ZAP (operadora)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


ZAP
Logótipo da ZAP TV
Joint-Venture
Slogan A minha TV
Indústria Telecomunicação
Fundação 2010
Sede Luanda, Angola
Proprietário(s) NOS 30%

SOCIP – Sociedade de Investimentos e Participações, S.A. 70%

Produtos Televisão por satélite

Televisão Por Fibra Internet Cinema

Website oficial Angola ZAP ANGOLA

Moçambique ZAP MOÇAMBIQUE

A ZAP é uma Joint-Venture entre a empresa de telecomunicações portuguesa NOS (30%) e a SOCIP – Sociedade de Investimentos e Participações, S.A. (70%) (100% controlada pela Isabel dos Santos) que disponibiliza televisão por satélite, principalmente para Angola e Moçambique, na África subsariana. A ZAP foi lançada em Angola em 2010, é 100% controlada pela filha do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, Isabel dos Santos, fornecendo um serviço de TV por assinatura que cobre os países desde a África subsariana até ao sul de Angola. A ZAP opera a partir do satélite Eutelsat W7, colocado sobre África a 36,0 graus Leste, transmitindo em DVB-S2 em cinco transponders de Banda Ku com compressão MPEG-4 e encriptação Nagravision.[1]

A ZAP disponibiliza canais de língua Portuguesa para uma região onde os PALOP contam com mais de 40 milhões de habitantes (Angola e Moçambique) dos quais quase 10% (4 milhões) falam português dos quais 10 mil são clientes da ZAP.

De modo a subscrever o serviço de televisão da ZAP o assinante pode usar qualquer um dos dois decodificadores disponísveis. O "HD+" descodifica o sinal encriptado, disponibiliza um Guia Electrónico de Programação, imagem de alta definição e som estéreo 5.1. O descodificador "HD+DVR" disponibilizará em breve (2015) a funcionalidade adicional de gravação digital.

História[editar | editar código-fonte]

A ZAP iniciou a sua actividade no mercado angolano em Abril de 2010 e é actualmente o maior operador de TV por Satélite em Angola, mantendo sempre o compromisso de prestar aos seus clientes o melhor serviço de TV do mercado.

No 1º semestre de 2011 entra no mercado Moçambicano e torna-se rapidamente líder na disponibilização de conteúdos e canais em português e em alta definição.

Desde a sua criação, a ZAP apostou na qualidade de imagem e de conteúdos, definindo um posicionamento que a distingue e aproxima cada vez mais dos seus clientes, disponibilizando produtos e serviços que proporcionam mais entretenimento.

O reconhecimento geral da população de norte a sul do país, faz com que a missão da empresa se estenda a outras áreas, como a vertente social. Vidas ZAP é um projecto implementado em 2013 que selecciona anualmente vários orfanatos onde são montados parques infantis e oferecidas televisões com sinal aberto vitalício.

Em Março de 2014 surgiu uma nova oportunidade de crescimento para a empresa com a inauguração da produtora ZAP Studios. Um estúdio de produção de televisão que veio preencher a necessidade de mais programas e conteúdos nacionais, que são emitidos exclusivamente no canal ZAP Viva.

No mesmo ano, a ZAP prepara o lançamento da sua primeira oferta de Dual Play com o serviço ZAP Fibra, que vem materializar o novo posicionamento da empresa e dar continuidade a uma estratégia de inovação que, desde há muito tempo, tem vindo a caracterizar a actividade da ZAP. Este é um serviço que oferece Pacotes de Televisão + Internet, com funcionalidades inéditas em Angola, como o Restart TV, Timewarp e Videoclube e com as velocidades de internet mais rápidas do mercado.

Serviços[editar | editar código-fonte]

Televisão[editar | editar código-fonte]

A ZAP fornece televisão por Fibra Ótica (sob o nome ZAP Fibra, só em Angola) e por Satélite (sob o nome ZAP Satélite). a empresa de telecomunicações de Portugal NOS (empresa-mãe) também pussui esse serviços, mas atua só sob a sua marca.

A ZAP também transmite canais de televisão próprios e os da NOS em Angola:

Internet[editar | editar código-fonte]

A ZAP fornece Internet por Fibra Ótica, mas não por Satélite, enquanto que sua empresa-mãe NOS, venda pelos dois.

Cinemas[editar | editar código-fonte]

A ZAP pussui uma cadeia de cinemas denominada ZAP Cinemas. A sua contraparte portuguesa (NOS) pussui também uma cadeia de cinemas denominada Cinemas NOS, que é operada pela sua subsidiária NOS Lusomundo Cinemas (antiga ZON Lusomundo), mas não sendo feita pela NOS, mas sim pelo antecessor da NOS, a ZON Multimédia (em 2014, fundiu-se com a Optimus Telecomunicações para fazer a NOS).

Relacionamento com a NOS[editar | editar código-fonte]

A entrada da NOS em África materializou-se com uma expansão para Angola e Moçambique através de uma joint-venture detida em 30% pela NOS e em 70% pela SOCIP – Sociedade de Investimentos e Participações, S.A. (100% controlada pela Senhora Engª Isabel dos Santos), com o objetivo de desenvolver uma oferta de TV por satélite. A NOS deu assim o primeiro passo de uma estratégia mais ampla de desenvolvimento de operações no continente Africano.

A NOS alavancou a sua posição de liderança na produção e distribuição de conteúdos em Portugal, através da venda para o mercado Angolano e Moçambicano dos canais produzidos por si, bem como de canais produzidos por joint-ventures. O enfoque é colocado na força da quantidade de canais em Português, conteúdo HD e funcionalidades inovadoras da set top box.

A ZAP está a apresentar um desenvolvimento muito positivo, com uma forte adesão por parte dos clientes, tendo alcançado a liderança do mercado de TV por Subscrição em 2014, e sucessivamente ampliado essa liderança nos exercícios seguintes. Recentemente, lançou uma oferta de TV e Internet sobre fibra ótica (FttH) em Luanda e o seu primeiro complexo de cinemas.

A ZAP é um reflexo quase perfeito da portuguesa NOS.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]