Yosef Hayim Yerushalmi

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Yosef Hayim Yerushalmi (Nova York, 20 de maio de 1932 - 8 de dezembro de 2009) foi um professor da Universidade Columbia entre 1980 e 2008.

Infância e educação[editar | editar código-fonte]

Nasceu no Bronx, Nova York, em 20 de maio de 1932, filho pais russos de língua iídiche que imigraram para os Estados Unidos. Seu pai era professor de hebraico e seu nome era originalmente Joseph Hyman Erushalmy.

Em 1953, Yerushalmi recebeu seu diploma de bacharel da Universidade Yeshiva. De acordo com seu anuário de 1952, costumava afirmar para alguns alunos que tinha origens "exóticas", brincando que ele pode ter vindo da Turquia, Tajiquistão e Oxford.[1] Mais tarde, em 1957, foi ordenado rabino no Seminário Teológico Judaico da América e depois serviu como rabino de uma sinagoga em Larchmnont, Nova York.[2]

Tornou-se doutor pela Universidade de Columbia em 1966, onde foi orientado por Salo Baron. Depois de completar seus estudos de doutorado, dedicou sua vida à academia e ao estudo acadêmico da história e historiografia judaicas. Escreveu, posteriormente: "Vivo com a consciência irônica de que o próprio modo em que me aprofundo no passado judaico representa uma ruptura decisiva com esse passado".[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Desde o momento de receber seu doutorado até sua nomeação em Columbia, Yerushalmi lecionou na Universidade de Harvard, onde foi professor de História Judaica e Civilização Sefardita e o presidente do Departamento de Línguas e Civilizações do Oriente Próximo.[3]

Em 1980, uma série de quatro palestras ministradas na Universidade de Washington, em Seattle, tornou-se a base do reconhecido livro Zakhor: memória judaica e história judaica, publicado pela primeira vez em 1982. Em 1984, Leon Wieseltier escreveu que enquanto Yerushalmi já estava estabelecido como "um dos historiadores mais importantes da comunidade judaica", Zakhor iria "estabelecê-lo como um de seus críticos mais importantes".[4] De 1980 a 2008, foi o Professor de História, Cultura e Sociedade Judaica na Universidade de Columbia.

Yerushalmi morreu de enfisema em 8 de dezembro de 2009.[5] Foi sucedido na Universidade de Columbia por Elisheva Carlebach Yoffen.

Honras e prêmios[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Steven, Aschheim (24 de setembro de 2018). Fragile Space: Forays into Jewish Memory. [S.l.: s.n.] ISBN 9783110596939 
  2. a b Stein, Nathaniel (11 de Agosto de 2011). «Yosef Hayim Yerushalmi: History, Memory, and Fiction». New Yorker. Consultado em 31 de março de 2022 
  3. «National Foundation for Jewish Culture». 25 de março de 2008. Arquivado do original em 11 de junho de 2017 
  4. Wieseltier, Leon. «Culture and Collective Memory». Consultado em 30 de junho de 2020 
  5. Berger, Joseph (10 de dezembro de 2009). «Yosef H. Yerushalmi, Scholar of Jewish History, Dies at 77». New York Timees. The New York Times Company 
  6. «Past Winners». Jewish Book Council (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2020 
  7. «Past Winners: Jewish Thought». Jewish Book Council (em inglês). Consultado em 23 de janeiro de 2020 
  8. Yerushalmi, Yosef Hayim (2006). Israel, der unerwartete Staat. Tübingen: Mohr Siebeck. ISBN 978-3-16-148860-3. Consultado em 23 de julho de 2015. Cópia arquivada em 23 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]