Wolfgang Paul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Wolfgang Paul Medalha Nobel
Sala de Aula Wolfgang Paul na Universidade de Bona
Nascimento 10 de agosto de 1913
Lorenzkirch
Morte 7 de dezembro de 1993 (80 anos)
Bona
Sepultamento Poppelsdorfer Friedhof
Nacionalidade alemão
Cidadania Alemanha
Alma mater
Ocupação físico, professor universitário
Prêmios Nobel prize medal.svg Nobel de Física (1989), Prêmio Robert Wichard Pohl (1989), Medalha Dirac (UNSW) (1992)
Empregador Universidade de Bonn, Universidade de Gotinga, Universidade Técnica de Berlim
Campo(s) física
Obras destacadas quadrupole ion trap

Wolfgang Paul (Lorenzkirch, 10 de agosto de 1913Bona, 7 de dezembro de 1993) foi um físico alemão.

Recebeu o Nobel de Física de 1989, pelo desenvolvimento da técnica de ion trap.

Vida[editar | editar código-fonte]

Obteve um doutorado em 1939 em Berlim, sendo de 1937 a 1942 Wissenschaftlicher Assistent de Hans Kopfermann na Universidade de Kiel.[1] Após o chamado de Hans Kopfermann para a Universidade de Göttingen Paul o acompanhou, obtendo a habilitação em 1944 em Göttingen, onde foi professor de 1944 a 1952.

Em 1952 aceitou um chamado para a Universidade de Bona, onde foi professor até 1981.

De 1964 a 1967 foi diretor do departamento de física da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear (CERN) e de 1970 a 1973 presidente do diretório da DESY (Hamburgo). Em 1979 Paul foi eleito o terceiro presidente da Fundação Alexander von Humboldt; permaneceu neste cargo por dez anos. Em 1983 foi eleito membro correspondente da Academia de Ciências de Heidelberg.

Wolfgang Paul foi em 1957 um dos 18 assinantes da Declaração de Göttingen contra os planos de armamento nuclear da Bundeswehr.[2]

Resultados científicos[editar | editar código-fonte]

Ele desenvolveu técnicas para capturar espectrometria de massa de partículas carregadas por campos elétricos de quadrupolo na década de 1950.[3] Armadilhas de Paul são amplamente usadas hoje para conter e estudar íons. Ele desenvolveu lentes de feixe molecular e trabalhou em um síncrotron de elétrons de 500 MeV, seguido por um de 2 500 MeV em 1965. Mais tarde, ele trabalhou em conter nêutrons lentos em anéis de armazenamento magnético, medindo a vida útil dos nêutrons livres.

Ele se referiu com humor a Wolfgang Pauli como sua parte imaginária se seus sobrenomes fossem considerados números complexos.[4]

Referências

  1. H. Ehrenberg (1989). Wolfgang Paul. Physikalische Blätter. 45. Weinheim: Wiley. pp. 425–426 
  2. Die Göttinger Erklärung 1957 na uni-goettingen.de
  3. Paul, Wolfgang (1990). «Electromagnetic traps for charged and neutral particles». Reviews of Modern Physics. 62 (3): 531–540. Bibcode:1990RvMP...62..531P. CiteSeerX 10.1.1.487.6288Acessível livremente. ISSN 0034-6861. doi:10.1103/RevModPhys.62.531 
  4. Gerald Edward Brown; Chang-Hwan Lee (2006). Hans Bethe and His Physics. [S.l.]: World Scientific. pp. 47–. ISBN 978-981-256-609-6 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Leon Max Lederman, Melvin Schwartz e Jack Steinberger
Nobel de Física
1989
com Norman Foster Ramsey e Hans Georg Dehmelt
Sucedido por
Jerome Isaac Friedman, Henry Way Kendall e Richard Edward Taylor


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.