Wikipédia:Fusão/Central de fusões/Oi (empresa); Grupo Oi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Instruções: Acrescente essa discussão à Central de fusões para que ela seja vista por outras pessoas. Conforme a discussão avançar, arquive-a acrescentando ao campo |resultado = as expressões fundido ou não fundir.

O Grupo Oi em si não existe como uma entidade com razão social, o artigo apenas existe porque previa a fusão da Oi com a Portugal Telecom e posterior criação de uma empresa chamada "CorpCo". O problema é que a tal empresa nunca saiu do papel e a Portugal Telecom foi absorvida pelo Oi, assim como seus ativos em outras empresas.

Gusthes (discussão) 06h42min de 8 de novembro de 2018 (UTC)

Coisas planejadas e não concretizadas podem ter artigo próprio em certas condições. Fora isso, o artigo afirma que não é só a Oi que compõe o grupo, mas também empresas como Companhia de Telecomunicações de Macau e Unitel. Logo, não se resume à Oi. O argumento para a fusão, Gusthes, precisa ser melhor apresentado, inclusive com fontes, de preferência. Enquanto isso, Symbol declined.svg vou discordando da proposta de fusão. --Luan (discussão) 13h57min de 8 de novembro de 2018 (UTC)
Luan acrescento também na discussão Telemar, já que foi apenas um outro nome da mesma empresa. Tendo a discordar da proposta inicial também.-- Leon saudanha 16h57min de 9 de novembro de 2018 (UTC)
@Leon saudanha: vale dizer que regulamentos recentes de promoções da Oi (como este) trazem que as atividades se dão por meio de quatro razões sociais: OI MÓVEL S/A (Oi), OI S/A, OI INTERNET S/A e TELEMAR NORTE LESTE S/A. Só a terceira não está em recuperação judicial; a primeira é a operadora de telefonia móvel e a última é de telefonia fixa e longa distância. --Luan (discussão) 18h46min de 10 de novembro de 2018 (UTC)