Xenoblade Chronicles 2: Torna – The Golden Country

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xenoblade Chronicles 2:
Torna – The Golden Country
Desenvolvedora(s) Monolith Soft
Publicadora(s) Nintendo
Diretor(es) Koh Kojima
Genki Yakota
Produtor(es) Koh Kojima
Hitoshi Yamagami
Escritor(es) Tetsuya Takahashi
Yuichiro Takeda
Mamoru Ohta
Programador(es) Toshiaki Yajima
Artista(s) Masatsugu Saito
Tetsuya Nomura
Compositor(es) Yasunori Mitsuda
Tomori Kudo
Hiroyo Yamanaka
Kenji Hiramatsu
Manami Kiyota
Plataforma(s) Nintendo Switch
Série Xeno
Data(s) de lançamento 14 de setembro de 2018
Gênero(s) RPG eletrônico de ação
Modos de jogo Um jogador
Página oficial

Xenoblade Chronicles 2: Torna – The Golden Country, chamado no Japão de Xenoblade 2: Ōgon no Kuni Īra (ゼノブレイド2 黄金の国イーラ, Zenobureido Tsū Ōgon no Kuni Īra?) é um conteúdo para download do jogo eletrônico Xenoblade Chronicles 2. Ele foi desenvolvido pela Monolith Soft e publicado pela Nintendo, sendo lançado exclusivamente para Nintendo Switch como expansão do título original em 14 de setembro de 2018 e depois como um jogo autônomo uma semana depois.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Xenoblade Chronicles 2: Torna – The Golden Country, assim como títulos anteriores da série Xenoblade, é um RPG eletrônico de ação em que o jogador controla um grupo de até três personagens a partir de uma perspectiva em terceira pessoa. O título apresenta um sistema de combate novo que foi inspirado no sistema presente em Xenoblade Chronicles 2.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história se passa quinhentos anos antes dos eventos de Xenoblade Chronicles 2 sobre o antigo titã Torna,[1][2] acompanhando personagens presentes no jogo original, como Jin, Mythra, Malos e Amalthus, além de apresentar novos como Lora e Addam.[3][4]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

A ideia de Torna – The Golden Country era uma de muitas histórias em potencial concebidas em 2015 como protótipos para o que viria a ser Xenoblade Chronicles 2. A desenvolvedora Monolith Soft acabou decidindo não mostrar esse protótipo para sua publicadora e proprietária Nintendo por achar que isto aumentaria em muito o orçamento e tempo de produção do jogo principal. Dessa forma, eles arquivaram o conceito e o guardaram dentro do computador do diretor executivo Tetsuya Takahashi. A ideia ressurgiu mais tarde e foi retrabalhada como uma expansão narrativa.[1]

A expansão originalmente foi planejada para ocupar o espaço entre os capítulos sete e oito de Xenoblade Chronicles 2, porém a Monolith Soft acabou optando por separar os dois para que dessa forma pudessem melhor expandir a história e escala. Torna – The Golden Country possui um novo motor de jogo para renderização o que permite gráficos levemente superiores ao título original. Takahashi salientou especificamente a diferença da vegetação de Torna com a de Gormott.[1]

Referências

  1. a b c d Takahashi, Tetsuya (21 de junho de 2018). «Torna - The Golden Country Expansion Pass Content Detailed by Executive Director Takahashi». Nintendo. Consultado em 29 de setembro de 2018. 
  2. Goldfarb, Andrew (13 de junho de 2018). «E3 2018: Xenoblade Chronicles 2 DLC Torna: The Golden Country Revealed». IGN. Consultado em 29 de setembro de 2018. 
  3. Wales, Matt (12 de junho de 2018). «Xenoblade Chronicles 2's new story DLC is called Torna - The Golden Country». Eurogamer. Consultado em 29 de setembro de 2018. 
  4. Hilliard, Kyle (12 de junho de 2018). «Xenoblade Chronicles 2: Torna - The Golden Country Releases In September». Game Informer. Consultado em 29 de setembro de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.