X-gal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
X-gal
Alerta sobre risco à saúde
X-Gal.svg
Nome IUPAC 5-bromo-4-cloro-3-indoxil-β-D-galactopiranosídeo
Identificadores
Número CAS 7240-90-6
PubChem 65181
ChemSpider 58680
MeSH X-gal
ChEBI 75055
SMILES
InChI
1/C14H15BrClNO6/c15-5-1-2-6-9(10(5)16)7(3-17-6)22-14-13(21)12(20)11(19)8(4-18)23-14/h1-3,8,11-14,17-21H,4H2/t8-,11+,12+,13-,14-/m1/s1
Propriedades
Fórmula molecular C14H15BrClNO6
Massa molar 408.629
Página de dados suplementares
Estrutura e propriedades n, εr, etc.
Dados termodinâmicos Phase behaviour
Solid, liquid, gas
Dados espectrais UV, IV, RMN, EM
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

 X-Gal, também conhecida como 5-bromo-4-cloro-3-indoxil-β-D-galactopiranosídeo é um glicosídeo artificial análogo à lactose e um substrato cromógeno para a enzima β-galactosidase.[1]

 Propriedades[editar | editar código-fonte]

A enzima β-galactosidase hidrolisa X-Gal, formando galactose e 5-bromo-4-cloro-3-indoxil. O 5-bromo-4-cloro-3-indoxil]] na presença de oxigênio do ar é oxidado e convertido no corante azul 5,5'-dibromo-4,4'-dicloro-índigo.

Clivagem enzimática do X-Gal leva à formação de 5-bromo-4-cloro-3-indoxil (1). Ao ser exposto ao ar, o composto oxida-se e dimeriza-se, formando o corante azul 5,5'-dibromo-4,4'-dicloro-índigo(2).


Aplicações[editar | editar código-fonte]

Na bioquímica, o X-Gal é utilizado para medição qualitativa da atividade da β-galactosidase benutzt. Para medição quantitativa é utilizado, por sua vez, o substrato o-Nitrofenil-β-D-galactopiranosídeo (ONPG).

Triagem azul-branca após uma transformação (Ágar LB com ampicilina e X-Gal)

Na biologia molecular o X-Gal é utilizado para triagem azul-branca (blue-White screening). Em diversos vetores de clongem, um "sítio de clonagem múltipla" (Multiple Cloning Site) está presente no meio da sequência codificadora do fragmento α (parte N-terminal) da  β-galactosidase. Nesse sítio é possível colocar DNA exógeno de interesse, como fragmentos provenientes de PCR. Com isso, a sequência da β-galactosidase é quebrada somente nas células transformadas com vetor contendo o inserto (DNA exógeno de interesse, que passam a não expressar mais a enzima. Disso segue-se que essas células não poderão mais clivar a  X-Gal, não produzindo produto azul. Nesse processo de transformação, as colônias sem o fragmento exógeno inserido no vetor aparecerão em azul, enquanto as brancas (com o DNA de interesse) aparecerão brancas.

A X-Gal é utilizado normalmente em conjunto com IPTG (um indutor do promotor lac, veja também operon lac), para a triagem das colônias azuis. Ele é utilizado também para aferir a atividade de β-galactosidase como gene repórter.[2] em transfecções de células eucarióticas e para  detecção de β-galactosidase em ensaios de histoquímica.

Outros substratos cromógenos:

  • 5-bromo-3-indolil-β-D-galactopiranosídeo (Blue-Gal, Bluo-Gal)
  • 6-cloro-3-indolil-β-D-galactopiranosídeo  (Y-Gal, Red-Gal, Rose-Gal, Salmon-Gal)
  • 5-iodo-3-indolil-β-D-galactopiranosídeo  (Purple-Gal)
  • 5-bromo-6-cloro-3-indolil-β-D-galactopiranosídeo  (Magenta-Gal)
  • N-Metilindolil-β-D-galactopiranosídeo  (Green-Gal)

Outros substratos fluorógenos:

  • 4-Metil-umbeliferil-β-D-galactopiranosíeo (MUG) (λex = 365 nm, λem = 455 nm)

 Ver também[editar | editar código-fonte]

  • X-Gluc
  • X-Phos

Referências

  1. Kiernan JA 2007. Indigogenic substrates for detection and localization of enzymes. Biotechnic & Histochemistry 82(2): 73-103.
  2. Sandhu, Sardul Singh (2010). Recombinant DNA Technology. [S.l.]: I K International Publishing House. p. 116. ISBN 978-9380578446 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Sambrook, J.; Maniatis, T.; Russel, D.W. : Molecular cloning: a laboratory manual. Cold Spring Harbor Laboratory Press; 3rd edition (2001) ISBN 0-87969-577-3.
  • Horwitz, J.P. et al. (1964). Substrates for Cytochemical Demonstration of Enzyme Activity. I. Some Substituted 3-Indolyl-β-D-glycopyranosides. J Med Chem. 7(4), S. 574–575; doi:10.1021/jm00334a044.
  • Edwards, M.J., and Taylor, M.F. (1993). Substitution of DMSO for DMF as a Solvent for X-Gal. BioTechniques, 14, S. 234.