Wilson Lins

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Wilson Mascarenhas Lins de Albuquerque (Pilão Arcado, 25 de abril de 1920 - Salvador, 4 de agosto de 2004) foi um romancista, ensaista, jornalista e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho do Coronel Franklin Albuquerque e de Sophia Mascarenhas de Albuquerque. Cursou o secundário na capital baiana, no Colégio da Bahia (Ginásio Carneiro Ribeiro) e Ipiranga; ingressando na política, exerceu o mandato de deputado estadual em várias legislaturas.[1]

Como jornalista atuou em O Imparcial, jornal da família, colaborando em outros periódicos baianos. entre 1948 e 1950, mora no Rio de Janeiro, escrendo no jornal O Mundo, e na sucursal do paulista O Estado de S. Paulo. De volta a Salvador edita o semanário Amigo do Povo.[1]

Em 1967 é eleito para Cadeira 38 da Academia de Letras da Bahia.[2] Secretário de Educação e Cultura do Estado (1959-1962) e presidiu o Conselho Estadual de Cultura (1983).[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Zaratustra me Contou (romance surrealista), Tipografia Naval, Salvador, 1939.
  • 12 Ensaios de Nietzsche, Ensaio, edição O Imparcial, Salvador, 1946
  • A Infância do Mundo, Ensaio, edição O Imparcial, Salvador, 1946. Livraria Progresso, Salvador, 1951 (1ª ed.), 1960 (2ª ed.).
  • Os outros - Crônicas, Empresa Gráfica Ltda, Salvador, 1955.
  • Os Segredos do Heroi Cauteloso, Novela, Empresa Gráfica Ltda, Salvador, 1955. EGBa, Salvador, 1959.
  • O Médio São Francisco(Uma sociedade de pastores e guerreiros). Ensaio. 1ª edição , Ed. Oxumaré, Salvador, 1952; 2ª edição. Livraria Progresso Editora, Salvador, 1960.
  • Tempos Escatológicos- Ensaios, Livraria Progresso Editora, Salvador, 1959.
  • Os Cabras do Coronel - Romance, Edições GRD, Rio de Janeiro, 1964.
  • O Reduto- Romance, Livraria Martins Editora,S.A., São Paulo, 1965.
  • Remanso da Valentia- Romance, Livraria Martins Editora, S.A., São Paulo, 1967. (junto aos dois anteriores, formam uma trilogia sobre a vida nos sertões baianos do São Francisco, na época do Coronelismo).
  • Responso das Almas - Romance, Livraria Martins Editora, S.A.,São Paulo, 1970.
  • Militão sem Remorso, 1980.
  • Crônicas do Epigrama na Bahia, 1996.

Referências

  1. a b c Assembleia Legislativa da Bahia. «Biografia». Consultado em 31 de dezembro de 2013 
  2. Aramis Ribeiro Costa (24 de junho de 2010). «Homenagem». Academia de Letras da Bahia. Consultado em 25 de novembro de 2010