Zé Ramalho 2

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
A Peleja do diabo com o dono do céu
Álbum de estúdio de Zé Ramalho
Lançamento Setembro de 1979[1]
Gravação Junho de 1979
Estúdios CBS, Rio de Janeiro[1]
Gênero(s) Forró[1]
Duração 38:48
52:10 (reedição de 2003)
Idioma(s) Português
Formato(s) LP, CD (reedição de 2003)
Gravadora(s) Epic (CBS - Sony Music)
Produção Carlos Alberto Sion
Cronologia de Zé Ramalho
Zé Ramalho
(1978)
A Terceira Lâmina
(1981)

Zé Ramalho 2, também conhecido como A Peleja do Diabo com o Dono do Céu, é o segundo álbum solo do cantor e compositor Zé Ramalho, gravado e lançado em 1979.[1]

O disco lhe rendeu sua primeira certificação de disco de ouro.[1]

Segundo Zé, o álbum retrata um cantador que vê a vida de forma maniqueísta entre Deus e o Diabo.[2]

Informações das faixas[editar | editar código-fonte]

"Falas do Povo", que traz críticas sociais e uma participação de Jorge Mautner no violino, foi dedicada a Geraldo Vandré, uma das influências de Zé.[1][3] "Beira-Mar" é um galope à beira-mar (derivado do martelo agalopado) e o início de uma trilogia que continua em "Beira-Mar – Capítulo II" (no disco A Força Verde, de 1982) e se encerra em "Beira-Mar – Capítulo Final" (no Eu Sou Todos Nós, de 1998).[1][3] A letra da trilogia vem de um folheto de cordel escrito por Zé em 1977 e intitulado "Apocalypse". A primeira parte desse texto apareceria em "Canção Agalopada", canção do próximo disco de Zé (A Terceira Lâmina, de 1981).[3]

"Agônico" é uma faixa instrumental executada exclusivamente por Zé, que toca violas, baixo, percussão, tambor, piano, pandeiro e faz os efeitos vocais. Batizada por Jorge, a faixa seria mais tarde regravada com letra no Eu Sou Todos Nós, com o título "Agônico - O Canto".[1][3] Zé acredita que a faixa manifesta as semelhanças que, segundo ele, existem entre a música do Nordeste brasileiro e a música moura, tendo a segunda influenciada a primeira por conta da herança trazida pelos portugueses, cujo território séculos antes fora invadido pelos povos do norte da África.[2]

"Frevo Mulher" foi inicialmente composta para o repertório da esposa de Zé na época, Amelinha, que faz dueto com ele em "Pelo Vinho e Pelo Pão".[1]

Capa[editar | editar código-fonte]

A capa do álbum traz Zé Ramalho empunhando um violão e interpretando o "dono do Céu", enquanto uma mulher vampiresca (Xuxa Lopes) o espreita e seu rival José Mojica Marins o ameaça. A fotografia foi tirada num casarão abandonado em Santa Teresa, no Rio de Janeiro e foi dirigida por Ivan Cardoso. No resto do encarte, aparecem também Satã (produtor e guarda-costas de José Mojica), Mônica Schmidt e Hélio Oiticica; ilustrações de Seth (Álvaro Marins); e símbolos de Raul Córdula.[1]

Faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as músicas escritas por Zé Ramalho.[1]

  1. "A Peleja do diabo com o Dono do Céu" – 4:24
  2. "Admirável Gado Novo" – 4:53
  3. "Falas do Povo" – 4:11
  4. "Beira-Mar" – 3:54
  5. "Garoto de Aluguel (Taxi Boy)" – 3:03
  6. "Pelo Vinho e Pelo Pão" – 3:19
  7. "Mote das Amplidões" – 3:57
  8. "Jardim das Acácias" – 5:10
  9. "Agônico" – 1:43
  10. "Frevo Mulher" – 3:38
Faixas bônus da reedição de 2003
  1. "Admirável Gado Novo (instrumental)" – 4:49
  2. "Mr. Tambourine Man" – 2:26
  3. "Hino Amizade" – 3:06
  4. "O Desafio do Século" – 3:41

Créditos[editar | editar código-fonte]

Pessoa técnico[editar | editar código-fonte]

  • Produção: Carlos Alberto Sion[1]
  • Direção de estúdio: Carlos Alberto Sion / Zé Ramalho
  • Direção musical: Zé Ramalho / Paulo Machado / C.A Sion[1]
  • Assistentes de produção: Marcelo Falcão / Lígia Itiberê
  • Arranjos de cordas e metais: Paulo Machado[1]
  • Arranjo de flautas em ""Mote das Amplidões"[1]
  • Regência: Paulo Machado
  • Arranjos de base: Zé Ramalho[1]
  • Técnicos de gravação: Manoel Magalhães e Eugênio de Carvalho
  • Assistente de estúdio: Pedrinho
  • Arregimentador: Gilson de Freitas
  • Técnicos de mixagem: Manoel Magalhães e Eugênio de Carvalho

Ficha técnica da capa[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s «A Peleja do Diabo com o Dono do Céu». Enciclopédia Itaú Cultural. Itaú Cultural. 26 de dezembro de 2016. Consultado em 26 de janeiro de 2021 
  2. a b Almeida, Miguel de (31 de maio de 1980). «Amelinha e Zé Ramalho no parque, com "Frevo Mulher"». Grupo Folha. Folha de S.Paulo. 18686: 30. Consultado em 10 de abril de 2021 
  3. a b c d Luciano, Aderaldo (13 de agosto de 2014). «35 anos de A Peleja Do Diabo Com O Dono Do Céu». Jornal GGN. Consultado em 26 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]