Wikipédia:Pedidos a administradores/Discussão de bloqueio/Zorglub/6

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Zorglub[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Esta discussão iniciou-se às 02h54min de 22 de abril de 2021 e estender-se-á por, a princípio, 72 horas.


Evidências[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Seção exclusiva para a exposição de evidências pelo requerente do pedido ou pelo administrador que realizou o bloqueio inicial.


Para contextualizar, o Zorglub pediu a revisão do bloqueio de um dia que apliquei por comportamento desestabilizador. Esta conta está desde de janeiro deste ano revertendo edições de outros editores numa gama de artigos: Língua quimbundo, Línguas de Angola e M'banza Congo, movendo os títulos e iniciando guerras de edições intermitentes e o argumento usado pelo editor me parece falacioso já que as denominações não são variantes linguísticas. Diante disso, começou a confrontar o Renato de carvalho ferreira abusando de palavras como "preconceito", "hipócrita" e "ditatura", além de solicitar interferência administrativa contra o Renato usando trechos inverídicos.

Aliás, o Zorglub tem um histórico muito negativo quando suas opiniões são contestadas. Entre 2010 e 2013, o editor recebeu inúmeros bloqueios por se envolver em guerras de edições e por proferir ofensas contra outros editores. Após a expiração dum bloqueio em setembro de 2014, alegou-se "inatividade" e desde então vive reaparecendo para fazer algumas edições pontuais (vejam aqui) e continuar com os conflitos com outros usuários do projeto. Além disso, ele nunca se mostrou hábil a dialogar ou sequer alterou o seu comportamento, pois basta ver a conduta do Zorglub nas discussões de bloqueios anteriores, um verdadeiro festival de disseminações de desconfianças e alegações infundadas de inocência já que não concordar com o posicionamento contrário não é sinônimo de que o bloqueio foi incorreto.

Com todo o histórico do editor, observa-se um nítido espírito de embate, alguém que sempre procura o conflito contradizendo um projeto colaborativo. Também não é improvável imaginar que ele pretende criar uma narrativa distorcida que induz ao outro lado graves acusações de preconceito somente por defender "variantes angolanas" que nem são unanimidades no próprio país. Enfim, acredito que a comunidade precisa discutir seriamente a conduta do Zorglub já que tem poucas edições nos últimos cinco/seis anos e sempre se demonstra "nervoso" e criando conflitos com outros colaboradores, usando argumentos pífios. Este "espírito de guerra" não é bem-vindo e sugiro uma ampliação do bloqueio, preferencialmente por tempo indeterminado.

Edmond Dantès d'un message? 02h54min de 22 de abril de 2021 (UTC)


Defesa[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Seção exclusiva para a exposição da defesa por parte do acusado ou bloqueado.


Eu não efectuei nenhuma guerra de edições, se alguém o fez terá sido o outro editor, eu limitei-me a reverter os vandalismos causados por ele em vários artigos sobre Angola, ao que parece no entanto, eu é que sou o vândalo e ele deve ter as costas quentes. Como podem reparar, até 28 de Março de 2021, o artigo Kimbundo [1] esteve estável e com o nome correcto utilizado em Angola. O editor Renato de Carvalho Ferreira, começou a reverter, não só este artigo, como praticamente todos os artigos sobre Angola, inclusive sobre localidades angolanas, para termos e expressões, anteriores à independência, ou seja para os termos coloniais, munido da certeza absoluta de que essa deverá ser a forma correcta, pois, segundo ele, são os termos correctos em português. Ora, eu já lhe tentei fazer ver varias vezes que os termos são correctos em Portugal, mas não são correctos em Angola e sendo os artigos sobre Angola, devem ficar com os termos e expressões utilizados no português falado e escrito em Angola. Ele claramente discorda e está constantemente a reverter as alterações que eu faço para corrigir os artigos e coloca-los na sua forma estável de anos e anos de Wikipédia, ele volta a reverter tudo, já pedi o bloqueio dele por varias vezes por vandalismo e continuam a negar, e depois eu sou bloqueado por fazer guerra de edições enquanto que ele continua a vandalizar os artigos todos sobre Angola de forma impunemente. Algo está errado no reino da Etiópia...
 



"Eu sei que parece ridiculo discutir um bloqueio de 1 dia, mas é uma questão de principio, pois como se verá pelos links que vou colocar, eu apenas estava a tentar travar um vandalismo recorrente a várias páginas de artigos sobre Angola, baseados em achismos. Na realidade, não se pode considerar que tenha efectuado reversões, pois eu acrescentei referencias sobre o assunto para esclarecer o erro de quem estava, esse sim, a reverter os artigos.

A historia começa aqui: O editor Darwing, o que não é novidade, pois quando foi efectuada aqui a uns anos atrás a discussão sobre o assunto, ele não concordou com a decisão, tomada por maioria, sobre manter os artigos nos respectivos termos Angolanos e provavelmente pensando que eu não estaria a vigiar as páginas ao fim destes anos todos, moveu o artigo que, mais uma vez refiro, estava estável à anos e por decisão da comunidade no termo "Kimbundo", para "Língua quimbundo", termo correcto em português europeu (e brasileiro também), mas incorrecto em português de Angola. [1]

Como se pode ver, reverti, introduzindo referencias, inclusive do próprio site do governo de Angola, onde se comprova o uso corrente do termo no português falado e escrito de Angola. [2]

Neste momento entre o "vândalo" Renato de carvalho ferreira que reverteu tudo o que eu fiz, fazendo a afirmação "Não é o nome em português", o que demonstra claramente que nem se deu ao trabalho de verificar as referencias inseridas [3]

A partir daqui, o editor "Fabiojrsouza", protegeu o artigo, não sei se a pedido, se por alta recreação, na versão vandalizada.


Em "Línguas de Angola", reverti uma alteração efectuada, por um editor novo que alterou, mais uma vez, os nomes oficiais utilizados em Angola, pelas suas contrapartes utilizadas em Portugal/Brasil. Eu reverti informando o porque da reversão "Sendo um artigo sobre Angola, o mesmo deve estar escrito com a variante portuguesa de Angola, pelo que os nomes das línguas devem ser as reconhecidas OFICIALMENTE nesse país" [4]

Mais uma vez, entra o Darwing em cena, acérrimo defensor do "português absoluto" e reverte o que eu tinha feito com esta descrição "isso n é "variante portuguesa" nem aqui nem na China" mostrando um claro desrespeito por todos os angolanos. [5]

Mais uma vez, reverti introduzindo referências a comprovar o que disse e com o seguinte aviso "Sendo um artigo sobre Angola, o mesmo deve estar escrito com a variante portuguesa de Angola, pelo que os nomes das línguas devem ser as reconhecidas OFICIALMENTE nesse país"

Chega novamente por trás o Renato e reverte o artigo, ignorando novamente as referencias introduzidas e tendo o descaramento de afirmar isto "Se não concorda com o que está nos dicionários (todos eles), não posso fazer muito" [6] o que +e falso, pois como se pode ver aqui [7] (e não é um aqui qualquer, é o dicionário que foi reconhecido como o documento oficial de referencia para o AO1990) o termo "Kimbundo" está dicionarizado e é reconhecido como forma do português, fazendo, obviamente, a ligação para o termo utilizado em Portugal.


E isto continua em todos os outros artigos de Angola, tendo este senhor chegado ao cumulo de alterar nomes de terras e localidades de Angola, pelas suas contrapartes, caídas em desuso, utilizadas no "Portugal de antigamente". Como tal, não só protesto veemente, contra este bloqueio, onde se pode verificar que não fui eu que promovi a "guerra de edições" como ainda por cima os verdadeiros responsáveis ficam impunes e continuam a "vandalizar" impunemente os artigos de ou sobre Angola.

Atenciosamente Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 09h45min de 22 de abril de 2021 (UTC)

NOTA: Já que gostam tanto de citar a "ciberdúvidas" aqui está um esclarecimento feito por eles que corrobora o que eu afirmo, ou seja que em portiugal e no brasil o correcto e o uso espectado é o termo "quimbundo" mas que em Angola o termo a usar é "KIMBUNDO" [8]

E já agora, volto a reforçar que contrariamente ao que "alguns" editores afirmam o termo Kimbundo está dicionarizado e é aceite em Portugal, como se comprova por aqui: Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e por este artigo publicado pela RTP vindo da LUSA (fonte oficial de noticias em Portugal) onde se vê que o termo KIMBUNDO é claramente utilizado em detrimento de quimbundo | Peso histórico do português dificulta ensino das línguas nacionais em Angola

PS: Agradecia que alguém coloca-se o que escrevi na parte da minha defesa, visto estar bloqueado e impossibilitado de o fazer, o que é completamente ridículo, pois nem sequer me permitem a defesa nem contestar os comentários falaciosos apresentados. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 09h51min de 22 de abril de 2021 (UTC)"

Vejo que me são aqui levantados falsos testemunhos, baseados em comportamentos meus passados, ou seja fazem afirmações do género de "eu ser experiente", por favor, eu "era experiente" eu deixei de editar a wikipedia à anos, já nem sei onde estão as coisas ou como é que elas se fazem, fui inclusive acusado de "abusar do espaço publico" apenas por ter pedido esclarecimentos como deveria fazer as coisas, pois já não as sei fazer, quanto ao facto de ter voltado aos velhos hábitos claramente não voltei. Eu abandonei a wikipedia por ordem médica, tive um colapso nervoso e estive inclusive internado, nessa altura já não tinha discernimento para conseguir falar com quem quer que fosse, se verificarem os meus bloqueios dessa altura, devem-se exactamente a faltas de desrespeito perante a comunidade. Eu sou colaborativo, não tenho nada contra quem quer fazer edições válidas, mas quando chamo alguém de vândalo faço-o porque se de facto não o é parece, pois reverter sem justificação válida nem argumentos validos uma edição valida e correcta, isso é vandalismo, a menos que os conceitos de vandalismo tenham mudado, reclamam de ter chamado certas pessoas de saudosistas do passado e pro-colonialistas e tem razão no que dizem porque o fiz, mas eu faço uma pergunta, quando na wikipedia existe uma "lei" que diz que artigos sobre um determinado pais lusófono devem estar escritos na variante local e os mesmos são abusivamente alterados para a variante de português europeu, com a desculpa de que essa é que deve ser a forma correcta, pois não existe nenhuma variante de português angolano, desculpem lá, mas do meu ponto de vista, como angolano, essa atitude é desrespeitosa, insultuosa e "paternalista" sendo o tipo de atitudes que existiam no tempo colonialista. Eu compreende que para a maior parte de vocês isso seja igual a nada, pois não passaram pelas agressões do fascismo e do colonialismo e por isso não conseguem entender esse sentimento, mas reparem neste ponto... Quem é que desestabiliza? Aquele que prova o que diz, ou quem não aceita as provas e mantem a sua actitude inalterável. Reparem que eu nunca disse que, por exemplo, "língua quimbundo" está incorrecto, o termo é obviamente correcto em português, o que eu disse é que esse termo não é o correcto em Angola, onde o termo kimbundo está cristalizado e oficializado pelo próprio governo, inclusive apresentei o site do governo de Angola que prova exactamente isso, eu só pretendo, e tudo se passou há volta disso, que se respeite as formas oficias de se escrever do português Angolano, e isso é sempre recusado, com afirmações ridículas de que "todos os dicionários provam que é quimbundo", ora isso é uma falácia, eu apresentei provas de que o termo "kimbundo", não só está dicionarizado, contrariando as afirmações feitas, como também é utilizado em Portugal pelas instancias oficiais e, mesmo apesar de o ter provado, a resposta que obtenho é uma continua negação das evidencias e um "forcing" para se alterar todas as formas correctas das varias línguas e localidades angolanas, em português usado em Angola, pelas suas contrapartes utilizadas em Portugal. Eu concordaria e concordo que em artigos portugueses e relacionados com Portugal, quando se fala desses termos, se deva/possa usar as versões reconhecidas em Portugal, o que não entendo e toda esta discussão é apenas sobre isso, porque é que as versões utilizadas e cuja utilização é confirmada, através de sites oficiais do estado angolano, sobre a forma como se escrevem as línguas nacionais (que de forma insultuosa foram referidas como línguas africanas) e sobre as localidades (inclusive sites das câmaras dessas localidades), não possam ser utilizadas por "não serem escritas dessa forma em Portugal. Eu volto a lembrar, pois parece que certas pessoas se esqueceram disso, que Angola, já não é Portugal, há muitos anos, Angola é um estado independente onde se fala, obviamente, português, mas que o mesmo evoluiu para uma variante própria de pleno direito que é usada em Angola de pleno direito, tal como no Brasil se utiliza um português diferente do utilizado em Portugal e vice versa. Por isso, se acham que eu devo ser bloqueado indefinidamente, por defender aquilo que é correto, então façam-no, mas façam-no sem subterfúgios, ou seja sem recorrerem ao meu passado que não é para aqui chamado. Atenciosamente e com a esperança que vença o bom senso Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 01h42min de 23 de abril de 2021 (UTC)
Volto a colocar aqui alguns links oficias que comprovam as formas referidas:
Site oficial do Governo de Angola: A Língua Oficial é o Português, para além de diversas línguas nacionais, sendo as mais faladas: o Kikongo, Kimbundo, Tchokwe, Umbundo, Mbunda, Kwanyama, Nhaneca, Fiote, Nganguela ... Capital do Zaire - M'Banza Congo
Dicionário Priberam da língua portuguesa: Kimbundu
Ciberdúvidas: A língua kimbundu, Qimbundo/Kimbundu, Português, língua nacional angolana (artigo do Ciberduvidas, onde se fala exactamente da variante do português angolano falado em Angola e que foi aqui afirmado "não existir")
Artigos e estudos científicos: UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR, Departamento de Letras - A Língua Portuguesa em Angola (por exemplo a página 73 - O kimbundu assume, nesse particular, um papel preponderante no universo das línguas nacionais de origem africana, por ser, de longe, a língua de onde emana a maior quantidade de neologismos), Universidade Agostinho Neto - Português e línguas bantu na educação angolana: da diversidade como "problema" (por exemplo a página 3 - o português não pode ser a única língua de escolarização, devendo-se considerar as línguas kikongo, kimbundu ...), Em torno da consagração de uma variante angolana do português
Utilização do termo kimbundu em Portugal: | RTP/Lusa - exemplo 1, | RTP/Lusa - exemplo 2, | RTP/Lusa - exemplo 3 e Muitos outros mais.
Penso que seja suficiente, para se verificar que a minha posição está correcta e que de facto existe "uma variante de português angolano" falada e escrita em Angola e, como tal, deve ser respeitada e os termos utilizados em Angola são os que devem prevalecer nos artigos em detrimento dos utilizados em Portugal. NOTA: Se não chegarem, arranjo milhares de outros artigos que o comprovam. Atenciosamente Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 02h45min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Pelo visto, não posso fazer comentários, apenas apresentar defesa, pois os meus comentários foram apagados usando esses argumento, no entanto refiro aqui o meu desagrado, pois se assim é, não custaria nada a quem reverteu os meus comentários, em vez de os reverter, deveria tê-los movido para aqui, como eu estou a fazer neste momento. Espero que agora esteja tudo conforme as novas regras. Obrigado por tudo. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 02h56min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Comentários[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Seção para uso geral, destinada à exposição de argumentos. Ao editá-la, tenha sempre em mente as normas de conduta, não abuse do espaço público e justifique-se ao abrigo das políticas e recomendações do projeto.
A inserção de comentários fora de pauta, ofensivos, pejorativos e assediantes sobre determinado ponto de vista ou usuário, aproveitando-se da visibilidade da discussão, é motivo para bloqueio imediato, de acordo com a política vigente.


Parece-me que o Zorglub retornou aos seus velhos hábitos ao defender determinadas denominações alegando que são "variantes" usadas em Angola. Como justificativa, ele criou uma narrativa distorcida que tenta criar uma cisão entre os editores e atribuir um posicionamento acusatório e preconceituoso contra os editores portugueses. Em 2021, ele voltou a insistir em seu ponto de vista nas páginas Línguas de Angola, M'banza Congo e Língua quimbundo, retornando aos velhos hábitos de reverter e ofender terceiros. Também usou a narrativa distorcida supracitada (aqui). E, mais tarde, começou a ofender o Renato com mais frequência:

Um pouco antes, ele havia chamado o DarwIn de "abusado editor" e nitidamente de oportunista.

o abusado editor que fez a alteração sempre esteve contra e claramente esteve à espera que todos os editores que participaram da discussão inicial, abandonassem a wiki para ele, à revelia, desrespeitando tudo e todos, fizesse a alteração que fez. Se ele queria alterar o nome, deveria ter aberto uma página de discussão sobre o assunto em vez de o fazer a socapa e unilateralmente.

Ontem, 21 de abril, o Zorglub usou uma página pública - mesmo avisado anteriormente que o pedido dele não atende ao propósito da página - alegando falsamente que o Renato já havia sido bloqueado por causa daquele conflito. Posteriormente, o Zorglub profere esta ofensa contra o Renato:

Já ficou provado por múltiplas fontes que os termos correctos utilizados em Angola são aqueles que não aceita por "não serem portugueses" o que faz com que insulte um legado, uma nação e uma cultura inteira, chamando-os de analfabetos, por não escreverem como você acha que deveria ser. Só por esse insulto, você deveria ser banido da Wikipédia.

Aliás, 24 horas de bloqueio é um período até que injusto dado o histórico disruptivo deste utilizador, que sempre se mostrou hábil para criar conflitos, com o agravante de espalhar discurso de ódio, com teor xenofóbico contra os portugueses. Edmond Dantès d'un message? 04h00min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Acredito que as moções precisam ser também analisadas (não para fins de bloqueios, mas para manutenção do que é mais correto). Assim como nos artigos relacionados ao Brasil, deve-se privilegiar a variante brasileira do português, em artigos relacionados à Angola, deve-se privilegiar a variante angolana. Será mesmo correto quimbundo em vez de kimbundu? Não estou afirmando nada, é apenas um questionamento. --A.WagnerC (discussão) 05h01min de 22 de abril de 2021 (UTC)

A.WagnerC, não existe variante linguística nenhuma. Isso é invenção do Zorglub. De modo que não existe o "mais correto" nesse caso, e sim o que é português (angolano inclusive) e o que é um híbrido banto. Vide comentário meu abaixo.--Rena (discussão) 05h20min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Gostaria de aproveitar o ensejo para acrescentar duas coisas. A primeira é que as frases supra não são as únicas que o editor proferiu no histórico recente de edições dele, sendo ela 60975098]:

Não sei como é que se entende com os brasileiros daqui, pois também não deve reconhecer que existe a variante portuguesa brasileira. Enfim. Nem sei que dizer de tal falta de respeito por uma nação inteira e por esta demonstração clara de saudosismo do colonialismo (negrito meu)

A segunda é que quando veio até mim em minha PDU há alguns dias (60839596]), apresentou obras acadêmicas de Portugal que, ainda que citando os tais nomes que defende, falam de forma geral do quão danoso é o uso de híbridos oriundos de missionários ingleses que circularam por aquelas bandas (uma delas fala até em "bantificação" da antroponímia / toponímia portuguesa local). Também é digno de nota aí que são fontes de Portugal, do dito "colonizador", e não da "colônia". Que há fontes em português usando os termos híbridos é obvio, mas não faz o menor sentido quando há uso corrente (em todas as variantes) dos nomes em português, além de estarem dicionarizados.

Pegando o quimbundo de exemplo, ele aparece em todos os dicionários (cito Michaelis, Aulete, Priberam, Infopédia, Falares Africanos de Yeda de Castro), sítio do governo ("linguista na especialidade de Quimbundo-Português"), seminários organizados em Luanda (aqui), matérias jornalística de Angola ("defensor das línguas angolanas, particularmente o Quimbundo"). A própria ANGOP indica o uso, uma vez que há matérias sobre a língua ("disse que fala basicamente o quimbundo" e vários outros usos) e cita Mona-Quimbundo ("nas comunas do Mona-Quimbundo e Sombo"), que na forma híbrida foi / é chamada Mona-Kimbundo.

Enfim, o editor usa a discussão linguística (válida) como palco de ofensas aos portugueses do projeto, chamando os nomes em português (da própria Angola) como "variantes portuguesas" e chama aos editores portugueses de colonizadores ou, quem discorda dele, de "saudosistas do colonialismo".--Rena (discussão) 05h20min de 22 de abril de 2021 (UTC)

@Renato de carvalho ferreira: Não conheço a cultura de lá, então abri apenas um questionamento. Não vou opinar a respeito do bloqueio. --A.WagnerC (discussão) 05h26min de 22 de abril de 2021 (UTC)
A.WagnerC, entendo seu ponto. Mas quero chamar a atenção logo de cara que não se trata de variante linguística nenhuma (não isso que ele está alegando), de modo que nem se sustenta a discussão toda (mesmo que não tivesse descambado para um pedido de bloqueio).--Rena (discussão) 05h28min de 22 de abril de 2021 (UTC)
A.WagnerC, desculpa por me meter, mas a(s) questão(ões) linguística(s) podem, e devem, ser discutidas em outro lugar! Sei que elas estão "entrelaçadas" com o que se discute, mas não é o foco aqui!
Recentemente encontrei um "problema" pendente de 2013, que posteriormente o DarwIn resolveu e explicou. Esse é só "mais um" dos vários problemas que essas "guerras de movimentações" provocam (pelo menos mais dois redirects quebrado eu encontrei).
Se o Zorglub entende que o artigo está com informação errada, deveria abrir uma discussão no artigo, ou chamar a atenção dos demais envolvidos sobre discussões anteriores (vi que ele alega isso, mas não fui atrás delas), e não fazer essas "guerras". Mais ainda, sair chamando outros editores de "vândalos" e pedindo o bloqueio (parece que várias vezes negado) e insistir nesse comportamento é que é danoso ao projeto.
Procurei no histórico do artigo, a primeira movimentação, e observando o que dizia então o RafaAzevedo, vemos que o "conflito" (nesse artigo) já vem de longa data! A página já foi "movida" 22 vezes, incluindo pelo menos duas "fusões de histórico".
Não vou procurar por outros artigos, esse mostra bem o comportamento do usuário, e é isso que tá em discussão!
Vou aguardar mais um tempo, pro Zorglub repensar a sua "defesa", antes de me manifestar como administradora! Talvez ele reconheça onde errou, ou me convença que estamos errados!
Sds -- Sete de Nove msg 10h51min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com o bloqueio por tempo indeterminado, infelizmente. É triste, mas não dá. O usuário, em sua defesa, continua a atacar, chamando o usuário Renato de Carvalho de "vândalo". Liquet Id dice 10h56min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol question.svg Perguntas ainda não olhei o caso com atenção, mas gostaria de saber do Zorglub: há na literatura (preferencialmente fontes adêmicas como artigos e livros) as afirmações reproduzidas por você (no caso de haver, e inventadas no caso de não haver) de que o uso das palavras pelo Renato de carvalho ferreira constituem comportamento colonizador? Em todo caso, veja que este argumento deveria ser usado apenas contra as edições e não contra a pessoa do editor. Embora estejamos avaliando apenas o comportamento do editor e não a edição propriamente dita, creio que a corretude ou não as edições de Zorglub podem influenciar na severidade do bloqueio. Também gostaria de saber do Zorglub: há, por parte do Renato, acusações, insultos e etc a sua pessoa, se sim, apresente os diferenciais, por favor. Do proponente Conde_Edmond_Dantès gostaria de pedir os diferenciais de onde teria acusado o Renato de: "preconceito", "hipócrita" e "ditatura" (está muito grande o pedido, desculpe-me se os deixei passar).--Felipe da Fonseca (discussão) 12h07min de 22 de abril de 2021 (UTC)

@Felipe da Fonseca: um momento, eu não afirmei que o editor chamou ou acusou o Renato dessas palavras, mas que elas foram usadas no conflito que ele vem cultivando com o Renato. Observa meu comentário mais abaixo, no qual tentei esclarecer os parâmetros desta questão linguística. Edmond Dantès d'un message? 18h40min de 22 de abril de 2021 (UTC)
@Felipe da Fonseca: Nesse caso, creio que não importa quem tenha razão nos conflitos editoriais, mas como cada editor se comportou no decorrer do conflito, e esse comportamento é que levou ao bloqueio de um e não de outro. Yanguas diz!-fiz 19h07min de 22 de abril de 2021 (UTC)
@Yanguas: eu entendo que importa e muito: se o editor está apenas a vandalizar a wikipédia inserindo conteúdo que nada tem a ver com a língua portuguesa, um bloqueio infinito é inquestionável, se está defendendo um ponto de vista editorialmente válido, mas não soube como fazê-lo, creio que o bloqueio infinito já não é asim tão óbvio. --Felipe da Fonseca (discussão) 19h12min de 22 de abril de 2021 (UTC)
@Felipe da Fonseca: O usuário é bem experiente para saber "como fazê-lo", só não quis — e teve 15 bloqueios anteriores para tentar entender a questão. E repito: ele não foi bloqueado por "ponto de vista inválido", mas por comportamento desestabilizador, pelo qual ninguém tem razão. Yanguas diz!-fiz 19h19min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio por tempo indeterminado, ainda que sinto que essa situação poderia ter sido evitada com uma discussão adequada apenas nas páginas em questão em que a variante linguística é problemática. No momento em que insultou (e ainda insiste nisso na sua defesa) outro usuário e configurou edições válidas como "vandalismo", passou a infringir WP:POV, comprovando comportamento desestabilizador e agindo de forma disruptiva e constante. Assim, conforme proponente, vejo também que o usuário acabou demonstrando incapacidade de trabalhar em um projeto colaborativo como a Wikipédia Lusófona, por isso a sugestão do bloqueio permanente é mais do que justa.--Wolf pois não? 13h28min de 22 de abril de 2021 (UTC) Symbol comment vote.svg Comentário Dado o fato que o usuário se mostrou aberto a diálogo e houve maior esclarecimento sobre a conduta do mesmo e a razão que o levão as ações distuptivas, passo a Symbol support vote.svg concordar somente com o bloqueio inicial, e Symbol declined.svg Discordo de uma ampliação do bloqueio, presumindo boa fé perante as ações do usuário. Espero que isto seja visto como voto de confiança de uma postura mais aceitável dentro da comunidade, e que ele não desperdice isso com outros conflitos desnecessários.--Wolf pois não? 20h34min de 29 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio por tempo indeterminado. Insultos e acusações de vandalismo, dentre outros comportamentos impróprios solapam a estabilidade do projeto e depõem contra o convívio entre editores. Skartaris (discussão) 15h58min de 22 de abril de 2021 (UTC)

@Skartaris: não deveria opinar na seção abaixo? Edmond Dantès d'un message? 18h35min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio por tempo infinito. O editor usa de uma opinião pessoal sua para criar um conflito de colonizador x colônia que só existe em sua cabeça, mostrando um pensamento retrógrado. Está já é sua quarta discussão de bloqueio, e mesmo assim, mostra que não deixou de ter um comportamento disrupitivo-agressivo. Patrick fala! 18h12min de 22 de abril de 2021 (UTC) Passo a ficar Symbol neutral vote.svg Neutro. O usuário só fez estes tipos de alteração ao longo dos anos e não pareceu querer nada mais além disso, mas como chegaram à um consenso quanto ao caso, me abstenho. Patrick fala! 18h40min de 30 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário @A.WagnerC, Felipe da Fonseca e 79a: vamos esclarecer a situação; as afirmações do Zorglub provavelmente são falsas. Uma variação linguística ocorre quando surge possibilidades de mudanças de seus elementos, como vocabulário, pronúncia, sintaxe e morfologia. O termo kimbundu tem uma grande interferência de línguas derivadas dos anglo-saxões, como o inglês e não é unanimidade nem na própria Angola! Portanto, isso não é uma variação do português angolano e sim uma adaptação inglesa.

Dito isso, precisamos esclarecer um pouco sobre a relação entre as línguas quimbundo e portuguesa. O quimbundo é considerado um dialecto nacional, o qual tenho minhas dúvidas sobre seu uso atual no próprio país. Uma das principais influências deste dialecto na língua portuguesa se deu pela apropriação de palavras ofensivas, usadas por portugueses colonizadores de forma muito negativa e preconceituosa, inclusive com caráter racistas. Contudo, não convém usar o preconceito do passado para generalizar e criar uma narrativa de cisão, uma tentativa de ruptura entre editores portugueses e angolanos pelo simples facto da Wikipédia usar o título "quimbundo", que é a denominação usada majoritariamente em dicionários portugueses.

Recentemente, o Zorglub está usando uma argumentação mais generalizada do que ofensiva, mas não abre mão desta narrativa de combate entre colonizado e colonizador. O que me aparenta é que o editor tem sua convicção, mas sem respaldo da própria língua portuguesa. Então, abusa-se de alegações inverídicas e outros métodos que não condiz com o espírito colaborativo da Wikipédia. Além disso, vamos ser sinceros aqui. O Zorglub já faz isso desde 2010/2011, o que pode ser visto em seu registro de bloqueios. Edmond Dantès d'un message? 18h35min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Conde Edmond Dantès obrigado pelas explicações. Seria bom ouvir Zorglub a este respeito. O que parece certo de tudo isso é que a questão editorial não é muito simples e !pode! ter levado ambos os lados a se exaltarem, levando Zorglub a cometer algumas agressões às nossas políticas, passíveis de bloqueio, mas não infinito. São apenas conjecturas. O fato da língua quimbundo ser oficial no país já basta para ser respeitada como tal, porém, se ela não é português ou variante do português, realmente entendo que não deve estar nos artigos (pelo que vejo no site da wikipédia, são várias as línguas oficiais do país), uma vez que a Wiki.pt é uma comunidade em torno da língua portuguesa e variantes. Seria o caso de criar um projeto para esta língua. Ainda espero resposta do Zorglub e eu mesmo tenho que investigar o caso mais detidamente. --Felipe da Fonseca (discussão) 18h58min de 22 de abril de 2021 (UTC)
@Felipe da Fonseca: outro momento, o quimbundo não é a língua oficial da Angola, mas sim o português. Ninguém aqui está desrespeitando nada já que é possível encontrar inúmeras fontes afirmando que se trata de dialectos. Além disso, o facto da questão editorial não ser simples não justifica um comportamento persistente desde 2010! Não acha que o Zorglub teve muito tempo para mudar o seu comportamento? Peço que analise o comportamento e não os méritos de cada lado. Edmond Dantès d'un message? 19h21min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Embora 79a afirme que o questionamento é relacionado a assunto diverso, como essas moções fazem parte dos motivos desta DB, considerei pertinente analisar a licitude dessa conduta. Como afirmei acima, não vou me posicionar a respeito, especialmente porque infelizmente conheço pouco a cultura de Angola. Como os colegas estão afirmando que o nome Kimbundu não faz parte da variante portuguesa daquele país, inclusive apontaram links contestando, fica a cargo de Zorglub comprovar a veracidade de suas alegações. --A.WagnerC (discussão) 18h45min de 22 de abril de 2021 (UTC)

A.WagnerC Você pode ler novamente o que escrevi? Citação: Sete de Nove escreveu: «...Sei que elas estão "entrelaçadas" com o que se discute, mas não é o foco aqui!» Independente dele estar "certo", ou não, os "conflitos" (mostrei num artigo, não olhei em outros) começam lá em 2010, mas não justificam chamar os editores de "vândalos"! Se ele estiver certo, pode sair ofendendo os outros? É esse o foco que devemos ter! -- Sete de Nove msg 19h09min de 22 de abril de 2021 (UTC)
Compreendo, mas acredito que a pauta não deveria ser as moções e sim a conduta com que o editor reage contras as moções. Sim, é possível discutir sobre os títulos desde que seja um diálogo produtivo, mas o Zorglub não faz isso! O ponto que tentei esclarecer é a ausência de veridicidade na argumentação de que a denominação em pauta seja uma variação linguística, não vejo assim. Edmond Dantès d'un message? 19h21min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Qualquer pessoa que tenha alguma familiaridade com o português angolano, seja na literatura ou na imprensa, por exemplo, nota facilmente que existe, pelo menos empiricamente, alguma diferença em relação ao português europeu, norma da qual se aproxima muito. Essas diferenças na construção de frases, uso de artigos, etc., até hoje muito mal estudadas e identificadas, não têm, no entanto, nada que ver com os postulados de Zorglub, que quer à força que se aceite como "variante do português" termos vindos da língua inglesa, crioulos locais e toda a casta de gírias que não têm qualquer uso na norma culta angolana de português. Zorglub aparenta desconhecer o que é um idioma, e construiu mentalmente um aglomerado caótico dessas gírias, termos crioulos, ingleses e eventualmente de outras origens que chama de "português angolano", atribuindo a essa mistura anárquica uma espécie de qualidades místicas de "patriotismo anticolonialista". Julgo que aqui passamos bem sem esta espécie de proselitismo criativo linguístico, ainda para mais eivado de xenofobia, como já acima ficou referido.-- Darwin Ahoy! 20h13min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol question.svg Pergunta aos que estão defendendo que as modificações do editor Zorglub são erradas: o que dizer desta fonte: [[9]], no mais... estive pensando sobre este englisismo ou interferências do inglês de que vocês falam... digamos que o inglês (o que é bem comum), ou o francês (o que já foi bem comum) influenciem o portugues falado no brasil, esta influência não seria considerada português? Mesmo se dicionarizada?--Felipe da Fonseca (discussão) 21h51min de 22 de abril de 2021 (UTC)

@Felipe da Fonseca: Claro, desde que conste do Houaiss, Michaelis, Aulete, etc. Sem isso, não. Ou já teríamos uma legião de Zorglubs.br aí querendo enfiar calão, inglês a tupi-guarani à toa como "versão de português do Brasil".-- Darwin Ahoy! 22h46min de 22 de abril de 2021 (UTC)
@Felipe da Fonseca: é como disse o Darwin, e se me permitem mais uma opinião: o motivo dessa discussão nem é tanto a questão da escrita, mas sim o comportamento disrupitivo do usuário, que a cada edição, cria conflitos inexistentes de subjugação de outraa vertente portuguesaa, como se estivéssemos menosprezando outras vertentes do português. Resumindo, ele usa de um pensamento que ele acha correto para criar conflitos inexistentes, como se fossemos preconceituosos e tivéssemos criado um "português wikipediano". Patrick fala! 22h57min de 22 de abril de 2021 (UTC)

"O editor Darwing, o que não é novidade, pois quando foi efectuada aqui a uns anos atrás a discussão sobre o assunto, ele não concordou com a decisão, tomada por maioria, sobre manter os artigos nos respectivos termos Angolanos" - Só se foi o Darwing mesmo, porque eu não me lembro de alguma vez ter discutido isso.-- Darwin Ahoy! 22h43min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Interesssante. Dr. Loo 22h01min de 7 de maio de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário não adianta esperar muito para ver que o editor continua a chamar os indivíduos de quem discorda de vândalos e que só estava revertendo "vandalismos". Ficar nesse ciclo agressivo não dá bons frutos e desestabiliza o projeto.--Rena (discussão) 02h19min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Acerca de algumas questões que têm sido levantadas, gostaria de referir aqui este estudo - que, aliás, tem sido repetidamente citado pelo próprio Zorglub que, embora o cite, provavelmente nunca o leu - que, pese embora use termos anglófonos para as etnias e línguas africanas, como é frequente neste tipo de estudos, diz claramente que até hoje (2014) não existe nenhuma versão de "português angolano" descrita e reconhecida, embora ela seja aparente, continuando o país a reger-se pelo português europeu que, aliás, é a única língua oficial em Angola. Isto vem provar que tudo o que o Zorglub tem colocado nos artigos como "versão angolana", em particular toda a casta de gírias, termos ingleses, crioulos e termos de outras línguas angolanas, não passa de pesquisa inédita do próprio, e deve ser sumariamente removida de tudo quanto é tabela de variação linguística.-- Darwin Ahoy! 06h59min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Symbol question.svg Pergunta Zorglub, sua página de usuário diz que você está inativo há muito tempo; o que está fazendo editando então?--Mr. Sand.Ano ⓬ 21h11min de 24 de abril de 2021 (UTC)

Citação: Zorglub escreveu: «Eu abandonei a wikipedia por ordem médica, tive um colapso nervoso e estive inclusive internado, nessa altura já não tinha discernimento para conseguir falar com quem quer que fosse, se verificarem os meus bloqueios dessa altura, devem-se exactamente a faltas de desrespeito perante a comunidade. Eu sou colaborativo, não tenho nada contra quem quer fazer edições válidas, mas quando chamo alguém de vândalo faço-o porque se de facto não o é parece» Já que você se permitiu abaixar a guarda e ser (parcialmente) franco (parcialmente pois você voltou a editar e nunca removeu a marca de inativo, e ter tido um colapso pode ter até justificado adicionar a marca, mas não justifica não remover), vou te dar uma dica: não é normal as pessoas serem nervosas ao nível que você era quando quase foi banido há uns anos, e que foi a última vez que tive algum contato contigo. Eu já vi pessoas muito nervosas, e eu mesmo sou nervoso (vide os conflitos em que me envolvi em 2013), mas é preciso lidar com isso de algum modo, pois as outras pessoas não têm culpa de alguém ser nervoso, e não são obrigadas a tolerar comportamento agressivo.
A agressividade exacerbada é um transtorno de humor. Um transtorno de humor pode ser várias coisas, mas nas pessoas nervosas frequentemente é uma amplitude muito grande para cima, para o humor exaltado/hipomaníaco, acompanhada de uma facilidade para chegar aos extremos (ou 8 ou 80). Então os níveis de estímulo que jogam o humor da pessoa pra cima são muito baixos comparados à "média" hipotética das outras pessoas, e desencadeiam uma reação extrema que assusta, diverte, ou causa desgosto nos outros, a depender de quem for e das circunstâncias. Frequentemente leva a pessoa a se ver isolada pelos outros e/ou sancionada por instituições ainda que tivesse razão no conflito que originou, o que desencadeia um círculo vicioso, retroalimentando o desequilíbrio emocional.
Quem controla as emoções em nossos cérebros são as amígdalas cerebrais. Quem é bipolar tem um conflito entre as duas amígdalas, com uma tentando contrabalançar os efeitos da outra, mas sempre errando a mão, e aí jogando o humor pra cima e pra baixo de forma extrema e brusca. Quem não é bipolar tem algum outro tipo de mal-funcionamento das amígdalas. É difícil para quem tem transtorno de humor perceber, pois do seu próprio ponto de vista "é natural", é afinal o único jeito de sentir emoções que aquela dada pessoa conhece. As reações estranhas dos outros, o isolamento, as punições parecem sempre algum tipo de conspiração, pois sucedem da mesma forma em toda parte, mas não são: o próprio portador do desequilíbrio é que causa, e por isso sempre ocorrem as mesmas contrariedades por toda parte onde ele estiver, pois ele está lá e esse é o fato que desencadeia "as conspirações".
Felizmente, existem medicações para equilibrar o humor das pessoas, a serem receitadas por neurologistas e psiquiatras. Há também a psicoterapia, que, entretanto, pode não ser suficiente isoladamente. Se eu pudesse, recomendaria a todos os nervosos que conheci que fizessem uso. Mas não recomendaria às nervosas pois são feministas histéricas que acusam os outros de estupro e ferram com quem tenta ajudá-las, se não for do mesmo sexo delas. Vide BBB 21.
Recomendo que você considere seriamente o uso de reguladores do humor, se você chegar à conclusão de que seu nível de raiva e agressividade não são normais (dica: não é normal ter colapsos nervosos por alguém pedir seu bloqueio na Wikipédia e por um administrador mandar você tirar do seu Facebook que trabalha na Fundação Wikimedia, como foi há alguns anos). Também não é normal "quando chamo alguém de vândalo faço-o porque se de facto não o é parece", isso é, presumir que a pessoa possa estar mal-intencionada e saltar para a conclusão de que então ela de fato está e precisa ser combatida. Dificuldade de ler a realidade, pensamentos intensos "pra-frente-e-pra-trás" sobre como se vingar ou quanto se odeia os outros é também um dos sinais de que algo está errado e de que você poderá se beneficiar de tratamento -- mas não vou me alongar mais entrando nessa outra questão.
Te falo de coração, pois acredito que isso possa te mudar de verdade para melhor.--Mr. Sand.Ano ⓬ 22h44min de 24 de abril de 2021 (UTC)

Nossa, estamos de novo discutindo essa chatice improdutiva de ortografia e aportuguesação? Achei que ia acabar quando a JMGM se foi, mas eis nós aqui novamente...--Mr. Sand.Ano ⓬ 22h06min de 24 de abril de 2021 (UTC)

@MisterSanderson: Vamos começar pelo fim... A questão ortográfica vai sempre existir enquanto não houver uma ratificação de Angola do AO1990. Angola é o segundo maior falante de português em todo o mundo, a seguir ao Brasil, continuando a existir uma grande ambiguidade e hesitação em tomar uma posição definitiva em relação ao AO especialmente por o mesmo, apesar de a grafia com K, W e Y, ser tolerada, a mesma aplica-se a estrangeirismos e não ´é considerada no contexto da língua portuguesa, o que exclui as palavras angolanas de origem africana, defendida por alguns como condição para a ratificação do acordo em questão, no entanto, tal só será possível, precisamente, se Angola o implementar, criando uma versão angolana do VOP (Vocabulário Ortográfico Português). Numa entrevista relativamente recente à agência Lusa, Marisa Guião de Mendonça, diretora-executiva do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) em Angola, afirmou que “o Acordo não foi ainda autorizado a nenhum nível governamental pelo Estado angolano”, o que se deverá ao facto de “Angola estar a pedir uma retificação do Acordo”, ou seja, a inclusão de alterações. Para Angola, “o Acordo tem lacunas e é necessário retificá-las antes da implementação”, sendo que as mesmas estão relacionadas com a incorporação, no vocabulário, “daquilo que são empréstimos das línguas nacionais”, isto é, termos que fazem parte de outras línguas faladas no território. Estamos aqui a falar dos termos que aqui causaram polémica como os nomes das línguas e das localidades.
Falando agora da situação do Renato... Chamei-o de vândalo pois para mim ele comportou-se como tal ao não entrar em dialogo como se comprova aqui e começar a reverter as alterações e a introdução de referencias que eu colocava nas páginas recorrendo a edição da página para fazer provocações baratas. Os administradores, acharam que isso não era vandalismo e que eu é que promovi a guerra de edições, ok aceito, que ei-de eu fazer...
Em relação ao estar inactivo, mantenho a tag, porque de facto considero-me inactivo. O meu problema de saúde derivou de vários factores, não só o stress da wiki com as discussões constantes que havia na altura em que para aí uns 90% do tempo de edição eram sobre discussões tão ridículas como "porque é que não se pode ter um artigo da "mulher melancia", entre outros, mas também do stress de estar a jogar em simultâneo 7 mundos do Grepolis, aliado ao facto de ter ficado sem trabalho e ao agravamento de saúde do meu pai, só para citar alguns dos factores. Estive internado, fui proibido de me submeter a situações que me causassem stress, como jogar o Grepolis e editar a Wikipédia e sim, contínuo medicado, se assim não fosse já estaria na casinha amarela, especialmente com este isolamento forçado por causa do COVID. A minha actividade na Wikipédia tem-se mantido apenas na reversão de vandalismos nas paginas que vigio (mantive isso) e não se limita a paginas sobre Angola ou sobre os seus termos linguisticos. Se isso não aparece no meu histórico deve-se ao facto de que eu, exactamente para evitar situações como esta, tenho revertido esses vandalismos, e não foram poucos, como IP. No entanto, como a partir de uma determinada altura passou a ser obrigatório ter conta aberta para o fazer, passei a utilizar a minha conta para rectificar os "vandalismos" e claro, quando chegou a "kimbundu" deu asneira...
Espero ter esclarecido tudo. Apenas acrescento que, contrariamente ao que foi referido, não procuro desestabilizar o ambiente da Wikipédia, nem entrar em confronto com ninguém e estou aberto ao diálogo, disso é prova o facto de, mesmo antes do bloqueio por "guerra de edições" eu ter parado de reverter outros artigos por não querer exactamente entrar em discussão sobre eles. Como tal, se para continuar a fazer o trabalho valido de reversão de vandalismos e de uma criação pontual de um artigo ou outro (como entretanto tenho feito), tiver que remover a tag de inactivo, aceito remove-la e se for preciso ficar sob a responsabilidade de alguém, ou seja não me autorizarem a reverter nenhum artigo sem primeiro pedir/expor o que se passa a alguém que me seja atribuído para me supervisionar, devido ao meu histórico, também aceito isso. Tal como já referi, e só para terminar, não procuro nem criar nenhum mau ambiente nem nenhum tipo de conflito por cá, até porque isso seria contraproducente para a minha própria saúde. Atenciosamente Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 10h12min de 25 de abril de 2021 (UTC)
@Zorglub, ficar desempregado é o evento mais estressante que já conheci. Desencadeia agressividade à beça mesmo, pelo menos nos homens que já são nervosos. Mr. Sand.Ano ⓬ 21h13min de 25 de abril de 2021 (UTC)

PS: e para aqueles que apesar de terem sido revertidos, insistem que eu só posso "comentar" na área de defesa que me foi destinada, refiro que isso não tem lógica nenhuma, pois o que escrevi acima nada tem a ver com "defesa" já que se trata de uma resposta a uma pergunta directa, efectuada na secção dos comentários, como tal a resposta, também é uma resposta directa efectuada na secção dos comentários. Atenciosamente Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 15h05min de 25 de abril de 2021 (UTC)

Caro editor, se não é algo estabelecido na comunidade, peço desculpa pelos desfazimentos e reversão. Acredito, entretanto, que tenho razão e por isso abri a discussão nesta PD. Acredito ainda que principalmente você deve saber, ou ao menos defender, que uma reversão não significa necessariamente que o reversor está correto. Porém, o correto a se fazer neste caso não é insistir em reversões, travando assim uma guerra de edição, mas criar um local para discutir o tema com a comunidade. Claro que, não havendo nenhuma manifestção contrária, supõe-se que a reversão foi correta.--Felipe da Fonseca (discussão) 15h29min de 25 de abril de 2021 (UTC)
Como deve ter visto, eu não reverti nada, pelo contrario, movi os meus comentários que tinham a ver com a defesa para a área da defesa, este escrevi-o aqui pela mesma razão do anterior. São uma resposta direta a uma pergunta directa, nada tem a ver com "defesa" como tal não tem cabimento nessa área. Pelo Poder do Z Alaf Ogimoc 17h34min de 25 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Os governos mais recentes de Angola podem até se negar a cumprir o Acordo Ortográfico de 1990, mas o país é signatário do acordo, o que permitiu sua implantação nos demais países. Em todos estes, mesmo no Brasil, há quem não goste do Acordo e se recuse a acatá-lo — medida inócua. Neste projeto, gostemos ou não gostemos, a Wikipédia acatou o NAO-1990, e toda a comunidade lusófona de editores deve cumpri-lo. Yanguas diz!-fiz 20h57min de 25 de abril de 2021 (UTC)

@Yanguas: Na altura em que discutimos isso, ficou bem claro que isso apenas se aplica aos falantes de uma versão de português de um país que tenha ratificado o AO-1990, o que não é o caso de Angola. Até ver, o que continua valendo no português angolano é mesmo o AO-1945. Editores da Wikipédia de países que aplicam o AO-1990 não têm nada que impor isso aos outros.-- Darwin Ahoy! 14h25min de 26 de abril de 2021 (UTC)
@DarwIn: Como eu disse, a comunidade decidiu, em decisão soberana, adotar os termos do NAO-1990. Se isso já não bastasse, cito trecho do Acordo (grifos meus), que pode ser visto aqui: Em fé do que os abaixo assinados, devidamente credenciados para o efeito, aprovam o presente Acordo, redigido em língua portuguesa, em sete exemplares, todos igualmente autênticos. Assinado em Lisboa, em 16 de Dezembro de 1990. Pela República Popular de Angola: José Mateus de Adelino Peixoto, Secretário de Estado da Cultura. Yanguas diz!-fiz 15h43min de 26 de abril de 2021 (UTC)
@Yanguas: Está lá, bem claro: "O Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa entrará em vigor em 1 de Janeiro de 1994, após depositados os instrumentos de ratificação de todos os Estados junto do Governo da República Portuguesa." (minha ênfase). Sem ratificação, não está em vigor, por mais que a Wikipédia rasgue as vestes e arranque os cabelos.-- Darwin Ahoy! 15h52min de 27 de abril de 2021 (UTC)
@DarwIn: Certo, mas, independente dessas ratificações, a Wikipédia lusófona adotou o NAO há uns 12 anos, primeiro para os títulos e categorias, depois para os textos, e desde então é a norma padrão. Yanguas diz!-fiz 23h34min de 27 de abril de 2021 (UTC)
@Yanguas: Eu penso que você pode estra equivocado em relação a essa decisão. Pod confirmar a política da Wikipédia que diz isso?-- Darwin Ahoy! 01h01min de 28 de abril de 2021 (UTC)
@DarwIn: Baseio-me neste consenso de 2008 que redundou neste outro de 2009. Yanguas diz!-fiz 02h38min de 28 de abril de 2021 (UTC)
@Yanguas: Então... Está lá bem claro: "AO-1945: permitida; irreversível." Não só a norma de 1945 é permitida, como é irreversível. Ou seja, ninguém pode chegar "adaptando" artigos escritos na norma de 1945 ao novo AO. Nem mesmo no caso de Portugal, que meio que ratificou o acordo, que fará em quem nunca o ratificou.-- Darwin Ahoy! 02h55min de 28 de abril de 2021 (UTC)
Nesta votação do 2010 [10] é mencionado ..."Embora qualquer variante do português seja aceitável em qualquer artigo, nos que têm uma forte ligação a um dado país lusófono é permitida a alteração de grafia para a variante da língua em uso nesse país. Exemplos: ... Kilamba Kiaxa ... em português angolano. DARIO SEVERI (discussão) 09h30min de 28 de abril de 2021 (UTC)
DARIO SEVERI Essa votação aí é apenas para artigos que tenham relação com determinado país. Inclusive, mencionei esta votação em minha avaliação como administrador, alegando que o usuário poderia deixar a variante angolana, desde que tivesse verificabilidade para embasar o que colocou, além do mesmo não recorrer a PD dos artigos para evitar guerra de edições. WikiFer msg 13h51min de 28 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Zorglub gostaria de ressaltar alguns pontos: i) não existe preconceito somente pelo uso duma denominação o terminologia específica. Fazer tais alegações podem muito bem serem interpretadas como propagação de desconfiança genérica. ii) sendo um pouco sincero, não acredito que sua argumentação sobre as mudanças gráfica dos termos tenha alguma possibilidade de sucesso. Diante disso, espero que saiba como dialogar e também não perpetue o tópico. iii) o seu histórico é bem preocupante e dado todas as proporções externas causadas pela JMGM sobre um tópico semelhante a este; comportamentos destrutivos de longas datas não estão sendo mais tolerados. iv) nenhum assunto da Wikipédia é mais importante do que a sua saúde. Caso o projeto esteja trazendo mais problemas do que benefício, o correcto seria abster dos tópicos ou até mesmo do projeto. Enfim, como está se mostrando disposto a dialogar não vejo motivos para estender o bloqueio, mas obviamente haverá uma maior cobrança por esses diálogos. Espero que reflita sobre esses pontos. Saudações. Edmond Dantès d'un message? 23h04min de 28 de abril de 2021 (UTC)

Avaliação dos administradores[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Seção destinada aos administradores, para análise do caso, considerações e síntese dos argumentos expostos. As avaliações só devem ter início após a exposição simultânea das evidências e da defesa, aguardando-se até um prazo máximo de 24 horas após abertura do pedido.


Symbol comment vote.svg Atenção conforme o editor solicitou a revisão, peço que os participantes analisem o bloqueio efetuado de duração dum dia e a possibilidade de ampliação sugerida por mim, seja por um determinado período ou por tempo indeterminado. Edmond Dantès d'un message? 19h24min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio de 1 dia realizado por Conde Edmond Dantès para frear crescente abuso de espaço público. A ser ainda avaliada com mais calma a ampliação do mesmo.--Felipe da Fonseca (discussão) 19h51min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Prós: as edições realizadas pelo usuário fazem parte da totalidade de suas ações, com o que devem sim ser levadas em consideração. A guerra de edição travada nas páginas aqui apresentadas e outras advêm de um problema editorial que, ao menos para mim, está longe de ficar claro, portanto, não é possível compreender as edições do usuário como simples vandalismo. Contras: o histórico de bloqueio do usuário pesa contra ele, demonstrando que há muito repete um comportamento indesejado pela comunidade (em todo caso, deve-se salientar que não se pode bloquear o editor por aquilo que já foi bloqueado: §3.8 da WP:PB). Embora não tenha sido avisado de seu comportamento em sua PDU depois de seu retorno (ao menos no que pude perceber), é um usuário antigo que já possui ou deveria possuir conhecimento das regras do projeto e, se ficou muito tempo fora e as regras mudaram, deveria acalmar-se e reaprendê-las antes de mais nada. Percebo grande dificuldade por parte do editor em lidar com a comunidade, incluindo aceitar decisões da comunidade que contrariem sua posição editorial. Tendo em vista suas defesas, não parece entender ou querer mudar seu comportamento neste momento. Resposta insuficiente: o editor teve tempo de responder em sua PDU e diretamente aqui e não demonstrou por diferenciais que aqueles com quem entrou em embate tiveram o mesmo comportamento agressivo que o seu, com o que parece ser um comportamento unilateral. Também não mostrou referências justificando suas afirmações de "comportamento colonizador". Tipificação: O editor certamente incorreu em WP:DESCONFIANÇA e, podemos dizer, "difamação gratuita e insistente", com o que incorre em "conduta imprópria" §§3.13/3.14 da WP:PB, artigo que autoriza bloqueio máximo de 3 meses. Aferimento de bloqueio: dado os prós e contras acima, Symbol support vote.svg Concordo com a extenção do bloqueio no tempo máximo permitido pelos §§3.13/3.14 , a saber: 3 meses. Objetivo do bloqueio: orientator: espera-se que com este bloqueio o editor consiga rever sua posição dentro do projeto e trazer as discussões que pretende de forma mais aceitável ao mesmo.--Felipe da Fonseca (discussão) 02h42min de 23 de abril de 2021 (UTC)
Mantenho minha posição.--Felipe da Fonseca (discussão) 23h17min de 28 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo O histórico conflituoso do Zorglub é sobejamente conhecido de todos, aqui, e já no passado quase lhe valeu ser banido do projeto. Ultimamente tem se dedicado a lutar pelo que parecem ser versões anglófonas de palavras com ampla implantação no português - desde o século XVI, pelo menos - como se essas versões anglófonas de termos que existiam séculos antes na língua portuguesa fossem, de algum modo, mais "étnicas" ou coisa do género, o que é absolutamente incompreensível, e ainda mais inaceitável numa enciclopédia de língua portuguesa. Acresce que o Zorglub já em tempos infestou páginas como Wikipédia:Dicionário/pt-AO de gírias, termos em crioulo, e eventualmente outros idiomas, como se fossem realmente variantes da língua portuguesa, tentando impor à força o que só pode ser descrito, e com muito boa vontade, como pesquisa inédita dele mesmo, causando dano considerável ao projeto. Concordo com o bloqueio por tempo indeterminado, eventualmente com revisão ao fim de 6 meses ou 1 ano. E que, finalmente, se possa dar uma boa limpeza em todo o disparate que ele foi amontoando aqui.-- Darwin Ahoy! 19h55min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário vista a posição atual do editor que parece bem mais dialogante do que foi no passado, retiro a sugestão de ampliação, mantendo a concordância com o bloqueio efetuado.-- Darwin Ahoy! 19h55min de 28 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com o bloqueio aplicado mediante comportamento impróprio e nocivo ao projeto conforme mencionei acima. Skartaris (discussão) 21h10min de 22 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio de 1 dia realizado por Conde Edmond Dantès devido ao comportamento impróprio. A se repetir, pode ser ampliado. Ricardo F. OliveiraDiga 23h46min de 22 de abril de 2021 (UTC) ːEsclarecendo: Symbol declined.svg Discordo de uma eventual ampliação do bloqueio uma vez que o Zorglub demonstra interesse em debater a questão. Ricardo F. OliveiraDiga 17h53min de 26 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio aplicado de um dia. Se repetir poderá ser ampliado. DARIO SEVERI (discussão) 04h09min de 23 de abril de 2021 (UTC) ːSymbol declined.svg Discordo de uma eventual ampliação do bloqueio, neste momento, o Zorglub demonstra interesse em debater a questão. DARIO SEVERI (discussão) 05h34min de 25 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com o bloqueio aplicado de um dia, devido a guerra de edições (§3.15 da PB) nos artigos Língua quimbundo e Línguas de Angola, uma vez que o usuário não interessou-se em discutir as moções e as variantes na página de discussão destes artigos. No entanto, é importante ressaltar que manter a variante da origem do verbete é uma prática adequada (faltou só verificabilidade), conforme Wikipédia:Votações/Versões da língua portuguesa. WikiFer msg 05h08min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio de 1 dia aplicado por Conde Edmond Dantès. Lendo a "defesa" apresentada, observo que não apresenta nenhum "arrependimento" quanto ao comportamento no trato da questão. Apresentou vários links pra tentar justificar as mudanças feitas, mas nada pra justificar as ofensas! Além disso, só consegui abrir 3 links com algo relacionado ao "Kimbundu", enquanto os demais retornaram com "404 Not Found" (governo.gov.ao), "A pesquisa que efetuou não deu resultados" (priberam.org), "A página não existe..." (ciberduvidas.iscte-iul.pt) e "Identificador Inválido" (ubibliorum.ubi.pt), "Not Found" (revistalimite.es). Observo também o comportamento nesta discussão, onde acabou revertido 3 vezes! Se alega que "já nem sei onde estão as coisas ou como é que elas se fazem", ao ser revertido deveria procurar "aprender" onde errou, não insistir no erro! Isso é que desestabiliza! Dito isso, Symbol support vote.svg Concordo com a proposta de DarwIn! Se não fosse a GE nesta discussão, até apoiaria o proposto por Felipe da Fonseca, mas se nem se defender ele consegue, sem criar "conflito", fica difícil! -- Sete de Nove msg 11h49min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com bloqueio de 1 dia aplicado e com um bloqueio por tempo indeterminado, eventualmente com revisão ao fim de 6 meses ou 1 ano. À análise do Darwin, com a qual concordo completamente, há ainda a acrescentar ou detalhar que o utilizador sempre foi conflituoso, arrogante e se coloca como "dono da verdade" até em casos, como essa coisa das grafias "angolanas" (uma das suas preferidas) que o próprio governo angolano contradiz, apesar de mais do que um editor conhecedor da realidade angolana (nomeadamente e salvo erro, o Rui Gabriel Correia) já terem comprovado várias vezes que ele estava errado. De resto, desde há pelo menos 10 anos que as únicas edições que faz é para impor as ortografias e não mostra qualquer interesse em adicionar ou melhorar conteúdo. --Stegop (discussão) 14h40min de 23 de abril de 2021 (UTC)

Para não destoar com os colegas, passo a abster-me em relação à ampliação do bloqueio, mas continuo a achar que perante o histórico de há uns 10 anos para cá e à experiência do visado/acusado, um dia é manifestamente uma "pena" levíssima. Mas enfim, vamos acreditar que os poblemas vão acalmar... --Stegop (discussão) 23h00min de 28 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com o bloqueio aplicado, mas Symbol declined.svg discordo de eventual ampliação. Neste momento, em que o utilizador demonstra interesse em debater a questão, não acho que bloqueá-lo por mais tempo será produtivo. Nada que não possa ser revisto. Érico (disc.) 23h13min de 24 de abril de 2021 (UTC)

Symbol support vote.svg Concordo com o bloqueio aplicado. Symbol declined.svg Discordo da ampliação. FábioJr de Souza msg 16h17min de 25 de abril de 2021 (UTC)

Symbol comment vote.svg Comentário Grande parte das ações do Zorglub neste projeto consistem em tentar provar o ponto de vista de que existe uma variante da língua portuguesa chamada "português angolano". Para que fique absolutamente claro: não existe nenhum portugues angolano enquanto variante. Essa bizarrice só existe na pt.wiki e, se formos a recuar nos anos, todas essas invencionices espalhadas pelo projeto têm origem no Zorglub. A realidade é que em Angola, tal como nos restantes PALOPS, se fala "português internacional" ou "português europeu" (pt-eu), como lhe quiserem chamar, com gramática e vocabulário formal idênticos ao que é falado em Portugal e nos restantes PALOPs. A única variante da língua portuguesa reconhecida é o português brasileiro (pt-br), precisamente por ter diferenças assinaláveis a nível de gramática, fonética e vocabulário em relação ao português europeu ou internacional. Dito isto, é mais do que evidente que existem dialetos e expressões locais em Angola, tal como existem dialetos e expressões locais que diferem entre regiões dentro de Portugal ou do Brasil, mas isso não chega para definir uma variante própria. E em Angola existem outras línguas além do português, com grafias e fonéticas próprias.

Até esta parte não há muito que justifique uma intervenção administrativa. Os administradores não têm qualquer legitimidade para se intrometer em disputas de conteúdo. O problema é que para provar o seu ponto de vista o Zorglub recorre sistematicamente a insultos, ataques, xenofobia e outro tipo de comportamentos ilícitos com o objetivo de sabotar o processo de discussão e consenso. E aí há toda a legitimidade para agir.

O modus operandi é sempre o mesmo: tenta impôr termos o mais afastados e diferentes possível do português, precisamente para tentar forçar a ideia de que existe um pt-ao. Às vezes chega ao ridículo de ir buscar termos crioulos, termos noutras línguas ou transliterações inglesas usadas nos tempos dos missionários coloniais, só para ser diferente. De pouco adianta contestar o Zorglub demonstrando com fontes que ele está errado. Sempre que se contrapõe as suas alegações com entradas de dicionários ele descarta tudo como "obra do colonizador". Sempre que se demonstra que ele está errado citando ocorrências dos termos nos próprios portais de notícias de Angola, ele alega que são "traidores da pátria". A partir daí tenta intimidar os outros editores, insinuando ou declarando abertamente que quem o contesta é "saudosista do colonialismo", ou que "está a ofender o povo angolano", ou com outro tipo de ataques e impropérios. Assim não dá para discutir.

Pelos comentários, fica claro que esta obsessão com a procura de termos diferentes e a tentativa de provar a existência de um pt-ao não é motivada por preocupações enciclopédicas ou de isenção da informação, mas sim por motivações simultaneamente nacionalistas e xenófobas contra uma língua que ele associa aos "colonizadores". Daí que quem ouse questionar ou criticar leva sempre com ataques deste tipo.

Por outro lado, eu concordo com o bloqueio inicial, mas um ban total do projeto também me parece um exagero. Principalmente agora, que fruto desta DB o usuário parece mais aberto ao diálogo. O que eu sugiro como sanção alternativa é que lhe seja restrito o direito de editar qualquer artigo relacionado com Angola, podendo, no entanto, continuar a propor alterações nas PDs. JMagalhães (discussão) 13h32min de 29 de abril de 2021 (UTC)

Concordo com o bloqueio aplicado mas discordando da ampliação. Vanthorn® 22h40min de 2 de maio de 2021 (UTC)

Conclusão[editar código-fonte]

Info non-talk.svg Atenção: Seção destinada ao administrador que encerrar o pedido, para divulgação do resultado.