Xadrez epistolar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cartão postal para uso específico no Xadrez Postal em nível internacional, com indicações em cinco línguas diferentes: inglês, espanhol, francês, alemão e russo.
A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo

Xadrez Epistolar (ou Postal) é uma modalidade de enxadrismo que é praticada por meio de correspondência, entre enxadristas localizados em pontos distantes do globo, originalmente por meio de cartas e cartões-postais, nos quais era utilizada um tipo especial de notação de partidas denominado Notação Epistolar. Atualmente, o xadrez epistolar também é praticado por e-mail e servidores de internet.

A principal entidade em nível mundial dedicada a esta modalidade de enxadrismo é a Federação Internacional de Xadrez por Correspondência (ICCF). No Brasil, a principal organização é o Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro (CXEB), fundado 1964, na cidade do Rio de Janeiro. O Clube Epistolar é reconhecido pela Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e filiado à ICCF.[1]

Histórico[editar | editar código-fonte]

O xadrez por correspondência é tão antigo quanto o próprio jogo e os meios de comunicação à distância. Há relatos confiáveis e documentados de diversas partidas entre indivíduos, clubes e cidades desde meados do século XVI. Vários enxadristas célebres já o utilizaram como o principal meio de fortalecerem e aprimorarem seu jogo, dentre eles Alexander Alekhine, Max Euwe e Paul Keres.[2] Em sua pequena cidade natal de Narva, na Estônia, Keres não tinha muitas oportunidades de jogar xadrez, compensou a dificuldade por meio do xadrez por correspondência, chegando a jogar mais de 150 partidas simultaneamente. Veio a tornar-se um entusiasta do xadrez epistolar.

ICSB - IFSB[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 1927 o alemão Erich Otto Freinhagen publicou un anúncio na Deutsche Schachzeitung convidando seus leitores a participarem de torneios privados por carta. Ele recebeu una resposta imediata de várias partes interessadas, organizandp o primeiro em janeiro de 1928 com oito jogadores de xadrez. Diante de um aumento constante de inscrições, os torneios se sucedem. Para organizar a atividades, a Freinhagen decidiu fundar em 15 de agosto de 1928 o Internationaler Correspondenz Schachbund (ICSB, liga internacional de xadrez por correspondência). Em poucas semanas, a discordia eclodiu entre os diretores, culminando no fato de que os alemães Rüdolf Dürhssen, Kurt Laue, Hans von Massow e o holandês Johann Keemink fundaram a Internationalen FernschachBundes (IFSB, liga internacional de xadrez remoto). O inicio da Segunda Guerra Mundial porá fim á sua atividade quando ela se dissolver.

ICCA - ICCF[editar | editar código-fonte]

Em 1945 o sueco Erik Larsson enviou uma circular aos enxadristas participantes das competiçōes do IFSB para retomá-la, agora solo uma nova entidade: a International Correspondence Chess Association (ICCA, associação internacional de xadrez por correspondência) que fundou em Londres em dezembro 2, 1945. Em 1946 começaram as preliminares da I.Olimpíada por seleções nacionais e no ano seguinte as do primeiro Campeonato Mundial individual. Em 1948, as diferenças entre Baruch Wood (presidente) e Larsson (director de torneios) gtornaram-se mais agudas, o último optando por renunciar. No ano seguinte, Wood adóeceu, deixando o ICCA sem cabeçea. Esta situacão faz com que Larsson tome a decisão ded intervir para redirecionar a intituição. Convoca um Congresso em Londres no päscoa de 1951, como resultado do qual em 26 de maio a International Correspondence Chess Federation (ICCF, federaçāo internacional de xadrez por correspondência) e constituída.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Em nível internacional, as partidas individuais disputadas pela ICCF são publicadas regularmente nas revistas ICCF AMICI, da federação internacional, Fernschach International, da Alemanha, e na Chess Mail, da Irlanda. No Brasil, são publicadas bimestralmente pela CXEB na Revista Brasileira de Xadrez Postal.[2]

Xadrez epistolar no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, a primeira federação criada foi o Clube de Xadrez por Correspondência (CXC), substituído depois pela Liga Brasileira de Xadrez (LIBAXE). Esse clube deixou de existir em meados de 1965, dando lugar ao atual e atuante Clube de Xadrez Epistolar Brasileiro (CXEB). O CXEB é o clube que é filiado junto à ICCF e regular a modalidade no país. Também é o CXEB que organiza os torneios internos, torneios temáticos e os Campeonatos Nacionais Epistolares (individual e por equipes) e a Taça Brasil, maior evento postal do país, com participação de sócios e não-sócios.

Para se filiar ao CXEB, é necessário entrar na página oficial do clube e solicitar sua inscrição. É necessário o pagamento de uma anuidade, que varia de acordo com a idade do postalista. A anuidade dá ao associado todos os direitos, inclusive o de receber bimestralmente a Revista Brasileira de Xadrez Postal.

Tipos[editar | editar código-fonte]

Existem vários tipos de xadrez por correspondência, com o xadrez por correspondência baseado em servidor se tornando a forma mais popular no mundo hoje, com os principais servidores por correspondência se tornando tão grandes e populares quanto os servidores de xadrez blitz online.

Baseado em servidor[editar | editar código-fonte]

Imagem de amostra de uma variante do xadrez que pode ser jogada na Internet.

Os servidores de xadrez por correspondência são geralmente controlados por banco de dados e carregam consigo uma interface baseada na web para enviar jogadas ao banco de dados. Mas eles criam a possibilidade de facilitar qualquer método de transmissão, desde que os movimentos transmitidos sejam auditados no banco de dados do servidor.

As taxas do servidor variam. A maioria dos servidores casuais usa um modelo de cobrança anual, em que os jogadores podem jogar quantos torneios ou jogos quiserem durante todo o ano. Alguns servidores oferecem associação básica gratuitamente, com mais serviços disponíveis mediante o pagamento de uma taxa. Além disso, servidores mais casuais permitem o uso de apelidos e têm um sistema de classificação em tempo real que freqüentemente ajusta a classificação do jogador após cada jogo classificado. Os servidores casuais também tendem a ter uma ampla variedade de recursos, como bancos de dados de jogos online, fóruns sociais e de aprimoramento de xadrez, equipes e páginas iniciais dos jogadores. Os servidores de xadrez por correspondência mais tradicionais costumam cobrar por torneio e forçar o uso de nomes reais. Por exemplo, os competidores da Correspondence Chess League of America usam seus nomes reais em vez de apelidos.[3]

Telefonia móvel[editar | editar código-fonte]

Com o advento de smartphones como o iPhone da Apple, Blackberry e dispositivos baseados em Android, o xadrez por correspondência teve um aumento recente de popularidade como aplicativos nesses dispositivos. Normalmente, os dispositivos usam internet sem fio ou tecnologia SMS para enviar suas mudanças a um servidor central.[4]

Por e-mail[editar | editar código-fonte]

Existem organizações dedicadas a organizar o jogo por e-mail, como a International E-mail Chess Club (IECC).[5]

O jogo por e-mail diminuiu gradualmente em popularidade devido a problemas como vírus de e-mail, alegações de oponentes de não receber movimentos e impedimentos semelhantes para o ponto de jogo por e-mail ter sido suplantado pelo xadrez por correspondência baseado em servidor, onde geralmente a interface para um servidor de xadrez é uma interface baseada na web.

Por correspondência postal (correio tradicional)[editar | editar código-fonte]

Existem organizações nacionais e regionais de xadrez postal que usam o tradicional "correio tradicional" para transmitir lances entre jogadores. A ICCF e as federações locais e nacionais afiliadas costumam organizar eventos postais. Outros exemplos de grupos que oferecem jogos postais incluem a Correspondence Chess League of America (CCLA) e a United States Chess Federation (USCF). No entanto, outros grupos que não a ICCF e afiliados não são sancionados pela FIDE.

Organizações tradicionais de xadrez postal, como a International Correspondence Chess Federation, the Correspondence Chess League of America (CCLA), e a United States Chess Federation (USCF), adicionaram opções baseadas em servidor e/ou e-mail ao jogo por correspondência.[6]

Um dos jogos de xadrez por correspondência postal mais antigos documentados é um jogo jogado em 1804 pelo tenente-coronel F.W. von Mauvillon do exército holandês em Haia com um de seus oficiais em Breda.[7][8]

O xadrez por correspondência postal foi sem dúvida substituído pelo xadrez por correspondência baseado em servidor.

Títulos epistolares[editar | editar código-fonte]

Títulos epistolares nacionais e internacionais nas categorias masculino e feminino, segundo o CXEB.[9]

  • Grande Mestre Internacional Postal (GM - ICCF)
  • Grande Mestre Internacional Postal Feminino (LGM - ICCF)
  • Mestre Sênior Internacional Postal (SIM – ICCF)
  • Mestre Internacional Postal (IM - ICCF)
  • Mestre Internacional Postal Feminino (LIM - ICCF)
  • Mestre Latinoamericano Postal (MLP - ICCF)
  • Mestre Nacional Postal (MBXP - CXEB)
  • Árbitro Internacional (AI - ICCF)

Campeões mundiais ICCF[editar | editar código-fonte]

As datas informadas correspondem ao ano em que ocorreu a final dos campeonatos, segundo a CXEB/ICCF.[10]

Masculino[editar | editar código-fonte]

  1. Austrália Cecil John Seddon Purdy (1950–53) [11]
  2. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Viacheslav Vasilievich Ragozin (1956–59) [12]
  3. Bélgica Albéric O'Kelly de Galway (1959–62) [13]
  4. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Vladimir Pavlovich Zagorovsky (1962–65) [14]
  5. Estados Unidos Hans Jack Berliner (1965–68) [15]
  6. Alemanha Horst Robert Rittner (1968–71) [16]
  7. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Yakov Borisovich Estrin (1972–76) [17]
  8. Dinamarca Jørn Sloth (1975–80) [18]
  9. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Tõnu Õim (1977–83) [19]
  10. Estados Unidos Victor Palciauskas (1978–84) [20]
  11. Alemanha Oriental Friedrich Baumbach (1983–89) [21]
  12. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Grigory Konstantinovich Sanakoev (1984–91) [22]
  13. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Mikhail Markovich Umansky (1989–98) [23]
  14. Estónia Tõnu Õim (1994–2000) [24]
  15. Países Baixos Gert Jan Timmerman (1996–2002) [25]
  16. Turquia Tunç Hamarat (1999–2004) [26]
  17. Noruega Ivar Bern (2002–07) [27]
  18. Países Baixos Joop van Oosterom (2003–05) [28]
  19. França Christophe Léotard (2004–07) [29]
  20. Finlândia Pertti Lehikoinen (2004–11) [30]
  21. Países Baixos Joop van Oosterom (2005–08) [31]
  22. Rússia Aleksandr Surenovich Dronov (2007–10) [32]
  23. Alemanha Ulrich Stephan (2007–10) [33]
  24. Eslovénia Marjan Šemri (2009–11) [34]
  25. Itália Fabio Finocchiaro (2009-13) [35]
  26. Países Baixos Ron Langeveld (2010–14) [36]
  27. Rússia Aleksandr Surenovich Dronov (2011–14) [37]
  28. Croácia Leonardo Ljubićić (2013-16) [38]
  29. Rússia Aleksandr Surenovich Dronov (2015-18) [39]
  30. Rússia Andrey Kochemasov (2017-2019] [40]

Feminino[editar | editar código-fonte]

Primeiro Campeonato Mundial (1968/71)
  1. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Olga Nikolaevna Rubtsova (1968–72) [41]
  2. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Lora Grigorievna Jakovleva (1972–77) [42]
  3. Israel Ljuba Kristol (1978–84) [43]
  4. União das Repúblicas Socialistas Soviéticas Liudmila Sergeevna Belavenets (1984–92) [44]
  5. Israel Ljuba Kristol (1993–98) [45]
  6. Itália Alessandra Riegler (2000–05) [46]
  7. Rússia Olga Mikhailovna Sukhareva (2002–06) [47]
  8. Rússia Olga Mikhailovna Sukhareva (2007–10) [48]
  9. Rússia Irina Vladimirovna Perevertkina (2011–14) [49]
  10. Rússia Irina Vladimirovna Perevertkina (2014-17) [50]
  11. Rússia Irina Vladimirovna Perevertkina (2017-20) [51]

Campeões brasileiros CXEB[editar | editar código-fonte]

Campeões brasileiros de xadrez epistolar nas categorias masculino e feminino, segundo o CXEB.[52]

Masculino[editar | editar código-fonte]

  • I CBI - Henrique Pereira Maia Vinagre
  • II CBI - Adaucto Wanderley da Nóbrega
  • III CBI - Antônio Pacini
  • IV CBI - Gilberto Fraga Portilho
  • V CBI - Orlando de Alcântara Soares
  • VI CBI - Marco Antônio Hazin Asfora
  • VII CBI - Hemar Antônio Galvão Barata
  • VIII CBI - Antônio José C. Domingos Tavares
  • IX CBI - Gilson Luis Chrestani ou Crestani
  • X CBI - Zélio Bernardino
  • XI CBI - Carlos Evanir Costa
  • XII CBI - Zélio Bernardino
  • XIII CBI - João Carlos de Oliveira
  • XIV CBI - Airton Ferreira de Souza
  • XV CBI - Ércio Perocco Junior
  • XVI CBI - Marcio Barbosa de Oliveira
  • XVII CBI - Rodrigo Veloso Fargnoli
  • XVIII CBI - Natalino Constâncio Ferreira
  • XIX CBI - A - José Arnaldo de Bello Vieira
  • XIX CBI - B - Milton Gonçalves Sánchez
  • XX CBI - Fábio Bidart Piccoli
  • XXI CBI - Marcos Antonio dos Santos
  • XXII CBI - Marcos Antonio dos Santos
  • XXIII CBI - Marcos Antonio dos Santos
  • XXIV CBI - Alfredo Dutra
  • XXV CBI - Denis Moreira Leite
  • XXVI CBI - Richard Mitsuo Fuzishawa

Feminino[editar | editar código-fonte]

  • II CBF - Maria Amelia Matos
  • III CBF - Heloisa Stange Amorim
  • IV CBF - Heloisa Stange Amorim
  • V CBF - Jadilva Macario
  • VII CBF - Marilia Raeder Auar Oliveira

Campeões da Taça Brasil[editar | editar código-fonte]

  • I TB - Adaucto Wanderley da Nóbrega
  • II TB - Célio Sormani
  • III TB - Mário Silas Biava
  • IV TB - Salvador Homce de Cresce
  • V TB - Marco Antônio Hazin Asfora
  • VI TB - Marco Polo Rios Simões
  • VII TB - Gilson Luís Chrestani ou Crestani
  • VIII TB - Rolf Dieter Bückmann
  • IX TB - João Maria Machado Filho
  • X TB - Ermano Soares de Sá
  • XI TB - José Antônio S Gonçalves
  • XII TB - Carlos Evanir Costa
  • XIII TB - Edmundo Zuchowski Filho
  • XIV TB - Zelio Bernardino
  • XV TB - Fábio Bidart Piccoli
  • XVI TB - Alberto Mourão Bastos
  • XVII TB - Luiz Claudio Guimarães
  • XVIII TB - Alfredo Dutra
  • XIX TB - Jose Arnaldo Bello Vieira
  • XX TB - Bolivar Ribeiro Gonzalez
  • XXI TB - Romeu Edgar Mundstock
  • XXII TB - Denis Moreira Leite
  • XXIII TB - Leonardo Guedes Magalhães
  • XXIV TB - Odilo Blanco Lizarzaburo
  • XXV TB - Leonardo Guedes de Magalhães
  • XXVI TB - César Roberto da Silva Reis e Milton Gonçalves Sánchez
  • XXVII TB - Richard Mitsuo Fuzishawa

Campeão do Torneio Temático TT/N.05(SD)01[editar | editar código-fonte]

  • Nilson José Espíndola Pereira

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Informações sobre o xadrez postal.. Acessado em 5 de março de 2010.
  2. a b Filguth, 222.
  3. «Correspondence Chess League of America». www.serverchess.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  4. «Correspondence Chess League of America». www.serverchess.com. Consultado em 29 de julho de 2020 
  5. Chess-iecc.com
  6. Older ICCF Playing Rules Email - Individual and Team tournament games (01.01.05-31.12.08 Arquivado em março 3, 2012[Erro data trocada], no Wayback Machine. -Older ICCF Playing Rules WEBSERVER - (01.01.05-31.12.08) Correspondence Chess Arquivado em março 3, 2012[Erro data trocada], no Wayback Machine. Alex Dunne, "The Check is in the Mail," column, Chess Life (March 2007), online at (p. 5)
  7. Biography
  8. Louis P. Sloos: Gewapend met kennis. 500 jaar militaire boekcultuur in Nederland. Dissertation Leiden University, 2012, p. 406, note 99
  9. Associados do CXEB titulados.. Acessado em 5 de março de 2010.
  10. Campeões Mundiais de Xadrez - ICCF.. Acessado em 5 de março de 2010.
  11. 01. Campeonato Mundial ICCF
  12. 02. Campeonato Mundial ICCF
  13. 03. Campeonato Mundial ICCF
  14. 04. Campeonato Mundial ICCF
  15. 05. Campeonato Mundial ICCF
  16. 06. Campeomato Mundial ICCF
  17. 07. Campeonato Mundial ICCF
  18. 08. Campeonato Mundial ICCF
  19. 09. Campeonato Mundial ICCF
  20. 10. Campeonato Mundial ICCF
  21. 11. Campeonato Mundial ICCF
  22. 12. Campeonato Mundial ICCF
  23. 13.Campeonato Mundial ICCF
  24. 14.Campeonato Mundial ICCF
  25. 15.Campeonato Mundial ICCF
  26. 16.Campeonato Mundial ICCF
  27. 17.Campeonato Mundial ICCF
  28. 18.Campeonato Mundial ICCF
  29. 19. Campeonato Mundial ICCF
  30. 20.Campeonato Mundial ICCF
  31. 21. Campeonato Mundial ICCF
  32. 22.Campeonato Mundial ICCF
  33. 23.Campeonato Mundial ICCF
  34. 24.Campeonato Mundial ICCF
  35. 25.Campeonato Mundial ICCF
  36. 26.Campeonato Mundial ICCF
  37. 27. Campeonato Mundial ICCF
  38. 28.Campeonato Mundial ICCF
  39. 29-Campeonato Mundial ICCF
  40. 30.Campeonato Mundial ICCF
  41. 1.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  42. 2.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  43. 3.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  44. 4.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  45. 5.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  46. 6.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  47. 7.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  48. 8.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  49. 9.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  50. 10.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  51. 11.Campeonato Mundial Femenino ICCF
  52. Galeria dos Campeões Brasileiros Postais.. Acessado em 5 de março de 2010.

Bibliográfia[editar | editar código-fonte]

  • BATISTA, Gérson; BORGES, Joel. O Espírito da Abertura. São Paulo : Ciência Moderna, 2004. ISBN 8573933291
  • BURGESS, Graham. The Mammoth Book of Chess. Philadelphia : Running Press, 2009. ISBN 9780762437269
  • EADE, James. Xadrez para Leigos. São Paulo : Mandarim, 1998. ISBN 8535400958
  • FILGUTH, Rubens. Xadrez de A a Z: dicionário ilustrado. Porto Alegre : Artmed, 2005. ISBN 8536305290
  • GUDE, Antonio. Diccionario de Ajedrez. Tutor : Madrid, 2005. ISBN 8479025190


Ligações externas[editar | editar código-fonte]


A Wikipédia possui o
Portal de Enxadrismo
Ícone de esboço Este artigo sobre enxadrismo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.