Yume to Kyōki no Ōkoku

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Yume to Kyōki no Ōkoku
夢と狂気の王国
Reino do Sonho e da Fantasia (PRT)
Estúdio Ghibli: Reino de Sonhos e Loucura[1] (BRA)
 Japão
2013 •  cor •  118 min 
Realização Mami Sunada
Produção Nobuo Kawakami
Género documentário
Música Takagi Masakatsu
Cinematografia Mami Sunada
Edição Mami Sunada
Companhia(s) produtora(s) Dwango
Distribuição Tōhō
Lançamento Japão 16 de novembro de 2013
Portugal 13 de março de 2015 (Monstra)
Idioma japonês
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Yume to Kyōki no Ōkoku (夢と狂気の王国? Reino do Sonho e da Fantasia (título em Portugal) ou Estúdio Ghibli: Reino de Sonhos e Loucura (título no Brasil)) é um documentário japonês realizado por Mami Sunada, que segue a rotina dos funcionários do Studio Ghibli, incluindo os realizadores Hayao Miyazaki, Isao Takahata e Toshio Suzuki, na medida em que trabalharam para lançar os dois filmes, Kaze Tachinu e Kaguya-hime no Monogatari simultaneamente. Estreou-se no Japão a 16 de novembro de 2013,[2] e foi exibido em Portugal pelo Monstra Festival a 13 de março de 2015.[3]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Lançamento[editar | editar código-fonte]

O documentário foi exibido no Festival Internacional de Cinema do Hauaí em 2014.[4] Em março de 2015, foi introduzido ao catálogo do serviço de fluxo de média Netflix.[5] Foi lançado em DVD e disco blu-ray a 21 de maio de 2014.[6][7]

Receção[editar | editar código-fonte]

Yume to Kyōki no Ōkoku teve uma receção geralmente favorável por parte da crítica especializada. No sítio Rotten Tomatoes, o documentário mantém um índice de aprovação de 91%, com uma classificação média de 7,2 de 10.[8] Sam Byford do The Verge escreveu: "Este documentário é essencial para qualquer fã do Studio Ghibli, para quem aprecia o seu trabalho por si só".[9] David Ehrlich do jornal The A.V. Club escreveu: "É uma percussão emocional que está quase ao nível de um dos filmes de Hayao Miyazaki ou de Isao Takahata, uma delicada representação do espírito artístico".[10]

Brian Tallerico do sítio RogerEbert.com deu ao documentário uma classificação de três estrelas, com quatro sendo o máximo, tendo escrito que o realizador Mami Sunada: "capta algo poético sobre a arte e criatividade que pode se expressar com qualquer adepto da animação e outras pessoas".[11] Peter Debruge da revista Variety escreveu: "A atmosfera dentro do Studio Ghibli indica um idílio quase zen, mas o processo de realização da animação é meticuloso, e por vezes árduo, Mami Sunada fez-nos apreciar a magia ainda mais".[12]

Reconhecimentos[editar | editar código-fonte]

Ano Prémios Categorias Destinatários e nomeados Resultado Referências
2014 Mostra Internacional de Cinema e Televisão Feminino Melhor documentário Yume to Kyōki no Ōkoku Venceu [13]
Filmes do Sul Melhor documentário Yume to Kyōki no Ōkoku Indicado [14]

Referências

  1. «Estúdio Ghibli: Reino de Sonhos e Loucura». AdoroCinema. Consultado em 19 de julho de 2017 
  2. «夢と狂気の王国 (2013)». Allcinema (em japonês). Stingray. Consultado em 19 de julho de 2017 
  3. «Monstra: Filme do dia: «Reino do Sonho e da Fantasia»». SAPO Mag. SAPO. 13 de março de 2015 
  4. Chinen, Karleen C. (17 de outubro de 2014). «2014 HIFF To Feature 23 Japanese Films». The Hawaii Herald (em inglês) 
  5. Green, Scott (30 de março de 2015). «Studio Ghibli Documentary "The Kingdom of Dreams and Madness" Streams on Netflix» (em inglês). Crunchyroll 
  6. Sunada, Mami (21 de maio de 2014). 夢と狂気の王国 [DVD] (DVD) (em japonês). Japão: The Walt Disney Company Japan. No minuto 118. ASIN B00IP13GSE 
  7. Sunada, Mami (21 de maio de 2014). 夢と狂気の王国 [Blu-ray] (disco blu-ray) (em japonês). Japão: The Walt Disney Company Japan. No minuto 118. ASIN B00IP10QBE 
  8. «The Kingdom of Dreams and Madness» (em inglês). Rotten Tomatoes. Consultado em 19 de julho de 2017 
  9. Byford, Sam (28 de novembro de 2014). «'The Kingdom of Dreams and Madness' reveals the tortured genius of Studio Ghibli». The Verge (em inglês) 
  10. Ehrlich, David (25 de novembro de 2014). «The Kingdom Of Dreams And Madness looks behind the curtain of Studio Ghibli». The A.V. Club (em inglês) 
  11. Tallerico, Brian (28 de novembro de 2014). «The Kingdom of Dreams and Madness». RogerEbert.com (em inglês). Roger Ebert 
  12. Debruge, Peter (4 de setembro de 2014). «Toronto Film Review: 'The Kingdom of Dreams and Madness'». Variety (em inglês) 
  13. «TheWIFTS Foundation Film Awards 2014» (em inglês). Mostra Internacional de Cinema e Televisão Feminino. Consultado em 19 de julho de 2017 
  14. «The Kingdom of Dreams and Madness» (em norueguês). Filmes do Sul. Consultado em 19 de julho de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um documentário (ou documentarista) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.