Yang Liwei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Yang Liwei

Taikonauta da AENC
Nacionalidade China chinês
Nascimento 21 de junho de 1965 (51 anos)
Suizhong, China
Tempo no espaço 21 h 22 m 45 s
Seleção 1998
Missões Shenzhou 5
Insígnia da missão Shenzhou 7 mission patch.png

Yang Lìwei (chinês simplificado: 杨利伟, pinyin: Yáng Lìwěi) (Suizhong, 21 de junho de 1965) é um taikonauta e foi o primeiro chinês no espaço. O lançamento de sua nave Shenzhou 5, em 15 de outubro de 2003, fez com que a República Popular da China se tornasse o terceiro país a enviar pessoas ao espaço por seus próprios meios.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de uma professora e de um contador e casado com uma oficial do Exército de Libertação Popular, Yang graduou-se em Ciências e cursou a Escola de Aviação da Força Aérea Chinesa, integrando a aeronáutica até a patente de tenente-coronel. Aos 38 anos, somava 1350 horas de voo como piloto de caça ao se juntar ao programa espacial chinês.

Começou seu treinamento como taikonauta em 1998 e foi selecionado para o grupo final de quatorze taikonautas, que participaram de duros treinamentos técnicos, físicos e psicológicos por cinco anos[1], e dos quais um seria escolhido para voar na primeira missão tripulada. Ante de seu lançamento, quase nada havia sido tornado público pelas autoridades sobre os candidatos chineses a taikonautas. Sua seleção para o voo inaugural só foi divulgada à imprensa no dia anterior ao voo.

História[editar | editar código-fonte]

Um homem que sonhava em ser astronauta desde criança, Yang Liwei subiu ao espaço em 15 de outubro de 2003, 01:00 UTC, a bordo da Shenzhou 5, da Centro de Lançamentos de Satélites de Jiuquan, no interior da China, no Deserto de Gobi.[1]

Yang Liwei a bordo da Shenzhou 5, com as bandeiras da China e da ONU, a primeira vez que a bandeira das Nações Unidas foi ao espaço.

Durante os primeiros 120 segundos de voo, Liwei reportou à Terra uma quantidade anormal de vibrações na estrutura da nave, descrevendo-a como "muito desconfortável". Como consequência, medidas foram tomadas para corrigir o problema no desenho do foguete Longa Marcha 2F para a próxima missão, a Shenzhou 6. Durante toda a jornada de 21 horas, ele esteve em comunicação constante com o Centro de Jiuquan reportando a sua situação. Durante a oitava órbita, ele falou com sua mulher na Terra, dizendo que "tudo está bem, não se preocupe".[1] No meio da viagem, a televisão estatal chinesa transmitiu imagens de Liwei acenando com uma bandeira da China e uma da ONU em cada mão.[2]

Ele comeu pacotes especialmente concebidos de carne de porco desfiada com alho, frango Kung Pao e arroz. A imprensa chinesa divulgou que Liwei portava na cápsula uma faca, uma pistola e uma tenda, caso aterrissasse no local errado.

A cápsula deu quatorze voltas em órbita da Terra, cobrindo mais de 600 mil km e desceu de pára-quedas na Mongólia Interior às 06:30 CST (Hora de Pequim) - (22:00 UTC) em 16 de outubro de 2003 e quinze minutos depois era congratulado pelo premier chinês Wen Jiabao. As imagens transmitidas pela tv estatal dele com sangue nos lábios quando foi retirado da cápsula,[3] espalharam rumores de que o pouso havia sido muito duro, confirmado depois pelo pessoal de apoio presente na área de pouso.

Recebido como herói nacional, Yang visitou Hong Kong e Macau dias após, fazendo palestras e trocando experiências sobre seu voo. Promovido a coronel logo após a missão - e a major-general em 2008 - [4] em 7 de novembro ele recebeu o título de "Herói Espacial" das mãos do ex-presidente da República Popular da China e Chefe da Comissão Militar Central Jiang Zemin. Também foi condecorado pela Rússia com a Medalha Gagarin.[1] O asteróide 21064 Yangliwei foi batizado em sua homenagem.[5]

Yang relatou posteriormente que enquanto esteve no espaço, ouviu sons estranhos em sua nave, similares a marteladas. Não se sabe o que provocou esses barulhos, mas especula-se que possam estar relacionados à contração ou dilatação térmica dos componentes da Shenzhou, ou algum objeto grudado à nave.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Yang Liwei». TheBrandLaureate. Consultado em 17 de junho de 2012 
  2. «China lança primeira nave espacial tripulada». Consulado Geral da Republica Popular da China no Rio de Janeiro. Consultado em 17 de junho de 2012 
  3. «xinhuanet». xinhuanet.com. Consultado em 17 de junho de 2012 
  4. «Yang». Spacefacts. Consultado em 17 de junho de 2012 
  5. «Asteroids Named After First Manned Spacecraft, Spaceman». SpaceDaily. Consultado em 17 de junho de 2012 
  6. «O misterioso som que desconcertou o primeiro astronauta chinês no espaço - Notícias - Ciência». Ciência 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]