Wikipédia:Esplanada/propostas/Acabar com as revisões de ações administrativas (RAA) (17out2020)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Estava dialogando com o DarwIn e chegamos a um consenso sobre a ausência de benefício e, principalmente, das falhas no processo de revisão de ações administrativas.

Pois bem, após algumas pesquisas encontrei o primordium do processo. Em setembro de 2013, o finado Antero de Quintal, atual JMagalhães, abriu um tópico no esplanada para debater o assunto. Mais tarde, a votação foi aberta por um terceiro. Analisando superficialmente a votação, podemos observar o nítido interesse do Quintinense na implementação das revisões. Na prática, o primeiro ano em vigor (2014) foi um festival dos fantoches/meats do Quintinense e, curiosamente, foi o ano mais ativo das revisões. No período de 2015-2019, foram 74 (setenta e quatro) revisões administrativas abertas, das quais 42 foram encerradas como inconclusivas, seja por falta de quórum, por perda de valor ou canceladas diante da resolução da questão. Os dados estão presentes no gráfico:




Circle frame.svg
  Inconclusivas (56.7%)
  Bem sucedidas (20.7%)
  Malsucedidas (22.9%)

É nítido que o número de revisões administrativas sem benefícios supera 56%.

  • Inconclusivas (sem quórum, perda de valor ou canceladas): 42
  • Malsucedidas: 17
  • Sucedidas: 15

Obs: Dados compilados (gráfico mostra valores arredondados).


Se a ausência de interesse da comunidade não fosse suficiente, as revisões sofrem de um processo pífio e carente de regras objetivas.

  1. Uma votação transvestida de consenso permitida somente aos usuários com estatutos equivalentes;
  2. Exige um quórum mínimo sem indicar um número específico;
  3. Determina um prazo mínimo, mas não menciona um prazo máximo.

Diante dos números e dos exemplos, observamos que pouquíssimas revisões são bem sucedidas, enquanto a maioria caduca sem participação da comunidade. Sem um prazo específico, muitas revisões ficam meses abertas e a comunidade precisou adotar uma regra prática. Por fim, as revisões nunca demonstrou utilidade perante a comunidade, exigem participação específica e somente servem para causar confusões. Analisando em 2014, as revisões serviam como chaves especiais para o Quintinense e seu esquema já que propiciam uma segunda instância. O quórum restrito também facilitava para que as fraudes fossem feitas, revertendo decisões que não agradava ao esquema. Uma rápida analisada nos arquivos daquele ano demonstra o significativo interesse dos fantoches, incluindo três tentativas de bloquear o MC.

Portanto, sugiro que as revisões administrativas sejam encerradas já que não farão falta. Os pedidos poderiam ser levados para WP:P/O ou outros espaços convenientes. Muitas das revisões foram canceladas porque ambas as partes se acertaram. Edmond Dantès d'un message? 23h32min de 17 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol neutral vote.svg Neutro, pois nunca usei essa joça. Só sei que existe, mas nunca nem vi. O fato de mais da metade ser inconclusiva está excluindo aqueles pedidos criados pelos fantoches? Eu gostaria de ver estatísticas baseadas somente nos pedidos feitos por editores de boa fé, pois é lógico que os fantocheiros estragam tudo que tocam. Mister Sanderson (discussão) 20h23min de 20 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Fico um pouco em dúvida com esta proposta de eliminar um tipo de revisão, mas os argumentos estão bons, desde que não ocorram abusos e caso ocorram eles sejam tratados, acredito que esta proposta pode ser colocada em prática. Augusto Resende (discussão) 23h36min de 17 de outubro de 2020 (UTC)

1. Nada é perfeito. Eventuais ajustes podem ser feitos.

2. Concordo que não é o ideal, mas, diante de profundas divergências, através de qual mecanismo se verificaria se determinada ação foi, ou não, correta? Em WP:P/O haveria maior confusão ainda, sem falar que ali, de fato, não existem regras.

3. Apesar de atualmente não ter muito uso, o mecanismo desempenhou papel importante para "crises wiki-constitucionais" e pacificação, no sentido de não perpetuar as mesmas discussões após o encerramento de uma RAA.

São minhas observações iniciais. Érico (disc.) 23h38min de 17 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo veemente de acabar com a possibilidade de editores comuns poderem apelar à revisão colegial de ações administrativas. Concordo, no entanto, que o formato deve ser mudado.

A ideia inicial foi minha sim. Só que a minha ideia inicial foi sequestrada por um grupelho de agiotas ligados ao esquema quintinense que deturparam tudo e transformaram aquilo numa coisa imbecil e grotesca. A minha ideia inicial era tão simplesmente providenciar um espaço semelhante à página de notificação de incidentes, onde um editor comum que achasse uma ação administrativa abusiva ou errada pudesse pedir opinião de mais administradores. Se fosse evidente que a ação tivesse sido abusiva, podia ser desfeita. Em vez disso, esse grupelho criou um esquema absurdo de subpáginas e "votações", cujo único objetivo na época era usar os socks na administração para "queimar" outros administradores/eliminadores (escrevi o mesmo há sete anos). JMagalhães (discussão) 23h48min de 17 de outubro de 2020 (UTC)

@Érico e JMagalhães: meu argumento para o encerramento está baseado no mau uso da ferramenta. O processo exige um quórum (sem indicar um número) restrito, o que prejudica ainda mais a participação. Além disso, observei também que a maioria das justificativas não são condizentes, o que ocorre de 2015 a 2020. Estou disposto a analisar uma reformulação completa, caso queiram sintam-se livre para dar sugestões. Analisei sua proposta de 2013 e achei a implementação La Usurpadora. Edmond Dantès d'un message? 23h54min de 17 de outubro de 2020 (UTC)
@JMagalhães, se não está bom do jeito que está, e você mesmo reconhece isso e disse isso há sete anos, então na verdade não discorda da extinção da RAA tal como é hoje, que é a proposta do @Conde Edmond Dantès. Você discordaria de extinguir a RAA se achasse que o sistema atual funciona bem e que está lindo assim como está.
O que você está defendendo, na verdade, é que o sistema atual seja extinto, e que um novo seja criado em seu lugar, tal como você havia idealizado inicialmente. Entendi certo sua intenção real? Mister Sanderson (discussão) 20h20min de 20 de outubro de 2020 (UTC)

Nota: vou conserta o título. Edmond Dantès d'un message? 23h54min de 17 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Eu também não sou contra a existência dum espaço onde possam ser discutidas as revisões administrativas, mas acho que está mais que na hora de colocar um fim a esse formato que, segundo o JMagalhães, resulta da usurpação e deturpação da ideia inicial do espaço. O que podia ser um espaço útil, com a inclusão da opção de votação com maioria simples de administradores passou a ser só mais uma peça do Esquema Quintinense, que obviamente contava conseguir administradores em número suficiente para obter esse quórum e assim poder fazer os desvarios que bem entendesse por aqui. O modelo pode continuar, mas realmente tem de ser seriamente revisto.-- Darwin Ahoy! 00h03min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Eu sou o "terceiro" citado na proposta e sou Symbol oppose vote.svg Veementemente contra acabara com as RAAs ou mudar o formato. Num ambiente onde não há conselho de arbitragem, guerras administrativas podem se eternizar se não houver uma revisão colegiada das decisões. Isso é uma conquista em prol da pacificação da wiki que não pode ser retrocedida. Quanto à "mudança de formato", esta sim, sem acusar ninguém nem usar palavras grosseiras, posso afirmar que se torna uma forma de esvaziar esse instrumento. O que se propõe afinal? Citação: JMagalhães escreveu: «Se fosse evidente que a ação tivesse sido abusiva, podia ser desfeita». Mas como assim? Desfeita por quem? Com que critério? Os demais usuários se dividiriam entre os que entendem que a ação é abusiva e os que não pensam desse modo. Sem "votações", qual seria o desfecho? Um revertendo o outro até chegarem a pedir desnomeação? Agora, falar de mau uso desse instrumento ou ausência de eficácia, por questões circunstanciais, é outra coisa. Não se pode julgar a janela pela paisagem. Se não há interesse em participação na maioria das RAAs a ponto de prazos se escoarem, isso lastreia os poucos casos em que há interesse - então se propõe jogar a água da banheira e a criança junto... Por outro lado, se não há normas de prazo final, por exemplo, que se criem essas normas! Resolvido! Se o raciocínio aqui usado, de que "esquemas" se apoderaram das RAAs (e então vamos acabar com elas), vamos acabar com as PEs, com os EADs e com a Esplanada. Sinceramente, isto não tem lógica. E quanto às "teorias da conspiração" que apimentam o debate, isso é tão obtuso que nem tem o que responder, com todo o respeito. Millennium bug 01h06min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Está aí, a "teoria da conspiração"...: Esquema Quintinense.-- Darwin Ahoy! 01h14min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentários:

  • O conceito original de uma RAA (antes de ser fantochizada) preconizava que a revisão deveria ser algo simples, onde um administrador/eliminador que porventura ter cometido algum erro pudesse ter sua ação revista por seus pares.
  • Infelizmente, a burocracia criada em torno do processo o tornou extremamente traumático, onde o peso de ser alvo de uma RAA pode ter o mesmo impacto (psicológico) para o administrador/eliminador que um pedido de desnomeação ou mesmo ao ser alvo de uma DB. Inclusive, ao criar uma RAA, o proponente torna-se alvo de futuras represálias ao entrar em conflito aberto com um ou mais administradores.
  • Cria-se, com a abertura de uma RAA, um constrangimento para o corpo administrativo ao forçar a revisão de uma ação efetuada por um de seus componentes. Ao participar de um processo tão traumático como uma RAA, pode-se acentuar conflitos entre administradores que poderiam ter sido evitados em um processo mais amigável.
  • Em última ponta, desestimula o encerramento de PEs onde não ocorreu resultado consensual, já que a mera interpretação dos argumentos em uma eliminação por consenso pode criar margem para uma RAA. Nisso, discussões que eram limitadas a apenas 7 dias costumam ficar semanas abertas.
  • Uma ideia simples, que talvez possa ser utilizada, é a exigência de uma tentativa de diálogo como o administrador/eliminador que efetuou a ação antes da abertura da RAA, de modo análogo a exigência de diffs ao solicitar bloqueios de usuários autorrevisores. Isso posibilitaria que pequenos conflitos possam se resolver amigavelmente, evitando todo o engodo envolvido no processo de uma RAA.

ALBERTOLEONCIO Who, me? 01h17min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Não sei com que base se afirma que alguém possa sofrer "represálias" ou por ter aberto uma RAA ou por ter sua decisão cassada. Não tenho conhecimento disso nem na prática nem nas regras. Mas sou Symbol support vote.svg favorável a essas exigências propostas pelo Albertoleoncio. Se elas forem consensuais e evitarem o fim ou o esvaziamento absoluto das RAAs, ótimo! Millennium bug 01h44min de 18 de outubro de 2020 (UTC)
@Albertoleoncio: o processo das revisões é baseado num modelo insustentável de burocracia-pseudoanarquica. Sim, o modelo cria um processo burocrático sem regras claras para vários parâmetros: prazo mínimo e máximo, os usuários aptos para participar no quórum, o mérito das justificativas.
Neste contexto, transformamos um espaço destinado a correção de erros em "segunda instância" de discussões, muitas vezes com forte argumentação subjetiva. O mérito das justificativas, portanto, quase sempre é questionável. As regras presentes também não são cumpridas pela ausência de baseamento - um exemplo de demérito não foi cancelado por insegurança da comunidade já que não existe um procedimento objetivo. O resultado é um nítido conflito de usuários, muitas vezes destinados aos mofos.
Os números comprovam o péssimo resultados das revisões administrativas. Por causa disso tudo exposto, o correto é acabar com esse modelo em vigor pois não há outras razões para insistir num modelo que não está funcionando há cinco anos. Edmond Dantès d'un message? 22h12min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com a revogação de RAA, pois não é muito utilizado, muitos pedidos acabam mofando por vários meses em aberto, boa parte dos usuários com estatuto equivalente sequer participam e não traz muito resultado. De acordo com §3.3 da PB, dois autorrevisores envolvidos precisam apresentar diffs antes de abrir uma solicitação no extinto pedidos de bloqueio; pela lógica, imagino que dois eliminadores ou administradores deveriam apresentar diffs de que tentaram esclarecer um possível questionamento de RAA antes de solicitar em Notificação de incidentes. Acredito que seria mais justo e menos burocrático, tendo menos conflitos. WikiFer msg 02h56min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

  • Symbol support vote.svg Concordo com a ideia de acabar com as RAA. Se a comunidade sentir necessidade de um espaço para recorrer, que crie um do zero, sem os vícios de origem deste.Jo Loribd 15h08min de 18 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol declined.svg Discordo Se houver erro no ato praticado pelo administrador, deve também haver meio para requerer a manifestação de um colegiado de administradores para revisar o ato. Talvez deveria haver uma mudança de paradigma. Em vez de ser tratado como uma punição ao administrador, o RAA deveria ser tratado apenas como uma simples revisão, do mesmo modo como se apela de uma decisão em um processo judiciário. Se o ato for mudado, sem problemas, o administrador não vai repetir o ato, sem necessidade de qualquer sanção. Do mesmo modo, sendo o ato o mantido, sem problemas, o requerente evita fazer a mesma solicitação. Dessa forma, estaria inclusive se criando precedentes. Defendo que a RAA não seja mais tratada como um incidente, e sim como um mero procedimento de revisão. Assim, não me oponho a uma reforma no procedimento, se proposta. --A.WagnerC (discussão) 01h33min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

Defendo que atos abusivos, que podem resultar em sanções, sejam tratados na notificação de incidentes. --A.WagnerC (discussão) 01h33min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

E acho que estão superestimando demais as pretensões de Quintinense. Quantos pedidos de revisão ele fez nos últimos anos? Deve ser por isso que ele continua agindo, sempre lembram o nome dele, deve dar até motivação para continuar com seus planos diabólicos. --A.WagnerC (discussão) 01h33min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

Se você tivesse lido o que foi comentado anteriormente não escreveria besteiras! Citação: Quantos pedidos de revisão ele fez nos últimos anos? Qual o momento ou citação que gerou essa anedota desprezível de sua parte? Basta analisar o contexto em 2013 para observar que a proposta inicial foi completamente distorcida pelo grupo do Quintinense. Enfim, cada participação sua é uma lástima. Edmond Dantès d'un message? 01h42min de 19 de outubro de 2020 (UTC)
Nem vou me estressar com os seus comentários desprezíveis Conde. --A.WagnerC (discussão) 01h52min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

Prezado Conde Edmond Dantès, creio ser importante analisar ponto a ponto seus argumentos. Para tanto, preciso inicialmente lembrar da minha proposta, que foi à esplanada e, posteriormente levada à votação:

"A Revisão do de uma ação administrativa excluindo bloqueios (por exemplo, fechamento de PE, eliminação em geral, restauro, proteção, desproteção, inclusão ou exclusão de link na lista de proibições, edição de interface, atribuição de estatuto) pode ser pedida quando um editor entender que o ato, por alguma razão, foi incorreto. O pedido deve argumentar de forma clara qual foi o erro por parte do eliminador ou administrador, conforme as políticas e recomendações do projeto. Pedidos sem argumentação devem ser cancelados de imediato. O pedido deve ficar aberto enquanto não houver ao menos a manifestação de administrador (ou eliminador, dependendo da natureza do ato), além de respeitar um período mínimo de quatro dias, durante os quais os editores que tenham o estatuto em questão podem acrescentar argumentos, numa seção específica, além daquela em que a comunidade em geral se manifesta, analogicamente a uma DB. A decisão sobre o mérito do pedido também seguirá por analogia os critérios da DB. Se, ao fim, se concluir que houve erro, deve-se corrigi-lo. Se a revisão for inconclusiva, deve-se retornar ao status quo anterior ao ato."

  • Em primeiro lugar, o texto não prevê punições ou represálias para quem quer que seja. Então, não há que se "reformar" ou "revogar" algo por um vício que não existe.
  • Você cita também a ausência de regras claras e regulamentação específica. Ocorre, entretanto, que o texto manda seguir por analogia o que é previsto para a DB. Então, essas regras existem, e isso não é incomum: até mesmo em leis, seria cansativo que determinados textos fossem repetidos inúmeras vezes em vários contextos diferentes. Daí a aplicação subsidiária ou por analogia. Na programação, temos o conceito de "função". Em assim sendo, seria por demais primário deduzir a ausência de algo que na verdade existe, é presente, embora através de citação a outra fonte.
  • Se apenas os usuários com estatutos equivalentes votam, e isso é razão para tornar as RAAs um instrumento autoritário e desarrazoado, então a DB também padece do mesmo problema e temos que acabar com ela, certo?
  • Eliminar uma "segunda instância" colegiada de resolução de disputas administrativas significa um retrocesso a uma situação anárquica, em que as discordâncias serão resolvidas numa "pagina de incidentes" através de "opiniões" e, enfim - qual será a opinião correta? Quem vai definir isso. Então, paradoxalmente, algo que se acusa não ter "regras claras" vai ser eliminado em prol de outro sistema - esse sim - totalmente sem qualquer definição de que, quem e como as coisas serão resolvidas.
  • Finalmente, em que pese meu respeito ao seu trabalho e dedicação no projeto, sou obrigado a pedir-lhe, educadamente, tendo em vista WP:NDD, que se abstenha de insinuações ou mesmo afirmações de algo que não poderá provar - simplesmente porque não ocorreu. As RAAs, tal como existem hoje, tiveram a minha participação como proponente do texto final e criador, por acreditar que seria bom para a comunidade, assim como continuo acreditando. Se isso foi em 2013, como afirma, eu tinha 42 ou 43 anos de idade e seria obtuso acreditar que eu participasse de algum "grupo" de adolescentes. Lá no início você me refere como um "terceiro" e agora fecha o ciclo fazendo uma afirmação que destoa da sua astúcia como verificador, que eu bem conheço como colega. Assim sendo, se discorda do mérito desse regramento, sugiro que se atenha a esse mérito, sem essas divagações, se não for por amor ao respeito e admiração que tenho por você que seja por respeito às normas de conduta da comunidade. Com todas as consideraçõas, vejo a forma como vem conduzindo esse debate tenho como ofensiva e esperaria isso do Antero, mas não de você. Dizer que "a proposta inicial foi completamente distorcida pelo grupo do Quintinense" é um grave erro por várias razões: primeiro, porque não é uma verdade factual; segundo porque, se fosse, me colocaria imerso nesse "grupo" seja por consciente vontade ou mesmo "manipulado" - o que me tornaria um deficiente mental. E, quanto a isso, sem comentários. Millennium bug 08h02min de 19 de outubro de 2020 (UTC)
@Millennium bug: agradeço pela consideração, a polidez nas palavras e a seriedade pelo tema. Pois bem, vamos por partes:
  1. Não sei qual a definição do termo "terceiro", mas na minha região trata-se de uma pessoa intermediária e alheia a determinada situação. Esta definição está, inclusive, disponível no Wiktionary.
  2. Na proposição, mencionei o esquema Quintinense, o Antero (atual JMagalhães) e o responsável por abrir a votação, o senhor. Além do mais, em nenhum momento da proposição mencionei alguma manipulação ou outra palavra que atribuía o controle do Quintinense naquela votação. Por favor, observe que utilizei palavras como "superficialmente" e "nítido interesse".
    1. Ainda a respeito da proposição, eu excluí propositalmente o ano de 2014 por causa da participação do Quintinense. Este, somado com a associação do interesse dos membros na votação e nas demais propostas e a diferença do processo entre a redação do Magalhães com a implementada, na minha opinião, beneficiava o Quintinense (esta é minha constatação subjetiva que, aparentemente, não diferencia do posicionamento do DarwIn). Portanto, mantenho meu posicionamento sobre as revisões serem uma peça chave para o esquema naquela época - obviamente, não significa que o senhor era membro do esquema ou que foi manipulado ou qualquer outra situação. Não mencionei o seu nome justamente por não ter considerado importante para a proposição, substituindo para terceiro, a forma que encontrei para indicar que o responsável pela votação supracitada estava alheio aos outros dois fatores.
    2. Mencionei ao corpo desta página dois comentários - o primeiro uma referência a La usurpadora. O segundo, por sua vez, o mais infeliz da minha parte. No entanto, deixo evidente que o questionamento se refere ao processo das revisões. No entanto, minha argumentação inteira foi desprezada, ridicularizada e distorcida com o comentário do senhor A.WagnerC, que deturpa subjetivamente uma proposta com inúmeros fatores comparando-a a uma "birra" com o Quintinense. Agradeceria se houvesse discordância baseada em um argumento coerente e não em deboches. O processo, em si, foi interferido pelo Quintinense e esta é minha posição, mas não é o único argumento. O teu mérito na votação, por sua vez, não é o alvo das minhas críticas, tanto que minha intenção na proposição era isentá-lo. Portanto, sinto se o meu segundo comentário foi interpretado, com certeza não me expressei da melhor forma.
  3. Poderia me dizer o motivo da sua argumentação na votação não ter sido implementada? A sua redação é mais coerente do que a atual e preenche as lacunas que eu mencionei, então por qual motivo o fantoche do Quintinense adicionou o conteúdo que mais se assemelhava as propostas do esquema?
  4. Eu nunca mencionei "punições" e "represálias", então não tenho o que responder. O último termo foi citado pelo Albertoleoncio, talvez deveria perguntá-lo já que ele tem algum motivo; conhecendo-o, ele não é alguém que escreve palavras vagas.
  5. Discordo do seu posicionamento sobre as regras das revisões. Apesar disso, qual é sua opinião sobre a proposta inicial do Magalhães? Uma espécie de pedidos com regras rigorosas para evitar desvio de propósitos. Por exemplo, o encerramento bruto ou até mesmo reversões de pedidos que poderiam ser tratados em outras páginas, como a página de restauros. Estou pensando em adotar uma conclusão semelhante aos dos pedidos de autorrevissores, reversões, eliminadores... duas concordâncias ou duas discordâncias.
Por fim, espero que compreende que a implementação questionada e o nítido interesse do Quintinense não é uma acusação ou afim. Sinta-se livre para propor sugestões que possa propiciar a continuidade de um processo de revisão entrelaçado com uma metodologia mais funcional. Se eu estivesse completamente enganado, não haveria usuários concordando com a necessidade de melhorias mesmo discordando do término. Edmond Dantès d'un message? 10h39min de 19 de outubro de 2020 (UTC)
Acrescento: novamente agradeço pela diplomacia. É inaceitável expor inúmeros argumentos para ser resumido a um deboche. A última consideração do Érico me fez repensar, mas ainda acredito que necessita duma completa reformulação. Edmond Dantès d'un message? 10h43min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

O comentário a respeito do Quintinense nada tem a ver com meus argumentos de minha discordância com a proposta, tanto que coloquei em separado. Foi apenas uma opinião pessoal sobre as citações do nome del, nem tive intenção de usá-lo como contra-argumento ou crítica à proposta apresentada. Os meus argumentos de discordância da proposta estão no primeiro parágrafo. E novamente reafirmo meu posicionamento, deve ser garantido meios para contestar ato de algum administrador quando há erro. Um administrador é um humano, humanos erram, logo, o administrador está sujeito a erro, dessa forma, deve ser garantida a revisão. --A.WagnerC (discussão) 13h01min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

@Conde Edmond Dantès: Entendi o esclarecimento e peço desculpas pelo mal-entendido. Quanto ao mérito da proposta, começo a gostar dela com relação à ideia de se fazer algo similar aos pedidos de autorrevisor, porque aí não haveria uma revogação nem uma supressão de regramento, mas um aperfeiçoamento; até mesmo se isso constasse da proposta, teria a minha concordância. Agora peço que, se possível, diga onde está a diferença do meu texto proposto com aquele que foi implementado (exatamente o que foi acrescido pelo tal esquema), porque não consegui perceber - e provavelmente essa foi a causa da minha percepção, eu realmente pensava que eu seria o autor do texto atual. Reitero que peço desculpa pelo engano. Millennium bug 13h23min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

@Millennium bug: observe que sua redação é um pouco mais objetiva, apesar de haver algumas "lacunas" que consideraria pontos a serem melhorados. Compare com o texto implementado pelo fantoche do Quintinense:
  • Sua redação é mais objetiva no ponto: "Pedidos sem argumentação devem ser cancelados de imediato." Já a do fantoche é mais subjetiva.
  • Observa que sua redação faz menção a um prazo máximo, enquanto a do fantoche ignora completamente. Esse é um dos pontos contestado e, curiosamente, uma revisão foi aberta para questionar uma revisão encerrada após os primeiros sete dias.
  • Sua analogia com as discussões de bloqueios poderiam facilitar um procedimento, por exemplo: como encerrar uma revisão sem mérito, como mesurar a participação da comunidade, o quórum mínimo... mas também foi completamente ignorada.
Para ser sincero, eu não gosto das discussões de bloqueios. Felizmente elas funcionam e o modelo continua, como? Não sei! Não adotaria uma posição de modificar as DBs por completo, mas fui favorável ao rito proposto pelo Érico, por exemplo. Se você se inspirou nas discussões de bloqueios, posso atestar que as revisões é o exemplo do mesmo modelo, mas que não deu certo! Infelizmente, a maioria não recebem participação ou perdem o valor ou são canceladas. É uma burocracia desnecessária diante dos resultados de cinco anos.
Por fim, gostaria de dar um conselho pois eu mesmo mencionei que a proposta do JMagalhães foi usurpada. No entanto, vai além disso, trata-se de uma usurpação de ideia. Eu já tinha visto discussões antigas (2010-2011) nas quais o Magalhães menciona algo semelhante as revisões. Então é possível dizer que a ideia dele foi distorcida sim. Agora não sou eu que vou julgar de quem foi a culpa. Sobre a reformulação, seria uma página com modelo de pedidos, com rigorosas regras e acesso restrito aos administradores - ninguém "de fora" vai fazer comentários e nem sequer prolongar a discussão. Então dois administradores é responsável por discordar do pedido ou concordar. Edmond Dantès d'un message? 14h21min de 19 de outubro de 2020 (UTC)
Entendi! Sendo assim, Symbol support vote.svg Concordo com a proposta, nesses termos. Millennium bug 14h30min de 19 de outubro de 2020 (UTC)

Symbol oppose vote.svg Contra Pode não ser perfeito mas é melhor do que nada. Tem de haver possibilidade de revisão pelos pares de uma acção administrativa contestada e a revisão tem de ser colegial, nunca numa decisão monocrática levando o caso para WP:P/O. Poderia facilmente dar origem a guerras administrativas que são tão nocivas para qualquer comunidade Wiki. Além disso porquê privar os eliminadores de participarem na revisão de uma acção contestada no processo de eliminação? E como poderiam os administradores decidirem uma revisão de uma acção burocrática? Melhor ficar como está. Claro que as RAA podem sempre ser melhoradas, como prever o envio de mass message para os potenciais participantes (editores com estatuto equivalente) sempre que qualquer RAA for aberta, tal como hoje já se faz quanto às discussões de bloqueio. Dux Æ 08h32min de 23 de outubro de 2020 (UTC)