Zé Roberto (futebolista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para o jogador que defendeu São Paulo, Atlético-PR e Coritiba nos anos 1960 e 1970, veja José Roberto Marques.
Zé Roberto
Zé Roberto
Zé Roberto com o Palmeiras em 2017
Informações pessoais
Nome completo José Roberto da Silva Júnior
Data de nasc. 6 de julho de 1974 (47 anos)
Local de nasc. São Paulo, São Paulo, Brasil
Nacionalidade brasileiro
alemão
Altura 1,76 m
canhoto
Apelido Vovô Garoto[1]
Animal
Super Choque
Informações profissionais
Clube atual aposentado
Posição meia, volante ou lateral-esquerdo
Site oficial site oficial
Clubes de juventude
00 Palestra de São Bernardo
Clubes profissionais
Anos Clubes
1994–1996
1997–1998
1998
1998–2002
2002–2006
2006–2007
2007–2009
2009–2011
2011–2012
2012–2014
2015–2017
Portuguesa
Real Madrid
Flamengo (emp.)
Bayer Leverkusen
Bayern de Munique
Santos
Bayern de Munique
Hamburgo
Al-Gharafa
Grêmio
Palmeiras
Seleção nacional
1995–2006 Brasil

José Roberto da Silva Júnior, mais conhecido como Zé Roberto (São Paulo, 6 de julho de 1974), é um ex-futebolista brasileiro que atuava como meia, volante ou lateral-esquerdo.

Jogou por grandes clubes do futebol mundial, sendo grande ídolo da Portuguesa, do Santos, do Grêmio, do Palmeiras e do Bayern de Munique.

Atuou pela Seleção Brasileira, conquistando duas Copas América e duas Copas das Confederações FIFA, além de ter sido titular na Copa do Mundo FIFA de 2006. Era integrante do movimento Bom Senso F.C., que reivindicava uma melhor estrutura para o futebol do Brasil.[2]

Atualmente é embaixador do Palmeiras, realizando ações de marketing pelo mundo e ações sociais dentro do Brasil, além de representar o clube em eventos, quando necessário.[3] Anteriormente ocupou o cargo de assessor técnico, onde atuava diretamente com os jogadores e a comissão técnica.[4]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto começou nas divisões de base do Palestra de São Bernardo, onde sempre apresentou um futebol diferenciado, caracterizado pelos belos dribles e passes geniais, despertando interesse da Portuguesa, que o levou para atuar na base logo no começo da década de 90.

Portuguesa[editar | editar código-fonte]

Em 1994, fez a sua estreia como profissional pela Portuguesa. Seu destaque foi dois anos mais tarde, em 1996, quando ainda jogava como lateral-esquerdo. Acabou levando a Lusa para a final do Brasileirão de 1996, após um oitavo lugar na fase classificatória e vitórias sobre o Cruzeiro e Atlético Mineiro. No grande jogo decisivo contra o Grêmio em 11 de dezembro, a Portuguesa venceu por 2 a 0 na ida, mas na volta, quatro dias mais tarde, foi derrotada pelo mesmo placar.[5] O critério que desempatou foi a posição na fase classificatória, em que o clube gaúcho ficou duas posições a frente. Ao fim do campeonato, Zé Roberto foi escolhido o melhor lateral-esquerdo do torneio pela Bola de Prata. Tal prêmio fez com que o jovem de 22 anos ganhasse destaque internacional, levando interesse de grandes clubes europeus.

Real Madrid[editar | editar código-fonte]

Seu último ano na Portuguesa foi 1996, quando transferiu-se oficialmente para o Real Madrid em janeiro de 1997. Sua camisa na época era a 21, que foi deixada pelo meio-campista espanhol Luis Enrique. A negociação girou em torno de 9 milhões de euros, o equivalente a 41,6 milhões de reais, se tornando a maior transação do futebol brasileiro envolvendo um lateral esquerdo. Apesar do grande assédio a Zé Roberto, ele produziu abaixo do esperado, sendo pouco aproveitado nas partidas da La Liga e atuando muitas vezes entre os reservas da equipe, disputando 23 partidas no total.[6]

Flamengo[editar | editar código-fonte]

Seu rendimento baixo resultou em empréstimo ao Flamengo na mesma temporada. Chegou a tempo de disputar o Campeonato Carioca de 1998 sob o comando de Paulo Autuori, ao lado de grandes jogadores como Romário, Palinha, Juan e seu amigo Rodrigo Fabri, presente no vice-campeonato de 1996 com a Portuguesa. Tinha feito uma boa temporada com a camisa do clube carioca, o suficiente para o levar de volta à Europa. Após o termino do seu empréstimo com o Flamengo, o Real Madrid o negociou com o futebol alemão, sendo contratado pelo Bayer Leverkusen.[7]

Bayer Leverkusen[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto atuando pelo Bayern na Bundesliga em 2006

Mesmo com certas turbulências, Zé alcançou o topo de sua carreira na Europa, quando chegou a Alemanha para se acertar com o Bayer Leverkusen no final dos anos 90. Por lá, jogou ao lado de grandes personagens do futebol internacional como o centroavante búlgaro Dimitar Berbatov e o goleiro Hans-Jörg Butt. Essa passagem foi o início de uma grande amizade com o zagueiro Lúcio, que tinha acabado de sair do Internacional em uma cara negociação. Futuramente, ambos seriam companheiros no Bayern de Munique, época mais vitoriosa da dupla e da Seleção Brasileira treinada por Carlos Alberto Parreira. Juntos, levaram o clube alemão ao grande auge. Foram vice-campeões do campeonato nacional nas temporadas 1998–99 e 2001–02, além de chegarem a final da Liga dos Campeões contra o Real Madrid, ex-clube de Zé Roberto. Nessa final, o já meio campista não jogou, e sua equipe acabou derrotada por 2 a 1.[8]

Bayern de Munique[editar | editar código-fonte]

Em 2003 então, transferiu-se para outro clube alemão: o poderoso Bayern de Munique. Pelos Bávaros, Zé Roberto viveu uma das melhores fase da sua carreira e conquistou diversos títulos. No total, atuou em 248 partidas pelo Bayern e marcou 20 gols.

Santos[editar | editar código-fonte]

Em 31 de agosto de 2006, o meio-campista assinou por uma temporada com o Santos. Após ter realizado uma boa Copa do Mundo FIFA de 2006, Zé Roberto chegou no clube da Vila Belmiro e recebeu a camisa 10. O meia correspondeu às expectativas e foi o principal jogador da equipe no Campeonato Brasileiro, competição que o Santos terminou em 4ª lugar.

Em 2007 sagrou-se campeão do Campeonato Paulista, seu primeiro título conquistado no Brasil. Além do título, foi eleito o melhor jogador da competição. Na Copa Libertadores da América, principal meta do Santos no ano, ajudou o time a chegar na semifinal. Em 8 de junho anunciou, em entrevista coletiva no Centro de Treinamento Rei Pelé, que deixaria o Peixe após dez meses, além de renunciar à convocação da Seleção Brasileira para a disputa da Copa América na Venezuela.[9] Nos dez meses que vestiu a camisa alvinegra, Zé Roberto fez 61 jogos, marcou 14 gols e deu nove assistências.

O meio-campista atuando pelo Al-Gharafa

Hamburgo[editar | editar código-fonte]

Na janela de transferências da temporada 2009–10, Zé Roberto foi contratado pelo Hamburgo, também da Alemanha, assinando um contrato de dois anos. Em maio de 2011, após o fim do contrato, o meia anunciou que não renovaria com o clube.[10]

Al-Gharafa[editar | editar código-fonte]

No dia 10 de julho foi anunciado pelo Al-Gharafa, do Catar.[11] O meia chegou para substituir Juninho Pernambucano, que havia retornado ao Vasco da Gama.

Estreou dando duas assistências pelo Campeonato Saudita. Marcou nove gols, deu duas assistências e foi candidato a ser o melhor jogador da competição.

Grêmio[editar | editar código-fonte]

Foi anunciado como novo reforço do Grêmio no dia 4 de maio de 2012, assinando contrato de um ano.[12][13] O jogador se apresentou no dia 4 de junho, recebendo a camisa 10 e tornando-se um dos destaques do time, juntamente com Elano, Gilberto Silva, Marcelo Moreno e Marcelo Grohe.

No processo de renovação de seu contrato para 2013 declarou em entrevista: "[...] Minha identificação com o Grêmio foi muito rápida, e sinto o carinho dos torcedores de uma forma que não vivi em outros grandes clubes que joguei"[14]

Apesar do prêmio Bola de Prata conquistado pelo desempenho no Campeonato Brasileiro de 2014, o clube não renovou seu contrato, que terminaria no dia 31 de dezembro de 2014.[15]

Palmeiras[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto durante cobrança de lateral, em 2016

No dia 22 de dezembro de 2014 foi contratado por um ano pelo Palmeiras.[16] Fez sua estreia oficial no dia 31 de janeiro de 2015, numa vitória sobre o Audax por 3 a 1, em partida válida pelo Campeonato Paulista.[17][18] Antes da partida, Zé Roberto deu uma expressiva preleção aos novos companheiros, sendo aclamado pela imprensa e pela torcida.[19] Após ser vice-campeão paulista pelo clube, Zé Roberto foi eleito o pela FPF o melhor lateral esquerdo da competição, sendo também incluso na seleção do campeonato.[20] Zé Roberto se transformou num dos principais líderes da equipe durante a temporada de 2015 e ficou com o posto de capitão durante a maior parte da temporada. Em 2 de dezembro, na decisão da Copa do do Brasil contra o Santos, sagrou-se campeão na primeira final disputada no Allianz Parque. Na decisão por pênaltis que definiu o título, Zé Roberto foi um dos cobradores que tiveram êxito.[21]

O meio-campista renovou para 2016 e seguiu contrariando as estimativas do jogador 'veterano'. Aos 42 anos, disputou grande parte das partidas da temporada, salvou gols adversários, deu piques de menino e foi muitas vezes decisivo. Sagrou-se campeão brasileiro no dia 27 de novembro de 2016. Pouco mais de uma semana depois, renovou seu contrato por mais um ano, até o fim de 2017.[22]

No dia 24 de maio de 2017, após fazer o terceiro gol contra o Atlético Tucumán pela última rodada da fase de grupos da Libertadores, tornou-se o jogador mais velho a fazer um gol pela competição, com 42 anos, 10 meses e 18 dias.[23]

Seleção Nacional[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto também jogou na Seleção Brasileira, tendo participado de duas conquistas da Copa América e da Copa das Confederações FIFA.

Em 1998 foi convocado por Zagallo para a Copa do Mundo FIFA realizada na França.[24] Atuando ainda na lateral-esquerda e como reserva do então titular Roberto Carlos, Zé Roberto foi vice-campeão com o Brasil.[25]

Apesar de ter disputado a Copa América e a Copa das Confederações FIFA de 1999, não foi o bastante para fazê-lo integrar o elenco da Copa do Mundo FIFA de 2002, na qual a Seleção Brasileira conquistaria o pentacampeonato na Coreia do Sul e no Japão.[26]

Na Copa do Mundo FIFA de 2006, apesar da campanha frustrante da Seleção Brasileira, Zé Roberto destacou-se como um dos melhores do torneio realizado na Alemanha. O meio-campista esteve presente na seleção dos melhores da Copa, eleita pela FIFA.[27]

Em 2007, quando defendia o Santos, foi convocado pelo técnico Dunga para a disputa de mais uma Copa América. No entanto, o jogador acabou recusando o convite, optando por encerrar seu ciclo na Seleção, a fim de poder retornar ao Bayern de Munique.[28]

Aposentadoria[editar | editar código-fonte]

No dia 25 de novembro de 2017, ainda jogando pelo Palmeiras, anunciou sua aposentadoria após 23 anos de carreira.[29] Recebeu aplausos em seu último jogo, contra o Botafogo, em 27 de novembro de 2017, na vitória do alviverde por 2 a 0. Em momento de grande comoção, deu volta olímpica no Allianz Parque e teve seu nome gritado em coro pela torcida, além de ser festejado por todos os jogadores em campo e receber uma placa do clube alviverde.[30]

Despedidas[editar | editar código-fonte]

Após realizar seu último jogo como profissional pelo Palmeiras em 2017, Zé Roberto voltou aos gramados em 2018 para um jogo de despedida pela Portuguesa. Mostrando vitalidade aos 43 anos, o ex-jogador atuou os 90 minutos na vitória da equipe paulistana por 2 a 0 sobre a Portuguesa no Canindé, pela Copa Rubro-Verde. Aplaudido pela pequena torcida, Zé Roberto ouviu no final da partida o coro "Fica, Zé Roberto!". Além disso, posou para fotos com vários jogadores das duas equipes ao final da partida. "A Portuguesa foi o clube que me projetando para o mundo. Só tenho que agradecer. Fiquei muito feliz de receber esse convite. Estar aqui é como voltar no tempo. É ter boas recordações. Estou aqui recebendo o carinho dos torcedores. Isso é muito gratificante", disse o jogador antes da partida. Zé Roberto foi convidado pelo clube paulista para defender a equipe na disputa da Série A2 do Paulistão, mas decidiu não aceitar e encerrar sua carreira.[31]

Para e 2019, Zé Roberto programou um novo jogo de despedida festivo, agora pelo Palmeiras. A partida foi realizada no dia 13 de janeiro de 2019, no Allianz Parque, e teve como participantes amigos do ex-jogador e veteranos de diferentes times da história alviverde.[32]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Evangélico, escreveu o livro "Zé Roberto, Colhendo Frutos em Terra Seca", da Editora Central Gospel.[33] Em 2008, quando atuava pelo Bayern de Munique, cogitou a possibilidade de estudar teologia após abandonar o futebol, para se tornar pastor evangélico.[34]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Atualizadas até 28 de novembro de 2017

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube Temporada Campeonato
nacional
Copa
nacional[a]
Competições
continentais[b]
Outros
torneios[c][d]
Total
Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols Jogos Gols
Portuguesa 1994 18 - - - - - - - - -
1995 19 1' - - - - - - - -
1996 25 - - - - - - - - -
Total 62 1 - - - - - - 62 1
Real Madrid 1996–97 9 0 0 0 0 0 0 0 9 0
1997–98 6 0 0 0 4 1 2 0 12 1
Total 15 0 0 0 4 1 4 0 23 1
Flamengo 1998 - - - - - - 24 0 24 0
Total - - - - - - 24 0 24 0
Bayer Leverkusen 1998–99 32 4 0 0 4 0 0 0 36 4
1999–00 27 7 0 0 3 0 0 0 30 7
2000–01 24 2 0 0 7 0 0 0 31 2
2001–02 30 4 2 0 15 1 0 0 47 5
Total 113 17 2 0 29 1 0 0 144 18
Bayern de Munique 2002–03 31 1 4 1 7 0 0 0 42 2
2003–04 30 2 2 0 7 0 1 0 40 2
2004–05 22 1 4 0 8 1 - - 34 2
2005–06 27 1 4 0 8 0 0 0 39 1
Total 110 5 14 1 30 1 1 0 155 7
Santos 2006 12 2 - - 1 0 - - 13 2
2007 1 0 0 0 14 7 20 3 35 12
Total 13 2 0 0 15 7 20 3 48 14
Bayern de Munique 2007–08 30 5 6 0 10 0 3 0 49 5
2008–09 29 4 4 1 9 2 - - 42 7
Total 59 9 10 1 19 2 3 0 91 12
Hamburgo 2009–10 23 6 2 0 14 1 - - 39 7
2010–11 31 1 2 0 - - - - 33 1
Total 54 7 4 0 14 1 - - 72 8
Al-Gharafa 2011–12 12 9 - - - - - - 12 9
Total 12 9 - - - - - - 12 9
Grêmio 2012 29 3 - - 4 1 - - 33 4
2013 23 3 1 0 9 3 9 4 42 10
2014 31 0 1 0 5 0 7 1 44 1
Total 83 6 2 0 18 4 16 5 119 15
Palmeiras 2015 26 2 9 4 - - 14 1 49 7
2016 27 1 4 1 5 0 9 0 45 2
2017 18 0 3 0 5 1 13 0 39 4
Total 71 3 13 5 5 1 23 1 133 13
Total na carreira 592 59 45 7 134 18 89 9 961 95

Títulos[editar | editar código-fonte]

Zé Roberto com o Palmeiras em 2017
Real Madrid
Bayern de Munique
Santos
Al-Gharafa
Palmeiras
Seleção Brasileira

Prêmios individuais[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Jean Santos e Lucas Borges (8 de dezembro de 2014). «Zé Roberto pega a contra mão e se transforma no novo 'Vovô Garoto'». ESPN.com.br. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  2. «Zé Roberto pede renúncia de Del Nero e corte ao 'câncer' da corrupção no futebol». ESPN.com.br. 7 de dezembro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  3. Henrique Toth e Tossiro Neto (18 de dezembro de 2019). «Zé Roberto troca de função no Palmeiras, e Edu Dracena vira assessor técnico do clube». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  4. Felipe Zito e Tossiro Neto (28 de novembro de 2017). «Zé Roberto ganha cargo administrativo e seguirá no Palmeiras após aposentadoria». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  5. «Zé Roberto - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  6. Victor de Andrade (17 de janeiro de 2019). «Zé Roberto no Real Madrid». O Curioso do Futebol. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  7. «Flamengo vende Zé Roberto ao Bayer Leverkusen». Folha de S.Paulo. 21 de maio de 1998. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  8. «Bayer Leverkusen X Real Madrid - Escalações da partida». ESPN.com.br. 15 de maio de 2002. Consultado em 4 de novembro de 2021 
  9. Bruno Thadeu (8 de junho de 2007). «Zé Roberto rejeita seleção, deixa Santos e esconde destino». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  10. «Zé Roberto deixará Hamburg no fim da temporada». Trivela. 6 de maio de 2011. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  11. «Ex-meia da Seleção Brasileira frustra Santos e fecha com time do Qatar». Futebol Interior. 10 de julho de 2011. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  12. Hector Werlang (4 de maio de 2012). «Grêmio anuncia contratação do meia Zé Roberto». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  13. «Grêmio anuncia contratação do meia Zé Roberto». Superesportes. 4 de maio de 2012. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  14. «Zé Roberto afirma que deve renovar contrato com Grêmio». Terra. 4 de dezembro de 2012. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  15. Diego Guichard (9 de dezembro de 2014). «Grêmio confirma saída de Zé Roberto». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  16. «Zé Roberto é anunciado pelo Verdão já promete tabelas com Valdivia». GloboEsporte.com. 22 de dezembro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  17. Juliano Costa (31 de janeiro de 2015). «Após festa para Arouca, Palmeiras estreia com vitória fácil sobre o Audax». GloboEsporte.com. Consultado em 3 de março de 2020 
  18. Danilo Lavieri (31 de janeiro de 2015). «Allione vai bem, e Palmeiras estreia com vitória fácil contra o Audax». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  19. «Zé Roberto arrepia em preleção com "Edmundo é animal"». Terra. 31 de janeiro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  20. a b «Finalistas, Palmeiras e Santos dominam a seleção do Paulistão». GloboEsporte.com. 30 de abril de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  21. Diego Garcia e Rafael Valente (3 de dezembro de 2015). «Prass converte pênalti decisivo, Palmeiras vence Santos e é tri da Copa do Brasil». ESPN.com.br. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  22. Rodrigo Faber (9 de dezembro de 2016). «Zé Roberto prolonga contrato com o Palmeiras por mais uma temporada». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  23. Felipe Zito e Tossiro Neto (25 de maio de 2017). «Mais velho a fazer gol na Libertadores, Zé Roberto reafirma: "Paro neste ano"». GloboEsporte.com. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  24. «Sem Zé Roberto, geração do Brasil de 98 chegará ao fim; veja onde está cada atleta». Jovem Pan. 12 de fevereiro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  25. Rodrigo Trindade (29 de novembro de 2017). «Zé Roberto foi o último a parar. Por onde andam os 22 da seleção de 1998?». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  26. Murilo Borges (10 de abril de 2020). «Copa de 2002: Como Felipão montou a seleção de 2002 e qual era sua única dúvida na lista final». ESPN.com.br. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  27. «Zé Roberto é o único brasileiro na lista dos melhores da Copa». UOL. 7 de julho de 2006. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  28. «Zé Roberto pede dispensa da Seleção e não vai à Copa América». Extra Online. 8 de junho de 2007. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  29. «Palmeiras anuncia: Zé Roberto, aos 43 anos, decide se aposentar». GloboEsporte.com. 25 de novembro de 2017. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  30. «Adeus: Zé Roberto recebe placa, camisa e aplausos em homenagem do Palmeiras». GloboEsporte.com. 27 de novembro de 2017. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  31. Rodolfo Rodrigues (5 de janeiro de 2018). «Zé Roberto volta a jogar pela Portuguesa com pedidos para ficar». R7. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  32. «Palmeiras confirma amistoso de despedida de Zé Roberto na arena para o início de janeiro». GloboEsporte.com. 6 de dezembro de 2018. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  33. «Jogador Zé Roberto usa história bíblica para incentivar equipe e vira sucesso na internet». Guia-Me. 3 de fevereiro de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  34. «Zé Roberto pode se tornar pastor evangélico». Portal Gospel+. 19 de novembro de 2008. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  35. «Grohe, Zé Roberto e Aránguiz são premiados com Bola de Prata». GZH. 8 de dezembro de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  36. Rodolfo Rodrigues (20 de maio de 2017). «Campeonato Brasileiro tem 49 jogadores que já ganharam a Bola de Prata». ESPN.com.br. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  37. «El 11 ideal de este año del continente americano» (em espanhol). AS.com. 30 de dezembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  38. «Zé Roberto vence eleição do gol mais bonito». Confederação Brasileira de Futebol. 12 de dezembro de 2016. Consultado em 30 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Zé Roberto (futebolista)