Xenoestrógeno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Xenoestrógenos ou xenoestrogênios se enquadram nos chamados disruptores endócrinos,[1] ou seja, substâncias artificiais que puluem o meio ambiente pela contaminação exógena e imitam os efeitos dos estrogênios naturais, atuando como potentes mensageiros hormonais e propiciando mudanças importantes nos humanos.

O potencial impacto na saúde endócrina humana[2] que os xenoestrogênios causam é uma preocupação crescente.[3] A maioria dos cientistas que estuda os xenoestrogênios[4] o consideram ser um fator predominante de uma série de riscos ambientais que tem efeitos perturbadores no sistema endócrino.

Esses compostos diferem das hormonas naturais pelo fato de serem sintéticos e que se encontram em produtos artificiais. O pior deles: o plástico - ao ser esquentado libera uma substância conhecida como bisefenol-a que é um a gente potente causador do cancro, como também causador de diversos prejuízos hormonais.[carece de fontes?]

Referências

  1. Bila, Daniele Maia; Dezotti, Márcia (1 de junho de 2007). «Endocrine disrupters in the enviroment: part 1 - effects and consequences». Química Nova. 30 (3): 651–666. doi:10.1590/S0100-40422007000300027. Consultado em 7 de abril de 2018. – via SciELO 
  2. eCycle, Equipe. «Os problemas do xenoestrogênio». ecycle.com.br. Consultado em 7 de abril de 2018. 
  3. Telles, Carolina. «IMEBI - Instituto de Medicina Biomolecular». www.imebi.com.br. Consultado em 7 de abril de 2018. 
  4. «Loading...». www.drbayma.com. Consultado em 7 de abril de 2018.