Xavier Marques

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xavier Marques
Xavier Marques, em Bahia Illustrada
Nome completo Francisco Xavier Ferreira Marques
Nascimento 3 de dezembro de 1861
Itaparica, Bahia Bahia
Morte 30 de outubro de 1942 (80 anos)
Salvador, Bahia Bahia
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Jornalista, político, romancista, poeta e ensaísta
Magnum opus O Feiticeiro (1922)

Francisco Xavier Ferreira Marques (Itaparica, 3 de dezembro de 1861Salvador, 30 de outubro de 1942) foi um jornalista, político, romancista, poeta e ensaísta brasileiro.

Foi eleito em 24 de julho de 1919 para a cadeira 28 da Academia Brasileira de Letras.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Iniciou seus estudos na ilha de Itaparica, mas em pouco tempo se transferiu para Salvador onde se matriculou no colégio do cônego Francisco Bernardino de Sousa. Na capital baiana exerceu o jornalismo, atividade que interrompeu quando se dedicou à política, primeiro como deputado estadual, de 1915 a 1921; e a seguir como deputado federal, de 1921 a 1924.[1]

Paralelo à atividade jornalística dedicou-se também à literatura; seu romance de estreia foi Boto e companhia, em 1897, ao qual seguiu-se a novela "Jana e Joel" (1899), que é considerada sua melhor produção; suas obras lhe renderam vários prêmios, destacando-se o da Academia Brasileira de Letras, em 1910, pelo romance Sargento Pedro; veio mais tarde a se tornar membro desta entidade, sendo ali empossado no dia 17 de setembro de 1920 na cadeira 28 em sucessão a Inglês de Sousa, recebido por Goulart de Andrade.[1]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Temas e variações, poesia, 1884
  • Uma família baiana, romance, 1888
  • Insulares, poesia, 1896
  • Boto e companhia, romance, 1897
  • Jana e Joel, romance, 1899
  • Pindorama, romance, 1900
  • Holocausto, romance, 1900
  • Praieiros, edição conjunta das novelas Maria Rosa e O arpoador e mais A noiva do golfinho. 1902
  • O sargento Pedro, romance, 1910
  • Vida de Castro Alves, biografia, 1911
  • A arte de escrever, estilística, 1913
  • A boa madrasta, romance, 1919
  • A cidade encantada, contos, 1919
  • O feiticeiro, romance, 1922
  • Ensaio histórico sobre a Independência, 1924
  • As voltas da estrada, romance, 1930
  • Letras acadêmicas, ensaios, 1933
  • Cultura da língua nacional, filologia, 1933
  • Terras mortas, novela, 1936
  • Ensaios, 2 volumes, 1944
  • Evolução da crítica literária no Brasil e outros estudos, 1944

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Inglês de Sousa
(fundador)
Olivenkranz.png ABL - segundo acadêmico da cadeira 28
1919 — 1942
Sucedido por
Menotti Del Picchia
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.