Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida
 Brasil
2004 •  cor •  84 min 
Direção Moacyr Góes
Roteiro Flávio de Souza
Elenco Xuxa
Marcos Pasquim
Juliana Knust
Zezé Motta
Bruna Marquezine
Milton Gonçalves
Sérgio Malheiros
Luiz Carlos Tourinho
Género aventura
Lançamento 17 de dezembro de 2004[1]
Idioma português
Cronologia
Último
Xuxa Abracadabra
Xuxinha e Guto contra os Monstros do Espaço
Próximo
Página no IMDb (em inglês)

Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida é um filme brasileiro de 2004, do gênero aventura, dirigido por Moacyr Góes. No filme tem uma menção à peça de William Shakespeare, Sonhos de Uma Noite de Verão, onde o romance de Jéssica por Lisandro é interferido por Demétrio, e por quem Helena é apaixonada. [carece de fontes?]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Bárbara, uma bióloga tímida e monossilábica, mora em Beirada D´Oeste, fictícia cidade que beira a floresta Amazônica. Ela lidera uma turma de heróis que vai parar em Igdrasil, uma cidade subterrânea lendária, povoada por descendentes de vikings que atravessaram o Atlântico e se embrenharam rio Amazonas adentro. Bárbara enfrenta, com Riacho e Manhã, dois irmãos de 8 e 9 anos, provas arriscadas, perigosas e nojentas para chegar a Igdrasil, Bárbara reencontra Igor, seu ex-marido, com quem reata a paixão e o romance interrompido, e lidera os heróis na captura do vilão, que roubou de Igdrasil o tesouro sagrado, que é surpreendente, além de valioso. Como estopim dos encontros e desencontros dos heróis e vilões que desembocam na cidade perdida e seu tesouro, há o Curupira, personagem mágico do folclore brasileiro, que cumpre as funções de Puck, personagem do folclore nórdico da peça Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare, base do nosso enredo. Além de ser uma adaptação (bem) livre desta comédia clássica de Shakespeare, Xuxa e o Tesouro da Cidade Perdida é também um filme de aventura com elementos de fantasia misturados a fatos e acontecimentos históricos, além dos momentos de perigo, suspense, emoção, romance e humor próprios para pessoas de todas as idades.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Xuxa interpretou Bárbara

Recepção[editar | editar código-fonte]

Mario Abbade em sua crítica para o Omelete destacou: "Um dos casos que merece estudo aprofundado é a nossa 'rainha dos baixinhos' Xuxa Meneghel, que chega agora ao seu décimo quinto longa, Xuxa e o tesouro da cidade perdida (2004). Mesmo estando com a carreira em declínio na televisão, suas tentativas no mercado cinematográfico continuam rendendo boas bilheterias. Sua audiência média é de incríveis 2 milhões de espectadores por filme. E essa é a única explicação encontrada para se perder tempo fazendo um longa-metragem como esse."[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «ESTRÉIA: "Xuxa e o Tesouro" mistura vikings e Shakespeare». UOL Cinema. 16 de dezembro de 2004. Consultado em 28 de abril de 2015. 
  2. Mario Abbade (16 de dezembro de 2004). «O Tesouro da Cidade Perdida». omelete.uol.com.br. Consultado em 15 de outubro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]