Este é um artigo bom. Clique aqui para mais informações.

Yoshi's Safari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Yoshi's Safari
Capa das regiões PAL
Desenvolvedora(s) Nintendo Research & Development 1
Publicadora(s) Nintendo
Produtor(es) Shigeru Miyamoto
Compositor(es) Yoshiki Nishimura
Miyuki Uemura
Yasushi Tokunaga
Série Mario
Plataforma(s) Super Nintendo
Entertainment System
Lançamento
  • JP 14 de julho de 1993
  • AN setembro de 1993
  • PAL 1994
Gênero(s) Tiro
Modos de jogo Um jogador
Multijogador

Yoshi's Safari, conhecido no Japão como Yoshi's Road Hunting (ヨッシーのロードハンティング Yosshī no Rōdo Hantingu?), é um jogo de tiro desenvolvido pela Nintendo Research & Development 1 e publicado pela Nintendo para o Super Nintendo Entertainment System. É o único jogo da série Mario que apresenta jogabilidade de tiro em primeira pessoa e necessita do acessório de pistola de luz Super Scope. Jogando como Mario e seu dinossauro de estimação Yoshi, o jogador embarca em uma missão para salvar o reino de Jewelry Land de Bowser e seus Koopalings, que sequestraram seus governantes e roubaram 12 gemas. O jogo apresenta 12 níveis em que o jogador atira em inimigos como Goombas e Koopas e coleta power-ups e moedas. No final de cada nível, o jogador se envolve em uma fase chefão. A Nintendo pediu que seu departamento R&D1 começasse o desenvolvimento de Yoshi's Safari em resposta à crescente popularidade do Super Scope. O jogo foi o primeiro do Super Scope a utilizar o modo gráfico chamado de Mode 7, e o futuro do periférico dependia do desempenho do jogo.

A Nintendo lançou Yoshi's Safari no Japão e na América do Norte perto do fim de 1993, e em regiões PAL no ano seguinte. O jogo recebeu críticas positivas de críticos de jogos eletrônicos, que elogiaram sua apresentação — principalmente os visuais — e a jogabilidade; alguns o rotularam como o melhor título que utiliza o Super Scope. No entanto, recebeu críticas por sua curta duração e baixo nível de dificuldade. O jogo ganhou pouca atenção e falhou comercialmente, atribuído ao seu lançamento coincidindo com uma controvérsia em torno do relançamento do popular jogo de arcade Mortal Kombat, de 1992. A maioria das adições de Yoshi's Safari ao universo de Mario foram ignoradas nos jogos subsequentes, e nunca foi relançado.

Jogabilidade e enredo[editar | editar código-fonte]

O jogador (da perspectiva de Mario) e Yoshi lutando contra um Koopa Troopa pilotando um mecha

Yoshi's Safari é um jogo de tiro de pistola de luz[1] visto de uma perspectiva em primeira pessoa.[2][3] O jogo apresenta doze fases[2] e necessita do Super Scope, uma pistola de luz e periférico para o Super Nintendo Entertainment System, para ser jogado.[3] O jogador visualiza o jogo da perspectiva de Mario montado nas costas de seu dinossauro de estimação Yoshi e usa o Super Scope para atirar nos inimigos, incluíndo Goombas, Koopas, e Cheep-Cheeps.[2] À medida que o jogador dispara com o Super Scope, um medidor de potência cairá; disparar muito rápido o esgotará e causará longas pausas entre os tiros, fazendo com que o jogador fique mais vulnerávrl ​​a ataques inimigos.[4] O jogo apresenta um modo multijogador, onde um jogador controla Mario usando um Super Scope e outro controla Yoshi usando um controle tradicional do SNES. No modo de um jogador, Yoshi é controlado automaticamente.[4][5]

Após selecionar um nível do mundo principal, o jogador precisa terminá-lo dentro de um tempo-limite. Além de atirar em inimigos, o jogador atira em blocos com ponti de interrogação para ganhar moedas,[6] e ganhará uma vida extra coletando sessenta.[4] O jogador perde vidas se inimigos esgotarem sua barra de vida, se cair em um poço com menos de três moedas ou se não conseguir completar o nível dentro do prazo estipulado. Perder todas as vidas resulta em um game over, forçando o jogador a reiniciar.[4][6] Os níveis apresentam caminhos ramificados que levam a diferentes inimigos e prêmios, embora eles sempre terminem no mesmo caminho, que leva a uma batalha contra um chefão.[7] Os chefões incluem Koopalings pilotando mechas, versões maiores de inimigos normais e Bowser.[2][7] Power-ups, como cogumelos, flores de fogo e estrelas fornecem ao jogador uma vida extra, poder de fogo e invencibilidade, respectivamente. Alguns power-ups só podem ser usado durante batalhas contra chefões.[6][7]

Yoshi's Safari se passa em Jewelry Land — um local semelhante ao Reino do Cogumelo[2] — e apresenta uma história simples.[7] O antagonista da série, Bowser, e seus Koopalings sequestram King Fret e Prince Pine, governantes de Jewelry Land, e roubam as doze gemas mágicas que protegem o reino de danos, causando um terremoto que o divide em dois.[2][6] Um dos Koopalings, Iggy, projeta poderosos mecanismos que ajudam o exército de Bowser em sua invasão.[7] A Princesa Peach envia Mario e Yoshi em uma missão para derrotar Bowser, recuperar as gemas e libertar os dois governantes.[2] Quando o jogador completa o jogo, ele recebe um código de cheat que, quando inserido na tela de título, aumenta o nível de dificuldade.[8] O jogo também possui uma tabela de classificação para incentivar jogatinas e para que os jogadores possam acompanhar suas pontuações.[2]

Desenvolvimento e lançamento[editar | editar código-fonte]

Um Super Scope

Em fevereiro de 1992, a Nintendo lançou o Super Scope, sucessor de seu popular NES Zapper para o Nintendo Entertainment System. Na época, a Nintendo estava em forte concorrência com a Sega, uma empresa conhecida por seus jogos e publicidade "legais", e precisava de uma vantagem sobre esse novo rival. Porém, ao contrário de seu antecessor, o Super Scope foi apenas um sucesso moderado e, em 1993, correu o risco de desaparecer na obscuridade. O gerenciamento da Nintendo percebeu que a relevância do periférico estava diminuindo e pediu para que o departamento R&D1 da empresa desenvolvesse um jogo de Super Scope apresentando Mario. O futuro do Super Scope dependia do desempenho deste jogo.[2] Yoshi's Safari foi o primeiro jogo do Super Scope a utilizar o modo gráfico Mode 7 do SNES, que criou uma impressão de gráficos de computador em 3D e tornou a jogabilidade mais realista.[4]

A Nintendo lançou Yoshi's Safari no Japão em 14 de julho de 1993[9] sob o título Yoshi's Road Hunting, e na América do Norte em setembro.[2] Foi lançado em regiões PAL em 1994.[9] O título não atraiu muita atenção após o lançamento.[2][1] Seu lançamento na América do Norte coincidiu com o relançamento do popular Mortal Kombat, de 1992. De acordo com a IGN, a decisão da Nintendo de suavizar o sangue e o gore da versão de SNES deste jogo atraiu a atenção do público de Yoshi's Safari.[2]

Recepção e legado[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Electronic Gaming Monthly 6/10[10][a]
Official Nintendo Magazine 77/100[7]
Joypad 83%[5]

Apesar de Yoshi's Safari ter falhado comercialmente, que a IGN atribuiu à sua confiança no Super Scope e o fiasco de Mortal Kombat,[2][3] o jogo recebeu elogios dos críticos.[5][7][11] A apresentação — particularmente os visuais — foi bem recebida. As revistas Joypad,[5] Electronic Gaming Monthly (EGM),[10] e Nintendo Magazine System consideraram os gráficos e a rolagem suave entre os destaques do jogo.[7] A Joypad escreveu que a animação era fluida[5] e a Nintendo Magazine System disse que os gráficos eram adequados ao tema Mario,[7] enquanto a Nintendo Power chamou os personagens de coloridos e brilhantes.[11] A The Los Angeles Times elogiou o uso do Mode 7, descrevendo os gráficos como excelentes e coloridos.[4] A Joypad e a Nintendo Magazine System elogiaram a música,[5][7] enquanto a Joypad escreveu que era simples, mas que ainda era bom.[5]

Os críticos também elogiaram a jogabilidade, com a Joypad e a Nintendo Magazine System nominando Yoshi's Safari como o melhor jogo do Super Scope.[5][7] Joypad elogiou o modo multijogador e escreveu que, embora o jogo fosse um pouco caro, valia a pena comprar para os proprietários do Super Scope.[5] O jogo teve mais profundidade do que outros títulos do Super Scope, escreveu a Nintendo Magazine System, por causa de sua variedade e trajetórias de ramificação de níveis.[7] A Joypad e a Nintendo Power respectivamente elogiaram os controles como responsivos e fáceis de usar.[5][11] No entanto, a curta duração e a baixa dificuldade do jogo foram os principais aspectos das críticas.[5][7][10] Os revisores da Nintendo Magazine System disseram que terminaram o jogo inteiro de uma só vez e estimaram que isso proporcionaria no máximo uma semana de entretenimento.[7] A Nintendo Magazine System e a Nintendo Power sugeriram que o jogo era voltado para um público mais jovem,[7][11] com o primeiro afirmando que jogadores iniciantes encontrariam divertimento, mas jogadores experientes ficariam querendo mais.[7]

O fracasso de Yoshi's Safari significava que o Super Scope era comercialmente inviável para a Nintendo.[2] O criador de Mario e Yoshi, Shigeru Miyamoto, que estava trabalhando em Super Mario World 2: Yoshi's Island na época, não gostou de Yoshi's Safari e se esforçou para tornar seu jogo mais autêntico.[12] Jogos estrelados por Yoshi não ganharam muita popularidade até Yoshi's Island,[13] e Yoshi's Safari permanece relativamente obscuro.[3] As adições do título ao universo Mario, como a Jewelry Land, foram ignoradas em jogos subsequentes. Yoshi's Safari é notável por ser o primeiro jogo do Mario a se referir à Princesa como "Peach" em vez de "Toadstool" em territórios ocidentais. A Nintendo iria posteriormente reviver seus jogos antigos relançando-os por meio do serviço Virtual Console, mas Yoshi's Safari nunca foi relançado, e a IGN observou que seu 25º aniversário passou em 2018 com pouca fanfarra.[2] O jogo continua sendo o único jogo de tiro em primeira pessoa da série Mario.[2][3]

A IGN lamentou a obscuridade do jogo em uma retrospectiva de 2019 e achou que merecia mais reconhecimento, escrevendo que o jogo foi e ainda é um destaque na franquia Mario. Os "aspectos peculiares" do título — como seu tema de ficção científica (em contraste com a fantasia anterior de jogos do Mario), música upbeat e uso do Super Scope — pavimentou o caminho para jogos mais experimentais da franquia, como Mario + Rabbids Kingdom Battle de 2017: "embora longe de ser perfeito, [Yoshi's Safari] ainda estava à frente do seu tempo em certos aspectos." O escritor também disse que é "uma vergonha" o jogo nunca ter sido relançado.[2]

Notas e referências

Notas

  1. Apresenta-se a média da nota fornecida por cinco revisores da Electronic Gaming Monthly; forneceram duas pontuações de 6/10, duas de 7/10 e uma de 4/10.[10]

Referências

  1. a b Barker, Sammy (2 de novembro de 2007). «A Brief History Of The Light Gun On Nintendo». Nintendo Life. Consultado em 18 de março de 2019. Cópia arquivada em 18 de agosto de 2018 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q Bertoli, Ben (13 de março de 2019). «Remembering the First and Only Mario FPS». IGN 
  3. a b c d e M. Thomas, Lucas (24 de maio de 2010). «Yoshi: Evolution of a Dinosaur». IGN. p. 3. Consultado em 18 de março de 2019. Cópia arquivada em 23 de outubro de 2018 
  4. a b c d e f Schiffmann, William (23 de dezembro de 1993). «OC High / Student News & Views : video game review : Yoshi's Safari : From Nintendo for SNES, $39.95». The Los Angeles Times 
  5. a b c d e f g h i j k «Yoshi's Safari». Joypad (em francês) (23): 97. Setembro de 1993 
  6. a b c d Yoshi's Safari (instruction manual) (PDF). [S.l.]: Nintendo. 1993. pp. 1–22 
  7. a b c d e f g h i j k l m n o p «Yoshi's Safari». Nintendo Magazine System (12): 80–82. Setembro de 1993 
  8. Nintendo Research & Development 1 (14 de julho de 1993). Yoshi's Safari. Super Nintendo Entertainment System. Nintendo. Yoshi: Congratulations! I know a secret. Press the L, R, X, Y & Start Buttons simultaneously on the Title Screen for a new quest! 
  9. a b «Yoshi's Safari (SNES / Super Nintendo) News, Reviews, Trailer & Screenshots». Nintendo Life. Consultado em 15 de março de 2019. Cópia arquivada em 9 de setembro de 2018 
  10. a b c d «Review Crew: Major Mike's Roundup». Electronic Gaming Monthly (52): 46. Novembro de 1993 
  11. a b c d «Super Scope Roundup». Nintendo Power (55): 42–43. Dezembro de 1993 
  12. Kent, Stephen L. (2001). The Ultimate History of Video Games. New York: Three Rivers Press. p. 518. ISBN 0-7615-3643-4 
  13. Calvert, Darren (11 de março de 2014). «Month of Yoshi: The Brightly Coloured History of Yoshi». Nintendo Life. Consultado em 18 de março de 2019. Cópia arquivada em 19 de abril de 2018