Erevan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Yerevan)
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2013).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Erevan

Երևան (Ierevã)

—  Cidade  —
Imagens de Erevan
Imagens de Erevan
Bandeira de Erevan
Bandeira
Selo de Erevan
Selo
Erevan está localizado em: Armênia
Erevan
Localização de Erevan na Arménia
Coordenadas 40° 11' N 44° 31' E
País  Armênia
782 a.C.
Administração
 - Prefeito Taron Margarian
Área
 - Total 260 km²
Altitude 989 m (3 245 pés)
População (2011) [1]
 - Total 1 116 000
    • Densidade 4 292,3 hab./km²
Sítio www.yerevan.am

Erevan,[2] Erevã,[nt 1] Ierevan[nt 2] ou Ierevã[6] (em arménio: Երեւան; transl.: Erevan; Hye-Yerevan.ogg [jɛɾɛˈvɑn] ) é a capital e maior cidade da Armênia, além de uma das cidades mais antigas continuamente habitadas do mundo.[7] Localizada ao longo do rio Hrazdan, Yerevan é o centro administrativo, cultural, e industrial do país. É a capital desde 1918, a décima terceira da história da Armênia, e a sétima localizada dentro ou em volta da planície de Ararat.

A história de Erevan remonta-se ao século VIII a.C., com a fundação da fortaleza de Erebuni em 782 a.C., no reinado de Argisti I, no extremo oeste da planície de Ararat.[8] Erebuni foi descrita como um "grande centro religioso e administrativo, uma capital inteiramente real."[9] De 1736 a 1828, durante o domínio iraniano sobre a Armênia Oriental, foi o centro do canato de Erevã. Em 1828, tornou-se parte do Império Russo, junto com o resto da Armênia Oriental, após a Guerra russo-persa de 1826–1828. Após a Primeira Guerra Mundial, Erevan tornou-se a capital da Primeira República da Armênia após o influxo de milhares de sobreviventes do genocídio armênio no Império Otomano.[10] A cidade teve uma rápida expansão no decorrer do século XX, parte da história na qual a Armênia fazia parte da União Soviética. De uma cidade provincial do Império Russo, em poucas décadas, Erevan transformou-se no principal centro cultural, artístico e industrial da Armênia, bem como a sede do governo nacional.

Com o crescimento da economia do país, Erevan vem experimentando uma grande transformação, com muitas partes da cidade recebendo novas construções e empreendimentos desde o início da década de 2000, com a multiplicação de outlets, restaurantes, mercados e cafés, que eram raros no período soviético.

A população oficial de Erevan é de 1 060 138 habitantes (2011), cerca de 35% da população total do país. Segundo a estimativa oficial para 2016, a população atual da cidade é de 1 073 700 habitantes.[11]

Erevan foi nomeada a Capital Mundial do Livro de 2012 pela UNESCO.[12]

História[editar | editar código-fonte]

Os vestígios arqueológicos indicam que foi fundada, em 782 a.C., uma fortaleza urartiana chamada Erebuni (Էրեբունի) por ordens do rei Argistis I. A Fortaleza de Erebuni era uma sentinela contra os ataques bárbaros a partir do norte do Cáucaso.

Erevan é, assim, uma das mais antigas cidades do mundo dentre as ainda habitadas. Tornou-se uma cidade importante devido à sua localização estratégica no meio das rotas de caravanas entre a Europa e a Índia. Tem a atual designação pelo menos desde o século VII, quando era a capital da Arménia sob soberania persa.

Devido à sua localização, Erevan foi constantemente disputada entre a Pérsia e os otomanos, tendo mudado de mãos inúmeras vezes. A cidade constituiu um canato entre 1604 e 1828 e esteve alternadamente sob domínio da Pérsia e da Turquia. Em 1827, foi conquistada pela Rússia e formalmente cedida pela Pérsia em 1828. Depois da Revolução russa de 1917, foi, durante três anos, a capital da Arménia independente. A partir de 1920, tornou-se capital da República Socialista Soviética Arménia, dentro da União Soviética. Com o fim da União Soviética em 1991, tornou-se a capital da atual República da Arménia.

Cultura[editar | editar código-fonte]

Erevan é o centro industrial, cultural e científico da região do Cáucaso. É em Erevan, por exemplo, que fica a mais importante universidade da Arménia, a Universidade Estadual de Erevan (1920), além da Academia de Ciências da Arménia, um museu histórico, uma casa de óperas, um conservatório e outros diversos institutos técnicos.

Os arquivos de Matenadaran possuem um rico acervo de manuscritos de origem arménia, grega, hebraica, romana, persa e síria. Erevan tem um grande número de bibliotecas públicas, museus, teatros, jardins botânicos e zoológicos. É também um grande entroncamento ferroviário e o maior centro de comércio agrícola da região. As indústrias de Erevan produzem metais, ferramentas para máquinas, equipamentos elétricos, químicos, tecidos e produtos alimentícios em geral.

As duas principais atrações turísticas são as ruínas da Fortaleza de Erebuni e de uma fortaleza romana. O Aeroporto Zvartnots serve a cidade.

Economia[editar | editar código-fonte]

Selo soviético comemorativo dos 2750 anos de Erevan

Erevan não é somente sede de empresas arménias, mas também como de empresas transnacionais, devido à sua posição estratégica entre Europa e Ásia. O Banco Nacional da Arménia e a Bolsa de Valores do país e a sede de grandes bancos mundiais funcionam em Erevan.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Recentemente, a cidade passa por uma grande processo de remodelamento onde apartamentos de estilo soviético são demolidos e trocados por modernos edifícios. Apesar disso, o projeto não é bem-visto pela oposição, bem como por alguns residentes.[carece de fontes?]

Distritos[editar | editar código-fonte]

Erevan é dividida em vários distritos, cada um comandado por um líder eleito.

Cidades-irmãs[editar | editar código-fonte]

Atualmente, Erevan tem 25 cidades-irmãs:

Notas

  1. Grafia usada pelos organismos da União Europeia e,[3] segundo o Ciberdúvidas da Língua Portuguesa, mais de acordo com a tradição ortográfica do português.[4]
  2. Forma oficialmente usada pelo governo brasileiro,[5] que representa mais fidedignamente a pronúncia local do nome.

Referências

  1. «Armenia Demographics Profile 2014». www.IndexMundi.com. Consultado em 19 de abril de 2015 
  2. «Portal das Comunidades Portuguesas - Ministério dos Negócios Estrangeiros». Consultado em 13 de agosto de 2015 
  3. «Código de Redação Interinstitucional. Lista dos Estados, territórios e moedas». União Europeia, Serviço das Publicações da União Europeia. publications.europa.eu. Consultado em 19 de abril de 2015 }
  4. Rocha, Carlos (5 de setembro de 2012). «Erevan, ou Erevã, capital da Arménia». Ciberdúvidas da Língua Portuguesa. ciberduvidas.iscte-iul.pt. Consultado em 9 de março de 2016. Cópia arquivada em 9 de março de 2016 
  5. «Embaixada do Brasil em Ierevan.». ierevan.itamaraty.gov.br. Consultado em 19 de abril de 2015 }
  6. Dicionário Aurélio (Lista de países e capitais, 8ª edição, impressão de março de 2014)
  7. Bournoutian, George A. (2003). A concise history of the Armenian people: (from ancient times to the present) 2nd ed. Costa Mesa, California: Mazda Publishers. ISBN 9781568591414 
  8. Katsenelinboĭgen, Aron (1990). The Soviet Union: Empire, Nation and Systems. New Brunswick: Transaction Publishers. p. 143. ISBN 0-88738-332-7 
  9. R. D. Barnett (1982). «Urartu». In: John Boardman; I. E. S. Edwards; N. G. L. Hammond; E. Sollberger. The Cambridge Ancient History, Vol. 3, Part 1: The Prehistory of the Balkans, the Aegean World, Tenth to Eighth Centuries BC 2nd ed. [S.l.]: Cambridge University Press. p. 346. ISBN 978-0521224963 
  10. Hovannisian, Richard G. (1971). The Republic of Armenia: The First Year, 1918-1919, Vol. I. Berkeley: University of California Press. pp. 126–127. ISBN 0-520-01984-9 
  11. The official estimate of the population in Armenia as of 01.01.2016
  12. «Yerevan named World Book Capital 2012 by UN cultural agency» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons