Caldeira de Yellowstone

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Yellowstone (vulcão))
Ir para: navegação, pesquisa
Caldeira de Yellowstone
A parte nordeste da Caldeira de Yellowstone, com o Rio Yellowstone que flui através do Vale Hayden e da caldeira.
Altitude 3.142 no Monte Sheridan[1] m (10.308 pés)
Localização Wyoming,  Estados Unidos
Cordilheira Montanhas Rochosas

A Caldeira de Yellowstone é uma caldeira vulcânica situada no Parque Nacional de Yellowstone, no estado do Wyoming, nos Estados Unidos, por vezes designada como Supervulcão de Yellowstone.

Yellowstone é considerado um supervulcão, pois uma possível erupção sua poderia durar semanas provocando efeitos globais, que persistiriam por meses ou até por anos. Sua cratera tem 90 quilômetros de extensão, e sua caldeira é 40 vezes maior do que a do Monte Santa Helena, sendo que boa parte de seu magma é eruptivo.

O vulcão e sua caldeira situam-se no Parque Nacional de Yellowstone, que ocupa grande parte da região noroeste no Wyoming, além de pequenas partes dos estados de Idaho e Montana, nos Estados Unidos da América. Uma erupção de tal magnitude teria efeitos catastróficos em todo o planeta. Seus efeitos durariam décadas para se normalizar e trariam mudanças bruscas na Terra, desde a morte de milhões de pessoas à extinção em massa de plantas e animais.

Vulcanismo[editar | editar código-fonte]

Número de terremotos na região do Parque Nacional de Yellowstone (1973-2014).
Caminho d ponto quente de Yellowstone nos últimos 16 milhões de anos
Diagrama da Caldeira de Yellowstone.

O vulcanismo em Yellowstone é relativamente recente, com caldeiras que foram criadas durante grandes erupções que ocorreram 2,1 milhões, 1,3 milhões e 630 mil anos atrás. As caldeiras situam-se sobre um ponto onde a luz, o calor, o magma (rocha derretida) do manto sobe para a superfície. Enquanto o ponto quente de Yellowstone está agora sob o planalto de Yellowstone, ajudou a criar a planície oriental do rio Snake (a oeste de Yellowstone), através de uma série de grandes erupções vulcânicas. O ponto quente parece mover-se através do terreno na direção leste-nordeste, mas na verdade ele é muito mais profundo do que o terreno e permanece parado enquanto a placa norte-americana se move para oeste-sudoeste sobre ele.[2]

Ao longo dos últimos 18 milhões de anos, esse ponto quente gerou uma sucessão de erupções violentas e inundações menos violentas de lava basáltica. Juntas, essas erupções ajudaram a criar a parte oriental da planície do rio Snake de uma região que já foi montanhosa. Pelo menos uma dúzia dessas erupções foram tão maciças que foram classificadas como supererupções. As erupções vulcânicas às vezes esvaziam seus estoques de magma com tanta rapidez que a terra sobreposta colapsa na câmara magmática esvaziada, formando uma depressão geográfica chamada caldeira.

O remanescente mais antigo de caldeira identificado se aproxima da fronteira, perto de McDermitt, embora existam pilhas volcaniclasticas e falhas arqueadas que definem complexos de caldeiras com mais de 60 km de diâmetro no Grupo Carmacks do sudoeste do centro do Yukon, no Canadá, que são interpretadas como formadas há 70 milhões de anos pelo ponto quente de Yellowstone.[3][4] Os restos de caldeiras progressivamente mais jovens, mais agrupados em vários campos vulcânicos sobrepostos, se estendem da fronteira Nevada-Oregon pela planície oriental do rio Snake e terminam no platô de Yellowstone. Uma dessas caldeiras, a Caldeira de Bruneau-Jarbidge, no sul de Idaho, foi formada entre 10 e 12 milhões de anos atrás e o evento derramou um metro de cinzas a 1.600 km de distância, no nordeste de Nebraska, sendo que causou a morte de grandes rebanhos de rinocerontes, camelos e outros animais. O United States Geological Survey ("USGS") estima que existem uma ou duas grandes erupções formadoras de caldeiras e 100 ou mais de erupções de extrusão de lava por milhão de anos, além de "várias a muitas" erupções de vapor por século.[5]

O termo vagamente definido "supervulcão" foi usado para descrever campos vulcânicos que produzem erupções vulcânic excepcionalmente grandes. Assim definido, o Supervulcão de Yellowstone é o campo vulcânico que produziu as últimas três supererupções do ponto quente de Yellowstone; também produziu uma erupção menor adicional, criando o West Thumb Lake há 174 mil anos.[6] As três supererupções ocorreram 2,1 milhões, 1,3 milhões e aproximadamente 630.000 anos atrás, formando as caldeiras de Island Park, o Henry's Fork e Yellowstone, respectivamente.[7] O supererupção da Caldeira da Ilha Park (2,1 milhões de anos atrás), que produziu o Huckleberry Ridge Tuff, foi a maior e produziu 2.500 vezes mais que a Erupção do Monte Santa Helena em 1980. A segunda maior supererupção formou a Caldeira de Yellowstone (~ 630,000 anos atrás) e produziu o Lava Creek Tuff. A Caldeira de Henry's Fork (1,2 milhões de anos atrás) criou o Mesa Falls Tuff, mas é a única caldeira do ponto quente que é claramente visível hoje. [12]

Erupções não explosivas de lava e erupções explosivas menos violentas ocorreram na caldeira de Yellowstone e perto dela desde a última supererupção.[8][9] O fluxo de lava mais recente ocorreu cerca de 70 mil anos atrás, enquanto uma erupção violenta escavou o lado oeste do Lago Yellowstone cerca de 150 mil anos atrás. Explosões de vapor menores também ocorrem: uma explosão de 13.800 anos atrás deixou uma cratera de 5 km de diâmetro em Mary Bay, na margem do Lago Yellowstone (localizado no centro da caldeira).[10][11]

Impacto cultural[editar | editar código-fonte]

No filme 2012, do diretor Roland Emmerich, é mostrada como seria a suposta erupção do Yellowstone

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Mount Sheridan, Wyoming». Peakbagger.com. Consultado em 31 de dezembro de 2008. 
  2. «Yellowstone Caldera, Wyoming—USGS». Cascade Volcano Observatory. United States Geological Survey. 22 de janeiro de 2003. Consultado em 30 de dezembro de 2008. 
  3. Johnston, Stephen T.; Wynne, P. Jane; Francis, Don; Hart, Craig J. R.; Enkin, Randolph J.; Engebretson, David C. (1996). «Yellowstone in Yukon: The Late Cretaceous Carmacks Group». Geology. 24 (11): 997, 998. Bibcode:1996Geo....24..997J. doi:10.1130/0091-7613(1996)024<0997:YIYTLC>2.3.CO;2 
  4. «Yellowstone hotspot track». Lamont-Doherty Earth Observatory. Consultado em 10 de junho de 2010. 
  5. Yellowstone Volcanic Hazards, USGS. Volcanoes.usgs.gov (1 de março de 2012). Acessado em 31 de dezembro de 2013.
  6. Arquivado em 10 de junho de 2013 no Wayback Machine.
  7. Newhall, Christopher G.; Dzurisin, Daniel (1988) Historical Unrest at Large Calderas of the World: U.S. Geological Survey Bulletin 1855
  8. «Origin and evolution of silicic magmatism at Yellowstone» (PDF). University of Oregon 
  9. «Secrets of supervolcanoes» (PDF). University of Oregon 
  10. «Introduction to hydrothermal (steam) explosions in Yellowstone». Yellowstone National Park. Yellowstone Net. Consultado em 31 de dezembro de 2008. 
  11. Lowenstern, Jacob B.; Christiansen, Robert L.; Smith, Robert B.; Morgan, Lisa A.; Heasler, Henry (10 de maio de 2005). «Steam Explosions, Earthquakes, and Volcanic Eruptions—What's in Yellowstone's Future? – U.S. Geological Survey Fact Sheet 2005–3024». United States Geological Survey 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vulcões é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.