Jaroslau I, o Sábio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Yaroslav I, o Sábio)
Ir para: navegação, pesquisa
Jaroslau I de Quieve, "o Sábio"
Grão-Príncipe de Nóvgorod e Grão-Príncipe de Quieve
Busto do Príncipe Jaroslau I de Quieve
Reinado Grão-Príncipe de Nóvgorod e Grão-Príncipe de Quieve
Dinastia Grão-Príncipe de Nóvgorod e Grão-Príncipe de Quieve
Nome completo
Jaroslau I de Quieve
Nascimento 978
  Quieve
Morte 20 de fevereiro de 1054 (76 anos)
  Quieve
Pai Vladimir I de Quieve
Mãe Rogneda de Polotsk

Jaroslau I, o Sábio (Yaroslav Mudryi) (c. 978, Quieve - 20 de fevereiro de 1054, Quieve), (eslavo oriental: Ярослав Мудрый; nome cristão: Jorge; nórdico antigo: Jarizleifr; também citado como Yaroslao), foi três vezes Grão-Príncipe de Nóvgorod e Grão-Príncipe de Quieve, unindo por algum tempo ambos os principados sob seu governo. Durante seu longo reinado, o Principado de Quieve alcançou o auge de seu florescimento cultural e poder militar.[1]

História e obras[editar | editar código-fonte]

A história de Jaroslau I, o Sábio constitui o apogeu de Quieve, onde a fé cristã ortodoxa foi aceita pelos eslavos e foi criado o primeiro código legal eslavo oriental, o Russkaya Pravda.

Antes de Jaroslau assumir o poder, seu pai Vladimir I de Quieve "o Grande" (979 -1015), desposa Ana, irmã do imperador bizantino Basílio II Bulgaróctone, e converte-se ao cristianismo, que passa então a ser a religião oficial do estado.

A obra de Vladimir tem continuidade durante o reinado de Jaroslau. No entanto, este teve que lutar para conseguir governar. Primeiro lutando com seu irmão mais velho Esviatopolque para tornar-se Grão-Príncipe de Quieve em 1019 e assumindo o controle exclusivo apenas após a morte de seu outro irmão Mistislau ocorrida em 1035 que não deixou descendentes.

Jaroslau transforma Quieve numa grande metrópole, constrói igrejas, funda bibliotecas e prepara o primeiro código de leis do mundo eslavo. O cristianismo triunfa no reinado de Jaroslau, mas o príncipe considerava importante a existência de padres que falassem seu idioma para que a religião fosse mais acessível, e Bizâncio não os podia fornecer, fato que faz Jaroslau organizar a formação de uma igreja nacional, com clero autônomo.

O Estado Quievano torna-se um dos centros cultuais mais importantes da época. O reinado de Jaroslau dá lugar a um período de grande instabilidade, sendo seu Estado ameaçado por povos nômades das estepes. Outras populações eslavas começam a pressionar nas fronteiras e uma nova ordem surge na região.

Relações familiares[editar | editar código-fonte]

Jaroslau foi filho de Vladimir I de Quieve "o Grande".[2] Sua mãe foi, provavelmente, Rogneda de Polotsk, uma das várias esposas de seu pai.

Jaroslau casou-se a 1019 com a princesa Ingegerda da Suécia (Ingegerd Olofsdotter), filha do rei Olavo, o Tesoureiro[3], a qual em Quieve era chamada de Irene. Foram pais de, entre outros, três filhas e um filho:

  1. Isabel de Quieve, casou-se a 1045 com Haroldo III, rei da Noruega. Na Noruega, ela foi conhecida como Rainha Elisiv.
  2. Anastásia de Quieve, casou-se a 1039 com André I da Hungria.
  3. Ana de Quieve, casou-se a 1051 com o rei Henrique I de França[4] e foi rainha consorte de França.
  4. Vsevolod I de Quieve, que foi príncipe de Quieve.
  5. Iziaslau I de Quieve (1024 - 3 de outubro de 1078).

Jaroslau foi pai também de um filho, Vladimir Jaroslavic, ou Vladimir de Nóvgorod, príncipe de Nóvgorod de 1036 até sua morte em 1052. Vladimir foi o filho mais velho de Jaroslavic. Não há certeza se também foi filho de Ingegerda da Suécia. Pode ter sido filho de uma suposta primeira esposa de seu pai, de nome Ana.

Referências

  1. Dicionário da Idade Média, Autor: Loyn, H; Editora: Jorge Zahar
  2. Yaroslav I
  3. MELIN, Jan; JOHANSSON, Alf; HEDENBORG, Susanna (2006). «Järnåldern». Sveriges historia (em sueco). Estocolmo: Prisma. 38 páginas. ISBN ISBN 91-518-4666-7 Verifique |isbn= (ajuda) 
  4. Henri sur le site Foundation for Medieval Genealogy

Ligações externas[editar | editar código-fonte]