (pelo menos a grande maioria) dessa discussão ou das discussões anteriores, concordo com o Usien6, a existência de uma premissa não anula a existência de outra oposta. O que não é produtivo é voltar a discutir o mesmo tema até que se fechem os olhos, cedem a pressão de uma das partes. A discussão só serve para criar conflitos entre usuários e pouquíssimos usuários tentaram discutir possibilidades, acredito que apenas o MachoCarioca fez isso na discussão anterior. Tanto que na discussão anterior foi passado o dado que o Youtube é o link mais barrado pelo blacklist (se não me engano), então veio uma avalanche de usuários usar essa informação, oras, é de se pensar que 90% dessas tentativas poderiam ser maléficas? (Tentativas de spams, violações de direitos autorais ou até para conseguir mais "visualizações"), a blacklist pode está aliviando uma carga enorme das costas dos usuários do Wikipédia, mas não, são todos os argumentos subjetivos, sem nenhuma evidência... Esses argumentos de "as outras Wikis não barram o Youtube", "As outras Wikis não tem problemas com o Youtube", foram verificar se não tem? E se realmente for verdade não é de se estranhar isso? Porque as outras Wikis não podem ter restrições que proíbe qualquer ser vim aqui e colocar qualquer link que lhe convém? Qualquer um sabe que essa discussão não leva a nada, então porque não começam a pensar melhor? Por exemplo, acredito que é consenso unânime permitir no mínimo, apenas os usuários autoconfirmados, eliminando as tentativas de spams que vários ips tentam postar. Porque não criamos um filtro que proíbe os usuários com histórico de VDA de usar o Youtube? Mas é sempre a mesma história, tem que desbloquear o Youtube porque ... (só falam os pontos positivos da ferramenta), mas tem pontos negativos e nunca se chega a nenhum ponto. Le Comte Edmond Dantès msg 07h44min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
Ótimo Conde Dantes, desbloquear o YouTube inicialmente só para os usuários autoconfirmados e depois se observa o que acontece. DARIO SEVERI (discussão) 08h20min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
@Conde Dantes: Gostei muito dessa solução, de desbloquear apenas para autoconfirmados (ou até mesmo só para autorevisores) parece-me ideal. Se isso é possível fazer, que se faça. Penso que isso nem terá de ir a votação.-- Darwin Ahoy! 11h18min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
@Conde Dantes: por gentileza, poderiam me informar onde estão estes dados? Não seria possível analisar os dados, nem que fosse por amostragem, do tipo de vídeos que costumam ser postados pelos perfis já mencionados (anônimos, autoconfirmados, autorrevisores)? Se não for para liberar o YouTube totalmente, penso que seria mais prudente avaliar o histórico de forma mais concreta antes de se realizar qualquer teste, pois imagino que o esforço seja menor. comentário não assinado de Alan Moraes (discussão • contrib) 21h09min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção do Youtube na blacklist. Esta é uma daquelas discussões muito recorrentes do projeto - que eu venho com este mesmo posicionamento desde a discussão de 2013 - acredito que manter da forma que está é um equívoco e vou explicar o porquê. Todos nós sabemos que ela foi incluída da lista negra em 2007 sem consenso prévio - o administrador na época foi lá, colocou e até hoje virou motivo de discussão. Aparentemente, talvez muitos não saibam que o conteúdo de WP:YOUTUBE se encaixa apenas em caso de inclusão como ligação externa: Esta recomendação não se aplica a referências no texto ou documentos considerados no todo que sejam usados como fonte para as afirmações do texto, uma vez que devem aparecer nas secções "Referências" ou "Notas". Neste caso fica claro que o bloqueio do link do Youtube não é adequado já que o uso seria válido em caso de referenciar artigos no corpo do texto usando a predefinição {{Citar vídeo}} - apenas se fosse uma ligação externa que não seria correta, uma vez que de fato estaria divulgando VDA para o projeto. Agora entendemos o porquê da versão anglófona o uso do Youtube para referenciar conteúdo não é proibido e acredito que aqui não deveria passar por uma situação com essa.

Até apoio a ideia de criar um filtro de etiquetas para que toda edição com fontes do Youtube sejam etiquetadas, e em caso de contestação, uma boa conversa na página de discussão do artigo até atingir o consenso pela inclusão da blackslist ou não. Acredito que assim seja necessário para resolver este problema que vem tornando a principal pauta do projeto há quase 10 anos por ser de interesse majoritário dos editores. WikiFer msg 08h12min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a remoção da blacklist concomitante com autorização de uso apenas por autoconfirmados. (eu preferiria até, com o Darwin, apenas por autorevisores) Tetraktys (discussão) 12h22min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)

  • O questão de liberar o YouTube para um pequeno grupo de editores familiarizados com as regras é que não vamos saber a dimensão real do verdadeiro problema, que é justamente os editores não-confirmados a inserir SPAM nos artigos. Outra questão é que o impedimento seria feito por filtros e eu não estou seguro que não-confirmados conseguiriam editar normalmente artigos com links pro YouTube. Isso precisaria ser acompanhado de perto para aplicar correções ao filtro caso necessário. Quem vai fazer isso, por acaso? Bom, mas se é para avançar com propostas intermediárias, em termos de filtro de edição existem três possibilidades: 1) Impedir a inserção por um determinado grupo. 2) Etiquetar todas as inserções para facilitar a verificação. 3) Impedir que editores insiram X links em Y artigos numa velocidade Z, que seria algo para apurar o SPAM. Eu sou favorável a seguir com a opção 2 e caso tivermos muitos problemas aplicar a opção 1 caso houver muitos erros ou 3 caso houver casos corretos mais com SPAM de algumas contas.OTAVIO1981 (discussão) 14h12min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
@OTAVIO1981: A priori, também defendo a opção 2 como teste inicial, pois a etiqueta identificará edições com links do Youtube. WikiFer msg 16h51min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)
OTAVIO1981 usei a liberação do Youtube para autoconfirmados apenas como exemplo, o que defendo é que, essa discussão acabe sem ser por uma decisão majoritária. A questão é que toda vez esse assunto volta em pauta com o mesmo tema, e ninguém cria uma discussão para realizar as condições de um filtro, assim como você citou. Eu não apoio a liberação do Youtube, é muito fácil falar concordo com o desbloqueio apenas para autoconfirmados, pode haver 1000 usuários presentes no debate e ser consenso unânime! Entretanto, quem vai realizar tal coisa? Precisa acabar com esses argumentos fracos e subjetivos (que predominou quase toda a discussão). Sendo dois caminhos para acabar com essa discussão: (1) desbloqueia o Youtube apenas para o domínio principal e crie um mecanismo de verificação (se a situação ficar ruim, que volte para a blacklist) ou (2) reunir editores com conhecimento e discutir com eles os meios termos, sem esses argumentos de na outras wiki, canais confiáveis, fiabilidade. Sabemos que tem argumentos que se opõe a esses, porque insistem? Le Comte Edmond Dantès msg 16h56min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)

Conde Dantes, excelente ideia, primeiro desbloqueia-se o Youtube para autoconfirmados, consoante o resultado se vê a viabilidade do alargamento para os demais utilizadores. E embora isso seja prerrogativa da proponente, posso dizer que concordo com o prolongamento da discussão para ver se pode existir consenso. Mas caso não se atinja o consenso, isto tem de ficar resolvido de vez, já cansa todos os anos haver propostas para remover o Youtube e porque há sempre discordos fica tudo na mesma após uma longa discussão inconclusiva. Há uma clara maioria favorável ao Youtube, não dá para adiar mais a remoção, se não houver consenso pois que se vote e acabe-se com a indecisão. Gonçalo Veiga (discussão) 17h16min de 18 de dezembro de 2016 (UTC)


Symbol support vote.svg Concordo com a retirada do YouTube da lista negra para usuários autorrevisores, posteriormente, se corresse bem experimentar-se-ia com autoconfirmados. Gato Pretotrovai-me! 17h42min de 21 de dezembro de 2016 (UTC)

Também me parece melhor liberar primeiro para autorevisores e depois, correndo bem, alargar a autoconfirmados, e por fim - hipoteticamente - a todos.-- Darwin Ahoy! 15h30min de 23 de dezembro de 2016 (UTC)
Symbol support vote.svg Apoio a liberação gradual do uso de links de vídeos do YouTube a fim de cumprir com uma das diretrizes da Wikipédia. Não se justifica o bloqueio de um website inteiro no meio de tantas outras mídias em que podem ocorrer VDA simplesmente para resolver um problema que nem temos noção de quão impactante seria (ou pelo menos, não estou ciente de uma demonstração disso). --Luk3🔔📖 15h40min de 29 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Olá! Aos que defendem o uso da whitelist e que têm permissão de liberar vídeos do YouTube, gostaria de pedir que dessem uma olhada na página, porque fiz um pedido lá há seis dias e nada até agora. Obrigado. —Alan Moraes (discussão) 21h09min de 28 de dezembro de 2016 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Olá! Percebi que praticamente só eu estou usando a página de solicitação de desbloqueio e tenho sido muito bem atendido, por sinal. Verificando os arquivos de pedidos anteriores, constatei que em oito anos houve somente 86 pedidos de desbloqueio de endereço(s), tirando os meus. Isso dá menos de um pedido por mês! É muito pouco. Não é possível que na era dos YouTubers os fãs nem ao menos tentem pedir desbloqueio do canal dos seus YouTubers favoritos.

Por que será que tão poucas pessoas pedem desbloqueios? Vamos descobrir.

Ao tentar inserir um endereço bloqueado, aparece a página seguinte. Vejamos, no meio de bastante texto, aparecem 9 ligações para artigos com conteúdos enormes (Wikipédia:Direitos_de_autor#Violação de direitos de autor, Wikipédia:Verificabilidade, Wikipédia:Livro de estilo/Referências e notas de rodapé, Wikipédia:Fontes confiáveis, Wikipédia:Versões da língua portuguesa, Ajuda:Coisas a não fazer, Ajuda:Erros comuns, Wikipédia:Políticas e recomendações, Ajuda:Página principal) antes de chegarmos no link MediaWiki Discussão:Spam-blacklist, que não é ainda a página para pedido de desbloqueio! Mas estamos quase lá... ou não!

OK, a pessoa pode perceber antes o negrito Não foi possível salvar (gravar) a página devido ao bloqueio do filtro de spam e a primeira ligação que segue é para MediaWiki Discussão:Spam-blacklist. Mas deu para perceber a quantidade de informação sem relação com o bloqueio sendo jogada para o editor?

A partir de MediaWiki Discussão:Spam-blacklist, temos 14 ligações para artigos (MediaWiki:Spam-blacklist, Wikipédia:Ligações externas, Wikipédia em português, Spam, m:Talk:Spam blacklist, Ajuda:Guia de edição/Menus e ferramentas/Diferença entre edições, Predefinição:Diff2, en:Referral marketing, Redirecionamento de URL, m:Spam blacklist/About, Wikipédia:Direitos de autor, Título inválido, Ajuda:Expressões regulares) antes de aparecer:

* MediaWiki:Spam-whitelist - lista branca de ligações externas

Se a pessoa não tiver desistido antes, o que é bem capaz, e adivinhar que o caminho é por "lista branca de ligações externas", talvez ela clique em MediaWiki:Spam-whitelist. Aí o que acontece? A pessoa vai saber claramente como proceder para pedir liberação de um endereço? Claro... que não! Só se a pessoa clicar na aba Discussão é que será informada sobre como pedir a liberação.

Minha proposta

Enquanto o assunto não é definitivamente decidido pela comunidade, gostaria de sugerir que uma nova mensagem de aviso, destacada e com fundo vermelho, fosse informada ao bloquear um endereço:

A página não foi gravada porque youtube.com está bloqueado. Não concorda? Solicite desbloqueio.

Saiba mais sobre o filtro de spam da Wikipédia.

Em suma, penso que menos é mais, menos distrações e mais facilidade para ação do editor.

Agora compare a proposta com a mensagem atual, na verdade, parte dela.

  • Não foi possível salvar (gravar) a página devido ao bloqueio do filtro de spam. O filtro detetou pelo menos uma ligação externa que está bloqueada na Wikipédia lusófona ou em todos os projetos da Fundação Wikimedia, devido a uma das situações descritas na página Wikipedia:Ligações externas. Pode ter acontecido uma ou ambas das seguintes situações:
  • não adicionou a ligação externa bloqueada, mas ela já se encontrava presente na página;
  • adicionou a ligação externa bloqueada.

Para salvar (gravar) a página, por favor retire as ligações externas bloqueadas que são indicadas a seguir. O filtro de spam deteta apenas uma ligação externa bloqueada de cada vez. Em casos raros em que existam duas ou mais ligações externas bloqueadas, poderá ter que passar por este processo de novo.

  • Endereço bloqueado: youtube.com

O que acham? — Alan Moraes (discussão) 02h35min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)

Perfeito --Usien6 15h19min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Perfeito -- WPTBR (discussão) 15h27min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
AUma página a editar sobre a mensagem é a MediaWiki:Spamprotectiontext, aguardarei mais um pouco para ver se há objeções. Chico Venancio (discussão) 15h37min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Chico Venancio, de onde vem a parte Endereço bloqueado: youtube.com? — Alan Moraes (discussão) 15h40min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Também tem MediaWiki:Spamprotectionmatch e é preciso verificar como dividir a mensagem proposta nas duas. (a princípio pensaria em branquear MediaWiki:Spamprotectiontext e colocar toda a mensagem em MediaWiki:Spamprotectionmatch, mas cabe analisar melhor). Chico Venancio (discussão) 15h42min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Acho que ainda está faltando alguma coisa, já que o conteúdo de MediaWiki:Spamprotectionmatch aparece como item de uma lista. Imagino que outra página junte as duas partes. Obrigado. — Alan Moraes (discussão) 15h49min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Caro @Alan Moraes: Apenas MediaWiki:Spamprotectiontext e MediaWiki:Spamprotectionmatch estão envolvidas. Vide linha 4160 de EditPage.php. Se você observar com atenção, verá que, além da segunda parte da mensagem, a primeira também é misteriosamente convertida em item de lista. Att --Usien6 16h10min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
@Usien6: Eita, é mesmo! Será a mensagem vem de onde você apontou? O código diz que mostraria um diff que não existe na tela atual]. Estou achando que a montagem é feita pela página que contém "Não insira textos protegidos por direitos de autor pois serão removidos. Garanta a verificabilidade das informações: cite sempre fontes fiáveis." Será que é? — Alan Moraes (discussão) 16h26min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
""Não insira textos protegidos..." vem de MediaWiki:Editnotice-0. — Alan Moraes (discussão) 16h30min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
@Usien6: Olá! Conseguiu descobrir mais alguma coisa? Estou com receio de alterar MediaWiki:Spamprotectionmatch porque ela poderia ser usada em algum log, já que seu formato é sucinto. Alan Moraes (discussão) 18h24min de 13 de janeiro de 2017 (UTC)
Symbol support vote.svg Concordo Um aviso desses seria bem útil por hora. ♪ Alberto79 ♪ Msg-Contributions 21h05min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)


Apliquei, com alguma audácia, o que entendi ser o consenso aqui.

@Chicocvenancio: Massa! Talvez você consiga contornar temporariamente esse problema da lista colocando fazendo algo assim em MediaWiki:Spamprotectionmatch:
Atenção!

{{Início destaque|fundo=#ffeeee}}
A página não foi gravada porque '''$1''' está bloqueado. Não concorda? [https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=MediaWiki_Discuss%C3%A3o:Spam-whitelist&action=edit&section=new&preloadtitle=Desbloqueio+de+%5B%5B$1%5D%5D Peça o desbloqueio].

Saiba mais sobre o [[MediaWiki:Spam-blacklist/info|filtro de spam da Wikipédia]].
{{Fim destaque}}
Será que dá certo? Obrigado! Alan Moraes (discussão) 17h35min de 18 de janeiro de 2017 (UTC)
As mensagens estão documentadas em translatewiki:MediaWiki:Spamprotectiontext/qqq e translatewiki:MediaWiki:Spamprotectionmatch/qqq.
Em particular, a segunda mensagem é apenas para mostrar a string que foi detectada na edição bloqueada. Pelo que vi no código, a segunda mensagem é usada em outros lugares em que a primeira não é usada (talvez seja na API), então não acho boa ideia usá-la para um propósito diferente. O texto sobre a proteção contra spam deveria ficar todo na MediaWiki:Spamprotectiontext (deixando a outra apenas para menionar a string específica). Helder 21h56min de 18 de janeiro de 2017 (UTC)
@He7d3r: É, aí quebra um pouco da lógica que havia pensado porque é importante dizer, em uma única frase e logo na primeira, que a página não foi gravada e por que isso aconteceu. Se separar vai ficar esquisito. Funcionaria se fosse assim?
Em MediaWiki:Spamprotectionmatch:
Filtro de spam ativado.
E o mais importante, em MediaWiki:Spamprotectionmatch:

{{Início destaque|fundo=#ffeeee}}
A página não foi gravada porque $1 está bloqueado. Não concorda? Peça o desbloqueio.

Saiba mais sobre o filtro de spam da Wikipédia.
{{Fim destaque}}
A primeira linha contém apenas   para bular a lista.
Sem querer ser chato, mas já sendo, se a frase puder ser "A página não foi gravada porque $1 está bloqueado. Não concorda? Peça o desbloqueio" em vez da atual... Existe um sentido por trás de ser assim, com base nos princípios de en:Don't Make Me Think. Obrigado por ter investigado o assunto. Alan Moraes (discussão) 03h39min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)
Mas isso é o que a frase original do MediaWiki fazia:

O texto que desejava gravar foi bloqueado pelo filtro de spam. Provavelmente este bloqueio foi causado por uma ligação para um sítio externo que consta da lista negra.

Ela não aparece só no caso de uma coincidência com a nossa lista local durante uma edição, pois o código do MediaWiki detecta SPAM em outros casos (por isso a frase tem o "provavelmente" ao falar da lista negra). Na sua proposta deixou de informar a possível causa logo na primeira frase, que é a única a aparecer em determinadas situações.
Além disso, se a orientação dada for "Não concorda? Peça o desbloqueio", acho que o link não deveria apontar para a discussão lista branca, mas sim da lista negra, pois é nela que são feitos os bloqueios/desbloqueios do que aparecer no lugar de "$1". A branca é apenas para exceções pontuais (como no caso do youtube.com por exemplo, que tem exceções para vídeos específicos). Outra opção seria, por exemplo, "Precisa de uma exceção? [Explique aqui]" ou algo do gênero (em vez de dizer como contestar o desbloqueio do site como um todo, coisa que nunca ocorrerá naquelas discussões, principalmente se for o YouTube). Helder 11h16min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)
Concordo com as considerações do Helder, mas penso que talvez seja útil unificar as dicussões de bloqueio e exceção em um mesmo local. Caberia, então, aos administradores entender se é exceção ou desbloqueio o caso mais adequado para o pedido. Chico Venancio (discussão) 13h53min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)

@He7d3r: Olá! Entendo o que você está falando, porém parece que você está pensando com a cabeça no sistema e no editor que maneja a blacklist e a whitelist, enquanto que eu estou pensando no editor comum querendo gravar sua edição. O intuito da mudança sugerida é somente fazer com que o editor comum consiga fazer um pedido na whitelist porque a maioria dos pedidos, julgo eu, devem se enquadrar mais em adições de exceções na whitelist do que em remoção de bloqueios na blacklist.
Você está correto na linguagem técnica, porém o editor fala outra linguagem. Então tenha em mente que o editor comum não entende o que são blacklist, whitelist, bloqueio na blacklist e exceção na whitelist. Por outro lado, tenho certeza absoluta que o editor que receber o pedido vai saber tratar o pedido tranquilamente, seja caso de desbloqueio na blacklist ou exceção na whitelist. Seria ótimo se o filtro de spam retornasse o endereço completo bloqueado em vez de apenas o domínio, mas o desenho dele é assim e vamos ter de lidar com isso.
Para casos que se tornem rotineiros, podemos adicionar instruções em MediaWiki Discussão:Spam-whitelist/Padrão, que é carregada por [1]. Por exemplo, poderíamos dizer "Se o pedido for sobre o YouTube, por favor, informe o endereço completo do canal ou vídeo que deseja desbloquear". Falando nisso, como é que faz para as instruções de [2] ficarem como as de [3]? Ficaria muito bacana!
Sobre os textos, sugiro o seguinte. Em MediaWiki:Spamprotectiontext, "O texto que desejava gravar foi bloqueado pelo filtro de spam", removendo a segunda frase que não é essencial.
Em MediaWiki:Spamprotectionmatch, "A página não foi gravada porque $1 está bloqueado. Não concorda? Peça o desbloqueio.", mantendo a proposta inicial de usar "bloqueado" e seu antônimo "desbloquado", em vez de adicionar um novo conceito, "exceção". Funcionaria bem também se fosse "A página não foi gravada porque $1 está bloqueado. Não concorda? Explique aqui."
Cumprimentos. Alan Moraes (discussão) 14h46min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)

O elefante

O texto seguinte foi movido de: Wikipédia:Esplanada/anúncios#O elefante

Alguns sábios cegos perambulavam por uma estrada, na Índia, quando encontram um enorme animal. Um deles pega na tromba e diz "- É uma cobra"; outro pega na orelha e diz "- É uma palmeira"; outro pega numa perna e diz "- É uma torre"; outro ainda sobe no dorso do elefante e afirma "-É uma pedra imensa". E assim cada um, baseado apenas na sua experiência pessoal, tira uma conclusão baseada nos seus sentidos restantes. Já o sábio mais sábio e mais cego de todos, escutando os outros sábios e baseado nas informações armazenadas na sua memória e no seu raciocínio, afirma resolutamente "-É a Wikipédia". Jo Loribd 13h06min de 30 de dezembro de 2016 (UTC)

O texto acima foi movido de: Wikipédia:Esplanada/anúncios#O elefante -- Leon Saudanha 14h56min de 30 de dezembro de 2016 (UTC)
Jo Lorib movi para a Esplanada/Geral, fica melhor aqui ;-)! Boas edições, e feliz 2017 Sorriso!Piscada Vida longa e próspera!-- Leon Saudanha 14h56min de 30 de dezembro de 2016 (UTC)

Disculpa pour duas mensagem sobre pesquisa do Fundação Wikimedia

Ola! Eu manei uma mensagem a uns 500 editores da wikipedia em portugues. O massmassage nao mandou o mensagem em portugues na primeira vez, então eu tinha que mandar o messagem duas veces. Mil disculpas por isso e pôr meu portunhol :) Obrigado! m:User:EGalvez (WMF) (Discussão). 19h50min de 10 de janeiro de 2017 (UTC)

Shit happens…  ;-) --Usien6 14h38min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)

Gadget para automatizar a criação e o encerramento de candidaturas para artigo bom ou destaque

Três anos depois de iniciar a criação desse gadget, estou disponibilizando uma versão de testes (que já deveria ter postado a meses). Por enquanto, o gadget apenas cria candidaturas para artigo bom ou destaque (ou seja, lista e tópicos estão fora por enquanto), assim como ainda não está sendo possível encerrar candidaturas.
Peço que se possível, pro pessoal da área das EADs ativar o gadget e testá-lo. Em caso de bugs ou sugestões, reportar aqui ou na discussão do gadget
Pra ativar bastar ir em Especial:Preferências#mw-prefsection-gadgets na parte "Edição" (no final) e marcar ContentFeatured. !Silent (discussão) 23h47min de 10 de janeiro de 2017 (UTC)

@!Silent: parabéns pelo empenho. --Joalpe (discussão) 23h52min de 10 de janeiro de 2017 (UTC)
Legal! —Alan Moraes (discussão) 00h04min de 11 de janeiro de 2017 (UTC)
Parabéns! Fico feliz em ver que as mudanças por aqui são lentas mas são constantes, isso gerava muitas discussões antigamente. Thex Waxer (discussão) 18h26min de 22 de janeiro de 2017 (UTC)

Data no formato internacional

Ao adicionar uma referência no modo automático, o item "data de publicação" é criado no formato inglês (2008-08-05). - Elilopes DEBATE 13h51min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)

Que ferramenta exatamente você está utilizando para adicionar a referência? Talvez o melhor local para reportar isso fosse o WP:CP. Victão Lopes Diga! 19h05min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)
@Victor Lopes:} Acho que é o assistente de citações do editor visual, que usa o Zotero por baixo dos panos, salvo engano. Alan Moraes (discussão) 18h11min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
Parece que sim. E a data está sendo criada no formato internacional, acho difícil alterar para o padrão europeu. Chico Venancio (discussão) 18h17min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
Entendo. Não uso a ferramenta, uso o preenchedor de referências do editor comum e ele já traz a data por extenso em português, embora erre ao colocar o mês em maiúscula. Victão Lopes Diga! 18h39min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
Coloca tudo em maiúsculas ou só a primeira letra? Colocar o mês com a primeira letra em maiúsculas (p.ex.Janeiro; Maio) é a forma usual em PT Europeu, não deve ser considerado um "erro".Jo Loribd 19h48min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
Ah, não sabia. Tá explicado então. Victão Lopes Diga! 21h45min de 20 de janeiro de 2017 (UTC)
No português europeu, nos nomes dos dias, meses e estações do ano utiliza-se a letra minúscula. Cf. Código de Redação Institucional da União Europeia. Acscosta (discussão) 10h40min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)
São os angolanos os únicos lusófonos que ainda admitem a grafia maiúscula em nome de mês --Usien6 12h19min de 23 de janeiro de 2017 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Ano - mês - dia é o único formato internacional de data. Chico Venancio (discussão) 20h06min de 19 de janeiro de 2017 (UTC)

Beechcraft King Air

  • Minha pequena contribuição às teorias conspiratórias. Ao ler uma notícia sobre o aumento da visitação,no começo de janeiro, da página sobre o KA em um site sobre aviões, após o acidente com o ministro Teori, me lembrei de verificar a visitação das páginas da WP. Em pt, en,ru e fr não houve variação significativa mas a página em espanhol tem um pico significativo no dia 5 de janeiro.Tem como verificar de onde vem essas consultas?Jo Loribd 13h21min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)
Não, a WMF sequer guarda as informações privadas sobre consulta a artigos.
Offwiki: sobre o site supostamente visitado no início de janeiro, me parece que se trata de um serviço mal feito, na tabela as visitas todas estão indo para o mesmo dia em janeiro, no gráfico estão indo para outros dias. Chico Venancio (discussão) 14h12min de 21 de janeiro de 2017 (UTC)