Zé Doca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Zé Doca
"Cidade Esperança"
"Cidade do Progresso"
"Metrópole do Alto Turi"
Bandeira de Zé Doca
Brasão de Zé Doca
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 4 de outubro de 1987 (30 anos)
Gentílico zé-doquense
Lema Prosperidade e Progresso
Prefeito(a) Maria Josenilda Cunha Rodrigues (PR)
Localização
Localização de Zé Doca
Localização de Zé Doca no Maranhão
Zé Doca está localizado em: Brasil
Zé Doca
Localização de Zé Doca no Brasil
03° 14' 34" S 45° 49' 26" O03° 14' 34" S 45° 49' 26" O
Unidade federativa Maranhão
Mesorregião Oeste Maranhense IBGE/2008[1]
Microrregião Pindaré IBGE/2008[1]
Região metropolitana Nordeste
Municípios limítrofes Nova Olinda do Maranhão e Araguanã (N), Governador Newton Bello e São João do Caru (S), Penalva e Monção (E), Pedro do Rosário (NE), e Centro Novo do Maranhão (O)
Distância até a capital 302 km
Características geográficas
Área 2 140,112 km² [2]
População 50 806 hab. IBGE/2016[3]
Densidade 23,74 hab./km²
Clima Equatorial
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,595 (MA: 67°) – baixo PNUD/2010[4]
PIB R$ 381 977 mil (MA: 27°) – IBGE/2014[5]
PIB per capita R$ 7 610,63 IBGE/2004[5]

Zé Doca é um município brasileiro do estado do Maranhão. Localiza-se na microrregião de Pindaré, mesorregião do Oeste Maranhense. O município foi criado em 1988. Sua população, estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2014 era de 50 190 habitantes.

Sendo o maior município da região do Alto Turi, coordena, através da gerência de desenvolvimento e articulação regional, ações em mais 17 municípios circunvizinhos, sendo portanto carinhosamente chamada pelos habitantes da região como a "Metrópole" do Alto Turi.

Geografia[editar | editar código-fonte]

  • Coordenadas geográficas
    • Latitude: -3.25707 (3° 15′ 25″ S)
    • Longitude: -45.65 (45° 39′ 0″ O)
  • Superfície: 241.375 hectares (2.413,75 km², 931,95 sq mi)
  • Altitude: 30 m (98 ft)

Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), desde agosto de 1975 a menor temperatura registrada em Zé Doca foi de 17,2 °C em 17 de agosto de 1988,[6] e a maior atingiu 38,4 °C em 1° de dezembro de 2015.[7] O maior acumulado de precipitação em 24 horas foi de 198,3 milímetros (mm) em 28 de dezembro de 1989.[8] Fevereiro de 2018, com 609,1 mm, foi o mês de maior precipitação, superando o antigo de recorde de 597,1 mm em março de 2009.[9]

Dados climatológicos para Zé Doca
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 37,8 35,2 35,8 34,6 35 34,1 34,6 36,8 37,2 37,7 37,9 38,4 38,4
Temperatura máxima média (°C) 32,3 31,6 31,5 31,6 32 31,9 32,2 33,4 34,3 34,6 34,4 33,7 32,8
Temperatura média compensada (°C) 26,7 26,3 26,3 26,4 26,9 26,7 26,6 27,2 27,7 28 28,2 27,7 27,1
Temperatura mínima média (°C) 23,1 22,9 23,1 23,2 23,2 22,5 21,9 22,1 22,4 22,8 23,3 23,4 22,8
Temperatura mínima recorde (°C) 19,3 19,8 19,4 19,8 20,1 18,7 17,6 17,2 18,3 19,4 19,6 19,7 17,2
Precipitação (mm) 254,7 296,1 359 346,2 218,2 91,6 47,1 22,5 20,9 31,9 47,9 118 1 854,1
Dias com precipitação (≥ 1 mm) 17 19 22 20 16 8 5 3 3 3 5 8 129
Umidade relativa compensada (%) 80,6 84,1 85,4 85,2 82 78,9 76,3 71,8 68,3 67,1 67,7 72,4 76,7
Horas de sol 163,7 141,8 145,9 154,7 201,1 236,5 250,9 262,1 249,4 224,6 192,2 190,7 2 413,6
Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (normal climatológica de 1981-2010;[10] recordes de temperatura: 01/08/1975-presente)[6][7]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Estatueta popular de Santo Antônio e o Menino, padroeiro da cidade de Zé Doca

A população do município de Zé Doca, de acordo com o último censo realizado pelo IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, divulgado em 1º de dezembro de 2010, apresenta os seguintes dados:

  • População masculina: 24.891 habitantes
  • População feminina: 25.269 habitantes
  • Total das populações por gênero: 50.160 habitantes
  • Zona urbana: 30.856 habitantes
  • Zona rural: 19.304 habitantes
  • Total da população do município: 50.160 habitantes

A religião predominante é a católica, que conta com duas ramificações na cidade: Apostólica Romana e Apostólica Brasileira; esta última, inclusive, foi a pioneira na cidade, só depois foi celebrada a primeira missa romana,porém, também existem várias outras denominações evangélicas em crescimento, como por exemplo a 1ª Igreja Batista, Assembleia de Deus, Igreja Adventista, Testemunhas de Jeová, Igreja Deus é Amor, Igreja Batista Missionária, Igreja universal.

Principais bairros[editar | editar código-fonte]

  • Centro
  • Bairro São Francisco
  • Vila Nova
  • Vila Barroso
  • Vila do Bec
  • Bairro Santa teresinha
  • Bairro Amorim
  • Vila Gusmão
  • Cojunto Consolata
  • Conjunto São José
  • Vila Boa Esperança
  • Vila dos Técnicos
  • Novo Horizonte
  • Vila Major Corinto
  • Vila Bem Vinda

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia zedoquense se baseia no comércio regional de artigos de agropecuária, além de ser o mais importante centro comercial da região maranhense do Alto Turi. Mais recentemente inúmeras empresas internacionais do ramo de biocombustíveis tem visitado o município visando a possibilidade de instalação de industrias de produção de biocombustíveis na região.[carece de fontes?]

Rede bancária:

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Educação[editar | editar código-fonte]

Em 2006, chega ao município a Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), mas o marco do desenvolvimento científico e tecnológico se dá em 2007, com a instalação no município de um campus do Instituto Federal de Educação, Ciência, Tecnologia do Maranhão. O Campus está localizado em sede própria, situada a Rua da Tecnologia, nº 215, Vila Amorim, à direita no sentido São Luis/Zé Doca, a 200m da BR-316 no km 199. O Campus está desenvolvendo no município ações de Educação, ofertando cursos técnicos na área de química, sendo referência em pesquisas sobre energias alternativas.

A instituição além de atuar como agente formador no município de Zé Doca, conta com uma das maiores equipes de docentes em diversas áreas, e com diversos projetos científicos na área de química, inclusive com trabalhos premiados e reconhecidos nacionalmente pela importância para o desenvolvimento de novas tecnologias.O Campus do IFMA oferece cursos como Técnicos em Secretariado Escolar, Técnico em Gerenciamento de Unidade de Alimentação; Técnico em Controle Ambiental, Técnico em Alimentos, e também um curso técnico em Análises Químicas muito bom por sinal, e curso técnico em Biocombustíveis. Os dois últimos são integrados ao Ensino Médio.

Atualmente a instituição está oferecendo cursos superiores como Licenciatura em Química e Tecnologia em Alimentos. Com a implantação do Campus Zé Doca/IFMA, com oportunidade de oferta da Educação Técnica e Superior, consequentemente influenciarão maior perspectiva de desenvolvimento na região.[carece de fontes?]

Transportes[editar | editar código-fonte]

Terrestre

Conta com um terminal rodoviário onde operam companhias regulares como a Boa Esperança, Transilva, Guanabara, Itapemirim e Mãe e Filho.

Aéreo

Conta também com um aeroporto regional com cerca de 1000m de extensão e cobertura de terra.

Não opera por enquanto nenhum voo regular, mas, principalmente em temporadas políticas, a pista torna-se bastante movimentada, pois torna-se porta de entrada de políticos em campanha.

Cultura[editar | editar código-fonte]

  • Festas juninas: As festas juninas no município são realizadas na praça do viva Zé doca, havendo apresentação de bois, quadrilhas, danças indígenas e outras danças da cidade e de toda região, mas toda cidade entra no clima junino realizando vários eventos em suas ruas. O mais tradicional é o pintando sete, na rua sete de setembro. Há alguns grupos folclóricos de grande tradição como o Grupo de Dança Folclórico Tico-Tico no Fubá, criado em 1995 por um grupo de alunos, e o Grupo Folclórico Flor do Sertão, é Hexa campeão, nos concursos realizados em Zé Doca. Também o grupo de dança indígena Muiraquitã que é considerada a melhor dança indígena da cidade com belas índias, coreografias e maravilhosas roupas.

Entre os pratos mais famosos da cidade estão lendário bolo de arroz e arroz de cuxá (mesmo não tendo o ingrediente principal, o camarão seco) do mercado municipal, e entre outras peculiaridades típicas da culinária maranhense, presença constante nas mesas dos zedoquenses.

Hino oficial[editar | editar código-fonte]

O hino oficial do município foi composto por José Gonçalves dos Santos (letra e música), tendo sua primeira versão gravada em 1988.

Em 2018 foi feita uma nova gravação do hino, com novos arranjos, mas não perdendo a essência original da primeira versão.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008. 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2016. 
  3. «Estimativa populacional 2016 IBGE». Estimativa populacional 2016. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2016. Consultado em 29 de agosto de 2016. 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 31 de julho de 2016. 
  5. a b «Pib dos municípios maranhenses». IBGE. 2014. Consultado em 19 de janeiro de 2014. 
  6. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura mínima (°C) - Zé Doca». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de junho de 2018. 
  7. a b «BDMEP - série histórica - dados diários - temperatura máxima (°C) - Zé Doca». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de junho de 2018. 
  8. «BDMEP - série histórica - dados diários - precipitação (mm) - Zé Doca». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de junho de 2018. 
  9. «BDMEP - série histórica - dados mensais - precipitação total (mm) - Zé Doca». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de junho de 2018. 
  10. «NORMAIS CLIMATOLÓGICAS DO BRASIL». Instituto Nacional de Meteorologia. Consultado em 17 de junho de 2018. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]