Yoshico, um Poema de Amor

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Yoshico, um Poema de Amor
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero Romance
Duração 30 minutos
Criador(es) Lúcia Lambertini
País de origem  Brasil
Idioma original (em português)
Produção
Diretor(es) Antônio Abujamra
Elenco Rosa Miyake
Luiz Gustavo
Edney Giovenazzi
Guiomar Gonçalves
Dina Lisboa
Thilde Francheschi
Tema de abertura "Hitoribotti Ga Sabishino (Sem Ninguém)", Rosa Miyake
Exibição
Emissora original Rede Tupi
Formato de exibição Preto e branco
Transmissão original 9 de janeiro – 31 de março de 1967
Episódios 60

Yoshico, um Poema de Amor é uma telenovela produzida e exibida pela TV Tupi entre 9 de janeiro e 31 de março de 1967, em 60 capítulos, inaugurando o horário das 18h30 e sendo substituída por O Jardineiro Espanhol. Foi escrita por Lúcia Lambertini e dirigida por Antônio Abujamra.[1] Destaca-se por ser a primeira telenovela na história da televisão brasileira a trazer uma atriz descendente de orientais como protagonista, Rosa Miyake.[2]

Produção[editar | editar código-fonte]

Yoshico, um Poema de Amor foi a primeira telenovela brasileira a trazer uma atriz descendente de orientais, Rosa Miyake, como protagonista.[3] A decisão deu-se após a Rede Tupi avaliar como positiva o pioneirismo em colocar no ar a primeira protagonista negra da televisão brasileira, Iolanda Braga em A Cor da Sua Pele (1965), e o primeiro beijo homossexual, entre Vida Alves e Geórgia Gomide em Calúnia (1963), continuando investindo em diversidade.[4][5] Tal pioneirismo, no entanto, acabou estacionado ali, uma vez que a próxima oriental protagonista viria apenas 50 anos depois, Ana Hikari em Malhação: Viva a Diferença (2017).[6]

Rosa Miyake foi convidada especialmente por Lúcia Lambertini, porém inicialmente recusou por não ser atriz, sendo convencida pela direção da Tupi, que alegou que seria uma boa oportunidade de expandir sua carreira de cantora – esta foi sua única novela.[7] Apesar da representatividade de Rosa, não havia mais nenhum oriental no elenco, tendo atores brancos interpretando japoneses, o que na época era comum, mas passou a ser considerado yellowface com o passar das décadas.[7] A novela foi uma das mais assistidas do ano, atrás apenas de Redenção e Éramos Seis, levando Rosa a ser convidada pela Embaixada Japonesa em 1968 a passar um mês fazendo shows no Japão em comemoração aos 60 anos da Imigração japonesa no Brasil.[7]

Aproveitando a repercussão na concorrência, a Rede Globo lançou uma novela similar dois meses depois, A Sombra de Rebeca, também sobre o romance de um diplomata e uma oriental no Japão, a qual não obteve o mesmo sucesso e causou estranhamente por colocar Yoná Magalhães como japonesa.[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

No Japão, a jovem Yoshico se apaixona pelo músico brasileiro Luís Paulo, filho de diplomatas que estão no país a negócios, porém tem que enfrentar a fúria de sua tradicional família que desaprova o romance e da noiva dele, Beatriz.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator Personagem
Rosa Miyake Yoshico San
Luiz Gustavo Luís Paulo de Araújo
Edney Giovenazzi Cawabata San
Guiomar Gonçalves Kyoko San
Dina Lisboa Yoko San
Thilde Francheschi Beatriz
Jesus Padilha Rui de Araújo
Ruthinéa de Moraes Isabelita de Araújo
Marlene França Rosa de Araújo
Raimundo Duprat Hitache Yamasaki
Isabela Clara Lee Sakura
Ivete Bonfá Lissa
Lúcia Mello Lucy
Xisto Guzzi Reginaldo
Clenira Michel Ioiô
Telcy Perez Bez
Ana Maria Neumann Tula
Nello Pinheiro Chico

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  • FERNANDES, Ismael. Memória da Telenovela Brasileira. São Paulo: Contexto, 1982, pág. 193.
  1. a b «Yoshico, um Poema de Amor». Teledramaturgia. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  2. «Em 70 anos, uma única oriental protagonizou novela no Brasil». Terra. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  3. «Rosa Miyake, a primeira protagonista nissei». Museu da TV. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  4. «Iolanda Braga, a primeira protagonista negra da TV». Caixa de Sucessos. Consultado em 24 de maio de 2021 
  5. «Vida Alves: ela deu o verdadeiro primeiro beijo gay da televisão brasileira». Revista Época. 22 de janeiro de 2001. Consultado em 2 de Julho de 2014 
  6. «'Representatividade dá sentimento de empoderamento', diz Ana Hikari, primeira protagonista asiática de Malhação' e 'As five'». O Globo. Consultado em 5 de agosto de 2022 
  7. a b c «Rosa Miyake - a primeira nipo-brasileira a protagonizar uma novela». Caixa de Sucessos. Consultado em 5 de agosto de 2022