Wilhelm Stekel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, comprometendo a sua verificabilidade(desde outubro de 2017). Por favor, adicione mais referências inserindo-as no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wilhelm Stekel (ca. 1940

Wilhelm Stekel (Boian, Bucovina, atualmente parte da Ucrânia, 18 de março de 1868Londres, 25 de junho de 1940) foi um psiquiatra austríaco.

Um dos primeiros seguidores de Sigmund Freud, foi descrito como o seu mais notável discípulo,[1] "com um talento natural para descobrir material recalcado." Juntamente com Freud, fundou a primeira sociedade psicanalítica.[2] Posteriormente Stekel se afasta de seu mestre. Em novembro de 1912, Freud anunciaria que Stekel iria "seguir seu próprio caminho".[3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Segundo Freud, conseguia fechar rapidamente o quadro de um paciente. Ao mesmo tempo, desprezava por completo nomenclaturas, linguagens técnicas e pouco se preocupava em provar o que apontava em seus pacientes. Sua obra contém uma coleção de casos clínicos contados em linguagem simples, sendo quase romanceados, e é perceptível a grande influência de Dostoiévski sobre sua escrita.

Colaborou com uma coleção de símbolos oníricos, levando Freud a editar mais uma vez sua obra A Interpretação dos Sonhos em 1911.

Sua morte continua sendo um mistério. Oficialmente afirmam que Stekel, paranóico, teria cometido suicídio em 1940. Mas essa versão é pouco provável.

Seus trabalhos foram traduzidos em várias línguas. Atos Impulsivos e Estados Nervosos de Angústia são grandes clássicos da Psicologia.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Atos Impulsivos
  • Onanismo e Homossexualidade
  • A Impotência no Homem
  • A Mulher Frígida
  • Cartas a uma mãe
  • A Educação dos Pais
  • O Matrimônio Moderno
  • Sadismo e Masoquismo
  • A Linguagem dos Sonhos
  • Estados Nervosos de Angústia
  • A vontade de viver

Referências

  1. Fritz Wittels, Sigmund Freud: His Personality, His Teaching, & His School (Londres, 1924) p. 17.
  2. Jones, Ernest, The Life and Work of Sigmund Freud (Londres, 1964), p. 312 e p. 402
  3. Peter Gay, Freud: A Life for our Time(Londres, 1989) p. 232.


Ícone de esboço Este artigo sobre psicanálise é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.