Xico Chaves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Xico Chaves
Nome completo Francisco de Assis Chaves Bastos
Nascimento 6 de fevereiro de 1948 (71 anos)
Tiros, Minas Gerais
Residência Rio de Janeiro
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Letrista, poeta e jornalista
Principais trabalhos Pássaro verde (1967), Pipa (1976), Purpurina (1977), Urucumfumaça (1979) e Poeta clandestino (1986)

Xico Chaves, nome artístico de Francisco de Assis Chaves Bastos (Tiros, Minas Gerais, 6 de fevereiro de 1948) é um letrista, poeta, artista plástico, produtor cultural, pesquisador e jornalista brasileiro.[1][2]

Século XXI - Resíduos e Vestígios - Luz da Matéria (1991), obra de Chaves exposta na estação República.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Pássaro verde (1967)
  • Pipa (1976)
  • Purpurina (1977)
  • Urucumfumaça (1979)
  • Poeta clandestino (1986)

Referências

  1. «Xico Chaves». Cravo Albin da MPB. Consultado em 7 de dezembro de 2014 
  2. «Xico Chaves» (PDF). Arte no Metrô, página 193. Consultado em 17 de junho de 2019 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AMARAL, Euclides. O Guitarrista Victor Biglione & a MPB. Rio de Janeiro: Edições Baleia Azul, 2009. 2º ed. Esteio Editora, 2011. 3ª ed. EAS Editora, 2014.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.